terça-feira, 14 de maio de 2019

Materialização de Pedras Preciosas e Metais Preciosos - Amyr Amiden - Super Paranormal - Livro O Fenômeno Magenta

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

“Para os que querem acreditar, nenhuma prova é necessária, para os que não querem, nenhuma será suficiente...”
(ditado popular sobre Pseudocéticos)

Assuntos Relacionados: [índice: Paranormais Autênticos] [Mestre dos Poderes Paranormais] [Olimpíadas Paranormais na China] [Materialização Algodão] [Materializações de Almas]

Amyr Amiden é um paranormal capaz de materializar (entre outras coisas), diamantes, ouro, prata, esmeraldas, rubis, etc... (isso mesmo que você leu! Acredite se puder...) além desses objetos preciosos ele também materializa pedras comuns, pedras polidas, estatuetas de madeira, etc... então tanto objetos valiosos como objetos “comuns” ele pode materializar. 

Seus poderes ativaram quando ele tinha cerca de 6 anos depois de ser contatado por Extraterrestres, um casal de gigantes... (achou absurdo? Leia melhor sobre o caso... por mais incrível que pareça há muitas evidências favoráveis perante tais afirmações).

Muito Rara entrevista de Amyr Amiden em vídeo:

Paranormal Super Poderoso do Brasil - Amyr Amiden consegue materializar até mesmo pedras preciosas, diamantes, rubis, e metais preciosos tais como ouro, prata, bronze, etc...

Diferente da Edelarzil Munhóz (mais conhecida como a “mulher do algodão”, do fenômeno das materializações no algodão), Amyr Amiden tem algum controle sobre o que vai materializar, na maioria das vezes o que materializa é fora do seu controle, mas alguma coisa ele consegue materializar pela vontade, geralmente quando “pede” para as entidades materializar algo especifico. Assim como a Edelarzil ele diz que tem uma equipe de entidades que o cerca e o ajuda.

A Edelarzil (que também é uma paranormal com poder de materializar) diz que não tem controle sobre o que materializa, ela não pode materializar algo apenas porque quer... pelo menos é isso que ela diz publicamente, não sabemos se é realmente tão restrita na vida intima.

Amyr Amiden é um brasileiro descendente direto de Sírio/Iraniano (pai Sírio e mãe Iraniana) nasceu em 1941 (data exata não consegui saber) fala português, mora no Brasil na cidade de Brasília (DF). Diz que com 6 anos começou os fenômenos físicos a acontecer (veja os muitos relatos abaixo). Seus poderes paranormais vão além da materialização (o que já é extraordinário), ele também levita, se teletransporta, tem poder de cura, premonições do futuro, fica invisível, etc... 

Mas apesar de ter tantos (e tão variados poderes) ele não parece ser uma pessoa muito digamos, “centrada” alguém com pensamento racional e lógico. Ele parece ser abobalhado... um tanto confuso... Sabe? Coisa aliás infelizmente comum entre os super paranormais conhecidos, (os que foram registrados pela ciência). Veja a entrevista em vídeo e verifique isso por si mesmo.

O Carmine Mirabelli pelo que se conta também não era exatamente a pessoa mais “lógica e racional” que passou pela face da Terra.

A Edelarzil também não, pois ela entre outras coisas é muito agarrada a religião, professa uma mistura de catolicismo, com umbanda e espiritismo de Kardec, (Joga búzios e tira cartas inclusive...),  ela poderia ter processado a Rede Globo e a Igreja Católica (na figura do padre Quevedo) que a difamou a nível nacional, (como a Nina Kulagina fez contra a imprensa Russa com muito sucesso), mas a Edelarzil preferiu não reagir...

Pois de qualquer modo ela prefere a vida mais simples, cuidar das suas galinhas, das suas plantas... o mesmo pode ser dito do Thomaz Green Morton (apelidado de o homem do Rá) que abdicou da fama mundial para ser um mero fazendeiro criador de gado no interior de SP.

O Amyr Amiden seria outro bem religioso, que reza muito, parece ser muito devoto do culto católico, mas ao mesmo tempo é islâmico. É outro que faz uma grande mistura de religiões, e se agarra em mitos e contos de fadas das religiões.


Uma pessoa como o Amyr Amiden e a Edelarzil Munhóz poderia dominar o mundo, mas apesar dos poderes titânicos que possuem eles tem essa mente digamos... confusa.

Simplesmente não querem fazer nada, e se fazem algo é por obrigação. Então é uma situação bizarra de se analisar... As pessoas que “recebem a benção” de ter poderes paranormais simplesmente não fazem ideia do que fazer com eles! Elas são geralmente desnorteadas, perdidas mesmo, e até assustadas, demasiadamente apegadas a figuras “espirituaismíticas, tão ou mais dependentes da religião do que os devotos comuns.

Estes que eram para serem LIDERES, tomar a frente, comandar o mundo, conduzir a humanidade toda, (já que são poderosos), possuidores de capacidades sobrenaturais, na verdade se revelam “tapados”... e esse fato é realmente de espantar! Eu tenho alguma explicação para esse fato dentro da Teoria do “Salto”, do conjunto de informações que foram levantadas com a aplicação do “Salto” e irei explicar no livro que escrevo exatamente nesse momento (escrevo isso em 11 do 05 de 2019) mas aqui não é lugar para tanto, o livro será...

O que temos de saber e deixar isso claro na mente é que os seres humanos mais poderosos que surgiram nos últimos 200 anos são geralmente confusos, medrosos e até mesmo tapados. Bizarro não é verdade? Eles/Elas deveriam ser os mais sábios... a razão para essa deficiência é por causa da verdadeira natureza desse mundo onde vivemos, pois aqui não estamos “evoluindo” nem “aprendendo” nada, nem é um campo para “testes” das almas, mas sim uma prisão para extermínio.

Mas seguindo com o caso Amyr Amiden, veja abaixo as informações que “vazaram” sobre ele, teremos de nos contentar só com isso, pois ele é avesso as entrevistas, é avesso a pesquisa cientifica, é tímido, não escreve nada, não tem site oficial, não tem uma organização/instituto e tenta viver da forma mais simples e anônima possível apesar de ter tantos e tão fantásticos poderes paranormais. Ainda está vivo e vive na cidade de Brasília, (isso mesmo, na capital federal do Brasil).

Transcrição da Entrevista de Amyr Amiden - Partes Principais:

- 01: Com 5 para 6 anos lendo uma revistinha em quadrinhos, acompanhado de gatos, disse que aconteceu com ele o primeiro evento sobrenatural, a aparição do casal de gigantes extraterrestres. Se trata de Aliens vindos da 4 dimensão... (acredito que ele não tem maiores detalhes “técnicos” sobre o que quer dizer com '4D', como se diz comumente que a '3 dimensão' seria aqui onde nos encontramos, a suposta “quarta dimensão” seria uma dimensão “próxima” do mundo dos encarnados.

Deve ser isso... pois se for falar de dimensão mesmo, não faz nem sentido dizer que aqui no mundo dos encarnados é “3D” isso na ciência é referente há - “altura, profundidade e largura” -  que é as três percepções que temos para reconhecer o espaço, nada a ver com “dimensão como sendo outro universo” mas as pessoas leigas confundem esse conceito e ai dizem que a “3D” é aqui, a “4D” seria outra frequência da matéria, a “5D” é outra frequência da matéria mais distante da nossa, e assim por diante... o que em termos de ciência convencional é um distorção do termo, um desentendimento mesmo. Mas enfim... isso é 'jeito de falar'.

Vamos entender que o que ele quis dizer é que esses seres vieram de um outro universo, um paralelo ao nosso, e esse universo é de uma “frequência de matéria” próxima a nossa.

- 02: Ficou muito assustado/emocionado quando viu o casal de gigantes aliens, tanto que chegou a ficar com taquicardia, e sem respirar direito. Teve de ser atendido pelo Avô que também é paranormal do mesmo tipo, que sabia o que estava acontecendo e fez o menino em choque voltar ao normal.

- 03: Diz que dorme às 15:00hs e acorda às 18:30hs todos os dias, deste então... fica a noite toda acordado. Então ele dorme apenas 3 horas e meia por dia.

- 04: Diz que tem um forte saudosismo, olha para as estrelas e tem bons sentimentos.

- 05: Diz que o Avô dele (não especificou se era por pai ou mãe) é paranormal de efeitos físicos como ele, esse avô (assim como ele) seriam da “4D”.

- 06: Atende a noite toda pessoas com problemas de saúde.

- 07: A cada 3 meses ele faz uma viagem para a “4D”, coloca uma roupa toda branca, para a ocasião.

- 08: Diz que toma 7 banhos todos os dias... não explicou por que dessa necessidade...

- 09: Quando vai viajar para a “4D” faz isso. Toma banho, coloca as roupas brancas e se deita na cama, ai ele diz que começa uma espiral, ele entra nessa espiral (levitando) e é levado para o universo paralelo, diz que a fisionomia dele muda totalmente, (muda de forma?). (Obs. Não ficou claro aqui nesse ponto se ele é transportado para a tal “4D” com o corpo físico, ou essa “viagem” na verdade seria um desdobramento astral).

Amyr Amiden segurando o Livro 'Transcomunicação - O Fenômeno Magenta' de Pierre Weil sobre pesquisas cientificas feitas sobre ele. Compre o Livro AQUI

- 10: Quando chega lá é recepcionado sempre por uma menina que o chama de “pai” essa menina pega na mão dele e o conduz... para algum lugar que ele não especificou.

- 11: No tal lugar para onde ele vai tem dois sois e duas luas, não tem noite, é sempre claro.

- 12: Diz que a Terra seria o “poder de baixo”, e é uma reserva... não explicou melhor o assunto.

- 13: Diz que na Terra tem pessoas de muitas dimensões vivendo aqui como humanos, assim como ele.

- 14: Muitas pessoas o procura para tratar de doenças, que recebe uma infinidade de telefonemas, 80% de pessoas doentes precisando de ajuda. Ele atende todos de graça.

- 15: Disse ele que um belo dia, uma sexta feira a noite o avô paranormal pegou uma vasilha de vidro bonita, uma faca e cortou os próprios punhos, colhendo o sangue na vasilha. Depois de ter derramado o suficiente, o avô juntou os punhos feridos balbuciou alguma coisa e os ferimentos se curaram instantaneamente.

- 16: O Avô então pegou o sangue e escreveu com esse sangue o que seria profecias e instruções para o Amyr. E entre outras coisas a data da morte do Amyr.

- 17: Na Unipaz http://unipaz.org.br/quem-somos/ tem muitos arquivos sobre o Amyr Amiden, são já décadas de informações acumuladas.

- 18: Ele (Amyr) viaja na estória da suposta “mudança eminente” da humanidade, e cita como exemplo, crianças de hoje que já pegam (desde muito pequenas) um smartfone ou tablet e já “sabe mexer”. (Obs. Primeiro... já não está havendo mudanças radicais e constantes desde a renascença? Ou pelo menos desde a Revolução Iluminista? Segundo... crianças muito pequenas sabendo usar smartfone e tablet? Mas assim... o que elas fazem? 

Elas resolvem problemas, acessa o banco, escreve e-mails, edita vídeos, faz pesquisa no google, acessa portais de noticias, ou apenas jogam videogame e assistem vídeos engraçados? Se essas crianças atuais mexem em smartfone e as crianças de antes da invenção desses aparelhos não, é simplesmente por causa disso! Porque não existia tais aparelhos nas gerações passadas... Não vejo como isso seria “prova” da tal “mudança eminente e dramática”, mudanças eminentes e dramáticas já estão ocorrendo desde a revolução iluminista há cerca de 300 anos, o próprio Amyr foi uma criança prodigiosa e ele nasceu em 1941).

- 19: A partir de 1967 nasceriam 50% de crianças boas e 50% de crianças más. (Obs. interessante essa fala dele, pois de fato em muitos países como o Brasil está havendo essa polarização quase exata, candidatos a presidente é eleito com pouca margem de vantagem, nos EUA também, sempre está ocorrendo ultimamente essa divisão quase perfeita de 50% tem opinião “Tal” e 50% tem opinião “qual”, e é um fenômeno que já ocorre a décadas.

- 20: Ele diz ainda que com o tempo haverá conflitos entre essas pessoas (que é o que ocorre atualmente, tanto no Brasil como nos EUA e em outros países) mas que as “crianças de fé vencerão”. (Obs. Mas “crianças de fé” no conceito dele seria o que? Acho que se refere a pessoas boas, tolerantes, gentis, pacíficas, honestas e não simplesmente religiosos, já que pouco antes ele fala da exploração da fé, extorquir dinheiro usando a religião). O próprio Amyden é bem eclético quanto a religião, ele é mais um espiritualista do que um religioso de qualquer vertente.

- 21: No atendimento aos doentes ele diz que “teleporta” os problemas de saúde de dentro da pessoa para fora, é assim que ele cura, tira sem usar de cirurgia os problemas do corpo das pessoas (Obs. Não deu maiores detalhes do assunto).

- 22: Falou que tem grande admiração pelo Chico Xavier, que numa segunda visita que fez ao chico (em Campinas) ele (Amyr) poderia ter furado fila para falar, porém preferiu ficar na fila durante 5 horas para ser atendido, como as outras pessoas estavam fazendo. Nisso disse que o chico estaria com os “olhos sangrando” (Estranha afirmação dele... olhos sangrando e as pessoas não viram e não registraram o caso?), nesse encontro ganhou um quadro do Chico Xavier com paisagem espacial.


Transcomunicação - O Fenômeno Magenta (Cód: 140393)
(Krippner,Stanley; Weil,Pierre; Arora,Harbans Lal Editora: Pensamento)
Livro: 'Transcomunicação - O Fenômeno Magenta' de Pierre Weil sobre pesquisas cientificas feitas sobre o Amyr Amiden, compre AQUI

- Descrição: A presente obra constitui um marco na história da investigação sobre transcomunicação. Abrange uma vasta e admirável fenomenologia, contendo dezenas de materializações, teletransportações e transcomunicações através de rádio. Esta é uma leitura indispensável para todas as pessoas que queiram se atualizar com relação às pesquisas psíquicas e transpessoais de ponta, sérias e consistentes, que comprovam a existência de outros níveis de realidade que estão sendo desvelados à luz da transdisciplinaridade.

Amyr Amiden - O Paranormal Materializador de Brasília (DF):

Amyr é um brasileiro de origem árabe (Sírio/Iraniano), residente em BRASÍLIA-DF. Amyr despertou seus poderes de psicocinese desde os 6 anos de idade, conseguia mover os objetos com a sua força mental e ao seu redor ocorriam fenômenos de POLTERGEIST, os objetos levitavam, os metais entortavam, ocorriam estranhos fenômenos de luzes paranormais, etc...  

Aos 9 anos de idade, Amyr começou a realizar fenômenos de MATERIALIZAÇÃO DE OBJETOS VINDOS DO NADA, os objetos surgiam em pleno ar, caiam no chão e assustavam os membros da sua família. Logo, Amyr descobriu que podia DESMATERIALIZAR O SEU CORPO, tornando-se impalpável como um fantasma e invisível, e depois podia reverter à forma sólida comum. Várias vezes os familiares de Amyr viram ele levitando, flutuando ou semi-desmaterializado, o que assustava bastante a sua família!

Achando que Amyr estava possuído pelos DJINNS (Demônios na cultura islâmica), o Pai de Amyr levou-o para ser analisado por um SHEIK da Religião Muçulmana. O SHEIK era integrante de uma Escola Mística Sufi, e logo percebeu que AMYR não estava possuído, mas era um ABDAL ("UM TRANSFORMADO"), nome que os Mutantes Paranormais são chamados no Misticismo Sufi. Depois disso Amyr começou a ser ensinado pelos SUFIS, que foram explicando as origens dos seus poderes, e orientando-o no seu Desenvolvimento Mental e Espiritual.

Aos 10 anos de idade AMYR começou a treinar os seus dons de MATERIALIZAÇÃO DE OBJETOS, conseguindo teleportar qualquer tipo de objeto de um local distante para as suas mãos. Certo dia, a mãe de AMYR estava chorando de saudades da sua terra natal (o Irã), Amyr ficou triste ao ver aquela cena, concentrou-se mentalmente na foto de um Oasis com Tamarindeiras que existia na sala da sua casa... de repente Amyr percebeu que seu corpo desmaterializou-se; ele teleportou-se para um local que não conhecia, mas que reconheceu ser um deserto com várias arvores de Tamarindos.

De repente, um homem alto e misterioso, vestindo um turbante azul, deu uma fruta de tamarindo e algumas folhas para Amyr segurar e disse: “Volte, criança... leve este presente para a tua mãe”. E logo depois Amyr materializou-se novamente na sala da sua casa, assustado e aturdido com a fruta de Tamarindo nas mãos, levou-a para a sua mãe, que caiu em prantos ao ver esta fruta nativa do Oriente Médio.

Os poderes de Amyr tornaram-se conhecidos por toda a Comunidade Muçulmana, e logo os Mestres Sufis levavam pessoas doentes para Amyr tratar.

ELE COLOCAVA AS MÃOS EM CIMA DO FERIMENTO, CONCENTRAVA-SE, E LOGO A PESSOA CURAVA-SE QUASE INSTANTÂNEAMENTE! As emissões de Bioenergia de Amyr eram extremamente potentes, anulavam a dor e cicatrizavam qualquer tipo de ferimento!


Amyr fazia também a ENERGIZAÇÃO DA ÁGUA, colocada dentro de jarros, e que se transformava em remédio para ser bebida pelos doentes.

Amyr começou também a desenvolver a TELEPATIA e a VIDÊNCIA, podendo enxergar qualquer energia não-visível aos olhos humanos comuns. Começou a ter contatos telepáticos com estranhos Seres Energéticos, eram seres altos, com mais de 3 metros de altura de face alongada, que brilhavam numa Luz esverdeada fosforescente.

Estes Seres apareciam à noite no quarto de AMYR, materializavam-se e conversavam com ele, orientando-o como usar os seus poderes de forma positiva e saudável.

Amyr achava que eles eram EXTRATERRESTRES devido à luz esverdeada que eles emitiam, mas os seres explicaram que eram MUTANTES INTERDIMENSIONAIS, seres mais evoluídos do que os humanos, mas pertencentes à uma evolução paralela e não-hominídea do nosso próprio planeta.

ELES SE DENOMINAM DE "GRUPO MAGENTA" OU "ANJOS", são seres mais evoluídos do que o homem terrestre e ensinaram à Amyr como Controlar e amplificar os seus poderes de Teleportação de Objetos.

Com o auxílio do GRUPO MAGENTA, AMYR aprendeu à teleportar objetos à distância e depois desmaterializá-los onde desejar, para espanto total das pessoas que presenciavam tais fenômenos.
Várias vezes Amyr demonstrou também fenômenos de TRANSFORMAÇÃO DE UMA SUBSTÂNCIA EM OUTRA, como cerveja em outras bebidas, vinho ou água, óleos que apareciam do nada, etc...

DURANTE UMA ÉPOCA DA SUA JUVENTUDE, TODAS AS BEBIDAS DO ALMOÇO E DAS REFEIÇÕES SE IMPREGNAVAM DE PERFUME tornando-as intragáveis.

Há partir dos 20 anos de idade, Amyr começou a exalar PERFUMES PARANORMAIS vindos do nada, por todos os ambientes por onde ele transitava. OS SUFIS O APELIDARAM DE “O HOMEM DOS PERFUMES MILAGROSOS”, que deixava as Mesquitas cheias de doces aromas de cânfora, mel, rosas, lírios, alfazema ou eucalipto.

Amyr tornou-se um Paranormal extremamente respeitado na comunidade muçulmana de Brasília, e sua fama extrapolou as fronteiras do nosso país. Amyr, porém, é totalmente avesso à publicidade de mostrar os seus poderes em programas de TV. 

Ele foi convidado para fazer aparições nos Programas GLOBO REPÓRTER, FANTÁSTICO, SBT REPÓRTER e vários outros, mas sempre se recusou...

Amyr é um discípulo de Mestres Sufis Islâmicos, por isso ELE NÃO ACEITA DINHEIRO NEM PRESENTES para curar ou para fazer suas demonstrações de Psicocinese. 

A LEI ISLÂMICA É MUITO RÍGIDA EM RELAÇÃO A TAIS ASSUNTOS DE PODERES PSÍQUICOS, e Amyr seria considerado um traidor dos ensinos do AL-KORÃN se ele passasse a cobrar pelas suas curas ou demonstrações. 

(Obs. O que justamente o mantém pobre e anêmico, muito restrito e sempre em dificuldade, fizesse como os pastores evangélicos poderia ajudar muito mais pessoas, pois o capitalismo ESMAGA impetuosamente qualquer um que ousa contrariar as suas leis. O certo é: Paga quem pode, paga menos quem pode menos e fica devendo quem não pode pagar).


Apesar de ser contrário à publicidade, AMYR teve contatos com dezenas de pesquisadores de Brasília, que puderam atestar e ver por si mesmos seus fantásticos poderes (Unipaz: http://unipaz.org.br/quem-somos/) de TELETRANSPORTAÇÃO, PSICOCINESE, LEVITAÇÃO, CURA, ETC...

Ele tornou-se amigo da Médica e pesquisadora francesa JANINE FONTAINE, que escreveu um livro sobre os poderes de AMYR, editado em 1987 na França.

Tornou-se amigo também do famoso Psicólogo PIERRE WEIL (já desencarnado), que assistiu diversas vezes as Materializações e Teleportes realizados por Amyr, e que foram assistidos também por outros Psicólogos do círculo de amigos de Pierre Weil.

Pierre Weil escreveu um livro chamado “LÁGRIMAS DE COMPAIXÃO”, editado em 1999, onde faz um extenso relato das Teleportações e Poderes de Amyr. A convite de Pierre Weil, Amyr foi estudado e investigado pelos pesquisadores da UNIPAZ BRASIL - UNIVERSIDADE HOLÍSTICA INTERNACIONAL, entre 1994 e 2001, que procuraram explicar as causas das suas PARAMATERIALIZAÇÕES e TELEPORTAÇÕES que aparentemente contrariam as leis da física comum.

Amyr foi estudado pelos mais importantes pesquisadores da UNIPAZ durante 8 dias consecutivos, e conseguiu realizar 20 sessões de demonstrações parafísicas, com a realização de 91 Fenômenos Parafísicos diferentes.

Os pesquisadores da UNIPAZ documentaram os seguintes fenômenos:

1- MATERIALIZAÇÕES DE OBJETOS:

A- Pedaços de metal;
B- Medalhões com inscrições;
C- Colares de Marfim;
D- Pedras preciosas e jóias;
E- Diamantes;
F- Folhas e pétalas de flores cheias de perfume;
G- Mandalas que apareciam em guardanapos, portas e paredes;
H- Óleos perfumados que apareciam exsudando nas paredes.

2- TELEPORTAÇÃO DE:

A- Um livro raro sobre Yoga datado de 1922;
B- Pedras preciosas, medalhas, jóias, teleportadas de um lugar para outro;
C- Pertences dos pesquisadores, que sumiam e depois se rematerializavam novamente. 

Apports e outros estranhos fenômenos: Stanley Krippner e Amyr Amiden

O caso de Amyr Amiden - Apports, Stigmata e efeitos de campo geomagnético - Rede Científica e Médica em conjunto com a Society for Psychical Research. 7 de novembro de 2013 - Local: Biblioteca de Kensington, Londres, W8 7RX

Durante 1993 e 1994, Stanley Krippner testemunhou fenômenos anômalos que ocorreram na presença de Amyr Amiden, um pretendente psíquico brasileiro. Stan desenhou procedimentos não invasivos que permitiram a uma equipe de pesquisa coletar dados durante ocasiões de psicocinese ostensiva. Embora o trabalho adicional com o Amiden não fosse possível devido a problemas de saúde, os procedimentos poderiam ser utilizados com outros requerentes psíquicos. Stanley Krippner irá explorar tudo isso em sua apresentação.

Stanley Krippneré conhecido internacionalmente por seu trabalho pioneiro na investigação científica da consciência humana, especialmente em áreas como criatividade, fenômenos parapsicológicos e estados alterados de consciência. Antes de ingressar no corpo docente da Saybrook em 1972, o Dr. Krippner dirigiu o Dream Laboratory no Maimonides Medical Center, em Nova York, e foi diretor do Child Study Center da Kent State University. 

Ele serviu como Presidente da Associação para Psicologia Humanista, a Associação Parapsicológica e a Associação para o Estudo dos Sonhos. Ele também é membro da Carta da Sociedade Internacional para o Estudo da Dissociação e é membro da Associação Americana de Psicologia, da Sociedade para o Estudo Científico do Sexo, da Sociedade Americana de Psicologia, 

A Sociedade Americana de Hipnose Clínica e a Sociedade para o Estudo Científico da Religião. Krippner recebeu um Ph.D. em Psicologia Educacional da Northwestern University. Escreveu mais de 500 artigos e vários livros, incluindo: Possibilidades Humanas, Canção da Sereia, Telepatia dos Sonhos (co-autor), Os Reinos da Cura (co-autor), Dimensões Espirituais da Cura (co-autor), Mitologia Pessoal (co-autor), Estados de Cura (co-autor), Dreamworking (co-autor), Um Psiquiatra no Paraíso (co-editor), Dreamtime e Dreamwork (Ed.) e Avanços em Parapsychological Research (Ed.).

Apports e Outros Fenômenos Estranhos:
Uma discussão surgindo da palestra de Stanley Krippner

Eu tive a sorte de assistir palestra da noite de Stanley Krippner em Kensington Biblioteca no centro de Londres em 7 th novembro de 2013. Krippner é um excelente orador com uma personalidade envolvente e timing perfeito em sua entrega. Ele também personifica aquela rara combinação de um cientista meticuloso e equilibrado e engajado em primeira mão com o explorador da condição humana. 

Eu não quero discutir a apresentação em detalhes como um relatório do caso e descobertas estatísticas foram publicadas e estão disponíveis online.1 A gravação da palestra também será disponibilizada na seção de membros do site da Rede Científica e Médica . O que eu gostaria de focar é o caso dos apports, que formaram um tema central da palestra.

O que são os apports?

Uma estatueta de Shiva apported para Donna James por Kai M ü ESB. Na parapsicologia, o termo 'aportar' é usado para descrever um objeto físico que se materializa (e às vezes se desmaterializa), geralmente durante uma sessão na presença de um médium físico ou de transe. 

Existem outros contextos nos quais as materializações ocorrem. Na Índia, por exemplo, a aparência de objetos ou substâncias está intimamente associada a homens santos hindus ou a swamis . Um dos casos mais conhecidos desse tipo foi o falecido Sathya Sai Baba, que aparentemente materializaria o vibhuti , uma cinza sagrada amplamente usada em rituais e pequenos objetos. 

O Santuário de Jenny , um centro de mediunidade física em Oxfordshire, Reino Unido, tem uma exposição de objetos distribuídos durante as sessões realizadas lá. O médium de transe David Thompson produz regularmente apports, ou melhor, os espíritos manifestam objetos através da mediunidade de David Thompson. Estes são bem atestados por assistentes regulares em seu círculo natal na Austrália e em suas muitas aparições como médium visitante em lugares como o Santuário de Jenny. 

Outra forma física contemporânea líder é Kai M ü ESB (KM) do Grupo Experimental Felix na Alemanha. Donna Jamesdescreve o presente de uma estatueta indiana materializada durante uma das sessões de Kai M em setembro de 2013, durante uma conferência de cinco dias sobre mediunidade física em Eastbourne, Inglaterra, organizada pela Gordon Higginson Fellowship . Em maio de 2013, a KM passou uma semana sob observação, sendo estudada pelo professor Stephen Braude e por uma equipe de cientistas. 

Em seu livro The Gold Leaf Leaf Lady,3 Braude descreve a repartição de um pedaço de cobre (a folha de ouro do título). Braude trouxe este item com ele para as sessões de KM. Durante o curso de uma sessão, KM produziu dois objetos que se assemelham à folha de ouro original, que, segundo os espíritos, foram criados retirando material do original e substâncias do ambiente natural e sobrenatural. 

Um relato desta sessão e o resto dos testes em KM estão documentados no blog da FEG . Amyr Amiden parece um pouco diferente e incomum, pois é capaz de materializar objetos fora de uma situação espírita, às vezes distante de si mesmo. Ele ocasionalmente oferece aconselhamento espiritual, mas ao contrário de David Thompson e Kai M ügge não é um meio profissional ou semi-profissional; nem se vê como um guru ou professor espiritual.

Um breve relato de Amyr Amiden:

Stanley Krippner conheceu Amyr Amiden, um brasileiro de descendência Síria/Iraniana, em 1993. Amiden havia sido convidado para jantar por um amigo em comum, Pierre Weil. Durante o jantar, Amiden materializou uma esmeralda e uma pulseira de ouro para duas das convidadas do sexo feminino. A esmeralda, que foi autenticada posteriormente por um joalheiro, apareceu aparentemente do nada.

A pulseira foi construída a partir de embalagens de manteiga, que Amiden enrolou no pulso da mulher em questão. Ao longo de dez minutos, os convidados observaram a pulseira de manteiga se transformar em uma faixa de ouro. Isso também foi mais tarde autenticado por um joalheiro. Amiden concordou em passar por testes e no ano seguinte, com uma bolsa da Society for Psychical Research.Krippner e uma pequena equipe interdisciplinar passaram oito tardes conduzindo testes e observações de Amiden assim que ele terminou o trabalho. 

Durante esse tempo ele produziu quase cem objetos. Amiden vem de uma família de médiuns ou sensitivos. Ele teve sua primeira experiência de visitar o mundo espiritual aos oito anos de idade e continua a visitá-lo regularmente (o mecanismo dessas visitas, seja em sonhos, transe, experiência fora do corpo ou telepaticamente, não foi discutido). Amiden se referiu a ter duas personalidades, que ele percebia como um pouco diferentes em aparência e caráter um do outro. 

O primeiro foi o mais velho Amyr, que na época dos testes sofria de problemas cardíacos e tinha um caráter mais abrasivo. O mais novo Amyr surgiu quando ele tinha oito anos com o início de suas habilidades psíquicas.

Amiden poderia dizer quando ele estava prestes a apresentar um objeto como prefigurado por um gosto metálico em sua boca e a sensação de aumento da freqüência cardíaca (o resultado de testes fisiológicos em Amiden são registrados na conta publicada). 

Como Amiden teve tais experiências desde a infância, ele as levou a passos largos, e não buscou notoriedade ou publicidade. Ele estava, no entanto, feliz por suas habilidades serem estudadas cientificamente. Além de materializações, Amiden produziu estigmas (impressões das feridas sofridas por Jesus durante sua crucificação). Embora os estigmas não sejam incomuns e possam ser produzidos por hipnose, auto-sugestão ou transe, Krippner não se deparou com outros casos em que um muçulmano os manifestou.

Amiden afirmou que suas visitas ao mundo espiritual o trouxeram muito perto de Jesus, e que apenas a menção de Jesus era suficiente para produzir uma resposta estigmática simpática, que não era nem procurada nem dolorosa. Outra habilidade era a psicocinese, a movimentação ou flexão de objetos sem intervenção física. Amyr teve que tomar cuidado especial ao remover os óculos e pediu aos espíritos para não dobrá-los. 

A equipe de pesquisadores também estabeleceu um sistema de comunicação espiritual na presença de Amyr Amiden, usando ruído branco estático de um rádio sintonizado entre as estações. Essa técnica provou ser eficaz na produção de comunicações eletrônicas de voz do mundo espiritual. Quando a equipe dirigia perguntas diretas aos espíritos, eles utilizavam um sistema de "bipes" discerníveis, um para "sim", dois para "não" e três para "não sei" ou inaplicáveis. o movimento ou flexão de objetos sem intervenção física.

A materialização de objetos (apports)

De longe, a mais comum das habilidades psíquicas de Amyr Amiden observada pela equipe de Stanley Krippner foi a materialização de pequenos objetos. Os pesquisadores concordaram que quem quer que estivesse mais próximo do objeto materializado poderia mantê-lo, e eles notaram que os apports geralmente eram apropriados de alguma forma para a pessoa mais próxima a eles. 

Pierre Weil, por exemplo, era naturalizado brasileiro, mas de origem católica francesa e muitos dos apports que se aproximavam dele eram medalhões religiosos. Alguns daqueles que eles rastrearam foram aparentemente comuns na França do século XIX. As duas mulheres no jantar, quando Stanley Krippner conheceu Amiden, pediram respectivamente uma pulseira de esmeralda e ouro, então esses objetos eram específicos e pessoais para os destinatários. 

Alguns dos objetos eram atraentes, mas não particularmente valiosos, como pedras polidas. Em uma ocasião, a filha de alguém presente pediu um presente para seu décimo sexto aniversário. Amyr imediatamente produziu um anel com dezesseis pequenas pedras preciosas, uma para cada ano de sua idade (o que ajustava a garota, que não estava presente, perfeitamente).

Krippner pedira a Amiden dois anéis rodeando um ao outro, já que, do ponto de vista de um parapsicólogo, são difíceis de falsificar e, novamente, ele rapidamente os recebeu. Os objetos geralmente pareciam cair do ar. Em algumas ocasiões Amiden dizia que ele podia sentir um objeto chegando, mas que ele estaria na Sala de Meditação próxima, não no escritório onde eles se encontravam. Esta sala foi verificada antes de suas reuniões, e os objetos foram encontrados lá depois, conforme descrito.

Parecia haver uma ligação clara entre a atividade elétrica ambiental e a materialização de objetos. Durante uma tempestade, Krippner observou que uma chuva de pequenas pedras caía do ar sobre o teto de um carro, embora Amiden não estivesse na vizinhança imediata na época. 

Outra materialização mais incomum observada pela equipe envolveu o aparelho de fax do escritório.
Durante suas sessões, em algumas ocasiões, ela começou por si mesma e produziu uma impressão com uma faixa magenta brilhante, e nada mais. Enquanto observavam, a faixa gradualmente pareceu liquefazer e depois pingar e finalmente produzir um pequeno diamante. Estes foram testados e confirmados como diamantes, embora não particularmente os de alta qualidade.

A maioria dos objetos parecia estável, uma vez que se materializou, eles permaneceram na mesma condição. Havia uma diferença entre os objetos produzidos pelos "velhos Amyr", que eram geralmente de aparência mais desgastada ou desgastada, e os do "jovem Amyr", que pareciam mais frescos (algumas fotografias dos apports são reproduzidas na publicação artigo - ver nota 1). Uma exceção a isso foi um dos diamantes da máquina de fax que Krippner queria recuperar e levá-los para os EUA.

Ele escondeu em uma vasilha de filme lacrado, não contando a ninguém onde ele tinha colocado. Quando ele verificou a lata antes de sair do Brasil, descobriu que estava vazio. (A desmaterialização de objetos de dentro de uma sala de sessão é bem atestada, e há até relatos ocasionais de que o médium é transportado de uma sala de sessão trancada como foi o caso de Carmine Mirabelli).

Amiden também poderia produzir perfume líquido, como descrito por vezes com homens santos hindus. Vinte anos depois da primeira viagem de pesquisa, quando Krippner observou novamente tal manifestação, ele mergulhou um lenço no perfume para preservar um pouco do aroma. O cheiro almiscarado é aparentemente ainda perceptível no tecido.

O maior objeto a materializar foi um livro pertencente a Pierre Weil, retirado de sua biblioteca. O livro estava desaparecido há algumas semanas e, de repente, se materializou a seus pés. A capa era da mesma cor de uma pedra azul-esverdeada que acabara de se materializar para Krippner. 

Foi-lhe dito que esta era sua cor de cura e que ele deveria manter a pedra. À medida que os apêndices das experiências originais com Amiden foram posteriormente roubados do apartamento de Krippner em São Francisco, ele mantém a pedra curativa depositada em um cofre. 

Como a maioria dos objetos produzidos, seu valor é menor do que seu valor monetário - as joias e pedras preciosas não eram de materiais particularmente de alta qualidade -, mas da forma extraordinária de sua aparência e de sua conveniência para o destinatário.

Observações:

Haverá indubitavelmente pessoas que assumam que todo o processo de materialização deve ser fraudulento, pois desafia a explicação científica racional. Ignorar a facticidade de tais eventos não é, no entanto, um passo racional ou científico. 

As condições controladas sob as quais a Amyr Amiden foi estudado por oito dias e a presença de um grupo de observadores cientificamente treinados exclui a fraude deliberada ou a falta de cuidado como a explicação mais racional. Em mediunidade de Minnie Harrison flores eram comumente apported presentes dos espíritos para os assistentes. Flores frescas seriam particularmente difíceis de esconder sem danificar sua folhagem.

Amiden tinha muito pouco motivo para fingir essas materializações, o que não produziu nenhum ganho material e prejudicou sua saúde. A velocidade com que Amiden foi capaz de responder a pedidos específicos, como os anéis de Krippner ou o presente de aniversário de 16 anos da menina, descartou o pré-planejamento e a ocultação. 

Os itens geralmente caíam do ar e não vinham diretamente do corpo de Amiden (os apetrechos de Kai M ügge geralmente vêm de suas mãos ou boca, mas em testes controlados estes foram repetidamente revistados e verificados em busca de sinais de objetos escondidos).

Se aceitarmos, por uma questão de argumento, que nem todos os médiuns são fraudes ou ilusionistas, e que aqueles que observam a aparência, e às vezes o desaparecimento, desses objetos não são todos alucinantes, crédulos ou cúmplices, o que podemos dizer sobre o fenômeno?

A origem dos objetos transferidos:

Não parece haver uma única origem para os objetos produzidos por Amiden ou outros meios. Em alguns casos, o relatório é um objeto de proveniência conhecida que foi movido, oculto e, em seguida, materializado em uma data posterior em um local diferente. 

Este foi o caso do livro desaparecido de Pierre Weil. Se os espíritos quiseram fazer um ponto neste caso (combinando a cor da capa do livro com a pedra de cura para Krippner de modo a enfatizar a veracidade do fenômeno) isto implica um pré-conhecimento dos eventos e do grau de planejamento que aponta para o espírito que a atividade humana.

Este caso é uma reminiscência da atividade poltergeist. Eu tenho uma irmã que no passado compartilhou uma casa com um amigo. Naquela casa, mas não em outros em que viviam, objetos de metal desapareciam regularmente por alguns dias ou semanas, apenas para reaparecer em um lugar inesperado.

Os objetos mais comuns eram coisas como tesouras que desapareciam de uma caixa de costura, só para reaparecer algum tempo depois no tapete da porta da frente, ou chaves de carro que desapareciam de uma bolsa para se materializar algum tempo depois na pia da cozinha.

Eles aprenderam a viver com essa manifestação bastante cansativa de atividade psicocinética com humor relativamente bom por um período de vários anos. Como eles sabiam que não haviam se movido, escondido e depois substituído os objetos, só podiam supor que algum tipo de atividade espiritual estivesse envolvida.

Alguns objetos, a maioria, pareciam ter sido movidos no tempo e no espaço, mas provavelmente existiam em algum lugar fisicamente antes de se materializarem através da mediunidade de Amyr Amiden. Os medalhões sagrados franceses e anéis de metal ligados provavelmente se encaixam nessa categoria. 

Há exemplos de sessões espíritas em que os espíritos alegam ter tomado objetos preexistentes que não seriam desperdiçados por seus donos, ou que foram descartados, como presentes apropriados para os assistentes.

Há exemplos de materializações nas quais os objetos parecem ser autogerados, como os diamantes da tira magenta no papel de fax e a pulseira de manteiga que se transformou em ouro. O pedaço de cobre aparentemente moldado a partir de materiais constituintes da "folha de ouro", observado por Stephen Braude e sua equipe, enquadra-se nessa categoria.

Aqui, temos algo mais parecido com um processo alquímico do que a desmaterialização de objetos em um local, a fim de materializá-los em outro. As joias produzidas pelo "jovem Amyr", que parecia tão recém-moldado, poderiam ter sido autogeradas em vez de pré-propriedade. Em uma das sessões de Minnie Harrison, um sino foi usado pelos espíritos para anunciar sua presença.

A certa altura, um segundo sino foi ouvido na sala, e no final da sessão, quando as luzes eram acesas, era visível para os presentes. Combinava com o primeiro em grande estilo (comprado em Woolworths nos anos 1940), mas era um pouco maior e muito mais novo.

Depois de mais de 50 anos, ainda mantinha sua aparência brilhante, sem evidência de embasamento.
Tom Harrison especulou que a desmaterialização afetou os materiais de maneira a manter sua cor. Ele assumiu claramente que os espíritos tinham encontrado um objeto existente neste caso, em vez de criá-lo a partir do zero, embora seja possível que tenha sido gerado a partir do mesmo material que o original, como o cobre usado pelos espíritos em Kai M

O objetivo da materialização:

A motivação para produzir vários objetos pode depender, em parte, de quem é o propulsor principal em qualquer instância particular. A presença de um sensível ou médio parece essencial, mas ele ou ela vai alegar que os espíritos que trabalham do outro lado são igualmente importantes. No caso de Amyr Amiden, ele era o principal protagonista - como quando ele produziu a pulseira de esmeralda e ouro para agradar as mulheres que ele sentou ao lado no jantar.

A criação da pulseira de ouro que envolve manteiga parece mais um truque de festa do que qualquer outra coisa, no sentido de que foi feita para agradar os presentes, em vez de provar um ponto sobre a sobrevivência. Quando os espíritos são questionados sobre sua motivação, fornecer evidências da existência do mundo espiritual é geralmente sua resposta.

Quando força e velocidade específicas são usadas na produção de objetos, é fazer uma declaração forte a respeito de sua origem espiritual anômala. Forças eletromagnéticas também parecem facilitar a produção de apports, particularmente tempestades elétricas. Nas sessões de Alec Harris e David Thompson, os espíritos revertiam o pulôver ou o cardigã usado pelo médium, que permanecia preso numa cadeira durante esse processo, uma impossibilidade física sem uma rápida desmaterialização e re-materialização.

É claramente de alguma importância para os espíritos provar sua existência. Eles querem que as pessoas saibam que existe um mundo além da morte e que ele interpenetra o mundo material em que vivemos. A materialização dos objetos em si não prova a continuação da vida individual além da morte física, mas aponta para a comunicação com outras entidades que, com um meio como condutor, têm a capacidade de manipular o mundo físico. 

Amiden falou de visitar freqüentemente o mundo espiritual, e para ele esta comunicação transpessoal era um fato da vida diária. No contexto religioso do Brasil, onde o espiritismo e os ensinamentos espiritualistas encontram ampla aceitação, isso não é considerado particularmente digno de nota.

O mecanismo de repartição:

Quanto aos mecanismos físicos usados, devemos ser puramente especulativos, mas a literatura espiritualista e teosófica fala de toda a matéria existente em diferentes freqüências vibracionais. Isso é cientificamente incontroverso e estamos acostumados à ideia de que as ondas de rádio, ou raios-X, por exemplo, podem passar por objetos que consideramos sólidos. Também estamos cientes de que, da perspectiva de um elétron, mesmo os objetos físicos mais densos aparecem em grande parte como espaço.

Embora não tenhamos conhecimento científico atual dos mecanismos que são usados para desmaterializar e re-materializar objetos, ou para transformar uma substância em outra, é provável que ela esteja conectada a uma mudança na freqüência na qual as partículas constituintes de uma substância. objeto sólido vibra, tornando-os capazes de movimentos rápidos no tempo e no espaço.
Se relatos ocasionais de médiuns em transe sendo movidos através de paredes ou portas sólidas são verdadeiras, esse processo acontece sem prejudicar o corpo humano. 

Nenhuma distorção do objeto reconstituído parece ocorrer, e enquanto alguns apportam subsequentemente se materializam novamente após um período de tempo (como um pote de ouro do leprachaun ), outros mantêm uma aparência brilhante, ou possuem um perfume, por muito mais tempo do que seria normalmente esperado (uma marca de santidade na tradição católica cristã é a incorruptibilidade e aroma agradavelmente perfumado dos mortos do santo corpo).

Os objetos relativamente inconsequentes materializados por Amyr Amiden, como observado por Stanley Krippner e relatados por outros meios contemporâneos, podem, no entanto, levantar questões sobre a veracidade de vários fenômenos religiosos. Como observado anteriormente, Sai Baba é um dos exemplos mais conhecidos de materialização em um ambiente religioso moderno. Ele não permitiu testes científicos de suas habilidades, mas foi freqüentemente observado e muitos daqueles que viram suas manifestações acreditavam que eles eram genuínos.

A história bíblica de Jesus alimentando as multidões multiplicando pães e peixes (João 6 1-15, Lucas 9 10-17) poderia ser visto como um caso de duplicação, como o sino de Minnie Harrison e a folha de ouro de Kai M ügge. O Novo Testamento relata as aparições da ressurreição de Jesus nos quarenta dias entre sua morte e ascensão, descrevem Jesus em um corpo que parece completamente sólido, pode comer e beber, andar e falar, mas também atravessar paredes e andar sobre a água.

Ele era às vezes visível para muitas pessoas simultaneamente, mas também podia desaparecer à vontade. O corpo da ressurreição de Jesus parece compartilhar algumas características com objetos distribuídos aparentemente passando por objetos sólidos sem perda de forma ou função.

Conclusão:

Stanley Krippner começou sua palestra afirmando que não gostava de usar o termo "prova" em relação à parapsicologia. É um termo técnico em matemática e filosofia (e pode ser usado de uísque), mas não em ciência. Isso não é tanto uma recusa em chegar a conclusões baseadas em dados de pesquisas e fatos observados, mas no reconhecimento de que sempre há mais para aprender e que nosso conhecimento é sempre parcial.

Da mesma forma, pode-se acrescentar que afirmar ter refutado um fenômeno é igualmente suspeito. O corvo branco pode sempre aparecer, e um meio fraudulento não desmente a existência do mundo espiritual. O que ficou muito claro ao ouvir a apresentação de Amyr Amiden feita por Stanley Krippner foi que o mundo em que vivemos é um mundo cheio de mistérios, sobre o qual ainda sabemos muito pouco.

A folha de ouro original da "Senhora da Folha de Ouro" de Stephen Braude e o cobre trazido dela.

Notas:

1- Stanley Krippner, Michael Winkler et al. 'Correlatos Fisiológicos e Geomagnéticos de Fenômenos Anômalos Aparentes Observados na Presença de um Sensível Brasileiro'. Revista de Exploração Científica , Vol.10, No.2, pp.281-298, 1966. Versão online disponível em pdf www.scientificexploration.org/journal/jse_10_2_krippner.pdf
2- Krippner visitou Sai Baba e ouviu-o dar uma palestra inspiradora, mas não observou pessoalmente nenhuma de suas materializações. Embora pareça haver relatos observacionais suficientes para dar crédito a pelo menos algumas das afirmações de Sai Baba, o mesmo não pode ser dito de todos os homens santos indianos (e mulheres). Erlendur Haraldsson e Joop M. Houtkooper ficaram menos impressionados com Gyatri Swami quando ele concordou em ser observado. Veja 'Haraldsson e Houtkooper,' Relatório sobre um Swami Indiano que Afirma Materializar Objetos: O Valor e Limitações das Observações de Campo '. Journal of Scientific Exploration, vol. 8, n. 13, pp.381-397, 1994. Richard Wiseman, um psicólogo e mágico acompanhou Haraldsson e concluiu que Gyatri Swami provavelmente estava usando truques de mão.
3- Stephen E. Braude (2007) A Senhora da Folha de Ouro e Outras Investigações Parapsicológicas, Chicago & Londres: University of Chicago Press.
4- Tom Harrison, Vida Após a Morte: Prova Viva: As Experiências de Fenômenos Físicos e Materializações da Vida Humana através da Mediunidade de Minnie Harrison. Edição revisada, 2008. Saturday Night Press, York.
5- Louie Harris alegou que sentiu uma queda repentina na temperatura do corpo de Alec quando o pulôver foi retirado de seu corpo, indicando que uma grande quantidade de energia era necessária para a demonstração ( Alec Harris: A história completa de sua notável mediunidade física por Louie Harris, 2009, Saturday Night Press, York, p.85). Eu testemunhei essa inversão de roupa em uma sessão com David Thompson. (Uma conta escrita aparece no meu site Academia.edu ).

Transcomunicação - O Fenômeno Magenta

Perguntado pelos pesquisadores sobre COMO ELE PODIA FAZER TAIS PROEZAS, aparentemente impossíveis e mágicas AMYR disse que desde criança ele podia "entrar" nos locais além do nosso Espaço-tempo, ali ele detecta telepáticamente onde está o objeto ou então os seus amigos ULTRA-DIMENSIONAIS mostram o objeto para ele, eles teleportam o objeto até o local; ou então o próprio Amyr teleporta-se até lá e traz o objeto desmaterializado na forma de um modelo de energia, depois ele faz o objeto se rematerializar de novo na nossa Dimensão Física.

Amyr também disse que se o objeto não puder ser teleportado por algum motivo, os seus amigos ULTRADIMENSIONAIS simplesmente criam uma “Cópia” etérica do Objeto, que torna-se fisicamente estável por algumas horas, e depois desmaterializa-se novamente.

“Amyr afirma fazer ‘viagens astrais’, podendo viajar quando quiser e voltar com informações que podem ser checadas posteriormente. Ele disse que houve relatos sobre sua bilocação, mas ele não tem controle ou consciência quando isso acontece. Ele tem poderes de cura e já curou alguns leprosos no estado inicial da doença, mas não em estado avançado. Luzes são geralmente vistas em sua presença quando as ‘materializações’ acontecem.”

(Howard Reed) “Amyr Amiden sentiu-se nostálgico, lembrando do ‘homem verde’, teoricamente de outro planeta, que viu pela primeira vez quando tinha 8 anos de idade. Foi dito a ele, mais tarde, que esse homem e as outras ‘pessoas verdes’ que ele havia conhecido, tinham vindo do planeta ESNAK, localizado em outra galáxia [...] 

Amyr Amiden nos disse que sonha frequentemente com os habitantes do planeta ESNAK. Ele nos disse que não há noite por lá nem estrelas visíveis, está sempre claro e a atmosfera é invariavelmente rosada... ninguém em ESNAK precisa comer, porque a energia é obtida através de mecanismos de transferência. Em ESNAK, as casas são transparentes. Pessoas têm sentimentos, mas são calmas e prazerosas. 

Os habitantes de ESNAK vêem a Terra como um planeta em evolução, no início de sua evolução. Eles acreditam que a Terra é um planeta feminino e gostam dela devido a essa característica e à sua abundância de água. Não há morte em ESNAK, somente transformação. 

Quando as pessoas atingem o fim de suas vidas, elas voltam ao solo e se transformam em substâncias parecidas com cristal, que são a base de outras formas de vida. Amyr Amiden disse que gosta tanto do tempo que passa em ESNAK, que frequentemente se arrepende de voltar à Terra. 

Mas ele não é o único capaz de ir a ESNAK, pessoas de um planeta podem ir a outro para propósitos de evolução espiritual. Amyr Amiden chegou à conclusão que Deus pode ser conceitualizado como ‘energia que pensa’ e como luz do Universo.”  (Do livro “Transcomunicação, O Fenômeno Magenta”, autor: Pierre Weil, Amyr Amiden e outros, Ed. Pensamento, 2002, págs. 89 e 91).

Eis os seguintes pesquisadores que estudaram AMYR:

1- PIERRE WEIL - Psicólogo Transpessoal, fundador da UNIPAZ BRASIL:
2- STANLEY KRIPPNER- PHD em Psicologia e Parapsicólogo dos EUA:
3- Roberto Crema - Psicólogo e Antrópologo;
4- Harbans Lal Arora - PHD em Física Quântica;
5- Jean Yves Leloup - Terapeuta - http://www.jeanyvesleloup.com/
6- Michael Winkler- Pesquisador holístico;
7- Ken O'donnel - Prof. de Meditação - http://kenodonnell.net/portugues.htm

A PESQUISA feita com AMYR AMIDEN resultou em vários relatórios e documentos, filmagens, gravações e fotos, que estão atualmente de posse da UNIPAZ -UNIVERSIDADE HOLÍSTICA INTERNACIONAL - CAMPUS DO DISTRITO FEDERAL: http://www.unipaz.org.br/

EIS OS LIVROS e Textos ONDE OS PODERES DE AMYR SÃO RELATADOS:

1-"Notre Quatrième Monde" - ED. Robert Laffont (1987)
Livro de JANINE FONTAINE falando sobre Amyr Amiden:
2- Texto francês comentando as pesquisas feitas por JANINE FONTAINE:
3- "LÁGRIMAS DE COMPAIXÃO" - Pierre Weil - ED.Pensamento - 1999
Relatos sobre os fantásticos podêres de Amyr demonstrados na UNIPAZ
campus de Brasília.
4- "TRANCOMUNICAÇÃO. O Fenômeno Magenta" - Observações e interpretações de fenômenos paranormais ocorridos na presença do sensitivo Amyr Amiden.
Pierre Weil e outros autores. Ed. Pensamento, São Paulo. 2002.
5- "OS ANJOS FALAM" - Letraviva Editorial - 2005
6- ARTIGO DE STANLEY KRIPPNER FALANDO SOBRE AMYR

AMYR é considerado atualmente o maior TELEPORTADOR da atualidade cujos poderes puderam ser observados, pesquisados e documentados. Seus Poderes provam que a TELEPORTAÇÃO é um fenômeno real e que pode explicar racionalmente a existência dos UNIVERSOS PARALELOS teorizados pelos Físicos Quânticos Brian Greene, Michio Kaku e outros teorizadores das TEORIAS DAS SUPERCORDAS.

Testemunhos:

- Frederico Drummond - (08 de Setembro de 2014 09:19): Conhecí Amyr Amiden, um excepcional sensitivo. Conheci praticamente todos os personagens envolvidos nos relatos do livro "O Fenômeno Magenta", que é apresentado da seguinte forma:

“A presente obra constitui um marco na história da investigação sobre transcomunicação. Abrange uma vasta e admirável fenomenologia, contendo dezenas de materializações, teletransportações e transcomunicações através de rádio. São várias razões para esta valiosa e oportuna realização. Em primeiro lugar, a qualidade excepcional do sensitivo Amyr Amiden. 

Desde os oito anos de idade, Amyr convive, no cotidiano, com uma habilidade rara e maravilhosa: a de ser canal de uma inteligência superior, que se expressa através de surpreendentes feitos, sempre dotados de significados particulares e de uma sabedoria incomum, transpessoal. A casuística exposta neste livro é um testemunho tocante dessa façanha, que ilustra o imenso e tão desconhecido alcance do potencial humano, a ser reconhecido e desbravado no decorrer do século XXI."

Conheci Amyr de forma inusitada. Em 1992 eu me encontrava na biblioteca da UNIPAZ. Universidade Internacional da Paz), em Brasília, quando em certo momento senti um forte aroma de rosas. Perguntei à atendente se eles tinham para vender o que me pareceu ser um incenso. Ela me respondeu, com simplicidade: este cheiro não é de incenso; é o cheiro do "amir". 

Claro que imaginei tratar-se de algum óleo aromático ou coisa semelhante. Então a assistente completou: - o amir deve estar chegando. Indaguei: como assim? Ela então começou a me explicar: Você não conhece o Amyr? Quando ele está vindo para cá fica este cheiro forte de rosas. Incrédulo pedi que ela me falasse mais: - "quando o Amyr chegar você vai ver". Pouco depois encontrei o Pierre Weil, um mestre da aborgadem hoslística e, nesta época, reitor da UNIPAZ, no saguão da Universidade e perguntei a ele sobre o Amyr. Neste momento ele comentou: você vai conhecê-lo pessoalmente. Ele acabou de chegar.

Foi uma surpresa: a figura de Amyr, sua expressão, suas feições me causaram uma sensação de estranhamento. Amyr não tentava ser simpático e parecia cultivar (mais do que naturalmente já era) uma aura de incomum. O que se seguiu constituiu para mim o fim de um tipo de busca e o início de sistematização desta mesma busca: presenciei e testemunho, com minha razão de um professor de filosofia, fatos inusitados como materializações espontâneas. Aparamente Amyr não tinha controle sobre elas: sua presença que as induzia. 

Nenhum truque, tudo num espaço aberto, sem meia luz. Pierre comentou: Amyr é para mim um portal entre dimensões. Não podemos fingir que os fenômenos não existem, nem tentar respostas apressadas (como muitas vezes faz a parapsicologia). O real não era tão simples quanto alguns tentavam ensinar. Havia mais a ser estudado. A partir daí iniciei minha fase de sistematização. E na realidade foi nesta busca que decidi estudar filosofia. A editora do livro comenta:

"A segunda razão está ligada à implacável equipe internacional de pesquisadores que se dedicaram a essa investigação. Todos são profissionais respeitados e de grande destaque nas áreas em que atuam. A terceira razão é a natureza inter e transdisciplinar deste trabalho, que agrupa representantes da psicologia, parapsicologia, antropologia, medicina, teologia, filosofia, física quântica, junto com pesquisadores e geólogos de universidades, que analisam os variados e instigantes produtos gerados nesta oficina prodigiosa dos talentos de um ser humano especial."

Esta é uma leitura indispensável para as pessoas que queiram se atualizar com relação às pesquisas psíquicas e transpessoais de ponta, sérias e consistentes, que comprovam a existência de outros níveis de realidade, que estão sendo desvelados à luz da transdisciplinaridade e da física contemporânea. E uma instigante reportagem no domínio da paranormalidade e da transcendência, neste laboratório vivo e aberto, onde a ciência se encontra com a consciência.

- Lucas Giraldes, (25 de dezembro de 2015 19:29): Tive o privilégio de conhecer esse cara tão especial que exala rosas por onde passa, e materializar coisas sem explicação como pedrinhas e cristais caindo do teto e uma medalha de são bento materializada para mim de "muito longe" como ele falou que me serviu de incentivo a vida e fiz uma tatuagem para nunca me esquecer desse fato curioso acontecido e o privilégio de ter presenciado algo tão especial em minha vida.

- Juliana Cunha (23 de fevereiro de 2016 17:32): Conheci Amyr na pequena cidade do interior de Minas, Araguari, quando ele acompanhava o grupo do Silva Mind control...eu Juliana e minha irmã Marislene acompanhamos ele por longo tempo...éramos próximos... mas ele sumiu e perdemos contato! Que saudade daquela companhia... por onde será que está?

- Jean-Yves Leloup sobre Amyr Amiden: “Há um homem que pode criar a matéria e há um homem que somente quer irradiar amor. A meu ver, Amyr coloca-se ao lado do amor. Significa que, através do amor, os seus poderes parapsicológicos, os seus carismas, se transformam em serviço. Parece-me que Amyr renunciou aos poderes do mago, abrindo-se aos poderes do servidor. 

Colocando-me a questão de qual seria a missão do Amyr para nós e para o mundo, parece-me, ainda, pouco precisa. A primeira resposta que ela me ocorre é que consiste na tarefa de maravilhar as pessoas, de provocar interrogações, estimular as pesquisas dos cientistas e despertar a consciência de qualquer pessoa para essas maravilhas. Não existia nada e uma pedra cai, uma joia se manifesta, um óleo começa a emergir numa parede ou sobre uma rocha, um perfume se irradia e sinais se fazem ouvir...”

- Ken O’Donnell – Brahma Kumaris: “Perguntei-lhe sobre Deus. Amyr respondeu que tinha um relacionamento de amizade com ele e que não entendia por que há tenta confusão entre as religiões. Nesse momento, ele pediu-me para dar-lhe a minha mão. Pôs a palma da sua mão direita em cima da minha e comentou: - Algo está chegando! Dois ou três minutos depois, ele levantou a sua mão e na minha estava um colar de marfim, que parecia um rosário, com 57 contas. Eu sou membro da Universidade Mundial Brahma Kumaris, que este ano celebra, exatamente, 57 anos de existência!”

O estranho caso de PARANORMALIDADE de AMYR AMIDEN
(texto do Portal Planeta, divulgado na página da Uniliber Centro de Estudos Espiritualistas no facebook, com pequenas correções feita por Bruno GM)

Amyr Amiden é um dos raros psíquicos que concordaram em se submeter a diferentes provas a fim de que uma equipe de cientistas pudesse comprovar a autenticidade de suas faculdades. Este sensitivo brasileiro parece ser capaz de materializar numerosos objetos: pedras, joias, moedas, medalhas, líquidos perfumados... Diz estar em contacto com certas entidades energéticas, alguns seres de outro planeta que atuam desde uma dimensão diferente e que cumprem uma missão determinada na Terra.

Trata-se de um hábil prestidigitador ou de um caso extraordinário de mediunidade que desafia todas as leis físicas conhecidas? É uma demonstração do poder para materializar, transformar, duplicar ou teletransportar objetos? Em março de 1994, uma equipe interdisciplinária de investigadores estudou Amyr Amiden, um sensitivo de Brasília que concordou em participar de vinte sessões escalonadas durante oito dias, a fim de que os investigadores pudessem observar e registrar uma larga série de fenômenos inusitados.

Este médium não se comporta da mesma maneira que os psíquicos mais conhecidos. Rechaça a publicidade e não concede entrevistas aos meios de comunicação. De fato, esta reportagem pode ser feita graças a uma mediação do conhecido psicólogo e parapsicólogo norte-americano Dr. Stanley Krippner, colaborador de AÑO / CERO, que brevemente publicará um livro intitulado The Magenta Phenomena (O Fenômeno Magenta) sobre os casos de materialização protagonizados por este sensitivo brasileiro.

Segundo Krippner, ele e um grupo de físicos e psicólogos norte-americanos, membros do Institute of Noetic Sciences, foram testemunhas da aparição, nas palmas das mãos de Amiden, de pedras, joias e uma substância avermelhada, similar a sangue, em forma de estigmas.

Os ‘homens verdes”
(Krippner nos introduz aos pormenores do caso - 1991):

“Amyr Amiden nasceu em 1941, é empregado administrativo e descende de muçulmanos sírio- iraniano, ainda que afirme que todas as religiões conduzem a Deus. Está divorciado e é pai de um filho adolescente (entrevista de 1991). É membro da Fundação Cidade Para a Paz, de Brasília, e suas experiências começaram quando tinha 8 anos e viu pela primeira vez umas “pessoas verdes”, como ele as denomina, (na verdade pessoas envolvidas numa Aura verde, luz verde fluorecente). Devemos recordar que nas tradições europeias pré-cristãs o Homem Verde é o deus da vegetação e atualmente é venerado por grupos pagãos e neopagãos ocidentais”.

Segundo Amiden, que conta que seu avô materno já experimentava fenômenos inusitados, ele foi visitado várias vezes por estas “pessoas verdes” que chegaram a teletransportá-lo ao seu planeta. A diferença de outros dotados excepcionais que dizem possuir faculdades paranormais modernamente, (como o caso de Sai Baba, na Índia, que recusou qualquer investigação formal de seus supostos poderes).

Amiden é o único até esta data que se submeteu a um estudo controlado, (Obs. Muitos paranormais poderosos foram estudados por cientistas em laboratórios controlados a cerca de um século, o que rendeu muitas comprovações inequívocas, mas todas essas comprovações foram simplesmente ignoradas por questão puramente ideológica.

Tanto a religião cristã como a religião materialista/ateu preferiram fechar os olhos os ouvidos e a boca para as claras evidencias da paranormalidade humana, pois tanto para uma ideologia como para a outra a comprovação de que o ser humano é mais do que apenas um mero macaco pelado, ou um homem de barro pecador, é ofensivo e coloca em cheque as suas crenças dogmáticas).

Isto permitiu examinar a veracidade de suas afirmações e as de suas testemunhas e lançar luz sobre estes estranhos casos tão difíceis de inserir dentro de nosso atual sistema de crenças.
Krippner e uma equipe de investigadores estiveram trabalhando a fim de elucidar o “fenômeno Amiden”. A equipe era integrada pelo psicólogo transpessoal Pierre Weil, professor aposentado da Universidade de Minas Gerais, o psicólogo norte-americano Michael Winkler, o antropólogo Roberto Crema e os físicos Ruth Kelson e Harbans Lal Arora.

Amiden se negou a cobrar por sua cooperação e durante as sessões não estiveram presentes amigos seus nem membros de sua família. Os investigadores e o sensitivo participaram numa equipe de trabalho conjunto em que, diferentemente do que ocorre em outros casos, o médium foi controlado rigorosamente pelos investigadores a fim de que não se produzissem manipulações ou enganos.

Amyr cooperou neste trabalho porque queria saber mais acerca dos fenômenos inusitados que vem protagonizando há muitos anos. Quase nunca tem controle voluntário sobre eles, mas há sinais que denunciam sua aparição, como o sabor ácido em sua saliva, a perda da visão em cor e o suor de suas mãos.

Alguns feitos extraordinários

Durante as sessões toma grandes quantidades de água, pois crê que assim seus “aportes” serão mais consistentes e evidentes. Amiden assegura escutar uma voz feminina, junto de sua orelha esquerda, que lhe dá informação sobre os seres com os quais está em contato. Outra fonte de conhecimento são seus sonhos, nos quais vê estas “pessoas verdes” e seu planeta; diz que através destas mensagens oníricas recebe a solução para suas dúvidas. Por exemplo, quando consultou as “entidades” se devia participar neste projeto, sonhou que estava sentado numa mesa com um grupo de investigadores. “Uma manhã - conta Krippner - nos antecipou um acerto por meio da precognição.

Durante uma das sessões, mencionou que havia estado lendo um livro que falava do ator norte-americano John Candy. Nessa mesma tarde, um jornal televisivo anunciou que este ator acabava de morrer”. Visto que o sensitivo diz não ter controle voluntário sobre seus poderes para materializar, e de fato pode “criar” quase qualquer coisa, Krippner se assegurou de que Amiden não houvera entrado previamente no quarto onde se levaram a cabo as sessões e a inspecionou cuidadosamente para evitar a presença de objetos que pudessem ser posteriormente considerados “materializações”.

Sua equipe de trabalho se muniu de diversos aparelhos para realizar a medição das funções fisiológicas de Amiden - atividade respiratória, cardíaca, PH da saliva... - e para anotar as flutuações geomagnéticas na área de Brasília, onde aconteceram as sessões.

Além disso, o grupo, por meio de um computador, efetuou um registro horário do que aconteceu durante os oito dias que durou o experimento. Confeccionaram uma escala para avaliar os fatos paranormais observados, considerando que algumas aparentes anomalias poderiam dever-se a causas naturais tais como erros de percepção ou dos equipamentos de medição, coincidências ou prestidigitação do próprio Amiden. Krippner nos confessou: “Nas primeiras sessões nos foi difícil determinar se certos objetos que apareceram no quarto eram verdadeiros “aportes” ou só se tratava de coisas que não havíamos reparado antes”.

Objetos Preciosos Materializados:

Em parapsicologia se fala de “Objeto paranormal permanente” para se referir àquilo que não desaparece depois de uma materialização. Krippner nos conta que, num determinado momento das sessões, os investigadores disseram a Amiden que não haviam encontrado nenhum objeto deste tipo. “Então - recorda Krippner - um par de pequenos anéis enlaçados caíram na palma da mão esquerda do sensitivo. O físico Harbans Lal Arora levou-os a três especialistas em metalurgia para que fossem analisados. Eram feitos de prata comercial (95% de prata e 5% de cobre). Estes anéis têm 50 pedras semipreciosas, 24 um e 26 o outro, seu peso total é de 4 gramas e foram avaliados em 50 dólares.

Em algumas ocasiões as materializações se produziam de forma absolutamente espontânea, ainda que Amiden não estivesse presente e não houvesse ninguém no quarto. Krippner e seu grupo encontraram numa das salas uma pequena pedra azul e branca, uma moeda de cinco pesetas com a efígie de Juan Carlos I e uma moeda de 200 liras italianas.

Entidades energéticas:

A partir da perspectiva de Amiden, o “Grupo Magenta”, como denomina os seres que se encontram em contato com ele, é formado por entidades de outro planeta que operam numa dimensão alternativa e que teriam funções específicas no Cosmos e no Planeta Terra. Segundo Krippner, o termo “outra dimensão” sugere a possibilidade de que estas entidades sejam incorpóreas; poderia se tratar de sistemas energéticos que atuam fora das dimensões do tempo e do espaço conhecido.

No caso de Amiden, estão relacionadas sua comunicação com estas entidades e a materialização de objetos? Há que ter em conta, além disso, que tais objetos só tem um significado específico para as pessoas que os recebem. Nas ocasiões, Amiden não conhece este significado; todavia, sua presença física como sensitivo seria necessária para que o feito se produzisse.

A partir da perspectiva de Amiden e sua análise do fenômeno, há entidades que estão em contato com “inteligências cósmicas”. Estas entidades têm utilizado sensitivos como ele para demonstrar sua existência aos investigadores e à humanidade em geral.

Um dos integrantes da equipe de investigação, Pierre Weil, vai publicar um livro em português sobre o trabalho realizado com Amiden. “São experiências humanas excepcionais que merecem ser compartilhadas - diz Stanley Krippner, encerrando nossa entrevista. Felizmente, esta decisão estava de acordo com as diretivas dadas pelas entidades. Todavia, Amiden não quis permitir uma nova investigação, algo que, ao menos para alguns como nós, frustrou os objetivos do grupo Magenta”.

Reportagem na Enciclopédia PSI:

Reportagem na Enciclopédia PSI Versão Original em Inglês:








Fontes:

Encyclopedia PSI Amyr Amiden: https://psi-encyclopedia.spr.ac.uk/articles/amyr-amiden
Uniliber Centro de Estudos Espiritualistas em 11 de janeiro de 2016
Paranormais com diploma - Estudo de oito anos da Universidade de Brasília sobre 13 pessoas com habilidades especiais mostra que há mistérios que a ciência não explica:
https://www.terra.com.br/istoegente/08/reportagens/rep_para.htm

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: Amyr Amiden, Materialização, materializações, materialização algodão, zangbeto, chico xavier, Pedras Preciosas, Metais Preciosos, médium, paranormais, poderes da mente, poder mental, força da mente, espiritismo, materialização de espíritos, 

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. (Bruno Guerreiro de Moraes)