sábado, 7 de agosto de 2010

Karl Popper Contra a Teoria da Evolução - Método Cientifico contra as insanidades dos Evolucionistas - Darwin Caiu

Página Índice, Evolução Provada Falsa (Clique Aqui).

O filósofo da ciência Karl Raimund Popper, muito conhecido pela sua defesa da falseabilidade como um critério da demarcação entre a ciência e a não-ciência, tratando especificamente do darwinismo, o denominou de “programa metafísico de pesquisa: “É metafísico por não ser suscetível de prova”, escreve em sua Autobiografia Intelectual (p. 180).


Popper desolado com a pseudociência de Darwin e companhia...

Popper chega a igualar as consequências do darwinismo na mentalidade do século XIX ao que o freudismo e o marxismo originaram no século XX, ou seja, teorias que pretendem explicar tudo mas que nada explicam. Nessa sua mesma “Autobiografia Intelectual” ele aborda o assunto largamente. Em “O darwinismo como programa metafísico de pesquisa” pondera:  - “Com efeito, admitamos que em Marte haja uma vida que consista em exatamente três espécies de bactérias com equipamento genético semelhante ao de três espécies terrestres. Estaria refutado o darwinismo? De modo algum. Diremos que essas três espécies, dentre as muitas formas de mutação, eram as únicas suficientemente bem ajustadas para sobreviver. E asseveraríamos o mesmo, se houvesse apenas uma espécie (ou nenhuma). Desse modo, ocorre que o darwinismo realmente não prevê a evolução da variedade. E, portanto, não pode explicá-la. Quando muito, pode prever a evolução da variedade “sob condições favoráveis". Entretanto, dificilmente se poderá descrever, em termos gerais, o que sejam condições favoráveis - só se poderá dizer que, estando elas presentes, surgirão formas várias.

Entendo, todavia, que focalizei a teoria por seu melhor aspecto — quase pelo aspecto em que ela e mais suscetível de prova. Poder-se-ia dizer que ela “quase prevê” uma grande variedade de formas de vida. Em outros campos seu poder preditivo ou explicativo é ainda mais desapontador... Concentremo-nos na “adaptação”. À primeira vista, a seleção natural parece explicá-la e, em certo sentido isso realmente ocorre; mas não de maneira que se possa considerar científica. Dizer que uma espécie hoje viva está adaptada a seu meio é, em verdade, quase tautológico. Com efeito, empregamos os termos “adaptação” e “seleção” de modo tal que se torna cabível afirmar que, se a espécie não se houvesse adaptado, ela teria sido eliminada por seleção natural... De outra parte, se uma espécie foi eliminada, isso deverá ter ocorrido pelo fato de ela se adaptar mal às condições... A adaptação (ou aptidão) é definida pelos modernos evolucionistas como um valor de sobrevivência, e pode ser medida em ter de êxito efetivo quanto à sobrevivência, dificilmente haveria possibilidade de submeter a prova uma teoria tão frágil quanto essa. (p. 181).

Fonte: Karl Popper. “Autobiografia Intelectual”. Tradução: Leônidas Hegenberg e Octanny Silveira da Motta. Editora da Universidade de São Paulo. São Paulo, 1977.

As dificuldades do darwinismo em relação aos critérios estabelecidos por Popper são várias. Por exemplo:  Darwin ao determinar a seleção natural fez uso da definição "a preservação das variedades favoráveis e a destruição das desfavoráveis". No entanto, quem de fato são os “favoráveis” e os “desfavoráveis?” Alguém poderia simploriamente afirmar que os “favoráveis” são os que sobrevivem, e os “desfavoráveis” são os que não deixa sobreviver! Ou seja, em última análise, a seleção natural não significa a sobrevivência do “mais apto”, e sim a sobrevivência daquele que sobrevive... Ou seja, um raciocínio circular que não nos leva a lugar algum. Outra questão diz respeito às explicações sobre a “seleção sexual”. Segundo Darwin o macho seleciona a fêmea em conseqüência de seus aspectos mais atraentes, e a fêmea, por sua vez, seleciona o macho por causa de sua força física e mental. A par disto, pode-se perguntar por que, afinal, os encantos das fêmeas e a força do macho são as características mais seletivas? Que critério pode ser realmente satisfatório para se definir, por exemplo, qual seja a fêmea mais bela? Não seria a beleza um conceito meramente subjetivo? E, como fêmea sabe verdadeiramente que um determinado macho é o mais saudável e o mais forte entre todos os demais? Não seria isso também um conceito subjetivo?

Outra fragilidade da teoria darwiniana consiste em querer explicar os sistemas complexos através de causas não-inteligentes. Mecanismos tais como o flagelo, os cílios, a coagulação do sangue, o sistema imunológico, entre outros, por sua irredutibilidade, jamais poderiam ter seguido por uma rota gradualista. Pode-se ainda questionar a extrema incapacidade do darwinismo em fazer qualquer tipo de previsão acerca de como evoluirão as espécies. Também se questiona o fator "tempo", afinal como é possível submeter à prova os processos de alterações das espécies ao longo dos milhões de anos que se passaram? E outra dificuldade no âmbito da falseabilidade relaciona-se com a quantificação da diversidade: quantas espécies é possível encontrar em determinadas épocas e ambientes? E, por fim, e aqui talvez o mais dramático, refere-se ao poder explicativo da teoria darwinista ante os fenômenos biológicos em geral. Ou seja, ela é de tal forma formada por um conjunto de enunciados tão vasto e tão abrangente que é praticamente impossível fazer uma confrontação verdadeiramente definitiva com os diversos “dados” em questão (dados decorrentes da classificação, da paleontologia, da anatomia comparada, da genética, da embriologia, da biogeografia etc.).

A famigerada “cartinha” de Retratação...

Em 1980, sob intensa pressão e sob o risco de ser isolado pela academia, Popper escreveu uma carta na qual – timidamente – atenuou suas críticas ao darwinismo. No entanto, fora apenas uma correção tímida e mal explicada. Afinal, como Popper poderia ter mudado de idéia se nada de novo fora apresentado pelos darwinistas até então? Sobre isto, é pertinente esta afirmação de Pierre Thuillier, em “De Arquimedes há Einstein”:  - “Mais tarde, Popper atenuou sua posição. Mas o tipo de desconfiança que formulara não deixou, com isso, de ter um sentido preciso: não é raro que o fornecimento de “provas” experimentais se revele extremamente delicado. Popper foi certamente coagido a se retratar contra a vontade, sua lógica está perfeita. De fato a Teoria da Evolução é pura pseudociência, só não percebe isso quem não tem o minimo entendimento de método cientifico.

E mais esta, de José Meira Penna: - “A euforia darwinista, que reinou até a Primeira Guerra Mundial, passou a declinar a partir de julgamentos mais críticos e é nesse ponto que entra em cena Popper. Num capítulo de seu livro “Inquérito inacabado”, sir Karl Popper (+ 1994) põe em dúvida o darwinismo na base do condicionamento científico daquilo que é testável, daquilo que pode ser provado empiricamente, daquilo que é suscetível de comprovação pela observação e pela experiência. Segundo esse critério, o darwinismo não é uma teoria científica. Popper qualifica-o de “programa de pesquisa metafísica”. Confessando que, durante muito tempo, sentia relutância em admitir sua legitimidade científica, escreve sir Karl em sua Autobiografia: “Cheguei à conclusão que o darwinismo não é uma teoria científica testável, mas um programa metafísico de pesquisa - uma estrutura possível para teorias científicas suscetíveis de serem submetidas a teste”.

[...] “Acentua Popper, corretamente, que o determinismo é muito pobre como explicação quando verificamos a enorme riqueza do repertório possível de reações de um organismo perante os problemas e desafios que enfrenta. “Creio que o darwinismo” — escreve Popper — “deve amplamente ceder lugar à idéia de que, em quase todos os estágios da vida, existe um repertório inteiro de reações concebíveis perante uma determinada situação.

[...] “As teorias científicas são científicas na medida exata em que suas conseqüências podem ser falsificadas pela observação ou pela experimentação. Um cientista digno do nome é aquele que está pronto a abandonar sua mais querida teoria quando fica vulnerável à falsificação ou à refutação. Os mitos e as teorias pseudocientíficas não são susceptíveis de refutação desse tipo.

[...] “Disso concluímos que o darwinismo encontra dificuldade precisamente nesse terreno de sua “intestabilidade” e “irrefutabilidade”.

Fonte:  José Osvaldo de Meira Penna. “Polemos: uma análise crítica do darwinismo. Editora UnB (da Universidade de Brasília). Brasília, 2006.


Falseabilidade da Teoria Evolutiva

Comentário de Rodrigo: “Acho que você não conhece o mínimo de lógica. Você pede alguém que falseou o darwinismo quando a filosofia de Popper diz é que o darwinismo não é ciência justamente por não ser falseável. Só pode ser brincadeira”.

Resposta: Eu conheço sim muito de lógica, tanto que não precisei me formar biólogo para notar que a Teoria da Evolução é uma Religião. Acontece que dizer ao “povão” que a evolução não é “falseável” e por isso ela é uma pseudociência simplesmente não funciona... o "povão" que é preguiçoso e ODEIA LER não sabe nem que o Popper algum dia existiu. Imagine saber o que é método cientifico, falseabilidade, etc...

Aliás para mim essa premissa de Popper foi mais uma provocação, do que de fato uma refutação séria. Na verdade, a Evolução é perfeitamente falseável, é só um peixe não virar um macaco (por acidente, sozinho) perante os nossos olhos que ela já pode ser considerada falsa. A desculpa esfarrapada do "longo tempo" é apenas isso desculpa esfarrapada.

O registro fóssil é claro ao revelar que todos os seres vivos surgem repentinamente, já totalmente formados, com todas as funções necessárias para a sobrevivência sem nenhuma história evolucionaria anterior, é como se tivessem sido plantados ali. E isso aconteceu várias vezes na história da vida no planeta Terra, e isso pode ser verificado por qualquer pessoa, basta cavar, basta entender de datação geológica. Só por esse fato a Evolução está provada falsa. As evidências são claras, e não deixam dúvidas, o Design Inteligente é a melhor resposta para explicar o mistério do aparecimento repentino da vida, em várias ocasiões diferentes no planeta Terra.

- “Os estratos de rochas do cambriano, datados de aproximadamente 600 milhões de anos, são os mais antigos em que encontramos a maioria dos principais grupos de invertebrados. E os encontramos já em estado avançado de ‘evolução’, logo da primeira vez em que aparecem. É como se eles simplesmente tivessem sido plantados lá, sem qualquer história evolucionária anterior” - [Richard Dawkins - O Relojoeiro Cego, Pg. 337].

E Agora evolucionistas? A Macaca vai ter de torcer o Rabo!


Teoria da evolução, mais do que nunca provada falsa! Darwin caiu... a macacada fica LOUCA!

- Pagina de índice, todos os artigos que vão contra a Teoria da Evolução:
http://seteantigoshepta.blogspot.com/2009/08/pagina-de-indice-todos-os-artigos-que.html

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: Karl Popper, Contra a Teoria da Evolução,Método Cientifico,contra as insanidades, dos Evolucionsitas,evolução provada falsa,mentiras,fraude da evolução,evolução não,charles darwin,a origem das especies,

6 comentários:

Estevão disse...

E Agora evolucionistas?
O incrível é que nós somos forçados a engolir a teoria darwinista desde o ensino fundamental e o chato é você ter que concordar com isso na hora de uma prova ou algo do tipo.
Mente aberta sempre!

Ronald_knut disse...

outro dia, vi em um site que não lembro qual, que algumas escolas nos Estados Unidos já descartaram o Evolucionismo no seu conteúdo didático, mais como sempre o Brasil é sempre o último a saber...

mais achei links parecidos:

( http://www.istoe.com.br/reportagens/paginar/69291_DEUS+CHEGA+AS+AULAS+DE+BIOLOGIA/10 )

e uma 'sincera' homenagem aos ateus rsrs:

http://www.youtube.com/watch?v=218Yp_NSWH4&feature=related


não é legal ? os 'revolucionários' irão denunciar o cara ? rsrs

Jildete - biológa evolucionista e atéia disse...

Tá, tudo bem então...e se Karl Popper estiver errado? Voces aceitam Popper só porque vai de encontro ao que voces querem, mas ele, sendo humilde, preconizou que sua ideia pode ser substituida, pode ser tão falseável quanto qualquer outra teoria cientifica. Por à aceitam como VERDADE ABSOLUTA?!
Podem vocês citar alguém que falseou a teoria de Darwin?! Ou que demonstrou cientificamente e não dogmaticamente a existencia de Deus?!

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Jildete, sua critica contra Popper só prova aquilo que pessoas honestas e sem comprometimento com dogmas dizem.

A Teoria da Evolução não é ciência, é religião.

Popper é o sistematizador do método cientifico, ele é o Einstein entre os filósofos.

Não temos motivo para duvidar do que ele disse, pois o seu sistema logico é o que tem sido seguido por todos os ramos da ciência, e o sucesso tem sido perfeito.

Quem não segue o método logico dele comete erros, graves erros... nunca chegam a lugar algum.

Não é Popper que deve ser criticada minha amiga, mas sim Darwin e seus seguidores fanáticos e cegos.

Sobre pessoas que falsearam o Teoria da Evolução, posso citar centenas e até milhares.

Mas citarei quadro que atualmente estão arrebentando a boca do balão.

São eles:

- Michael Behe
- Stephen C. Meyer
- William Dembski
- Scott Minnich

Dois em particular escreveram livros de sucesso internacional:


Michael Behe intitulado: "A Caixa Preta de Darwin" (em português do Brasil)outro livro dele foi: “The Edge of Evolution: The Search for the Limits of Darwinism” (tradução: O Limite da Evolução: A busca pelos limites do Darwinismo) e temos o livro do Diretor do Center for Science and Culture (CSC) Stephen C. Meyer , intitulado:

“In Signature in the Cell, DNA and Evidence for Intelligent Design” um best-seller


Citação para pensar:

Niles Eldredge (Curador de Invertebrados no Museu Americano de História Natural) e Stephen Jay Gould:

“A extrema raridade de formas transicionais no registro fóssil persiste como o negócio secreto da paleontologia. As árvores genealógicas que adornam nossos livros-texto têm dados somente nas extremidades e nódulos de seus galhos; o resto é inferência, por mais que razoável, não é a evidência dos fósseis... Eu não quero de nenhuma maneira impugnar a validade potencial do gradualismo. Eu somente quero destacar que isso nunca foi ‘visto’ nas rochas”

Rodrigo disse...

Acho que você não conhece o mínimo de lógica. Você pede alguém que falseou o darwinismo quando a filosofia de Popper diz é que o darwinismo não é ciência justamente por não ser falseável. Só pode ser brincadeira.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Rodrigo eu conheço sim muito de lógica, tanto que não precisei me formar biólogo para notar que a Teoria da Evolução é uma Religião. Acontece que dizer ao "povão" que a evolução não é "falseável" e por isso ela é uma pseudociência simplesmente não funciona... o "povão" que é preguiçoso e ODEIA LER não sabe nem que o Popper algum dia existiu. Imagine saber o que é método cientifico, falseabilidade, etc...

Aliás para mim essa premissa de Popper foi mais uma provocação, do que de fato uma refutação séria. Na verdade, a Evolução é perfeitamente falseável, é só um peixe não virar um macaco (por acidente, sozinho) perante os nossos olhos que ela já pode ser considerada falsa. A desculpa esfarrapada do "longo tempo" é apenas isso desculpa esfarrapada.

O registro fóssil é claro ao revelar que todos os seres vivos surgem repentinamente, já totalmente formados, com todas as funções necessárias para a sobrevivência sem nenhuma história evolucionaria anterior, é como se tivessem sido plantados ali. E isso aconteceu várias vezes na história da vida no planeta Terra, e isso pode ser verificado por qualquer pessoa, basta cavar, basta entender de datação geológica. Só por esse fato a Evolução está provada falsa. As evidências são claras, e não deixam dúvidas, o Design Inteligente é a melhor resposta para explicar o mistério do aparecimento repentino da vida, em várias ocasiões diferentes no planeta Terra.

- “Os estratos de rochas do cambriano, datados de aproximadamente 600 milhões de anos, são os mais antigos em que encontramos a maioria dos principais grupos de invertebrados. E os encontramos já em estado avançado de ‘evolução’, logo da primeira vez em que aparecem. É como se eles simplesmente tivessem sido plantados lá, sem qualquer história evolucionária anterior” - [Richard Dawkins - O Relojoeiro Cego, Pg. 337]

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. [Bruno Guerreiro de Moraes]