segunda-feira, 22 de maio de 2017

Sobre Jesus, Sri Guru Babaji (Yogi imortal), Maria Madalena, Tibet e Gruta Venerada no Sul da França - Mistificadores

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

Paginas Índice:  [Todos os Artigos Contra a Religião] - [Índice  Jesus Uma Fraude!] - [Índice: Os Segredos da Bíblia]

Série Jesus Nunca Existiu - Capítulos: [Jesus Histórico?] - [Crestus o Messias dos Essênios] - [Flávio Josefo, Tácito e Plínio] - [Inteiramente Inventado] - [Incoerências da Bíblia] - [Plágio das Mitologias] - [Um Plágio Oriental] - [Cópia e Cola] - [Nunca esteve aqui] - [Jesus é o DIABO] - [Top 23 Razões] - [Jesus na Índia] - [Jesus e os Essênios] - [Jesus é Mentiroso!]

Maria 'Mãe' de Jesus? [Clique Aqui]

“Todos os ‘profetas’ armados venceram, e os desarmados foram destruídos”
(Niccolo Maquiavel, sobre Jesus, Maomé, Krishna, etc...).

Uma pessoa conhecida minha viu as páginas onde exibo argumentos, provas e evidencias de que Jesus nunca existiu, ela então foi pedir opinião de outros sobre o tema, e um desses resolveu escrever um texto com “argumentos destruidores e definitivos” a favor de Jesus! Ela copiou e colou o texto para mim, para ver o que eu achava, e como poderia responder a isso... O interessante desse texto é que o autor usa outros elementos para validar a estória de Jesus, no caso elementos orientais, essa já é uma linha New Age, onde se idolatra não apenas contos de fadas ocidentais, como também os orientais, eles unem um e outro e tudo vira uma imensa massa confusa de fantasias esquizofrênicas só comprável a Alice no País das Maravilhas. Achei muito interessante rebater esses argumentos citando lendas de culturas orientais e verificar assim se eu “passava na prova” ou eventualmente seria convencido por eles, e me tornaria assim um cristão devoto! Infelizmente não foi dessa vez caros cristãos...

Jesus e Krishna, é bem como essa imagem está mostrando mesmo, não passam de imaginação, sonho...

Respondendo:

Pessoa devota: Duas biografias maravilhosas de iogues indianos, uma de Yogananda, outra de Sri M (esta última ainda viva) se referem a Jeshua como um grande yogi, o que ele era.

Resposta - Bruno GM: ? Não entendi... duas pessoas que se auto intitulam “iluminados”, supostamente falaram do personagem de ficção Jesus, talvez apenas exaltando os aspectos positivos de tal figura mitológica, como a caridade, a bondade, tolerância, e por isso o tal personagem de ficção existiu? Eu posso ficar aqui por dias comentando sobre a bondade e generosidade do Superman que já salvou a Terra inúmeras vezes de agentes internos (Lex Lutor) e externos (diversos extraterrestres malvados) e nem por isso o personagem Superman vai ser reconhecido como real certo? Posso falar bem da Rei Ayanami outra personagem que se sacrificou pela humanidade, morrendo para nos salvar, mesmo assim ela continua sendo ficção, certo? Posso ainda falar muito bem do Goku, que morreu e ressuscitou 3 vezes para salvar a humanidade, nos salvando do Vegeta, do Freeza, do Cell, do Majin Boo, e mesmo assim ele não é reconhecido como sendo real, é tudo ficção não é mesmo? Jesus é EXATAMENTE o mesmo caso!

Pessoa devota: Ele foi ensinado por Sri Guru Babaji (também conhecido como Sri Mahavatar Babaji) e ambos eram praticantes de Kriya yoga, a prática ensinada por Babaji (que ainda tem um físico com cerca de 30 anos, porém tem mais de 2.500 anos de idade).

Resposta - Bruno GM: Fala do suposto “Yogi imortal”, aquele que vive nas montanhas do Tibet mas só aparece para um pequeno (minúsculo) número de privilegiados? Geralmente sem ter nenhuma testemunha junto, sem poder filma-lo nem fotografa-lo? Esse “poderoso” Yogi que não apareceu para salvar mais de 2 milhões de tibetanos de serem massacrados pelos chineses comunistas? E até hoje segue assim sem fazer nada? É deste Yogi ao qual se refere? Se trata de um mito certo? Um conto de fadas do oriente... então tá usando um conto de fadas para validar outro conto de fadas? É isso mesmo? Não há qualquer prova que Jesus tenha existido, e muito menos que o Nagarajan tenha existido, ambos se tratam de conto de fadas. E o Yogananda não passa de um mistificador, um defensor de superstições. Sobre o mito fantasioso do Mahavatar Babaji, [Clique Aqui].

Jesus Cristo é tão fantasioso como o Deus Vishnu, pura fantasia! 

Pessoa devota: Há uma caverna no sul da França, onde sua esposa, Maria Madalena, lamentou sua morte por muitos anos, bem conhecida pelos que estão sabendo e realmente venerada pela Igreja Católica, embora escondida publicamente.

Resposta: Como?? Uma caverna onde a suposta “Maria Madalena” lamentou a morte de Jesus? Como você pode saber disso? Que é “bem conhecida” e até venerada pela Igreja Católica, mas escondida do público? (Hã???) Quer dizer, ninguém sabe onde fica, apenas os “privilegiados”? Nem você sabe onde é? Sério que essa é a ‘prova’ da existência de Jesus que está me apresentando? Isso é uma piada né?

Pessoa devota: Os ciganos da Europa comemoram cada ano a saída de Maria Madalena e sua filha Sarah do barco que os trouxe do Oriente Médio, de acordo com a história contada no livro que mencionei abaixo.

Resposta: Mesmo? Tem certeza disso? E se for verdade, e daí?? Se comemora também o dia da Marmota, e não é por isso que realmente se acredita que as marmotas tem poderes mágicos de adivinhação, é apenas uma piada. Que provas concretas há sobre Madalena, uma suposta filha chamada Sarah, etc? Nunca ouvi falar nisso de que os ciganos “comemoram” tal data. E mesmo se comemorarem e daí? É só mais um mito como o Natal.

Pessoa devota: Jeshua sobreviveu à crucificação, mas morreu uma morte precoce por causa de seus ferimentos, no sul da França, onde havia uma comunidade de Essênios. Jeshua era um essênio.

Resposta: Mesmo?! Uau! Que informações interessantes! Mas de onde saiu isso? Da cabeça de qual esquizofrênico? Onde estão as provas que esse conto é verdadeiro? Temos o tumulo dele? Temos os ossos para fazer teste de datação, e DNA? Os Essênios eram um grupo de fanáticos fundamentalistas judeus que seguiam preceitos exageradamente supersticiosos, entre outras coisas falava que era pecado se maquiar, as mulheres não poderiam fazer nada para melhorar o seu visual, tinham que ficar peludas, fedidas, e feias, pois esse é o estado “natural sagrado”, outras insanidades deles se referia a limpeza excessiva, roupas de cores especificas, tecidos que eram tidos como “pecaminosos”, certos alimentos era “perdição” e assim vai... era um grupelho de esquizofrênicos que ficaram loucos por conta da invasão de Roma, e de verificarem que o “Deus de Israel” os tinha abandonado. Perante esse ‘fato’ eles criaram umas mil desculpas esfarrapadas para tentar explicar por que o 'Deus de Israel' os abandou, menos reconhecer o obvio, o tal ‘Deus’ nunca existiu, é imaginário...   Os Essênios eram uma Seita Apocalíptica do fim do mundo como a Heaven's Gate, Puritanos psicóticos, para saber mais sobre o assunto [Clique Aqui].

Veja Documentário sobre Os Essênios
(Fundamentalistas Psicóticos obcecados pela Guerra):

Assim como Budha e Shiva, Jesus é apenas fruto da imaginação, não tem qualquer relação com a realidade

Pessoa devota: Eu sei muito sobre isso, G.T.. Era uma parte fundamental de minha jornada espiritual e ele estava muito entrelaçado com o negócio espiritual que eu dirigia. Eu também canalizei Jesus.

Resposta: Afff... olha, por favor, vá se tratar... procure um psiquiatra o mais rápido possível, você pode ser perigoso para si mesmo, e para a sociedade.

Pessoa devota: Talvez o melhor guia para sua vida e história é o livro canalizado “Anna, Avó de Jesus”.

Resposta: Livro Canalizado?! Qual a credibilidade de um livro canalizado? Essas são as provas incontestáveis de que Jesus existiu? Sua fonte de “evidencias” são livros canalizados? Palhaçada né...?

Pessoa devota: G.T., o que você quiser acreditar, você pode encontrar provas para. A questão é: essa prova é precisa? Normalmente, não queremos saber. A evidência que sustenta nossa crença é suficiente.

Resposta: Sim! Dane-se a Ciência! Quem precisa dela quando nós temos a religião? Método cientifico para que? Vamos acreditar sem ver! Fé é isso, acredite sem ver, sem ter prova nenhuma, vamos todos acreditar no Papai Noel, no Coelhinho da Pascoa, na Fada do Dente, em Pôneis cor de rosa! E por que? Por que não precisamos da ciência, a ciência é para os chatos... o nosso mundo é colorido e divertido! Prá que precisamos da verdade, se a mentira é tão bonita? Não estrague a diversão falando de “fatos”, os fatos não nos interessam! O que interessa é a fantasia falsamente consoladora!

Pessoa devota: Novamente, não entrelace o homem com a religião cristã. A religião é falsa. O homem não é. Eu posso dar-lhe provas abundantes de muitas fontes. Bênçãos, Alegria, Amor e Paz.

Resposta: Lamento dizer, mas a religião cristã já nasceu mentirosa, e o núcleo da mentira é justamente o coração da crença, Jesus nunca existiu, ele é apenas uma criação do imperador Constantino de Roma que o criou se baseando em figuras mitológicas da época, ele é pura ficção, e aliás uma ficção bastante sofrível, pois se basearam em outras figuras mitológicas da época para ‘montar’ esse Frankenstein. Como por exemplo, Apolônio de Tiana, Mitra, Talmuth, Hórus, Baco, Krishna, etc... E você pare de ser bebezão e vá tirar essas fraudas, vá estudar e reconhecer aquilo que tá na cara, Jesus nunca existiu, é uma ficção, veja a página AQUI.

Respondendo aos Comentários:
Calma Irmãos Religiosos, esse processo é como um 'parto', mas depois que você 'renasce' vai ficar muito feliz!

Anônimo: “E acredito até que o Bruno nem fez questão de se aprofundar muito na sua argumentação porque senão haveria uma verdadeira devastação”.

Resposta: Pois é, aqui não vi necessidade por que em dezenas de páginas do Site eu já estou apresentando longas e fartas argumentações, essas páginas estão linkadas no início do artigo, e acho que hoje mesmo já vou colocar mais uma página online falando sobre os PDF’s da Coleção “Fábulas Bíblicas” de Jairo Luís baseadas no livro “Deus é imaginário” do autor norte americano Marshall Brain. Estando pronta eu vou por o link aqui em comentários.

Felipe Dorn Alves: Algumas correções, mas isso NÃO exclui o caráter lendário ou mitológico.
- 1: Jesus, não é criação do imperador Constantino. Algumas das cartas de Paulo já circulavam no século I; os evangelhos começaram a circular na segunda metade do século I. Constantino não era nascido nessa época.

Resposta: Primeira coisa, é preciso saber se tais “documentos” tem de fato a antiguidade que alegam, que cartas, e ‘primeira bíblia’ são essas? Foram confirmadas por teste de carbono 14? De fato os pergaminhos do Mar Morto e pergaminhos de Nag Hammadi são antigos, o de Nag Hammadi é de 400 d.C. (100 anos depois de Constantino), e fala do ‘jesus gnóstico’ que era o jesus já fantasiado pelos primeiros cristãos, chamados de ‘cristãos primitivos’ essas pessoas seguiam uma linha de crenças que foi se desenvolvendo a partir dos psicóticos essênios, os puritanos entre os judeus.  Os do Mar Morto é mais antigo, 70 d.C. mas nesses pergaminhos nada se refere a Jesus. Note bem... são do ano de 70 depois do alegado nascimento de Jesus, ele morreu e ressuscitou mais ou menos entre o ano 33 e 40 segundo a bíblia, mas em pergaminhos do ano de 70 (30 anos depois da alegada passagem de Jesus) nada ABSOLUTAMENTE NADA! É comentado sobre Jesus! 

Esses pergaminhos do Mar Morto aliás foram encontrados num vilarejo dos essênios* (traduzindo: os ‘Perfeitos’, ou os ‘Puros’, ou ainda os ‘Santos’), eles seguiam a linha fundamentalista do judaísmo, e acusavam o ‘povo escolhido’ de ter desobedecido as escrituras sagradas, e por isso ‘Deus’ abandonou o seu Povo, eles seriam os Judeus ‘Raça Pura’ que iria fazer tudo o que o povo de Israel desobediente não fazia, e assim convencer Deus a mandar o Messias para nascer entre eles, um pessoal bem esquizofrênico como pode notar... E foi a partir dessa trupe de doidos que o cristianismo nasceu.

Eles tinham se apartado da sociedade, e se afastado para o deserto. As cavernas de Qumran onde se estabeleceram é uma região desértica, e inóspita. Quando ouve o grande levante do povo judeu contra Roma chamada ‘Grande Revolta Judaica, iniciada em 66 d.C. e aniquilada em 70 d.C. os essênios participaram dos conflitos, e nisso esconderam os pergaminhos que foram encontrados na era moderna. Essa revolta aliás não trouxe benefício algum para o povo judeu, mais de 1 milhão foram mortos, o Templo de Salomão demolido, e todos os sobreviventes foram escravizados pelos Romanos. Jesus não apareceu para Salvar o seu Povo de todo esse massacre...

As cavernas de Qumran onde os Essênios montaram sua comunidade fica muito longe de Jerusalém, eles eram radicais, mesmo os Judeus de Jerusalém eram considerados ´pecadores'

A figura que chegou até Constantino era Crestos, [Clique Aqui], este seguia a linha ideológica dos essênios mas sua base era na cidade de Alexandria (Egito) na época, a partir dele foi criado o mito Jesus, o ‘jesus gnóstico’ que já era desde a criação um personagem de ficção. Esse Jesus gnóstico dos cristãos primitivos chegou até a época do Imperador Constantino que então a partir dele criou o que hoje conhecemos como Jesus Cristo. Os pergaminhos de Nag Hammadi são escritos que ainda persistiam com as estórias dos antigos cristãos, mas que tinha sido modificada por Constantino e por isso o imperador Teodósio os proibiu.

Quando digo que o Imperador Constantino criou o Jesus que conhecemos é por que de fato foi assim, o ‘Jesus’ antes de Constantino era o ‘Gnóstico’, um puritano tão esquizofrênico como os essênios. Esse Jesus dos ‘primeiros cristãos’ já era uma fantasia, fantasia essa baseada em Crestos um adepto das ideias dos essênios que morava em Alexandria no Egito.

Felipe Dorn Alves - 2: A dificuldade de o povo achar Jesus um mito e a facilidade de saber que o Super-Homem é pura ficção é que não se sabe qual estúdio/empresa criou Jesus (foram vários autores anônimos), mas se sabe qual estúdio/empresa criou o Super-Homem (DC Comics).

Resposta: Nós sabemos sim quem criou o mito Jesus, inicialmente foi baseado no messias dos essênios o Crestos, com o tempo as estórias sobre ele foram sendo exageradas e aumentadas até virar completa ficção, depois para piorar veio o Imperador Constantino de Roma e mandou seus historiadores e filósofos criar uma religião única que “agradasse a Gregos e Troianos” ou chegasse perto disso, e foi ai que a figura atual foi criada de vez, se baseando no Crestos (cristo) e em várias figuras mitológicas da época.

Felipe Dorn Alves - 3: Se existiu algum Jesus, não pode ter sido como a Bíblia diz. Provavelmente deve ter sido como diz o Talmude ou o George Robert Stowe Mead (1863 - 1933), no máximo isso. Não fez todo o rebuliço em Israel que dizem que ele fez. Jesus deve ter sido um ocultista da época, de modo nenhum foi ‘O Deus’.

Resposta: Isso mesmo, a figura original era insignificante, no caso Crestos, um seguidor das ideias dos essênios, que chegou a fazer ataques terroristas em Roma durante a grande revolta do Judeus. Foi dessa figura obscura que nasceu Jesus.


Respondendo a um questionário postado por uma pessoa em outra página:

O Budha gordo (invenção dos Chineses) Krishna um obvio personagem de ficção dos indianos e claro, Jesus! A Fraude completa do império Romano

01 - Como surgiu este universo do acaso ou há uma inteligência por trás deste evento?

Resposta: Tudo o que se pode falar sobre esse tema é especulações, no caso eu estou mais inclinado a aceitar que existe inteligência sim, mas quem é ele, onde está, por que fez o universo, etc... não sabemos, ninguém sabe, ninguém viu.

02- Qual a mecânica, a química e a física que o faz existir por si só ou movido por uma inteligência?

Resposta: Nem os físicos da mecânica quântica sabem, como eu vou saber? Esse é um mistério, acredito que os teóricos do universo como um Holograma estejam mais próximos de saber o que de fato ocorre. Universo Holográfico 

03 - De onde viemos?

Resposta: Não sei...

04 - Como chegamos aqui?

Resposta: o espirito vem de sei lá onde, não se sabe ao certo, brota das pedras e dos gases incandescentes das estrelas? Esse corpo que usamos aqui é resultado de uma engenharia realizada por super cientistas extraterrestres.

05 - Porque estamos aqui?

Resposta: Aqui onde? Na Terra ou no universo? A presença da vida no universo é coisa que deve ter a ver com o criador, seja lá quem for ele, na verdade o que vem “dele” é o espirito, o principio inteligente, os corpos dos seres vivos, especialmente o base carbono, vem de cientistas de super civilizações do universo. No caso do nossa presença na Terra é por que somos prisioneiros nesse campo de concentração para extermínio.

06 - Quais nossos objetivos de se existir?

Resposta: No universo o nosso objetivo é desvendar o mistério, encontrar ou pelo menos saber ao certo o que ocorreu com o criador, e nos convertermos em deuses. Nossa presença passageira aqui na Terra é para servirmos como escravos, prisioneiros, a Terra é um grande buraco negro onde pouca gente consegue escapar.

07 - Somos um resultado do acaso ou há uma inteligência por trás?

Resposta: A vida no universo é resultado de inteligências que surgem em meio as estrelas, fragmentos do criador? Essas inteligências, esse princípio inteligente que damos o nome de Espírito por bilhões de anos ficou fazendo pesquisas, até chegar no entendimento dos seres vivos base carbono. Mais detalhes do assunto no meu livro.

E você senhor “Jesus meu Avatar” vá estudar, e pare de delirar e criar desculpas esfarrapadas para continuar falando de “Cristo” isso de ‘cristo cósmico, ‘Jesus Avatar’, ‘Jesus iluminado’ e outras denominações subjetivas não passa de retorica da controvérsia, está correndo atrás de sombras para não ter de admitir o obvio, Jesus nunca existiu, é ficção, é mentira, tudo é uma fraude.

Aí você pega um conceito abstrato tipo “Deus” e dá a ele o nome de Jesus? Você não tem vergonha na cara não? Que cinismo é esse? Pura desonestidade intelectual isso. Vá se tratar e deixa de ser cara de pau.

- Pensamento de Grande Sabedoria: “É uma ficção absurda a afirmação de que as igrejas são ‘úteis’ a sociedade. Elas não são nada mais do que centros de propaganda de crenças supersticiosas e doutrinas fantasiosas, são fábricas de arrecadar dinheiro de modo ilícito. Os membros da Igreja têm o direito de acreditar e propagar suas várias doutrinas imaginárias a vontade. Mas eles devem pagar todos os custos desta propaganda, incluindo uma tributação justa para todos os bens da igreja, a arrecadação de doações para essas causas fantasiosas deve ser taxada”. [Emanuel Haldeman-Julius, escritor socialista americano, pensador ateu, reformador social e editor. ‘A Igreja é um fardo, não um benefício na vida social’].

Jesus Cristo, uma Fraude, nunca existiu, criação do Império Romano, [Clique Aqui]

Jesus Cristo é um personagem de ficção criado pelo Imperador Constantino de Roma em 300 d.C, ele o criou a partir de outras figuras mitológicas da época, Clique Aqui para saber maiores detalhes

C.N.S.,: Para mim Jesus é um arquétipo usado por gnósticos, é o Lúcifer dos romanos. É tão vivo como arquétipo que está presente no sincretismo umbandista. O Cristo como título se encaixa em qualquer ocultista. De qualquer época e está associado a Centelha Divina, o Atmam, o Eu Superior. Espero que isso tire suas dúvidas sobre mim... hahaha!! Só acho que se explicasse dessa forma atrairia mais crentes decepcionados qual fui um dia com sede de verdadeira espiritualidade.

Resposta - Bruno: Eu não sou homem de meias palavras, nem de entendimentos subjetivos. A questão é simples, existiu ou não existiu o tal "único filho de deus"? Ele morreu e ressuscitou? Se ressuscitou cadê esse "salvador" que não aparece em lugar algum? Minha resposta para essas e outras questões envolvendo Jesus é simples e direta: ‘Ele nunca existiu, e um personagem de ficção, não é diferente do Batman, nem do Superman’. Para que vou dar resposta subjetiva? Para ela ser "interpretada" e assim o religioso se segurar num fio de esperança ilusória? Não! A verdade é essa, goste ou não, ache bonito ou não. Se a realidade dos fatos incomoda, problema de quem fica incomodado. O meu trabalho e trazer os fatos como SÃO e não como os religiosos gostaria que fosse...

C.N.S.,:  Saudação, Ok. Eu entendi, mas isso é irrelevante para magia. Posso usar o Mobi Dick ou Frankstein em magia.  Frequentemente uso Jesus (com outro nome) devido um sonho muito revelador. Ainda assim consigo rastrear ocultistas célebres link ando um personagem histórico e outro mítico com filosofias hindus, o que constatei mais como - indícios notáveis - do que simples sonho espiritual. De qualquer forma nada disso altera o curso do andar da carruagem, ao contrário, tais ocultistas conseguem esvaziar de sentido as religiões Cristãs deixando intactos os princípios espirituais da mitologia evangélica.

Resposta - Bruno: Esqueça de vez o personagem de ficção Jesus, ele nunca existiu, não fique alimentando a ignorância, e quem não gostar da revelação desagradável (que tudo é mentira) problema dele(a). A realidade dos fatos sempre deve prevalecer.

-“Eles devem achar difícil... Aqueles que tomaram a autoridade como verdade, ao invés da verdade como autoridade”. (Gerald Massey, Egiptólogo).

- “A religião cristã é uma paródia da adoração ao Sol, onde colocaram um homem chamado Cristo e começaram a entregar a esta personagem a devoção que entregavam ao Sol”. (Thomas Paine, político, inventor, um dos fundadores dos EUA).

C.N.S.,: Já te disse que na minha opinião ele era apenas o Self que os primeiros cristãos gnósticos aprenderam não somente se comunicar como também receber intuições valiosas.

Resposta - Bruno: ok, ok... mas eu sou da opinião que ao ser perguntado ‘onde Jesus entra nisso tudo?’, eu respondo: Em nada! Ele não entra em nada, pois nunca existiu, é uma fraude, uma ficção, apenas uma invenção do império Romano para enganar o Povo semianalfabeto, e quem tinha alguma instrução e não concordou com a imposição dessa mentira, foi torturado, jogado aos Leões, morto e esquartejado. Jesus é pura fraude, conto de fadas para fazer adulto Dormir. Se a Sua Supraconsciência usou a imagem dele numa comunicação com você, é por que se trata de simbologia, a supra sabia que você entenderia que precisa ser "manso e tolerante" e esse personagem de ficção é o arquétipo ocidental para isso. Ela poderia ter usado a imagem de Budha, de Lao Tse, de Confúcio, de Kuan Yin, ou qualquer outro ser mitológico de outra cultura, ou até mesmo um personagem de Desenho, ou filme que tivesse os mesmos tributos. Já teve gente relatando que apareceu os Teletubbies na respostas da supra, os Thundercats, etc... é apenas questão de simbologia, não é por que apareceu a Princesa Leya do Guerra nas Estrelas no seu sonho, ou comunicação com a Supra que quer dizer que ela de fato existiu. É apenas uma simbologia que trás uma ideia que a supra quer te passar.

Jesus versão fantasia oriental, ele é tão ficção como Budha, Shiva, Vishnu, Krishna, etc...

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: Sobre Jesus, Jesus cristo, nunca existiu, fraude, mentira, Sri Guru Babaji,Yogi imortal, Maria Madalena, Tibet, Gruta Venerada,Sul da França,Mistificadores, bíblia sagrada, evangélico de jesus, palavra de deus, fala de jesus, 

18 comentários:

Anônimo disse...

Eu sou um cara extremamente interessado em "argumentos destruidores e definitivos" sobre qualquer tipo de assunto relevante, mas confesso que após ler esse artigo eu não consegui ainda identificar onde estão os tais argumentos destruidores e definitivos a favor da existência de Jesus que a pessoa devota se propôs a apresentar. Na verdade, esses argumentos mostraram-se completamente tolos e medíocres, e foram destruídos definitivamente pela saraivada de argumentação bem mais sólida que o Bruno Guerreiro apresentou. E acredito até que o Bruno nem fez questão de se aprofundar muito na sua argumentação porque senão haveria uma verdadeira devastação. De qualquer forma, foi divertido ler os "argumentos" da pessoa devota, apesar disto demonstrar o profundo nível de ignorância em que essa pobre pessoa iludida se encontra.

Felipe Dorn Alves disse...

Algumas correções, mas isso NÃO exclui o caráter lendário ou mitológico:
1) Jesus, não é criação do imperador Constantino. Algumas das cartas de Paulo já circulavam no século I; os evangelhos começaram a circular na segunda metade do século I. Constantino não era nascido nessa época.
2) A dificuldade de o povo achar Jesus um mito e a facilidade de saber que o Super-Homem é pura ficção é que não se sabe qual estúdio/empresa criou Jesus (foram vários autores anônimos), mas se sabe qual estúdio/empresa criou o Super-Homem (DC Comics).
3) Se existiu algum Jesus, não pode ter sido como a Bíblia diz. Provavelmente deve ter sido como diz o Talmude ou o George Robert Stowe Mead (1863 - 1933), no máximo isso. Não fez todo o rebuliço em Israel que dizem que ele fez. Jesus deve ter sido um ocultista da época, de modo nenhum foi O Deus.
Quero expressar aqui que eu não sou ateu/materialista nem teosofista. Quero me submeter ao Salto Quântico Genético (SQG). Quero ver a realidade por mim mesmo seja lá qual for essa realidade. Aliás, senhor Bruno, quero comprar o seu livro.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Orgulho de ser cristão! As bruxas ladras de pênis da Idade Média - O Malleus Maleficarum (Martelo das Bruxas): Cristãos Medievais eram tão LOUCOS como os atuais: "Vários capítulos do tratado são dedicados às bruxas que roubavam pênis. De acordo com o Malleus Maleficarum, muitas mulheres possuíam, depois de realizar um pacto com o diabo, a capacidade de fazer o pênis de sua vítima desaparecer voluntariamente. Algumas, inclusive, cuidavam dos genitais masculinos como animais de estimação, alimentando-os à base de aveia. O livro também menciona a árvore de pênis, uma estranha planta da qual nasciam falos com frutos. No tratado, é possível ler: “Toda bruxaria provém da luxúria carnal, que, nas mulheres, é insaciável”. Sob a ótica atual, não é difícil compreender que grande parte desse imaginário monstruoso se baseia na misoginia causada pelo medo da sexualidade feminina". https://seuhistory.com/noticias/bruxas-ladras-de-penis-da-idade-media

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Respondendo aos Comentários 01:

Anônimo: “E acredito até que o Bruno nem fez questão de se aprofundar muito na sua argumentação porque senão haveria uma verdadeira devastação”.
Resposta: Pois é, aqui não vi necessidade por que em dezenas de páginas do Site eu já estou apresentando longas e fartas argumentações, essas páginas estão linkadas no início do artigo, e acho que hoje mesmo já vou colocar mais uma página online falando sobre os PDF’s da Coleção “Fábulas Bíblicas” de Jairo Luís baseadas no livro “Deus é imaginário” do autor norte americano Marshall Brain. Estando pronta eu vou por o link aqui em comentários.

Felipe Dorn Alves:
Algumas correções, mas isso NÃO exclui o caráter lendário ou mitológico:
Felipe Dorn Alves - 1: Jesus, não é criação do imperador Constantino. Algumas das cartas de Paulo já circulavam no século I; os evangelhos começaram a circular na segunda metade do século I. Constantino não era nascido nessa época.

Resposta: Primeira coisa, é preciso saber se tais “documentos” tem de fato a antiguidade que alegam, que cartas, e ‘primeira bíblia’ são essas? Foram confirmadas por teste de carbono 14? De fato os pergaminhos do Mar Morto e pergaminhos de Nag Hammadi são antigos, o de Nag Hammadi é de 400 d.C. (100 anos depois de Constantino), e fala do ‘jesus gnóstico’ que era o jesus já fantasiado pelos primeiros cristãos, chamados de ‘cristãos primitivos’ essas pessoas seguiam uma linha de crenças que foi se desenvolvendo a partir dos psicóticos essênios, os puritanos entre os judeus. Os do Mar Morto é mais antigo, 70 d.C. mas nesses pergaminhos nada se refere a Jesus. Note bem... são do ano de 70 depois do alegado nascimento de Jesus, ele morreu e ressuscitou mais ou menos entre o ano 33 e 40 segundo a bíblia, mas em pergaminhos do ano de 70 (30 anos depois da alegada passagem de Jesus) nada ABSOLUTAMENTE NADA! É comentado sobre Jesus! Esses pergaminhos do Mar Morto aliás foram encontrados num vilarejo dos essênios* (traduzindo: os ‘Perfeitos’, ou os ‘Puros’, ou ainda os ‘Santos’), eles seguiam a linha fundamentalista do judaísmo, e acusavam o ‘povo escolhido’ de ter desobedecido as escrituras sagradas, e por isso ‘Deus’ abandonou o seu Povo, eles seriam os Judeus ‘Raça Pura’ que iria fazer tudo o que o povo de Israel desobediente não fazia, e assim convencer Deus a mandar o Messias para nascer entre eles, um pessoal bem esquizofrênico como pode notar... E foi a partir dessa trupe de doidos que o cristianismo nasceu.

Eles tinham se apartado da sociedade, e se afastado para o deserto. As cavernas de Qumran onde se estabeleceram é uma região desértica, e inóspita. Quando ouve o grande levante do povo judeu contra Roma chamada ‘Grande Revolta Judaica’, iniciada em 66 d.C. e aniquilada em 70 d.C. os essênios participaram dos conflitos, e nisso esconderam os pergaminhos que foram encontrados na era moderna. Essa revolta aliás não trouxe benefício algum para o povo judeu, mais de 1 milhão foram mortos, o Templo de Salomão demolido, e todos os sobreviventes foram escravizados pelos Romanos.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca_de_Nag_Hammadi
https://pt.wikipedia.org/wiki/Manuscritos_do_Mar_Morto
https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerras_romano-judaicas

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Respondendo aos Comentários 02:

A figura que chegou até Constantino era Crestos, http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2016/08/jesus-cristo-nunca-existiu-ele-e-uma_10.html este seguia a linha ideológica dos essênios mas sua base era na cidade de Alexandria (Egito) na época, a partir dele foi criado o mito Jesus, o ‘jesus gnóstico’ que já era desde a criação um personagem de ficção, esse Jesus gnóstico dos cristãos primitivos chegou até a época do Imperador Constantino que então a partir dele criou o que hoje conhecemos como Jesus Cristo. Os pergaminhos de Nag Hammadi são escritos que ainda persistiam com as estórias dos antigos cristãos, mas que tinha sido modificada por Constantino e por isso o imperador Teodósio os proibiu.
Quando digo que o Imperador Constantino criou o Jesus que conhecemos é por que de fato foi assim, o ‘Jesus’ antes de Constantino era o ‘Gnóstico’, um puritano tão esquizofrênico como os essênios.Esse Jesus dos ‘primeiros cristãos’ já era uma fantasia, fantasia essa baseada em Crestos um adepto das ideias dos essênios que morava em Alexandria no Egito.

Felipe Dorn Alves - 2: A dificuldade de o povo achar Jesus um mito e a facilidade de saber que o Super-Homem é pura ficção é que não se sabe qual estúdio/empresa criou Jesus (foram vários autores anônimos), mas se sabe qual estúdio/empresa criou o Super-Homem (DC Comics).

Resposta: Nós sabemos sim quem criou o mito Jesus, inicialmente foi baseado no messias dos essênios o Crestos, com o tempo as estórias sobre ele foram sendo exageradas e aumentadas até virar completa ficção, depois para piorar veio o Imperador Constantino de Roma e mandou seus historiadores e filósofos criar uma religião única que “agradasse a Gregos e Troianos” ou chegasse perto disso, e foi ai que a figura atual foi criada de vez, se baseando no Crestos (cristo) e em várias figuras mitológicas da época.

Felipe Dorn Alves - 3: Se existiu algum Jesus, não pode ter sido como a Bíblia diz. Provavelmente deve ter sido como diz o Talmude ou o George Robert Stowe Mead (1863 - 1933), no máximo isso. Não fez todo o rebuliço em Israel que dizem que ele fez. Jesus deve ter sido um ocultista da época, de modo nenhum foi ‘O Deus’.

Resposta: Isso mesmo, a figura original era insignificante, no caso Crestos, um seguidor das ideias dos essênios, que chegou a fazer ataques terroristas em Roma durante a grande revolta do Judeus. Foi dessa figura obscura que nasceu Jesus.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Especialistas decifram o pergaminho bíblico mais antigo do mundo: https://seuhistory.com/noticias/especialistas-decifram-o-pergaminho-biblico-mais-antigo-do-mundo Um pergaminho descoberto há mais de quarenta anos em Israel foi finalmente decifrado, revelando fragmentos em hebreu do livro bíblico do Levítico, o terceiro do Antigo Testamento. Ele se destaca como o mais antigo do qual se tem notícia, desde os manuscritos do Mar Morto, achados em 1947.

Sua decodificação foi possível graças ao apoio da Autoridade de Antiguidades de Israel (AAI), e à análise com carbono-14 à qual foram submetidos os fragmentos carbonizados do pergaminho. A equipe de arqueólogos e conservadores conseguiu determinar que se trata de um manuscrito do século VI, o mais antigo dos cinco livros da Torá, encontrados no litoral do Mar Morto.

O pergaminho foi descoberto pelo Dr. Sefi Porath, quando, em 1970, ele liderou as escavações arqueológicas na sinagoga de Ein Gedi. De acordo com o especialista, decifrar essa importante relíquia não é apenas emocionante pela antiguidade que representa, mas também por ser o único dos livros da Bíblia judaica encontrado em uma sinagoga, dentro de uma arca sagrada. Enquanto isso, Pnina Shor, funcionária da AAI, destaca que a descoberta é, certamente, a mais importante do século XXI para a cultura ocidental.

Fonte: RT

Crédito da foto: Alexander Dvorak/Shutterstock

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Cientistas acham cópia mais antiga do Evangelho em múmia:
https://www.terra.com.br/noticias/ciencia/pesquisa/cientistas-acham-copia-mais-antiga-do-evangelho-em-mumia,efb35d7e5590b410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html Fragmento do Evangelho de São Marcos é considerado como o primeiro manuscrito do Novo Testamento
20 JAN 2015, 21h17 atualizado em 21/1/2015 às 08h40.

Um grupo de cientistas encontrou a cópia mais antiga do Evangelho em um papel papiro reutilizado para construir a máscara de uma múmia egípcia, revelou Craig Evans, doutor em Estudos Bíblicos e um dos responsáveis pela descoberta. Evangelho perdido diz que Jesus se casou e teve 2 filhos.

Trata-se de um fragmento do Evangelho de São Marcos, localizado há três anos e que, agora, especialistas da Universidade Evangelista de Acadia, no Canadá, consideram como o primeiro manuscrito do Novo Testamento da Bíblia de que se tem conhecimento. Os cientistas acham que a origem do papiro remonta o primeiro século de nossa era, entre o ano 80 e 90 d.C., o que representa uma grande novidade. Até então, as cópias mais antigas datavam do século II depois de Cristo.

Os especialistas acreditam que alguém escreveu o fragmento de texto no papiro e, depois, outras pessoas reciclaram o material, muito caro na época, para elaborar a máscara funerária. As máscaras de papel eram utilizadas pelas pessoas pobres do Egito, não tendo relação com as feitas em ouro e joias para cobrir os rostos dos grandes faraós, explicou Evans. Acredita-se que São Marcos escreveu seu evangelho em Roma, acompanhado de São Pedro. Mas como a cópia viajou da atual capital italiana ao Egito? O caminho não é assim tão longo, garante o pesquisador.

"No Império Romano, o correio tinha a mesma velocidade de hoje em dia. Uma carta escrita em Roma pode ser lida no Egito semanas depois. Marcos escreveu seu evangelho no final dos anos 60 d.C, portanto, era possível encontrar uma cópia no Egito 20 anos depois", defende.

Para determinar a data dos papiros, os cientistas usaram uma técnica que permite descolar o papel das máscaras sem danificar a tinta. Dessa forma, os textos podem ser lidos com a mesma clareza. Esse evangelho é uma das centenas de documentos que estão sendo analisados pela equipe de Evans, composta por mais de 30 especialistas.

"Estamos recuperando antigos documentos do primeiro, do segundo e do terceiro século depois de Cristo. Não só documentos bíblicos, mas também textos gregos clássicos ou cartas pessoais", explicou Evans, que revelou que alguns deles pertencem do poeta grego Homero, autor de grandes obras clássicas como "Ilíada" e "Odisseia". No caso do fragmento do evangelho de São Marcos, foram analisadas também o design do projeto e as decorações da máscara, assim como o estilo da escrita e a datação do material, através do uso do isótopo carbono-14. No final do ano, as descobertas serão divulgadas em uma revista especializada. Só então o público conhecerá qual o trecho do evangelho de São Marcos escondido nos papiros da máscara egípcia.

Anônimo disse...

Excelente !

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Os Essênios, fundamentalistas Judeus que foi a semente para a criação do Cristianismo - Radicalismo, Psicóticos Puritanos: http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2017/05/os-essenios-fundamentalistas-judeus-que.html Trecho: Os Essênios eram fundamentalistas Judeus que pregava a obediência cega e literal as leis de Moisés e dos Profetas Judeus, pregavam a resistência até as últimas consequências contra os Romanos, alardeavam que o Messias enviado por Deus apareceria entre eles, e este lideraria o ‘Povo Escolhido de Deus’ para dominar o mundo todo, escravizando todos os povos, todos ficariam sob a tirania dos Judeus que governariam a Terra como Deuses, uma classe superior a todos os outros humanos que eram classificados como ‘filhos do Diabo’ e por tanto deveriam servir aos verdadeiros senhores da Terra, no caso os Judeus. Se envolveram na guerra civil chamada de ‘Grande Revolta Judaica’ de 64 d.C. e por isso os Romanos destruíram o seu vilarejo em Qumran, durante o conflito esconderam uma grande quantidade de papiros, hoje apelidados de Pergaminhos do Mar Morto, em NENHUM DESSES PERGAMINHOS É CITADO JESUS, SEUS MILAGRES E FEITOS, esse silêncio é evidencia clara que Jesus nunca existiu, é ficção pura e simples! Radicais fundamentalistas Judeus, seguiam as Leis de Moisés de forma literal e irrestrita, eram psicóticos e cheios de leis restritivas de toda ordem, eram inclusive celibatários. Na verdade Jesus não estudou com os essênios, nem foi um essênio, por que na verdade ele nunca existiu, o Messias dos essênios Crestos foi a ‘semente’ que resultou no que hoje em dia chamamos de “Jesus Cristo”. Os Essênios se apartaram do restante do povo judeu, os classificando como “sujos e corruptos” pregaram a radicalização e luta até as últimas consequências, foram para o deserto, e então exterminados pelos Romanos.

Felipe Dorn Alves disse...

Era isso que estava faltando para esclarecer. Não foram os romanos (isso inclui o imperador Constantino) que criaram a personagem Jesus Cristo. Foram os judeus mesmo. Os romanos apenas se aproveitaram da personagem para tentar estabilizar politicamente e socialmente o império. O imperador Constantino foi, provavelmente, o maior oportunista de todos os tempos.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Felipe Dorn Alves: “Não foram os romanos (isso inclui o imperador Constantino) que criaram a personagem Jesus Cristo. Foram os judeus mesmo”.

Resposta: Você não compreendeu o que eu escrevi? Existiu um personagem de ficção baseado na figura de Crestos, mas era um personagem sem Sal e sem Açúcar, o Imperador Constantino foi quem criou o Superman, o “único filho de Deus” como o conhecemos hoje em dia, o Jesus mágico é criação dos Romanos sim.

Felipe Dorn Alves: “Os romanos apenas se aproveitaram da personagem para tentar estabilizar politicamente e socialmente o império”

Resposta: O personagem foi criado a partir de uma figura bem menos brilhante, esse personagem Judeu/essênio era nem sombra do que foi criado a partir dele.

Felipe Dorn Alves disse...

Eu não estava contestando o que o senhor escreveu. Eu estava concordando. Os judeus criaram a personagem original e os romanos adulteraram a história. Fizeram o Jesus Cristo, filho unigênito de Deus. Eu só queria saber bem como a história começou. Como muitos seres humanos, não gosto de histórias vagas. Não gosto de vazios históricos. Tudo tem um porquê. O vazio angustia. Creio que foi justamente a angústia pelo vazio que empurrou a humanidade a procurar respostas e desenvolver ciência e filosofia.
Há muito eu me perguntava, se não aconteceu a "história" de Jesus na primeira metade do século I em Israel, o que aconteceu por lá? Por que a humanidade acreditou no cristianismo? Como conseguiram criar uma doutrina que interfere negativamente na capacidade de as pessoas interpretarem a realidade com clareza? Será que essas religiões são pura criação humana ou o império da escravidão, que o senhor cita quando trata do Salto Quântico Genético (SQG), também contribuiu para criar esse sistema?
Quero ler o seu livro, participar do SQG e ter contato com a supraconsciência. Uma resposta recebida fez surgirem em mim mais perguntas.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Os Pergaminhos do Mar Morto não citam NADA sobre Jesus!: Os Pergaminhos de Qumran são um conjunto de centenas de papiros pertencentes a uma seita fundamentalista de Judeus conhecida hoje em dia como ‘essênios’, esses pergaminhos eram conservados e usados como estudo por esses radicais, quando houve a primeira Guerra entre Judeus e Romanos em 64 d.C. (isto é 30 anos depois da morte e ressurreição do suposto Jesus) os essênios participaram dos conflitos e atraíram para si a agressão dos inimigos, quando o exército romano rumou para Qumran (o QG dos essênios) esses antes de fugir esconderam os pergaminhos nas grutas do deserto ali da região. Acontece que esses pergaminhos são da época que abrange toda a vida e atuação do suposto Jesus de Nazaré, por isso era de se esperar que alguma coisa seria dita sobre o ‘poderoso messias’ e seus ‘fantásticos milagres’, seus poderes divinos, seu movimento pela Paz, etc... mas... entretanto... porém... não foi encontrado NENHUMA MENÇÃO a Jesus! Nem a seus discípulos, nem a nenhuma das ocorrências mencionadas no evangelho! Esse silêncio dos essênios é perturbador, e leva a crer que aquilo que muitos historiadores e arqueólogos já estão defendendo a muito tempo é verdade, Jesus simplesmente nunca existiu! É uma ficção criada mais de um século depois da destruição e demolição de Jerusalém pelos Romanos. A seita dos essênios foi criada e se estabeleceu em Qumran a partir de 130 a.C. e durou até 70 d.C. e eles não conheceram Jesus? Nem ficaram sabendo de seus feitos? Milagres? Palavras Sábias? Julgamento por Pilatos? Nada disso?? - Mais Sobre o assunto: http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2017/05/os-essenios-fundamentalistas-judeus-que.html

Paulo Afonso disse...

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

É louvável seus esforços em busca da verdade que pode explicar o CAOS SOCIAL, POLÍTICO, ECONÔMICO e RELIGIOSO que INFESTAM a Terra de ATITUDES que prejudicam a EVOLUÇÃO da humanidade, impedindo-a de caminhar na VERDADE.

E ponto Final...

Daí pra frente, Bruno, você se torna mais um RADICALISTAS, EXTREMISTA, FUNDAMENTALISTA, MATERIALISTA, ATEU...

Pois está criando uma NOVA RELIGIÃO chamada ANTI CRISTO.

Paulo Afonso PASdaPAZ

Anônimo disse...

A prova da existemsia de jesus são muitas. As pregasões não são vã é presiso o espirito a vinda de cristo está proxima nessa violencia toda corrupisão crimes ruindades piranhajens tudo que não presta tudo sera distruido furiosamen ti ate os pecador morrerão na vinda do cordero

Anônimo disse...

O que as ovelhas do jesus noel não entendem e temem considerar é o fato de terem nascido e crescido com crenças velhas, falsas e ineficientes ao esclarecimento de nossa condição existencial, são muito carentes e fantasiosas, gostam do caminho fácil de uma crença pronta e não investigam nada. Devem ser honestos e entender que a igreja está de mãos dadas com o governo, desde aquela época, com o intuito e objetivo de domina-los por dentro de suas cabeças não pensantes, deslumbradas com histórias fictícias e promessas de paraíso se forem mansos (trouxas), fora a influência de certas pessoas mais ricas financeiramente e mentalmente habilidosas nesse planetinha. Muitos ja perceberam que Deus ou a Mãe Natureza, não é bem o que se pensava e que esse esclarecimento, é uma arte, um ofício, uma necessidade, uma constante. Não acaba nessa vida. Não é atoa que a Ciência lembre Consciência, pois ela traz explicações, e as religiões trazem dúvidas pois exigem confiança oferecendo mais parábolas do que sentido. A bíblia deveria ser o manual de instruções do ser humano, obviamente não é, ja teve sua chance, se mostrou ineficaz e talvez seja novamente reeditada e atualizada, pois tudo deve ser atualizado ou fica para trás. Ha 2 mil anos antes não havia o entretenimento como nos dias tecnológicos de hoje, contar histórias e transar era tudo para aquele povo por isso fantasiavam heróis e heroínas que venciam as tentações carnais, que tanto exigem sacrifícios pessoais. Essas ovelhas de Jesus Noel não entendem que Cristo é um mito e não um Fato! Não admitem que mesmo se fosse verdade, havia mais gente para testa-lo, bate-lo e insulta-lo, do que para defende-lo, e seu Pai o permitiu, Não admitem que ele foi morto, e se voltasse hoje seria novamente morto, pois quem acreditou naquela época? quem acreditará agora? Acha que o Papa e milhares de padres e pastores, iludidos com sua falsa virgindade, deixarão de receber o dízimo? Dirá Jesus ao Vaticano: é isso que tem feito em meu nome? Estranho é isso, ha pessoas demais nesse planeta, mas poucos seres humanos, que são de fato os superadores de suas carências e não os fomentadores

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Obrigado Anônimo pelo seu texto, mas ao ler você parece corroborar com o mito de Jesus, mas na verdade Jesus nunca Existiu, ele é 100% ficção. Acesse a página e se informe melhor:

Top 23 Razões para você não acreditar em Jesus Cristo - Jesus Cristo nunca existiu e a Bíblia e um Livro de Contos de Fadas: http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2017/04/top-20-razoes-para-voce-nao-acreditar.html Trecho: 06 - Os Pergaminhos do Mar Morto não citam NADA sobre Jesus!: Os Pergaminhos de Qumran são um conjunto de centenas de papiros pertencentes a uma seita fundamentalista de Judeus conhecida hoje em dia como ‘essênios’, esses pergaminhos eram conservados e usados como estudo por esses radicais, quando houve a primeira Guerra entre Judeus e Romanos em 64 d.C. (isto é 30 anos depois da morte e ressurreição do suposto Jesus) os essênios participaram dos conflitos e atraíram para si a agressão dos inimigos, quando o exército romano rumou para Qumran (o QG dos essênios) esses antes de fugir esconderam os pergaminhos nas grutas do deserto ali da região, e só foram encontrados na era moderna. Acontece que esses pergaminhos são da época que abrange toda a vida e atuação do suposto Jesus de Nazaré, por isso era de se esperar que alguma coisa seria dita sobre o ‘poderoso messias’ e seus ‘fantásticos milagres’, seus poderes divinos, seu movimento pela Paz, etc... mas... entretanto... porém... não foi encontrado NENHUMA MENÇÃO a Jesus!

Nem a seus discípulos, nem a nenhuma das ocorrências mencionadas no evangelho! Esse silêncio dos essênios é perturbador, é UM GRANDE PROBLEMA PARA OS CRISTÃOS! Pois leva a crer que aquilo que muitos historiadores e arqueólogos já estão afirmando a muito tempo é verdade. Jesus simplesmente nunca existiu! É uma ficção criada mais de um século depois da destruição e demolição de Jerusalém pelos Romanos. A seita dos essênios foi criada e se estabeleceu em Qumran a partir de 130 a.C. e durou até 70 d.C. e eles não conheceram Jesus? Nem ficaram sabendo de seus feitos? De seus Milagres? Palavras Sábias? Entrada triunfante em Jerusalém? Julgamento por Pilatos? Nada disso?? Ele é o messias que os essênios tanto esperavam! Um ente divino, exibindo super poderes extraordinários esteve entre eles! Por que não escreveram nada quanto a tudo isso?? - Mais Sobre o assunto, [Clique Aqui], Documentário sobre eles AQUI.

13 - A Cidade de Nazaré não existia durante a época que alegam Jesus ter estado vivo: Na bíblia é dito que Jesus era conhecido como “o nazareno”, possivelmente por causa da fama dele ter nascido e crescido na cidade de Nazaré. Para muitas pessoas desinformadas não há razão para duvidar da alegação, afinal Nazaré existe hoje, é uma cidade antiga com uma longa história, e um “filho muito famoso”, mas enquanto Nazaré é velha, não é tão antiga como Jesus ou mesmo o cristianismo. O historiador Flávio Josefo lista todas as cidades na Galiléia daquela época e Nazaré não está nesta lista. Não há qualquer prova arqueológica que a cidade de Nazaré existia na época de Jesus, essa cidade só foi criada em 300 d.C. pelos Romanos, de acordo com estudos feitos entre 1955 e 1990, nenhuma evidência arqueológica dos períodos assírio, babilônio, persa, helênico ou do início do período romano foi encontrada lá. Bagatti, o principal arqueólogo nos sítios venerados em Nazaré desenterrou grandes quantidades de artefatos do final do período romano e do período bizantino, por tanto a região só passou a ser habitado ali a partir de 300 d.C. James Strange, um arqueólogo americano, ressalta que “Nazaré não é mencionada nas fontes antigas judaicas antes do século III".

Anônimo disse...

Mas o que eu pretendo deixar claro para os Cristãos e Espíritas Bruno, é o fato de ser altamente improvável que seja verdade essa história de Jesus, e mesmo que fosse, acabe como acabou! O resultado da influência de Jesus na mente do povão mostra uma conduta fantasiosa e carente, com péssima educação sexual, feita de idiota pela politica, que enterra a cabeça no chão esperando cobrir o corpo inteiro, com medo e vergonha de se perceber e descobrir, feito de trouxa desde o nascimento, mas é o que dizem, não se deve acordar um sonâmbulo, a menos que seja pra salva-lo. Terão que perceber como é absurdo alguém que anda sobre a água, materializa coisas e faz curas milagrosas, termine severamente morto. Terão de perceber que muitos morriam antes, durante e depois de sua suposta existência.

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. (Bruno Guerreiro de Moraes)