segunda-feira, 15 de abril de 2019

Os Super Paranormais - Carmine Mirabelli - Irmãs Fox - Daniel Douglas Home - Eusapia Paladino - Florence Cook - Elizabeth D'Esperance

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

[Paranormais Autênticos] - [Mestre dos Poderes Paranormais]
Carmine Mirabelli foi um super paranormal brasileiro, tido como um dos seres humanos mais poderosos que já passou pela face da Terra. Seus poderes eram vastos. Ele podia provocar um número grande de efeitos sobrenaturais, tais como levitação, teletransporte, materialização, desmaterialização, atravessava paredes, materializava almas, tinha premonições do futuro, movia os objetos com a força da mente, realizava curas milagrosas, lia a mente, etc... lendo assim parece até fantasia não é mesmo?

O cara era um Superman? - Sim isso mesmo! Um Superman verdadeiro! (e brasileiro!), (acredite se puder...) Ele tinha mais poderes do que os alegados de “Jesus Cristo”, porém diferente de Jesus, Mirabelli REALMENTE EXISTIU, e temos provas incontestáveis de todos os fenômenos que conseguia gerar, (Jesus nunca existiu, Clique Aqui).

Os Super Paranormais - Carmine Mirabelli - Irmãs Fox
Daniel Douglas Home - Eusapia Paladino - Florence Cook:

Carmine Mirabelli - Super Paranormal
(Mais Poderoso que Jesus Cristo, Chico Xavier e outros...)

Caio Mirabelli fala sobre a Levitação de Carmine Mirabelli, seu antepassado
(Advogado e Deputado Estadual)

Carmine Mirabelli Levitando no Instituto Psychico Brasileiro em São Paulo capital, a data exata da foto não é conhecida, mas foi entre 1932 há 1934, essa foi uma das muitas ocasiões onde o paranormal demonstrou tal capacidade sobre-humana

Philippe van Putten investigador meta-psíquico em 28 de junho de 1980 fazendo medições no exato ponto da lendária foto da levitação de Mirabelli na velha sede (agora demolida) do Instituto Psíquico Brasileiro (IPB) em São Paulo, SP, Brasil. Veja que de fato Mirabelli levitou uns 1,70 de altura, pois Philippe tem mais ou menos essa altura. Álbum de fotos com informações levantadas pelo Philippe AQUI

Ele foi estudado por cientistas e por pesquisadores sérios, e jornais, revistas, rádios na época noticiaram sobre ele e seus feitos extraordinários. Infelizmente não temos vídeos por que na época que ele viveu a tecnologia de gravação era muito rudimentar, (nasceu em 1889 desencarnou em 1951, com 62 anos).

Temos fotos dele levitando, materializado almas, com ectoplasma saindo do corpo para formar um ser, etc... (veja abaixo as fotos).

E Carlos Mirabelli nasceu no Brasil, cidade de Botucatu, no estado de São Paulo, estudou em Itu, depois se mudou para São Paulo (capital), e foi na capital que ele apresentou os maiores e mais devastadores fenômenos.

Na capital ele se tornou um empresário de sucesso, adquiriu vários imóveis, terrenos, foi muito prospero, morou em Santos no litoral paulista também, e lá residiu por muitos anos, onde tinha uma fundação de caridade, onde ele mesmo atendia os necessitados gratuitamente, e lá ele provocava curas milagrosas, materialização de almas, etc...

Apesar disso tudo, (de ter tantos poderes e tão sofisticados), ele foi acusado de ser uma fraude, jornais e revistas comprometidos com instituições tais como a Igreja Católica, e com materialistas/ateus fizeram o possível para desacredita-lo.

Infelizmente Mirabelli nunca quis se defender das acusações na justiça, isto é, ele deveria ter processado judicialmente a igreja, os jornais e revistas, e pedido indenizações e retratações, e para isso teria de provar os seus poderes no tribunal, (como a Nina Kulagina fez na Rússia) mas nunca o fez... no máximo ele se defendeu de alguns processos que abriram contra ele.

Mas ele poderia ter aberto dezenas de processos contra membros da igreja católica, donos de veículos de comunicação, etc...

As três capas dos Livros Coleção Mirabelli - Vol. 1,2,3 - Paranormal mais Poderoso da Terra, mais poderoso e diversificado que Jesus Cristo, Chico Xavier, Uri Gueller, etc... Compre os livros [AQUI] Coleção Mirabelli (2015-2018) em 3 volumes, organizada por Marcio Bellini (marcio.bellini@gmail.com). Contém reedições de antigos livros e as últimas pesquisas sobre a vida do controverso médium brasileiro, com muitas fotos e ilustrações

Mirabelli assim como a Nina Kulagina da Rússia (anos depois) foi examinado por dezenas de pesquisadores sérios, cientistas de renome, jornalistas, políticos, militares, médicos, psicólogos, advogados, etc... por décadas!

E a conclusão dessas pesquisas não deixou dúvidas. Carmine Mirabelli é um super paranormal capaz de realizar TODOS OS FENÔMENOS parapsicológicos. E o resultado de toda essa pesquisa e comprovações foi publicado em vários livros que agora estão sendo reeditados.

Ele foi convidado diversas vezes a ir para outros países para ser examinado, mas não foi... o motivo ninguém soube ao certo, simplesmente ele negava os convites. Pelo que diz as testemunhas Mirabelli era um homem de comportamentos não muito lógicos, mas nada que fosse prejudicial as pessoas a sua volta, ele apenas se prejudicava.

Sua fortuna foi sendo diluída com o passar dos anos por conta do seu excesso de caridade, como as instituições estavam contra ele, (desde a religião cristã, até o governo), recebia poucas doações para as suas obras de caridade, então bancava com a sua fortuna.

Era difamado pela igreja, e a igreja pagava os meios de comunicação para acusa-lo, isso numa época que não existia internet, onde o rádio ainda era o mais “moderno” meio de difusão em massa, então na época foi fácil para a igreja católica vende-lo como um charlatão para que não precisassem responder perguntas tais como:

- “Mirabelli é mais poderoso que Jesus?” - , - “Mirabelli é enviado de Deus?” - , - “Mirabelli é a reencarnação de Jesus?” - , - “Mirabelli é um Deus?” - ,  - “Mirabelli tem mais autoridade do que o Papa?” - , etc...

Lembrando que o cristianismo num geral é uma grande DESGRAÇA que caiu sob a humanidade, os líderes dessa ideologia maldita não estão interessados em salvar ninguém, nem instruir ninguém, nem fazer bem algum ao povo. Eles/elas estão interessados isso sim, em roubar, extorquir, controlar, abusar de todos os povos tolos que li dão alguma credibilidade. Querem viver bem, se dar bem, não lis interessa 'Deus', nem 'salvação', nem coisa alguma disso.

Mirabelli foi (mesmo sem ter essa intenção) uma afronta contra o establishment* (poderes estabelecidos da ordem ideológica, econômica e política que constitui uma sociedade ou um Estado).

Fosse ele um cristão, um padre ou monge, seria canonizado como “Santo” e celebrado pela igreja católica como sendo um “enviado de deus”, pois assim eles poderiam lucrar muito com a figura dele, assim como lucram com figuras tais como o Padre Cicero, Madre Teresa, o Padre Pio (que tinha as ‘estigmas’, as mãos sangrando), etc...

A história de Mirabelli foi resgatada pelo pesquisador Marcio Bellini que durante anos foi atrás dos livros, documentos e informações diversas sobre o maior paranormal já registrado da história. Facebook do Marcio Bellini [AQUI] - Compre os livros [AQUI]

Mas Mirabelli não era católico, nem espírita, nem evangélico, ele foi independente de religião, era isso sim, um agnóstico, isto é, um espiritualista sem vínculos com ideologia religiosa, (assim como o dono desse site o é). Mais devoto da ciência do que da religião.

Porém a falha de Mirabelli foi ser muito pacífico... se ele tivesse sido mais justo perante os acusadores desonestos, faria o que é natural fazer nessas ocasiões, processaria igreja e todos que o difamasse e provaria seus poderes no tribunal.

Não o fez, e por isso enquanto esteve vivo foi difamado, sua fama não atingiu âmbito nacional, não virou uma “mega celebridade” na época. A campanha desonesta da igreja foi um sucesso, e Mirabelli tem culpa nisso, pois não agiu mais severamente para se fazer provar.

Também é de pensar que ele talvez não quis provar seus vastos poderes mais amplamente porque ao faze-lo ele iria virar uma celebridade mundial sem paralelos, seria mais famoso que o Papa, que presidentes, reis, ou artistas.

Ele seria uma celebridade divina, um “Homem Deus” e nessa condição poderia revolucionar o mundo todo, (se quisesse), mas parece que não queria... não tinha ideia do que fazer com isso.

Mirabelli assim como é de praxe entre os paranormais, tinha os poderes, mas isso não quer dizer que tinha o conhecimento... o autoconhecimento de Mirabelli era bem aquém de seu imenso poder paranormal (infelizmente).

Conteúdo do Vídeo (palestra) por Marcio Bellini:
Facebook do Marcio Bellini [Aqui] - (marcio.bellini@gmail.com).

A História do médium de efeitos físicos brasileiro Carmine Mirabelli - A Biografia mais completa e em ordem cronológica. Apresentação ocorrida no AEEL - Assistência Espírita Evangelho de Luz, em 30 de janeiro de 2016. Apresentada pelo expositor Marcio Bellini.

1 Parte - Espiritualismo Moderno

- As Irmãs Fox e o caso de Hydesville.
- As Mesas Girantes.
- Allan Kardec e o Espiritismo.
- Diferenças entre o Espiritualismo Moderno e o Espiritismo
- A Carreira das Irmãs Fox.
- O Extraordinário Daniel Dunglas Home.
- O Início das Pesquisas Psíquicas com William Crookes, a médium Florence Cook e o espírito Katie Fox.
- A médium italiana Eusápia Paladino.

2 Parte - Carmine Mirabelli

- Nascimento e Trabalho.
- O início da Mediunidade.
- A Casa de Caridade São Luis.
- A Campanha Anti-Mirabelli.
- A Academia de Estudos Psíquicos César Lombroso.
- Os Livros biográficos e documentais.
- O Aspecto Internacional.
- Os Processos Judiciais.
- Após a morte, mais controvérsias…

Coleção Mirabelli - Vol. 1 - Vol. 2 - Vol. 3
(Casa do Caminho Santana)
[Clique Aqui - Compre os Livros]

A instituição Casa do Caminho de Santana (organização espírita Kardecista), teve uma iniciativa maravilhosa. Eles resolveram resgatar a história desse super paranormal que já estava praticamente esquecido. Ele por não ter sido um espírita devoto não ganhou a mesma atenção e carinho que outros bem menos capacitados ganharam.

Pois perto de Mirabelli o Chico Xavier é medíocre... porém o Chico Xavier tem ampla cobertura pelos devotos do Espiritismo, e Mirabelli foi ignorado por décadas, (simplesmente por não ser espirita), nem idolatrar o Kardec, nem se mostrar devoto convicto de Jesus. Então os religiosos seguidores do espiritismo agiram semelhante aos Católicos, não reconheceram nem divulgaram o Mirabelli porque ele era de “fora” de sua ideologia.

Mas ainda bem, pessoas mais cientificas interessadas no estudo dos potenciais humanos agiram, e resolveram resgatar a história dele, independente se ele era ou não um devoto cristão, não porque isso beneficia a religião espírita, mas sim por que beneficia a humanidade!

É uma VERDADE e por isso deve ser defendida, simplesmente porque é assim que a metodologia cientifica aconselha.

Atualmente já temos os 3 Volumes que é o que o projeto previa. Vamos ver então a descrição desses 3 volumes, todos estão a venda no site da instituição espírita [Clique Aqui] e também nas principais livrarias, e lojas virtuais.

Coleção Mirabelli - Vol. 1

O volume número 1 da Coleção Mirabelli reapresenta dois livros. O primeiro deles “Mensagens do Além” sintetiza as mensagens que Mirabelli recebeu através da psicografia. São mensagens em português, francês, alemão e alguns trechos em italiano, latim, hebraico e grego (o médium apenas conhecia a língua portuguesa e um pouco do italiano). Há também imagens de psicografias em diversos idiomas. São assinadas por espíritos conhecidos na História da Humanidade, muitos da época do Iluminismo. Todas as mensagens são acompanhadas por atas designando data e os nomes das testemunhas presentes. Inserimos tradução, notas explicativas e dicionário de palavras para cada Mensagem apresentada. Abaixo, apresentamos alguns trechos dessas mensagens.

O segundo livro narra um processo sofrido pelo médium, acusado de praticar medicina ilegal, relata toda a defesa apresentada pelo advogado Dr. Bierrenbach de Lima, assim como detalhes da armação que o levou mais uma vez aos tribunais no papel de réu. Além disso, interessantes detalhes sobre a vida social do médium, bem ilustradas com fotos da época, são também apresentados nesse livro.
No apêndice, a repercussão sobre as atividades mediúnicas de Mirabelli, através das matérias publicadas, na época dos fatos, pela centenária revista espírita “O Reformador” da FEB, em artigos e palestras de Manoel Quintão, Carlos Imbassahy, Antônio Lucena e outros autores.

Coleção Mirabelli - Vol. 2

O segundo volume da Coleção Mirabelli reconstitui o aspecto internacional da carreira do médium paulista Carmine Mirabelli, oferecendo ao leitor diversos artigos estrangeiros, ainda inéditos no Brasil, escritos ao longo de meio século, que analisaram sua mediunidade de efeitos físicos, por membros da SPR, da ASPR e de outras revistas espíritas e metapsíquicas pelo mundo.

Republica ainda duas importantes obras brasileiras biográficas: ‘Prodígios da Biopsíquica obtidos com o médium Mirabelli’, do escritor Eurico Goes, que é a melhor e mais completa biografia sobre Mirabelli, escrita em vinte anos de convívio direto com o médium e ‘Martírios e Acrisolamento do médium Mirabelli’, do amigo Miguel Karl, que relata o trabalho de Mirabelli durante 14 anos, a frente da Casa de Caridade São Luís nas cidades de Santos e São Vicente e também a fase da pintura mediúnica, além de outras cinco psicografias não incluídas nas ‘Mensagens do Além’.

O interesse internacional pelo médium brasileiro Carlos Mirabelli foi despertado mais intensamente a partir do lançamento no Brasil, em 1926, de um livro de caráter científico que relatava centenas de experiências espetaculares envolvendo materializações, desmaterializações, levitações, apports, psicografias e psicofonias em diversas línguas vivas e mortas e outros fenômenos de efeitos físicos.
Revistas como a alemã Zeitschrift für Parapsychologie, as parisienses Revue Metapsichique e Revue Spirite, fundada por Kardec e a italiana Mondo Occulto, assim como publicações na Inglaterra, Holanda, Tchecoslováquia, EUA e Portugal, passaram a relatar o caso Mirabelli. Escritores como o polêmico pesquisar inglês Eric Dingwall, entre outros, pressionavam os pesquisadores psíquicos a virem ao Brasil estudar o médium.

Foi então que a famosa SPR (Sociedade de Pesquisas Psíquicas) de Londres, que teve diretores como Sir William Crookes, Charles Richet, Camille Flammarion, Arthur Conan Doyle, Hans Driesh e a sua congênere americana, a ASPR, enviaram seus pesquisadores ao Brasil. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, eles assistiriam sessões com Mirabelli.


Miss May Walker, da ASPR, o alemão Hans Driesch, ex-presidente da SPR e o diretor de investigações da SPR Theodore Besterman vieram assistir sessões com o médium em solo brasileiro, em anos diversos. Driesch e Walker escreveram às suas respectivas revistas científicas relatando suas experiências de modo honesto.

Já Besterman, quando voltou à Inglaterra, entregou um longo e oficial relatório à SPR, onde fazia duras críticas a Mirabelli, mas esse relatório causou polêmica e foi considerado por muitos como tendencioso e inconcludente, gerando mais dúvidas do que certezas. Dingwall escreveu uma correspondência à SPR questionando o relatório de Besterman e levantando dúvidas sobre sua competência como pesquisador.

Enquanto isso no Brasil, em 1937, o escritor Eurico Goes entregava ao público um livro que levou vinte anos para concluir. - ‘Prodígios da Biopsíquica obtidos com o médium Mirabelli’- era, sem dúvida, a melhor e mais completa biografia sobre Mirabelli. Goes era um homem de grande cultura, escritor, poliglota, organizador da primeira Biblioteca Municipal de São Paulo, professor de filosofia, deputado e pesquisador de fenômenos psíquicos.

Testemunhou direta e indiretamente centenas de fenômenos envolvendo materializações, levitações, apports e uma diversidade mediúnica como ele jamais houvera visto. Publicou, inclusive, as atas das sessões com Theodore Besterman no Brasil e o artigo em inglês de Miss Walker.

- ‘Martírios e Acrisolamento do Médium Mirabelli’-  é mais uma publicação de Miguel Karl, amigo pessoal de Mirabelli, onde narra a fase da Casa de Caridade São Luís, onde o médium atendia aos pobres e exercitava a mediunidade de cura e a fase da pintura mediúnica, além de mais algumas psicografias inéditas.


Em 1961, dez anos após a morte de Mirabelli, o alemão Hans Gerloff traduziu na íntegra, para a língua alemã, o livro brasileiro ‘O Médium Mirabelli – O Resultado de um Inquérito’. Esse lançamento ressuscitou velhos críticos como Eric Dingwall, que voltaram a escrever sobre o caso, obrigando o próprio autor Hans Gerloff a se defender em um artigo réplica numa publicação francesa.

Já na década de 70, foi a vez do britânico Guy Lyon Playfair entrar em cena. Escritor, jornalista, tradutor, trabalhando e morando no Brasil, fez amizade com Hernani Guimarães que facilitou suas entrevistas com os espíritas brasileiros, ajudando-o em suas pesquisas para o livro que escrevia para o público inglês sobre os fenômenos psíquicos que ocorriam, segundo ele, no país mais psíquico do mundo: o Brasil.

Entrevistou os filhos e alguns amigos de Mirabelli, trocou correspondência com os ingleses da SPR e compôs um interessante capítulo, inteiramente dedicado ao médium Mirabelli. Mas foi em 1991 que um norte americano jogaria mais lenha na fogueira. Dr. Gordon Stein era ateu e membro de um comitê que investigava alegações paranormais.

Pesquisou no acervo da SPR, na Biblioteca da Universidade de Cambridge, em Londres e encontrou a famosa foto da levitação de Mirabelli. A tal foto que havia sido dada de presente pelo próprio Mirabelli a Theodore Besterman, quando o inglês visitou o Brasil em 1934.

Stein analisou a foto e concluiu que ela havia sido retocada, como se uma escada embaixo dos pés de Mirabelli fora propositalmente apagada. Publicou um artigo sobre o caso na revista americana ‘Fate Magazine’ e a notícia foi parar na televisão, sendo exibida na BBC de Londres e até aqui no programa ‘Fantástico’, além de ganhar o mundo.

Em seguida, foi a vez de Guy Playfair publicar na revista da SPR o famoso artigo ‘Mirabelli and the Phantom Ladder’ (Mirabelli e a Escada Fantasma), concordando com o artigo de Gordon em relação a trucagem na foto, porém não invalidando os demais fenômenos mediúnicos atribuídos a Mirabelli.
Interessante é que Stein escreveu à SPR criticando Playfair por não admitir Mirabelli como uma fraude completa e Playfair, por sua vez, publicou uma réplica mantendo o tom agressivo e retribuindo as acusações.

A reunião e tradução de todos esses e outros artigos na íntegra, os dois livros brasileiros completos revisados e uma breve entrevista inédita com o Sr. Guy Lyon Playfair, aos 80 anos de idade, para ver o que ele ainda se lembra sobre o caso, compõem o Vol. 2 da Coleção Mirabelli.

Coleção Mirabelli - Vol. 3

O paulista Carmine Mirabelli, certamente ocupa um lugar de destaque na lista dos maiores médiuns de efeitos físicos da História Moderna (ou, segundo seus detratores, na lista dos maiores mistificadores). Também figura como um dos médiuns mais perseguidos pela imprensa, no Brasil.

A coleção Mirabelli vol. 3, encerrando a restauração histórica da vida e obra desse médium ímpar, reedita as seguintes obras:

- O Médium Mirabelli – O Resultado de um Inquérito, de Rodolpho Mikulasch.
- O Espiritismo Científico e as extraordinárias mediunidades do Sr. Mirabelli, do Dr. Carlos de Castro.
- O Médium Mirabelli Mistifica?, de Miguel Karl.
- Martírio e Glória do Professor Mirabelli, de J. F. Schimidt e Olavo Leite.

No apêndice, apresentamos a Campanha Anti Mirabelli, a maior perseguição movida pela imprensa contra um médium brasileiro. A fase final da vida de Mirabelli é reconstituída através das publicações de Revistas e Jornais pelo país.

Philippe Piet van Putten, pesquisador científico espiritualista, em entrevista exclusiva, relata suas pesquisas sobre o médium e abre seu acervo particular de fotos e documentos.

E para encerrar, o neto de Mirabelli, Luiz Mirabelli Jr, relata diversas histórias inéditas sobre seu avô, incluindo depoimento importante sobre a famosa foto da levitação, sessão na qual seu pai esteve presente, e apresenta fotos de seu álbum particular de família e atas de fenômenos físicos que aconteceram dentro da prisão, quando o médium cumpria pena nos seus derradeiros anos. A História, agora está recontada!

Foto da Levitação Mirabelli Autêntica ou não?
(Debate com o Pesquisador Philippe)

- Philippe Piet van Putten: A mundialmente famosa foto da "levitação". O Sr. Mirabelli estava de pé sobre numa escada e a apagou cuidadosamente da imagem, mas deixou traços do retoque. O próprio Mirabelli mandou esta foto para o Sr. Theodore Deodatus Nathaniel Besterman (1904-1976) que era o encarregado das investigações da britânica Society for Psychical Research (SPR).

- Bruno Guerreiro de Moraes: Mas só tinha essa cópia, e ele deu para esse pseudocético? Ele não tinha mais cópias? Outras reproduções da mesma foto? Em todas as reproduções tem esse "retoque"? Sinceramente não acho que retocou nada, essa foto é de uma levitação real.

- Philippe Piet van Putten: Foi retocada sim. Antigamente (anos 30) as fotos não eram copiadas com a mesma facilidade de hoje. Na foto enviada para a Europa dá para perceber claramente a escada apagada e as paredes retocadas.

- Bruno Guerreiro de Moraes: Então tinha poucas reproduções da fotografia e ele deu para o PseudoCético Sr. Theodore, e essa que foi a única que sobrou... triste. As pessoas não conservaram uma fotografia tão importante, é inacreditável a falta de responsabilidade.

Na minha modesta opinião esse suposto "retoque" nada mais é que um defeito/erro da rústica tecnologia fotográfica da época. Os sapatos pretos, com o fundo cinza causou o "borrão" por alguma limitação técnica do aparelho.

Também podemos supor que existia lá sim uma "escada", mas essa seria semi-materializada. Pois para levitar as entidades teriam de fazer algum "suporte" (não necessariamente uma escada) mas alguma coisa teria de semi-materializar para suportar o peso dele.

Uma "construção de ectoplasma", que é transparente, e por isso possível de causar um "efeito lente". Ele levitou nessa e em outras ocasiões, o conjunto da obra nos faz crer que na verdade a foto registrou um fenômeno real.

- Philippe Piet van Putten: Lamento amigo, mas o sapato também foi retocado! Não tinha nada de escada semimaterializada. Era uma escada que existia no local, quando Mirabelli residia numa chácara ao lado do IPB. Entrevistei pessoalmente quem conviveu diariamente com Mirabelli. É certo que ele tinha dons extraordinários, inclusive para fraudar quando achava necessário.

- Bruno Guerreiro de Moraes: Fácil inventar qualquer desculpa para negar o fenômeno, qualquer coisa serve, “vagalume”, “luz da lua”, “folha esvoaçante”... quando o pseudocético não quer acreditar, qualquer desculpa esfarrapada serve. “Para os que querem acreditar, nenhuma prova é necessária, para os que não querem, nenhuma será suficiente...” (ditado popular sobre Pseudocéticos).

- Bruno Guerreiro de Moraes: E já que os pseudocéticos sempre puxam a "sardinha" para dizer que é uma fraude, eu vou "puxar a sardinha" e dizer que é autêntica levitação. Já que o argumento pseudocetico é muito fraco...

- Philippe Piet van Putten: Passados tantos anos, a partir das informações disponíveis aos pesquisadores hoje, acho altamente improvável que uma troca de argumentos superficiais pró ou contra possa autenticar com certeza as proezas de Mirabelli.

- Bruno Guerreiro de Moraes: Concordo. Temos de considerar o conjunto da obra. Então nesse caso a possibilidade de a foto ser de levitação autêntica é grande, diria 99% de certeza.

- Philippe Piet van Putten: Muito do que se escreveu sobre Mirabelli consistiu em exageros e distorções. Não creio, por exemplo, que o filho dele tenha presenciado a alegada levitação da foto. As irmãs Fox não estão mais no rol dos pesquisadores de fenômenos autênticos. Os "raps" eram trucados.

- Bruno Guerreiro de Moraes: Sim você por uma questão ideológica PRECISA NÃO ACREDITAR!!! Porque do contrário terá de sair da zona de conforto de alguma ideologia predileta que não quer largar...

Já eu prefiro me manter neutro, cientificamente mais correto, nesse caso, pois tudo o que restou foi a cópia, da cópia, da cópia... de uma foto que foi mandada para um pseudocético que ficou com ela durante décadas, tendo tempo suficiente para adulterar, querendo ou sem querer, ele (e outros) pode ter passado tantas vezes os dedos engordurados ali na área da foto que a borrou dando a impressão que ela foi “alterada”.

Não temos mais reprodução da mesma foto para comparar, temos apenas essa única, e ela ficou em poder de pseudocéticos bem pouco interessados na verdade. Mas muito interessados em encontrar qualquer coisa para poder dizer que é tudo mentira. Por isso essa “prova contra Mirabelli” é ALTAMENTE suspeita.

- Philippe Piet van Putten: Engana-se redondamente, meu caro! Como científico-espiritualista, tenho mentalidade aberta, maleável aos FATOS, sejam eles quais forem! Conhecendo um pouco sobre a personalidade de MIrabelli, sei que ele teria bastante cinismo e ousadia para trucar a foto e mandá-la. Adulterarem a foto original que foi para a SPR me parece muito menos plausivel que isso! Conheci Marcelo Truzzi! Era um bom sujeito, mas equivocava-se com facilidade! Borrar uma foto pela passagem do dedo não criaria o perfil discernível de uma escada (aliás, esta hipótese nada tem de científica, nem de neutra! É muito exagerada e tendenciosa!). Sugerir que a SPR era formada por "pseudocéticos bem pouco interessados na verdade" é uma bobagem, sem sentido e sem sustentação factível! Mirabelli, mesmo sendo dotado de dons anômalos, tinha um caráter questionável e era bem mais suspeito que os eventuais "pseudocéticos" da SPR!

- Bruno Guerreiro de Moraes: Até onde estudei Philippe a SPR não passa de um gangue de marginais cínicos, pouco interessados em ciência, defensores fanáticos do dogmas do materialismo/ateísmo. Idolatras da Teoria da Evolução. Conheço bem esses pseudocéticos, agem exatamente como os fanáticos religiosos.

Minha modesta opinião continua a mesma, a levitação é real, aconteceu e foi fotografada, mas descuidos e má sorte fez as diversas reproduções da mesma foto sumir.

O incêndio criminoso ao qual Mirabelli foi vítima destruiu muitos documentos que seriam essenciais para a resolução do problema. E repito, perante o conjunto da Obra 99% de certeza que a foto é de uma levitação autêntica.

- Bruno Guerreiro de Moraes: Me considera tendencioso? E eu considero você tendencioso para o pseudocetismo. Seus argumentos são muito fraquinhos...

- Philippe Piet van Putten : Quais argumentos?! Até o momento não lhe apresentei nenhuma das minhas investigações! Como pode afirmar isso?! Fraquinho é dizer que algo tem 99% de chance de ser real SEM NENHUMA evidência crível! Aqueles que você chama de "pseudocéticos" mostram-se bem mais fundamentados e coerentes do que você! Você escreve como um "crente" querendo convencer os outros do seu ponto de vista sem mostrar nenhum elemento de convencimento!

- Bruno Guerreiro de Moraes: E você Philippe o crente dos pseudopcéticos da teoria dos macacos pelados. Mas é simples resolver essa contenda, fique você aí com a sua religião dos macacos pelados, e eu ficarei aqui com a minha "religião" dos homens deuses. E cada um seja feliz naquilo que mais se identifica.

- Philippe Piet van Putten: Prefiro continuar pesquisando humildemente, de MENTE ABERTA, para corrigir minhas eventuais falhas de percepção e de conceituação visando EVOLUIR, sempre muito agradecido aos VERDADEIROS pesquisadores que oferecem elementos CONCRETOS de reflexão. Me identifico com a busca HONESTA da verdade! Crendices, achismos, doutrinas, profissões de fé... Já passei dessa fase infantil há muito tempo. Valeu a pena, mas já alcei novos patamares.

- Bruno Guerreiro de Moraes: (?) Pois para mim Philippe você parece DESESPERADO demais em não acreditar. Isso para mim não é pesquisar sério, é falso pesquisador que apenas está interessado em defender sua ideologia. Desculpe viu, mas é essa impressão que estou tendo.

- Philippe Piet van Putten: Sou sensitivo desde a infância e estudo fenômenos psicoespirituais desde os 12 anos de idade! Comecei a estudar Mirabelli em 1978! Entrevistei pessoalmente familiares e amigos de Mirabelli; Troquei ideias com pesquisadores do país e do Exterior que o viram AO VIVO; Investiguei (e continuo investigando) as notícias da impressa daqueles anos; Estive no local da falsa levitação; Redescobri e fomentei a reforma da sepultura dele; Redescobri o verdadeira data da morte dele (quem nem os conhecidos lembravam!). E você... Pesquisou o quê?! Conheceu quem?! Descobriu o quê?! Você não tem base nem conhecimento para me levar ao desespero! Tenha respeito pelos grandes pensadores que cita levianamente em sua página ao invés de chamá-los de "xiitas"!

- Bruno Guerreiro de Moraes: E daí Philippe? Fez todo esse trabalho, e agradeço, mas agora virou a casaca, e se tornou um detrator. No máximo deveria estar tendo a mesma atitude que a minha, deveria dizer que ainda se encontra em dúvida sobre esse assunto, e ponto final.

O caso da foto da levitação é 'inconclusivo’ pois o negativo sumiu, a data da foto ninguém sabe precisar, as testemunhas já morreram, as cópias da mesma foto (tirada do negativo) não existem mais, e a única foto que restou no planeta ficou nas mãos de pessoas desonestas.

O caso da foto é "inconclusivo". Mas seguindo a lógica, eu me dou o privilégio de especular que a possibilidade de a levitação ser verdadeira é muito grande. Realmente muito alta. Pois o longo e maravilhoso histórico do Mirabelli li é favorável.

- Philippe Piet van Putten: Não virei casa nenhuma! Apenas me rendi ao que parece ser o mais lógico! Você AFIRMA que a foto foi manipulada pela SPR!! Se acha que é inconclusiva, como faz tal afirmação?! Baseado em quê?! Não percebe a sua incoerência?! "Longo e maravilhoso histórico"?!! Ai, ai, ai... Você precisa pesquisar muito rapaz! Pesquise DE VERDADE e, se for inteligente, vai mudar de idéia. 

- Bruno Guerreiro de Moraes: Conhece a médium do algodão Philippe? Muitos dizem ser uma farsante, fui lá 6 vezes e comprovei que não é farsante coisa nenhuma, farsante é os pseudocéticos tendenciosos para o materialismo/Ateísmo e os cristãos dogmáticos.
Edelarzil Munhóz - Vulgo “mulher do algodão” - Paranormal Materializadora: https://seteantigoshepta.blogspot.com/2012/04/ederlazil-munhoz-vulgo-mulher-do.html

- Bruno Guerreiro de Moraes: Pseudocéticos é bicho perigoso Philippe! Não tem limites, o que precisar fazer para DESAPARECER com provas que possam refutar suas crenças, eles desaparecem. Nem que for preciso matar. A suspeita sob o SPR é GIGANTE!!! Se tornou um "cavalo de troia" a serviço dos idolatras de Darwin e dos cristãos.



- Bruno Guerreiro de Moraes: Aqui nessa foto também verificamos uma porção de "retoques"... é só querer ver que a gente acha. Muitos "retoques" suspeitos!! Kkkkk!!

- Philippe Piet van Putten: Antigamente, TODAS as fotografias eram retocadas! O retoque era uma fase de acabamento do serviço fotográfico, pois era comum as imagens saírem com falhas, riscos e manchas. Esta imagem estava impressa em um livro antigo, de papel poroso, e portanto, já é ruim! Seja mais cauteloso nas suas avaliações para que não acabe sendo descreditado nos seus posicionamentos.

- Bruno Guerreiro de Moraes: Pois é né Philippe? Tá vendo como o argumento pseudocético é falho? Nada tem de científico? Nada dessa "problemática" é levantada quanto a foto da levitação de Mirabelli. Quando é para desacreditar algo que vai contra a ideologia predileta, os pseudocéticos ignoram tudo isso, e dizem com muita convicção: "é fraude, foi adulterada!". Nem pensam duas vezes! Porque? Porque são religiosos igualzinho os cristãos os islâmicos, etc... pseudocéticos são todos inimigos da ciência, não querem a verdade, querem a confirmação de seus dogmas, só isso. A realidade dos fatos pouco importa.

- Philippe Piet van Putten: Que bobagem é essa, meu caro?! Chamar renomados pesquisadores de "xiitas" (??!!) só porque não compartilham do seu achismo fanático?! Tá errado! A foto da levitação original foi pesquisada em mãos, e não pela internet! Disseram que é fraude porque a original mostra sinais CLAROS de adulteração para a camuflagem de uma escada! Você não viu a foto e nem conversou com os pesquisadores! Isso é o que chama de "científico"?!! Você age como os "xiitas" que tanto condena! Pense, reavalie e opine com fundamentação.

- Bruno Guerreiro de Moraes: Os pseudocéticos tem vergonha na cara não Philippe, retocaram a foto e disseram que "tinha escada", a sorte deles é não ter mais cópias do mesmo negativo, mas o conjunto da obra pesa a favor do Mirabelli.

- Philippe Piet van Putten: Como pode afirmar isso?! Quem foi que lhe disse que eles retocaram a foto?! E, para quê?! O que a SPR ganharia com isso?! Dinheiro não foi! Fama não foi! Então para que a SPR se daria ao trabalho de falsear uma foto autografada e enviada pelo próprio Mirabelli! Aliás, essa foto original ainda existe arquivada numa biblioteca!

- Bruno Guerreiro de Moraes: A BBC fez programa né Philippe? Reportagem que ainda foi vendida para a Rede Globo exibir no “Fantástico”, e você foi entrevistado. Não há interesse ideológico dos idolatras da teoria dos macacos pelados que o poder que Mirabelli teve seja reconhecido.

Muito pelo contrário! Como ele virou "persona lendária" na Inglaterra/Europa, era do interesse ideológico "desmascará-lo" e vende-lo como charlatão.

Tudo isso de dizer que a foto foi adulterada serviu para afagar os Materialistas/Ateus e também os religiosos cristãos, pois tanto um grupo quanto o outro se incomodam com o Mirabelli, pois Mirabelli contesta os dogmas da religião de Darwin, e contesta os dogmas da religião cristã. É fácil de entender...

Trechos das Mensagens Psicografadas
(Volume 01)

William Crookes

Em vida, não cansei, enfrentando o meu século, na defesa dessas verdades que infelizmente a sociedade reconhecerá tardiamente. Todo o meu fraco saber, todos os meus rudimentos de química analítica, foram postos em ação, para demonstrar aos cientistas de meu tempo a incomparável maravilha desse Deus onipotente que manifesta a sua Lei desde o germinar da semente até ao troar do choque resultante da eletricidade acumulada nas nuvens!

Tanta certeza tinha eu na concepção desse mundo em que hoje estou quanto eram exatas as minhas equações químicas ou ainda as minhas experiências com os resíduos do ácido sulfúrico, de que enfim tirei o novo corpo: o thalium. Tão certo era o meu sentir em relação à existência desse país de quimeras reais que nem todos os membros da Royal Society conseguiram jamais convencer-me do contrário, porque eu, além de meu preparo próprio, em demasia fraco, recebia as luzes do alto necessárias para combater o positivismo dessa raça anglo-saxônica, tão pária e mercantil de que fiz parte...

Assim, como entre os reinos da natureza, havendo essencial diferença, há ao mesmo tempo analogia e atração profundas, assim o é também na psicologia do homem, que textualmente sente repulsa, senão a princípio, mas após usar, das coisas que se entregaram passivamente: uma vontade contrária e um querer diferentes, excitam, ao contrário, o ardor do desejo!

Há grandes circuitos astrais, dessa eletricidade fluídica que vos é desconhecida, e são essas correntes que impelem o mundo dinamicamente: estes circuitos, positivo dominando o negativo e juntos constituem a boa corrente (que todo verdadeiro cientista deve conhecer e subjugar), ao passo que em desequilíbrio, só nos enchem de calamidades e catástrofes: há uma grande cadeia, um poderoso fluido animal, que é o condutor desse sopro elétrico...

Sócrates

A simples célula subindo na escala da criação produziu os invertebrados e os moluscos de toda espécie, que apenas tinham então a unissexualidade, reproduzindo por filamento ou largando na água alguns de seus anéis ou escamas...

Ou separando-se em duas metades cada qual formando uma nova vida, mas a bissexualidade não tardou: veio com a progressão, ao aparecerem os primeiros animais vultosos... Peixes, crustáceos, répteis e assim em escala sucessiva...

E então começou a guerra que até hoje não cessou em vosso mundo... poderia eu dizê-lo... que já tantas contemplei e estudei... em outros planetas... em Sírios e Júpiter... nos sete planetas angélicos... que tanto sofreria, se não soubesse o porquê... A carne exige alimento e satisfação de suas paixões, e o homem da luz elétrica e do rádio, hoje como outrora, naquela época de vulcões e chuvas torrenciais... Então bandos de símios, tendo por guia o instinto e por pendão o desejo... Mutilavam-se, cabendo ao mais forte a coroa do domínio... Da tribo, a posse das fêmeas e o direito de primogenitura em alimentação... não vos lembrais?...

Batalha pois oh! vós da Terra! Tende coragem ainda por pouco tempo e vereis todo o vosso esperar de séculos realizado, pois que a comissão que veio presidir à remissão de vosso mundo já chegou e acha-se neste momento entoando as mil harmonias da graça, os hinos da esperança e do perdão e insuflando mil pensamentos de bondade sobre estes homens que tanto ofenderam a imponderável Justiça! Ah! Quantos e quantos, cujo desencarne está próximo, já não voltarão mais aqui! O planeta Mercúrio está à espera da primeira leva desses galés do orgulho, que é o câncer da alma...

Flammarion

Sim, sou eu mesmo quem vos fala, o velhinho que há tantos decênios perambulava sobre as pontes de Paris, ao cair da tarde, a contemplar, apoiado na sua bengalinha, alquebrado pelos anos, o despontar das primeiras estrelas que começavam a fulgurar na altíssima amplidão azul; sim, sou eu mesmo, que outrora vos afirmando a sobrevivência do princípio incorpóreo inteligente, venho hoje, após achar-me também nesse reino sombrio que tanto vos aterroriza, confirmar e ampliar a pálida descrição que então por dedução vos assegurava, da grandeza de uma vida mais digna de ser vivida, mais bela, confortadora, na certeza de sua estabilidade, e na estabilidade de seus afetos, uma vida que de vossas passadas misérias não deixaria senão fugaz recordação de uma existência radiosa, onde lenidas seriam todas as dores, sopitadas todas as revoltas, apaziguadas todas as revoltas íntimas que são inerentes à nossa triste condição...

Sim, e aqui estou eu com o médium Mirabelli, sobre o qual gostaria de expressar a minha opinião, quando os caluniadores me desviaram deste objetivo, e minha idade já não permitia assistir sessões de pesquisa, de estudos de investigação, e minha passagem para a espiritualidade ocorreu, e eis então que imediatamente me foram esclarecidas às verdadeiras intenções dos detratores desta incomparável mediunidade...

Cristóvão Colombo

Falto de meios, tive que abandonar a régua pelo remo, os bancos escolares pelo convés de um brigue, os livros pela bússola, as janelas da escola pelas escotilhas da corveta e desde então vivi em meio de rolos de cabos, cheirando a alcatrão, manejando sondas, regulando lastro, içando bandeiras com diversos sinais, manobrando o leme, examinando o casco, pintando as quilhas, fixando roldanas e cabos, remendando o velame, instruindo os grumetes, distribuindo o serviço de vigia, revezando o timoneiro e enfim, do alto do cesto da Gávea, no pesado galeão que balouçava ao capricho das ondas, estudava os ventos, as correntes marítimas e o tempo, para bem organizar os serviços que me estavam afeitos, mas, na realidade, eu SABIA que tudo isto me era necessário para a fiel execução de uma missão de que eu me sabia incumbido.

Mais se me confirmou esta íntima convicção quando, galgando de posto em posto, cheguei a assumir comandos, onde adquiri longo tirocínio das coisas do mar e da maneira de lidar com esta gente rude e atrasada, fanática e supersticiosa que é a do mar, conhecimentos que em 1492 tanto me valeram, quando tive de sufocar, com humilhação e pequenez, a revolta das feras humanas que constituíam a minha equipagem, que imbuída das doutrinas e preconceitos que prevalecem em todo coração baixo, procurava impedir o remate da minha obra, como mais tarde procurou empanar o brilho da minha glória, da minha vitória, inscrita com letras de ouro no livro do Destino!...

Augusto Comte

A minha passagem para a realidade foi cheia de terrores e sustos. Os meus primeiros tempos de estadia no país da alma foram intercalados de pesadelos, de visões, de quimeras, por vezes substituídos por relâmpagos de lucidez, que logo se extinguiam, deixando-me mergulhado num pesar infindo, qual o proscrito, que pudesse, do lugar do seu desterro, lobrigar de relance, no horizonte, além do oceano, as montanhas da pátria distante, para sempre perdida...

Hoje, enfim, tendo renunciado ao meu passado, estou como já vo-lo declarei, em vias de reabilitação, relativamente ao conhecimento do verdadeiro; de muito me valeu, todavia, eu não fazer inclusão em meus escritos de preceitos ordenando a dureza para com o próximo: bem ao contrário, mas a aridez, a aspereza do fundo das minhas doutrinas, embora decretando o bem, tinham efeito contraproducente, porquanto, como poderia um positivamente desiludido prestar-se ao próximo, se antecipadamente já esperava a ingratidão em retribuição; como?

Minha doutrina sintetizou positivamente, justificou e introduziu as crenças e práticas egoístas no meio social: cada qual por si e Deus por todos! Anulo e arraso, pois, por meio da presente pública confissão, tudo quanto ainda sobrexista e lavre, do incêndio que eu ateei, para colocar em seu lugar, para enaltecer e dignificar a obra do meu mui ilustre compatriota, Mr. Rivail, o triunfante, o universal Kardec...

Newton

Sim, meus caros amiguinhos do planeta Terra, é do Reino da Espiritualidade que vos fala hoje, quem em vida conseguiu fazer-vos crer uma Coisa que o preconceito tanto combatia: o movimento deste vosso planetinha, que não é senão um dos menores desta gloriosa fileira de que fazem parte Júpiter e Urano. Sim, sou eu, quem, ao ver a queda de uma maçã, fez-vos conhecer as leis de gravitação que regem o vosso esferoide. Fui eu mesmo quem durante longos anos sacrifiquei-me em penosos e pesados estudos, até que em meu íntimo intensa se tornasse esta luz que após deslumbrou o mundo, por um reflexo da graça do Pai “who art in heaven!”.

Minha vida passada no nevoento país chamado Britânia, foi daquelas, a que tão bem se aplica a parábola latina: 'Labor omnia vincit'. Sim, e eu tudo venci em efeito, dotado, não só com o fulgor do que aprendera em vidas precedentes, como ainda de uma perseverança que “poucos dentre vós possuem”, pois que minha vida pertencia ao estudo, e não largava de um assunto senão para me dedicar a outro, refletindo sem cessar no ponto que mais me interessava; olhava para o meu próprio interior, onde só via sombras, que o meu perseverar mudava em intensa luz. Ah! caro amigo Dr. Bentley, tu bem soubestes que esforços fez o pobre e pequenino servo Newton, antes que a maçã ficasse madura! Ah! sim, a ti pude abrir-me, tu fizeste bem a psicologia de minha solidão...

Cromwell

Venho, após tantos séculos, visitar este planeta Terra, em que o meu nome de ignomínia e de terror ainda não foi esquecido, venho ainda lançar um golpe de vista sobre esta pardacenta London, sobre o White Hall, palácio fatal, em que eu assinei a minha sentença de morte sem remissão, executando o neto da infeliz Mary Stuart, Charles o primeiro, no negro ano de 1649, após ter reduzido os homens à moeda cantante e sonante, comprando virtudes, nomes, glórias; o próprio tribunal, em que fiz vergonhosamente julgar a minha vítima, estava subornado, parte pelo dinheiro e parte pelo terror, pois todo aquele que destoasse de minha autoridade, de antemão estava condenado: não havia quem não respeitasse as minhas funções: sacerdote, médico, profeta e capitão, pois o poder que delas se emanava, aterrorizava, encerrava o gélido da morte...

Começou a chover... sangue, puro sangue, chovia, enchendo o solo de uma pasta que muito se assemelha ao solo dos matadouros, chovia a cântaros, formando lagos, riachos e em breve um vasto oceano em que eu me debatia, engolindo golfadas inteiras dessa chuva medonha... que não cessava, e sempre perseguido, e chegamos a uma praia, cheia de cegos, como se fosse uma vasta praça de execuções e então eu compreendi que não escaparia mais a essa perseguição: em breve Stuart atirou-me a sua cabeça e a mesma mordeu-me com violência, fazendo-me perder os sentidos... quando despertei, estava amarrado junto a um desses cepos, e o Stuart, com a sua cabeça debaixo do braço, segurava a minha pelos cabelos e puxava com violência como que querendo-a também para si ! Só recordar, reaviva todas as minhas dores! O carrasco ergueu o machado, frio, reluzente e desferiu um golpe seco... senti qualquer coisa desprender-se de mim, e ao mesmo tempo vi-me livre...

Fenelon

Quando eu estava na Terra, eu professava, vocês sabem, as crenças daqueles que se dizem católicos. Apoiado em suas falsas crenças e doutrinas, eu não cheguei a desfrutar o que a vida tem de mais belo. Infelizmente! Apesar destes obstáculos, minha mente nunca se perdeu na intuição desta vida que se estende sem limites.

Se algum de vocês leram minha fábula “O Macaco”, perceberão que nesse terreno que caminho solto abrigava nem mais nem menos do que a doutrina da reencarnação, que eu estava muito satisfeito de ir do macaco ao papagaio, e do papagaio ao homem, tudo o que foi dito eram verdades que acreditava fortemente e com firmeza, mas sem ter plena certeza... uma definição, uma vez que a teologia colocava todos os obstáculos em mim, todo mundo viu a revelação da palavra de Deus!

Na descrição que fiz a respeito da existência de Deus, eu não vejo o espaço como um elemento finito, as estrelas são criadas justamente para nos iluminar e nos dar o prazer. Embora minhas ideias fossem ilimitadas, não pude desfrutá-las sublimamente após a morte, gozo este destinado àqueles que têm feito o seu dever por aqui em respeito à palavra de Deus: logo o doente ficou finalmente para trás, apesar de tudo me parecer excessivo, sem dúvida eu nunca deixei de acreditar na verdade...

Jeanne D’Arc

Vivemos em uma linda casa localizada perto de um jardim onde todas as manhãs eu ia para colher flores, lírios, e dar alimentos para minhas amigas aves que me conheciam tão bem... e só depois eu conduzia os animais para o campo. Eu vivia a vida tranquila e despreocupada, feliz com os meus queridos amigos, com quem eu ia todos os domingos, depois da missa, colher violetas e margaridas, tecendo belos buquês... oh! doce memória!

Mas muitas vezes eu me isolava de meus queridos companheiros, a sentar-me em uma pedra na estrada, absorvida, e naquele local, cuidadosamente, eu ficava por horas... sonhando em ter nossa verdadeira pátria... Nesse tempo, a França era um grande país feito a ferro e fogo, principalmente devido à invasão britânica durante a Guerra dos Cem Anos, infelizmente.

Carlos VI morreu louco, e seu filho e sucessor, não estava longe disso! Sua própria mãe, Isabel da Baviera, favorecia os ingleses, e a cada dia que passava, mais notícias chegavam dizendo que uma nova cidade caiu nas mãos dos ingleses, e até mesmo a nossa gloriosa Paris não foi poupada. Os bourguignon, que eram traidores infames, ajudaram os invasores, o que enfraqueciam as forças da França. Enquanto esperávamos qualquer solução, um grupo de bourgouignon veio saquear nossa aldeia. Nós todos fugimos para o campo e ao retornarmos vimos apenas as ruínas do que foi Domrémy um dia!

Vimos apenas casas queimadas, cinzas e fumaça! Foi então que tomei a decisão, guiada pelas vozes que constantemente me chamavam para um grande sacrifício, o cumprimento de uma missão que foi além daquilo que tinha me proposto a realizar. Saí com o pretexto de visitar um dos meus tios que morava na aldeia vizinha. Evitei me despedir de um dos meus amigos que eu gostava acima de todos os outros, com medo de me desviar de minha missão... Uma vez ao lado do meu tio, eu pedi a ele a graça de me levar até a casa de Robert Baudricourt, em Vaucouleurs, que era o capitão do rei, e ali eu tinha a intenção de ele me conduzir até para perto do rei, que ainda não tinha sido coroado em Reims...

Diógenes

Sim, descido da mais rutilante das regiões da luz, venho visitar ainda uma vez este planeta, onde só deixei uma saudade: o meu querido tonel. Mundo! Matéria! Vaidade! Preconceito! Tremei, porque quem vos fala neste momento é aquele que em vida soube dominar e esmagar as fraquezas que sugeris ao comum dos mortais. Sim, sou eu mesmo, quem deixou posições, futuro brilhante, ciência, para mostrar a este mundo o desprezo que por eles tinha este pequenino.

Eu saí fora da minha família, de meu século e dos usos que então ignoravam na Gloriosa Atenas! Sim, fui eu mesmo que repeli brutalmente as ofertas de um poderoso da Terra, dizendo-lhe que se desejava fazer-me um favor, não tapasse a frente do meu tonel, a vista do Sol, com a sua sombra!

Minha vida fora tão somente uma missão, e em missão, era certo que eu compreendesse o que estava fora do alcance dos meus contemporâneos. Em espírito eu vivia numa região de luz incomparável, e mesmo em meio das mais profundas trevas, sentia-me inundado de um incomparável fulgor, de uma doce felicidade e segurança, como só mesmo os bem-aventurados poderão senti-lo.

Em minha pobreza nada me faltava, mas ao contrário, eu era mil vezes mais rico que Nabab. O bem-estar que por vezes me envolvia era por demais profundo para que eu me vexasse com as chacotas do povo que vinha ver-me, considerando-me o último dos malucos! Oh! povo! soubésseis a quem dirigíeis tais insultos... Lá já se vão os séculos, e eu e minha pipa não fomos ainda esquecidos, com a minha crença do cinismo!...

Cesare Lombroso

Então vocês devem saber que em nosso grande laboratório tudo se aproveita: caracteres de defeitos encontram correspondência perfeita com fatores de correção. O egoísta é sozinho, abandonado até mesmo por aqueles que lhe são queridos, e seus clamores não fazem eco, pois todos os gritos são surdos e perdidos na vale das sombras. Mesmo na presença daqueles que lhe foram queridos, ele não os pode ver... para os outros ele não existe... ele é menos do que zero... enquanto os outros passam sorrindo, rodeados de felicidade, de amigos dedicados, no meio de um amor puro e imutável! Só então ele entende o que perdeu por não cultivar o bem em si mesmo...

O “bon vivant” verá todos os outros prazeres do passado sem ser capaz de tomar parte e sofrer por cem infernos o desejo sempre ardente como o fogo! Ah! vós mortais! Desde já coloquem pinças de freio em suas paixões! Cuidado! Atenção! Oh! Atenção! Aquele que tem crescido na avareza, não sofrerá menos! Ele vai ver o seu tesouro espalhado entre aqueles que nunca quis oferecer! Eles irão gastar todo seu dinheiro generosamente, este dinheiro que para ganhá-lo, tanto sofreu! Ele precisou de tantos sacrifícios, foi privado de tantas coisas! E agora vê-lo nas mãos dos libertinos, que gastam sem sequer pensar! Oh! Tortura!

O criminoso vê e ouve os gritos de suas vítimas e ainda as vê sempre ao seu lado, sangrando e pedindo perdão! Mais vítimas! Mais ele se penitencia, mais feridas sangrando! Oh! Inominável pavor! E o mais importante, saber, com a suprema clareza do espírito, que a mesma vítima, em outras existências lhe era uma pessoa querida! Era um irmão! Um amigo muito querido! Uma pessoa que pertencia ao coração!...

Cavour

Demasiados poderes em mãos de um só homem, fatalmente haviam de degenerar em tirania, e os abusos que durante séculos enegreceram as páginas da história, provocaram a reação proporcional. A criação de parlamentos, no entanto, em nada diminuiu a autoridade autocrática dos déspotas, cujos abusos redobraram, certos da unidade e da condição inabalável do poder que enfeixavam em suas mãos, não sendo o regime parlamentar tomado em conta alguma, pois que, geralmente composto de favoritos, era dominado pelo poder executivo, ou com presentes e favores, ou então com ameaças e coações violentas; é assim que vemos Cromwell condenar Carlos I, por intermédio mesmo da constituição parlamentar, sem que houvesse sequer uma corrente contrária, quando a favor desse réu histórico militavam poderosos órgãos.

Tão nula é a ação dessa instituição, que os historiadores quase que jamais a mencionam, nos episódios históricos, onde sempre a voz ativa pertenceu, sem outra razão melhor, a um favorecido pelo destino que o fizera nascer de sangue real, e este homem não era mais sábio, mais virtuoso e nem melhor que os outros, e da sua néscia orientação nasciam os males que flagelaram as primitivas gerações; dos seus caprichos nasciam as guerras, e seus passatempos prediletos eram cruzadas, em que esbanjavam as posses das nações que tinham a desgraça de estarem sob a sua diretriz, para em seguida esmagarem-nas com tributos tirânicos e opressivos, não só com o intuito de refacção financeira, como também para resgatar prisioneiros, e sempre eram nobres, que se achavam em mãos inimigas.

Em relação à política internacional, essas facções dominantes vão sendo domesticadas pelo sábio maquiavelismo das chancelarias e embaixadas estrangeiras, e assim, com honrarias protocolares, empréstimos com condições especiais, alianças ou apoio moral, uma nação perde para vis especuladores aquilo que o sangue de mártires consolidara. Eis o que bem exemplifica a parábola dos vendilhões do templo!...

D. Pedro II e D. Isabel

Nascera ela em vossa ridente Rio de Janeiro, no palácio Boa Vista, em 29 de julho de 1846, vinda em missão sagrada, batalhar para que mais uma parte do mundo ficasse liberta enfim da vergonha das vergonhas: a escravidão. Nobremente soube esse espírito de pura luz desempenhar aquilo que estava nos arcanos da vontade divina, não recuando ante a violenta antipatia que lhe manifestavam a corte e os ricos fazendeiros, que assim se viam privados de seus “colonos”, que assim se viam em parte esboroados, decaídos por falta de mão de obra.

No dia 28 de setembro, recordai-vos, que neste dia, um espírito radiante, luminoso, doce e sereno, vindo da morada do Pai, soube, neste inesquecível dia, dar o primeiro passo na senda que o Destino lhe traçara: neste dia, do ano de 1871, assinava Isabel o decreto, a Lei, que fazia com que mais ninguém nascera escravo, entravado, sob o céu anil da terra dos sabiás: a Lei do Ventre Livre, o primeiro golpe dado na medieval instituição.

No fundo de seu pensamento, porém, isto não era bastante ainda: não lhe bastava libertar os filhos, não, mas queria ainda libertar os genitores, e pacientemente esperou que a semente do grande grito amadurecesse e então, em 1888, quando sentiu, ou melhor, foi inspirada, de que o momento era chegado, não hesitou mais, e no dia 13 de Maio, proclamou, em tom mais retumbante que D. Pedro ao proclamar a “Independência ou Morte”, a remissão da oprimida raça negra...

Napoleão Bonapart

O Diretório logo tomou-me com o seu braço forte, e qualquer dificuldade que houvesse a vencer, ei-lo a chamar o braço de Napoleão e eu que ardia em meus sonhos de ambição insatisfeita, não perdia ocasião de tornar-me mais popular e conhecido, para, mais tarde, tornar-me mais católico que o Papa e violentei e esmaguei esse Diretório mesmo, que me apoiava, que me elevara do meu nada, apoiando as minhas iniciativas e protegendo-me o mais possível.

Depois, com a astúcia de uma raposa, organizei o consulado que primeiro teve três membros, o que me atrapalhava um tanto em meus sonhos de glória, e consegui afastar também esses empecilhos, tornando-me senhor único, o que ainda não bastava, procurei então guerra e esmaguei os meus vizinhos com o peso do meu punho de aço, e desnorteando-os com a minha tática infernal, e por este meio de sangue e morte cheguei ao meu ideal: fazer-me imperador esmagando para sempre essa democracia, com a qual ao princípio eu fingira partilhar.

Eu conhecia o coração das turbas: todos fascinados com a inigualável pompa da minha coroação, aclamaram, “e alguns que viam demais”, que tinham já feito a minha psicologia, a estes eu apoquentei e persegui; dentre estas perseguições até hoje se revela uma: o brutal fuzilamento do Conde D’Enghien, mancha essa que até hoje me persegue nas minhas noites de horrores, noites em que sou perseguido, caçado qual uma fera, por nuvens, por milhares daqueles a quem fiz sofrer, órfãos, viúvas, mães, irmãos, todos enfim. Só os protetores compadecidos me libertam, com a permissão do Pai que sabe o quanto estou arrependido!...

Depois que me vi no cobiçado posto de imperador, esmaguei mais uma vez as aspirações do povo francês reatando amizade com o Papa e o negro clericalismo; de modo que todo o sangue derramado foi inútil, para essa França que tanto sacrifício fizera para libertar-se de um jugo secular que logo um vil aventureiro reconstituía; eu fui esse vil aventureiro...

Francisco de Assis

Aos irmãos homens: Quem vos fala neste instante é aquele que em vida não quis ser senão o “Poverello”, quando pudera galgar às eminências; não quis ser senão o servo do Senhor, quando pudera dominar os homens; não quisera ter outra riqueza que o seu burel, ao invés de usufruir dos regalos que a fortuna dá; que abandonou os amigos e os seus, que tantos os tinha, para se encerrar num claustro, de onde só saia para pregar aos homens o amor e a igualdade de origem de todos os seres e de todas as coisas: homens, estrelas, peixes, pássaros e flores.

Nasci em Assis, na ridente península itálica, no verão do vetusto ano de 1132, e aí vi, em minha cidade natal, a felicidade e a alegria sorrirem-me sob múltiplas formas. Meu verdadeiro nome seria, e era o que havia sido escolhido, João, isto é, Giovanni, mas meu pai, voltando das terras da gloriosa Gallia, fez-me batizar Francisco, em homenagem ao país onde havia feito a sua fortuna e bem-estar. Eu mesmo, após ter feito os meus estudos, tão rudimentares naqueles tempos, na igreja de S. Giorgio, onde adquiri noções de latim e aprendi o francês provençal, entrei para o comércio, ajudando meu pai, porquanto então não era isto desonroso.

Todavia, em mim ninguém reconheceria aquele que haveria de ser um homem solteirão e solitário, austero e fervorosamente religioso. Irradiando e expandindo a alegria da minha juventude esplendorosa, luxuosamente vestido, passando minhas noites em serenatas, entoando as canções dos trovadores, com amigos caríssimos, eis o que era a minha vida: um sorriso!

Alegres banquetes onde só ressoava o tinir de copos; os bosques traziam-nos os ecos de gargalhadas felizes, sem que no entanto, nisso houvesse traços de malevolência ou pecado. Simples expansões de uma juventude exuberante. Nunca o egoísmo imperou nessas lautas comezainas, pois, jamais pobre bateu em vão à porta do predestinado noivo da Pobreza...

Ricardo Wagner

Quando eu estava no mundo, fui perseguido e criticado por todos em suas pobrezas de espírito e ingratidão, até o ponto que eu tive que me afastar da minha terra natal e ir para terras desconhecidas, como os meus compatriotas e todo o mundo bem sabem. Muitos dirão: quem é este que fala desta maneira? Eu sou o pequeno e humilde Richard Wagner. Agora eu entendo o que eu era neste mundo material, cheio de lágrimas, eu era apenas um médium e servo de Deus. 

Minhas obras musicais não eram os meus produtos pessoais, mas apenas uma iluminação divina que me foi enviada como uma dádiva que eu recebi e utilizei como uma ferramenta. Da mesma maneira são todos os poetas da música, bem como todos os gênios da terra: ferramentas de Deus. Que a minha amada terra natal seja feliz, mais e mais, na proporção do tamanho da sua superfície, assim como foi nos tempos de felicidade do seu povo, é o que eu desejo de todo o meu coração...

Fotos e dados sobre Mirabelli, Super Paranormal Brasileiro
Mais poderoso que Jesus Cristo, Chico Xavier e outros



































































































































































Fontes:

- Carmine Mirabelli - A Biografia mais Completa e em Ordem Cronológica, https://www.youtube.com/watch?v=Arc1XExkrQg
- Carmine Mirabelli e os Médiuns de Efeitos Físicos - AEEL: https://www.youtube.com/watch?v=IanEx1DGFgo

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: Carmine Mirabelli, Coleção Mirabelli Vol. 1, Vol. 2, Vol. 3, Super Paranormal, médium, coleção mirabelli, levitação, materialização, poder da mente, Irmãs Fox, margaret fox, lia fox, kate fox, Daniel Douglas Home, DD Home, Eusapia Paladino, Kate King, Florence Cook, Coleção Mirabelli, Carmine Mirabelli, paranormal, médium, super poderes reais, poder da mente, levitação, materialização, zangbeto, zangbetos, almas, espíritos, efeitos físicos, espiritismo, psicografia, mistérios, mistérios do mundo, assombração, fantasma,Elizabeth D'Esperance, 

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. (Bruno Guerreiro de Moraes)