domingo, 26 de setembro de 2010

Experimento Comunista - Teste do Modelo - Por que o Comunismo não Funciona? - Fracasso do Comunismo

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

Josef Stalin - Dez Vezes Pior que Hitler - Tirano Sanguinolento e Psicopata - Historia [Clique Aqui]


O motivo do comunismo nunca ter funcionado, (e nunca vai funcionar) apesar do otimismo de Karl Marx, é por causa da índole violenta, preguiçosa, indolente, acomodada, egoísta e mesquinha do ser humano. O ser humano infelizmente é uma criatura acomodada, arisca a mudanças, resistente perante as novidades, teimosa em suas crenças e sistemas ideológicos. A grande massa da população é egoísta e não está nem um pouco preocupada com o bem comum, (da comunidade) uma parcela se preocupa apenas com si mesmo e com sua família, já outra parcela nem isso! Marx quando concebeu o modelo não contou com os defeitos trágicos da natureza humana, afinal ele não era psicólogo ele morreu antes que a psicologia fosse criada por Freud e Jung, pelo jeito Karl Marx era muito ingênuo em relação ao perfil psicológico dos seus semelhantes. Ele julgou mal a humanidade, na sua cabeça moldada pela cultura e revoluções no pensamento até 1883 (ano da sua morte) o ingênuo Marx achava que toda a decadência, miséria, estupidez, violência da humanidade era por causa das elites dominantes que oprimia os pobres, fazendo assim os pobres se comportarem de forma selvagem para sobreviverem, ele (muito ingenuamente) achava que uma vez implantado um sistema econômico mais “humano”, supostamente 'Justo' cujas riquezas seriam repartidas igualmente, não importando o seu cargo, trabalho, ou especialização, o mundo da noite para o dia seria transformado num paraíso, haveria paz, amor, fraternidade, igualdade, cooperação, abundancia para todos!

Mas lamentavelmente Marx não contava com um dado importante nessa equação toda, a natureza humana é indolente! Malandra! Com tendências a sempre abusar, e enganar os seus semelhantes. Então toda a teoria de Marx veio a baixo, é uma utopia que nunca vai ser alcançada exceto se a natureza humana mudar, o que é difícil afinal já faz mais de 130 anos desde a morte dele e a natureza humana continua a mesma... Marx criou seu modelo econômico baseado em sua personalidade, e na leitura distorcida da personalidade de seus conhecidos, ele ingenuamente achava que todas as pessoas fossem como ele, isto é honrado, preocupado com o bem comum, generoso, bondoso, inteligente... leso engano! Agora Marx com certeza está se revirando no tumulo. Suas boas intenções foram usadas para justificar o massacre de centenas de milhões de inocentes, e colocar o mundo na beira do caos completo durante a Guerra Fria. Vejamos agora uma metáfora que deixa claro a falha catastrófica da otimista hipótese da teoria comunista:


Sentado sob uma pinha de milhões de ossos, a teoria era ‘linda’ mas na pratica um desastre completo

Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que ele nunca reprovou um só aluno antes, mas tinha, uma vez, reprovado uma classe inteira. Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e 'justo'.

 Joseph Stalin, o defensor do sistema comunista foi um psicopata insano e assassinou dezenas de milhões de pessoas, tudo por que elas discordavam de que o comunismo era a solução para todos os problemas, o tempo acabou mostrando quem tinha razão...

O professor então disse, “Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe... ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas”. Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam 'justas'. Isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém seria reprovado. Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia um "A"... Depois que a média das primeiras provas foram tiradas, todos receberam "B". Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado. Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos - eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos... Como resultado, a segunda média das provas foi "D". Ninguém gostou. Depois da terceira prova, a média geral foi um "F"...

 O comunismo não funciona, leva a fome e ao subdesenvolvimento, a tendencia do ser humano é para o minimo esforço, e comodismo, a minoria que tem algum interesse maior é incentivada pelo sistema capitalista.
     
As notas não voltaram a patamares mais altos mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram o ano... Para sua total surpresa. O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque ele foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes. Preguiça e mágoas foi seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado.

- "Quando a recompensa é grande" - ele disse - "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável" - 

- “É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a” - Foi isso que levou ao colapso da União Soviética.


Chineses massacrando milhares de milhões de pessoas que perceberam o obvio... o comunismo não funciona!

- “95% das pessoas são retardadas, 5% salva a humanidade...” [Ziraldo Alves, cartunista, dramaturgo, escritor, cronista, desenhista e jornalista brasileiro]

Documentário - Josef Stalin - Dez Vezes Pior que Hitler - Tirano Sanguinolento e Psicopata:

Vida de Ditador - Joseph Stalin - Gaddafi - Idi Amin Dada - Tiranos - Déspotas - Crimes:


Lado Obscuro de Lenin, o Revolucionário Comunista que Possibilitou a Stalin chegar ao Poder:

Vídeo: Amém ao Capitalismo! - All Electronics VLog | ep5 [Clique Aqui

Meu comentário: Capitalismo funciona! Ponto final. É perfeito? Não, mas funciona, premia quem tem garra, força de vontade, inteligência. Pune quem é preguiçoso, de QI baixo. Mas de qualquer modo não sou a favor do capitalismo selvagem, (aquele que diz que se você foi derrotado por outros, no jogo do capitalismo, então tem de morrer de fome). Sou muito a favor, por exemplo, do Bolsa Família, que é o prêmio de consolação (ou prêmio de participação) para aqueles que foram derrotados no Jogo do Capital. Essas pessoas terão então o mínimo necessário para (eventualmente) disputar novamente esse difícil jogo, onde o vencedor leva tudo. Sou a favor do capitalismo moderado, por que senão vira selvageria, Lei da Selva. Não somos animais, somos semi-deuses, podemos fazer melhor que os animais, que contam apenas com os instintos para sobreviver.

Comentário de Antoine: Lá vai textão, hahahahaha Gosto muito do canal, queria dar o meu pitaco tb. Quem resume seu discurso ao capitalismo dessa forma, tem uma visão muito rasa sobre capitalismo, e sobre as pessoas que lutam por uma mudança desse sistema. Parece que quem está indignado com vários aspectos do capitalismo, necessariamente está buscando socialismo/comunismo, jogando no lixo a questão da meritocracia, o que não é verdade. Não queremos essas outras opções ao capitalismo, queremos uma solução para aquela parte do capitalismo, em que algumas pessoas (a maior parte da população, na verdade) não fazem ideia do que é entrar em um shopping e comprar um instrumento, que para estar ali de forma prática para consumo, passou por um caminho incrível de logística e motivações por parte dos envolvidos. Pessoas que não sabem o que fazer para conseguir comprar um litro de leite para sua alimentação básica. E qual seria o problema com essas pessoas? Será preguiça de trabalhar? Será que é tão simples assim? É só elas fazerem como os ricos, imitarem eles, que o problema delas se resolvem? Mesmo os que não estão em situação tão extrema assim de pobreza, vamos considerar os "classe média" que ralam tanto, pagam tantos impostos para terem uma vida "razoavelmente confortável". Esses que passam mais de 2/3 da sua vida trabalhando para dar algum conforto para a família, será que eles não poderiam estar trabalhando menos e vivendo mais? Será que a sociedade não poderia ser mais eficiente para que não perdêssemos tanto tempo de nossas vidas trabalhando para os propósitos dos outros? Não vamos nos esquecer que 50% da riqueza do mundo está concentrada na mão de uns 1% da sociedade.

Comunismo, a teoria não resiste a pratica, natureza humana é a culpada 

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: capital, china, comunismo, comunismo vs capitalismo, coreia do norte, fim do comunismo, guerra fria, Russia, sistema financeiro, urss, Experimento Comunista,Teste do Modelo,Por que o Comunismo,Funciona,Fracasso do Comunismo,

28 comentários:

Renato disse...

Entao o Bolsa Familia vai quebrar o Brasil porque so almenta os impostos para quem trabalha para dar para quem nao faz nada so espera a grana todo final do mês...

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

- “95% das pessoas são retardadas, 5% salva a humanidade...” [Ziraldo Alves, cartunista, dramaturgo, escritor, cronista, desenhista e jornalista brasileiro]

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

O bolsa família é um auxilio básico,dado as pessoas miseráveis. não é tão oneroso, o capitalismo deve ser exercido com moderação, tudo em excesso é ruim, até água se beber demais vai te fazer mal: http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2009/02/intoxicacao-aquosa-agua-em-excesso-mata.html

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

O capitalismo selvagem é uma desgraça, uma perdição sem fim, mas o moderado é saudável e necessário. Sem o capitalismo, a realidade do mundo atual não seria melhor que da idade media. Nunca, em hipótese nenhuma estaria lendo essa minha mensagem, pois o computador jamais teria sido inventado pelos "capitalistas malvados" dos norte americanos...

Jeferson disse...

Infelizmente esta postagem é obsoleta, Bruno Guerreiro.

Todo sistema baseado em recompensas é falho. Não importa se é capitalismo, comunismo, socialismo... etc...

Ele foi bom, porque substitui os sistemas baseados em escravidão.

Mas, hoje sabemos que sempre que você colocar um ser humano lutando por recompensas você terá o que vivemos em toda a nossa história moderna.

Somos seres do século XXI e evoluímos o suficiente para encontrarmos outras respostas para viver em sociedade.

E a resposta é:

"Abandonar para sempre qualquer sistema que seja baseado em recompensas. Assim como abandonamos sistemas em que escravizávamos outros semelhantes para tarefas sem recompensa alguma".

Atualmente existe um sistema conhecido como Economia Baseada em Recursos que pode ser o próximo passo da humanidade. Deixando para trás, para sempre o feudalismo, capitalismo, mercantilismo, comunismo, escravismo, etc...

Não precisamos de recompensas! Precisamos de algo muito mais simples. Gerar abundância! O homem moderno é capaz de gerar abundância! Nossos avós e todos os demais para trás. Ou seja o resto da história da humanidade não era capaz disso. Mas hoje geramos praticamente qualquer coisa de sobra.

Lembre-se disso!!!

A matéria aí que você postou é de um professor tentando resolver problemas com ferramentas baseadas em recompensas... e isso já é ultrapassado.

É o mesmo que dizer que o time de futebol A é melhor que o time de futebol B. E sempre vai dar na mesma, não importa as estratégias adotadas, vai ser sempre futebol, onde um time vence e outro perde, isto é, 11 ficam bem e onze ficam péssimos (uma boa analogia para o nosso sistema, não acha). Futebol é o sistema! Times seriam como Capitalismo, Comunismo, etc...

Vamos dizer que o capitalismo é Brasil do futebol, ou o Brasil é o Capitalismo da Economia... rs...

Mas em termos de solução esse professor teria que arrumar outro jogo, onde todos os alunos vivessem em abundância. E não em competição, seja pra ócio ou para recompensa. Entendeu?

Segundo essa visão limitada, jamais teríamos uma Wikipédia, ou um Sistema Operacional Linux... tais abordagens segue a premissa da colaboração e não o da competição, e tudo é abundante aí dentro.

Mas esses lapsos de economia baseada em recursos vai além do virtual e da informática...

Baseado em recompensas, temos o direito autoral (Copyright). Baseado em recursos, temos o Creative Commons e o Open Source.

Baseado em recompensas temos o petróleo e as hidrelétricas. Baseada em recursos temos, por exemplo, aquecimento solar e usinas térmicas.

Baseado em recompensa temos o futebol. Baseado em recursos temos o Parkour.

Viu o mundo está mudando! Torça pra que isso vingue!

E pra num futuro você possa fazer o que mais gosta sem ter que ser recompensado por aquilo e sim fazer porque ama.

Pois todos os grandes homens que conheço foram assim.

Tesla morreu num quarto de pensão e tudo que fez... aliás tudo mesmo, sua vida e a minha... foi praticamente de graça. Ele não foi recompensado, ele fez porque amava. Ele fez a energia elétrica, e todas as principais peças que sustentam o principal recurso de sobrevivência dessa humanidade.

Jesus, fez o que fez apenas por amar aquilo e não pediu recompensa de ninguém.

Eistein era recompensado em um escritório de patentes, mas o que fazia mesmo era desvendar os mistérios do universo em seu quarto... Imagine se Eistein ficasse esperando recompensas para iniciar suas buscas pessoais?!

Acho que deu pra entender né?

Abraços.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Tá Jeferson, boa sorte na implementação desse novo sistema. Mas tenha em mente uma coisa... o Ser humano é preguiçoso, segue a politica do menos esforço. Se até com o capitalismo, onde as pessoas precisam trabalhar para comer, uma grande parte da população fica ociosa, imagine num sistema mais light? Eu não apoio o capitalismo selvagem. Mas sim um moderado. O que seria um socialismo.

O sistema socialista produz menos resultados que o capitalista selvagem, mas em compensação a população sofre menos.

O sistema adotado pela Alemanha Nazista parecia ser bom, não sei, teria de estudar melhor o caso, nas escolas não se ensina como era.

Anônimo disse...

"- “95% das pessoas são retardadas, 5% salva a humanidade...” [Ziraldo Alves, cartunista, dramaturgo, escritor, cronista, desenhista e jornalista brasileiro]"

Eu tenho dó desse Ziraldo. Diz-se escritor, mas não sabe o básico da concordância verbal. "5% salvam" e não "salva". 5% é plural. 1% é singular.

Mais pena ainda tenho desse Bruno, que cria frases como se fosse um pensador. É vaidade pura...

Parei de ler o que você escreve no momento em que cometeu o primeiro erro de Português.]

Só Deus, mesmo, pra te salvar ;) bom é que vc LEU isto e se recolheu à sua insignificância. Não precisa publicar, pois seria muito humilhante pra vc.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Oiá!!! que diser que nóis, o ciraldo e eu esqueve tudo errrado é:? pocha!! nem tilha notado, oilhá só só!!!!! Quá,quá,quá!!!!!

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

O velho e manjado Ad hominem dos erros de português, como se isso realmente importasse em alguma coisa. Isso é sofisma da controvérsia bem barata, de botequim mesmo.

Saiba anônimo que o verdadeiro português e de Portugal, então para os portugueses todos nós escrevemos errado. E quem se importa com a língua portuguesa afinal? Só tolos desocupados, nacionalistas cabeça de vento, e claro, professores de português, pois esses são pagos para isso, Rsrsrsrs!!! Pagos para ensinar errado. Rsrsrsrs!!!

Sofistas - Falsos Sábios, Ilusionistas do saber - Os Malandros da Grécia Antiga http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2009/10/sofistas-falsos-sabios-ilusionistas-do.html

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

O "desmistificador" do português é tão "corajoso" que nem sequer mostrar o nome verdadeiro mostra. Muita coragem, e ombridade de sua parte, estou estarrecido! Que "grande" cidadão Brasileiro!

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

"5% salva a humanidade", não está errado seu cabeça de vento, pois a humanidade, nesse caso, foi colocado como um sujeito, um "individuo" e não no plural, ele não fala "humanidades", fala de "humanidade". Tem uma humanidade, não varias humanidades.

Mané...

Anônimo disse...

quá! quá! quá!!!!! O anonimo burro ai achou que tava humilhando, e foi ele o humilhado! Kkkkkkkkkkkk!!!!

Gostei dessa!

Anônimo disse...

Não esperava ver um texto tendencioso e obsoleto num blog com muitas coisas boas... fui surpreendido. Segue a outra parte dele:
Aula de economia Capitalista

Um professor de economia em uma universidade soviética disse que nunca havia reprovado um só aluno, até que certa vez reprovou todos os bons alunos de uma sala, passando apenas os preguiçosos.

Esta classe em particular havia insistido que o capitalismo realmente funcionava: com um governo mínimo, garantindo a manutenção do status quo, ninguém teria mais do que o esforço que colocou ali, tudo seria meritocrático e justo.

O professor então disse, “Ok, vamos fazer um experimento capitalista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas.”

No início do ano, todos teriam a última nota que tiraram no ano passado. A medida que o ano passava, a nota seria multiplicada por um fator que dependia não só do desempenho do estudante, mas também da sua nota anterior. Quanto maior a nota anterior, maior o fator de multiplicação. Da mesma forma, quanto maior o esforço, maior o fator. Em ambos os casos, aqueles que estivessem acima da média, subiriam 10%, os que estivessem na média, se manteriam, e os que ficassem abaixo da média cairiam 10%. Assim, todos poderiam não só chegar a ter um A, como aqueles que foram bons alunos no passado não perderiam o esforço que acumularam até ali.

Após calculada a média da primeira prova, metade da turma teve sua nota aumentada e a outra metade diminuída, enquanto uns poucos se mantiveram na mesma.
Quando a segunda prova foi aplicada, os que vieram de escolas mais puxadas no ano anterior estudaram ainda mais – eles precisavam tirar notas boas para conseguir passar. Já aqueles que tinham estudado em escolas mais fáceis resolveram estudar somente o suficiente para ficar na média. Como resultado, a segunda prova manteve os mesmos alunos com A, e aqueles que se esforçaram mais e tiraram notas melhores na prova continuaram sem média suficiente para passar.

Depois da terceira prova, os alunos que tiveram piores notas no ano anterior estavam em estado de esgotamento, mesmo tirando nota máxima nas provas era bem difícil alcançar a média. Não houveram desavenças entre os alunos porque os sortudos, que vieram de escolas fáceis, nem mesmo iam às aulas. Perder 10% nessa prova significava quase nada para eles. Os alunos que pediam a revisão do modo de avaliação eram vistos como “preguiçosos”, já que “bastava que estudassem para passar”. No final das contas, todos os alunos que estudavam e compareciam nas aulas repetiram aquela disciplina… Para sua total surpresa.

O professor explicou: “o experimento capitalista falhou porque quando a recompensa é grande o esforço pelo sucesso individual é grande. Mas quando o status quo elimina todas as recompensas de uns e elimina todo o esforço de outros, baseado em critérios arbitrários como a nota do ano anterior, então não adianta mais tentar ou querer fazer seu melhor, o destino já está decidido de antemão. Tão simples quanto isso.”

1. Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas exigindo seu esforço, se os ricos 99% das vezes já nasceram ricos;
2. Para cada um recebendo sem ter de trabalhar, há milhares de pessoas trabalhando sem receber;
3. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. Por sorte, os alunos de escolas mais difíceis estavam ocupados demais estudando para se darem conta disso.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Pura sofisma! Obrigado anonimo por esse texto, confuso, esquisito, um belo exemplo de Sofisma barata de politico sem vergonha.

Sabe o que é Sofisma?: http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2009/10/sofistas-falsos-sabios-ilusionistas-do.html Sofistas - Falsos Sábios, Ilusionistas do Saber - Os Malandros da Grécia Antiga
Os Sofistas os Ilusionistas do Saber:

- "Estes usam o 'argumento sofístico ou sofisma' que se trata de um falso argumento ou argumento intencionalmente falacioso; de sofista deriva 'sofisticado', no sentido depreciativo de algo muito elaborado ou excessivamente ornado, embora vazio de conteúdo...

O Capitalismo fracassou? E por que a foi a União Soviética, e não os EUA que caiu?

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Anônimo Sofista, acho que não leu a frase né?: - O comunismo não funciona, leva a fome e ao subdesenvolvimento, a tendencia do ser humano é para o minimo esforço, e comodismo, a minoria que tem algum interesse maior, é incentivada pelo sistema capitalista -

Anônimo disse...

Em nenhum momento disse que um era "menos ruim" que o outro. Só completei o texto que mostra essa dicotomia pobre. Sofismo quem usa muito é o político Maluf, em meu comentário nada se caracterizou nisso. Expressei uma leve decepção pessoal com o conteúdo e complementei. Parabéns pelas séries postadas e pense que como Jeferson disse tem muita gente "perdendo" na situação.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Cris escreveu: "Li o seu artigo sobre o Experimento Comunista, o exemplo da aula eu conhecia. Acrescento que Stalin não era o único psicopata. Lênin também era psicopata. E ambos Stalin e Lênin, assim como todos os outros ditadores totalitários, se baseiam nas obras de Karl Marx para implementar o socialismo-comunismo. Karl Marx (e Friedrich Engels) também era(m) psicopata(s), portanto, a ideologia marxista é psicopática e doentia (psicopatológica). A ideologia marxista é a "ferramenta" ideal para os psicopatas que buscam o "poder" (doce ilusão pensar que ele está preocupado com os seres humanos sociais e o ambiente ecológico - essa é a estratégia atual para leva-lo ao "poder"). O psicopata se esconde atrás de tal ideologia. O "socialismo marxista-leninista", que está sendo implementado no Brasil, é a fase intermediária antes de chegar no objetivo final que é o comunismo. Psicopatas são criminosos sem qualquer empatia pelo ser humano, usam uma "máscara psicológica" de "sanidade" e nos enganam como excelentes atores, mentem descaradamente, não sentem (seu sistema límbico não é ativo - são pseudo-sentimentos). Não é por acaso que resulta na tragédia genocida e repetitiva em todas as nações que implementam esse regime. Alguém "normal" (não psicopata) não mata (nem manda matar) milhares de pessoas inocentes, ele não é um assassino, um criminoso. OBS.: Adolf Hitler também era psicopata e conhecia muito bem as obras de Karl Marx e Friedrich Engels. Os movimentos extremistas e os radicais, sejam políticos e econômicos (fascismo, nazismo, socialismo, comunismo, capitalismo do tipo "selvagem") ou religiosos (como o islamismo radical, por exemplo) são dirigidos por psicopatas que manipulam os seus "seguidores"."

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Aos anônimos comunistas, vou falar aqui o obvio, mas a turma parece não entender nem mesmo o obvio... O capitalismo tem lá seus defeitos, eu concordo, mas o comunismo é muito PIOR isso sem duvidas. todos os países que adotaram o comunismo ficaram miseráveis, atrasados e caíram em decadência completa, a coreia do norte era mais rica que a do sul, mas passado algumas décadas a coreia do sul superou a do norte enormemente.

A União Soviética mesmo que com seus vastos recursos naturais, mesmo com um enorme território e trabalho escravo, caiu... e agora a russia adotou o sistema capitalista. Precisam de mais provas para entenderem o obvio?

O ser humano é assim... preguiçoso e desleixado, se não fosse o sistema capitalista estaríamos ainda andando a cavalo. Os 10% que querem trabalhar e inventar coisas nunca teria maiores motivos para fazer progressos num sistema comunista.

Isso aliás é indiscutível... o resultado que tivemos em países comunistas deixa muito claro, o comunismo não funciona. O capitalismo funciona bem melhor, mas não é perfeito, e precisa ser sempre regulado.

O Capitalismo é o que faz o mundo girar.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

No facebook:

Jeferson Carlos Machado: Bruno, interessante notar que você não gosta do Comunismo, mas teceu uma crítica acerca da religião muito parecida com a de Marx.

Bruno: não é que eu não goste do comunismo, é que ele não funciona mesmo... Veja: http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2010/09/experimento-comunista-teste-do-modelo.html
O comunismo não funciona, simples assim... o que funciona é o capitalismo, mas não concordo com o radicalismo, sou a favor do capitalismo moderado, como o que é praticado pelo PT da Dilma e Lula.

Someone disse...

Este experimento é falho por um simples motivo: as notas dos alunos, em escolas públicas e particulares do Brasil, só poderiam chegar até o valor 10, e principalmente porque a diferença entre a menor nota (0) para a maior nota (10) só pode ser justamente o valor 10.

No atual sistema em que vivemos não há limite desta espécie entre os grupos que auferem os maiores ganhos, pois a possibilidade de auferir valores dentre aqueles que ganham as “maiores notas” (que auferem os maiores lucros) se dá em escala infinita. Ou seja, o sujeito empreendedor, o empresário etc., pode tanto ganhar dez vezes mais como ele pode ganhar mil vezes mais, um milhão de vezes mais em comparação com determinadas categorias de trabalhadores que ganham menos.

Para que este experimento pudesse lograr êxito, não poderia haver este limite de notas ao valor dez. Ao contrário, as notas deveriam se dar em escala infinita, pois com base na lógica de um mérito que é próprio dos sistemas capitalistas, os alunos mais estudiosos (na comparação com os grandes empresários), ao estudarem e serem avaliados deveriam, eles próprios (os alunos mais esforçados e inteligentes), determinar o tanto de questões que suportariam fazer por meio de critérios subjetivos, próprios do sujeito tais como sua capacidade, habilidades, conhecimentos e limites pessoais, de modo que ao final de seu teste, o tanto de questões que ele próprio escolheu fazer por determinação da sua vontade, e consoante com suas capacidades e limites, pudesse dar a ele a verdadeira dimensão de uma avaliação que levasse em conta seu verdadeiro mérito, a recompensa por um esforço que é fruto de seu próprio trabalho e que lhe auferisse o tanto de pontos que o próprio aluno conquistou ao determinar o tanto de questões que ele julgou que seria capaz e suportaria fazer, podendo esta nota chegar a cem, mil, quinze mil e assim sucessivamente, em escala infinita.

Não é possível querer comparar o malogro do regime comunista, em comparação ao sistema capitalista, com um sistema de distribuição de notas cuja diferença entre as notas mínima e máxima só podem chegar, sempre, ao valor 10. Porque, repito, dentro desta lógica de mérito do sistema capitalista, não há limite algum entre o salário de quem ganha menos em comparação ao que ganha mais.

Someone disse...

Talvez alguém ofereça como resposta o seguinte, que o limite de valor dez para a maior nota possível se explica precisamente porque o experimento em análise se inicia e se encerra dentro da própria lógica do regime comunista, em que o potencial humano é limitado pelo próprio sistema em si mesmo. Ok. Mas ainda resta uma indagação: se as notas são “distribuídas pelos próprios alunos entre si”, em que se diz que, em um primeiro momento a nota dos mais inteligentes foi uma, e depois da distribuição passou a ser outra (devido à fórmula aritmética do professor), então quer dizer que a alusão ao sistema comunista só pode ser feita nesta segunda etapa em que ocorre a distribuição de notas. Mas e no primeiro momento, em que os alunos são avaliados individualmente, antes da distribuição de notas? Que sistema teríamos neste primeiro momento? Ora, parece-me claro que o dito experimento se faz em duas etapas:

1ª – quando os alunos mais inteligentes, por mérito próprio, recebem as notas mais altas em virtude de seu esforço;

2ª – quando os alunos menos inteligentes, sem mérito algum, recebem valor a mais em sua nota final em razão desta distribuição.

A mim ressoa evidente que o primeiro momento diz respeito à lógica de retribuição de recompensa dentro de um sistema capitalista, e que o segundo momento diz respeito ao regime comunista. Isso nos mostra que o referido experimento continua falho, já que ainda continua limitando o maior valor possível ao número dez, e que na comparação com o menor valor (nota), a cifra continua sendo exatamente dez.

Someone disse...

O segundo ponto falho deste experimento é que quem distribui as notas, de modo involuntário e a contragosto, são os próprios alunos entre si por intermédio de uma intervenção do professor que faz essa distribuição através de uma fórmula aritmética. Ora, o professor neste exemplo, seria, ele próprio, a figura e representação do Estado comunista, e os alunos (mais inteligentes e menos inteligentes) uma representação dos trabalhadores dentro deste sistema. Para que houvesse alguma aproximação ou similaridade entre este experimento em sala de aula e o comunismo, cumpre haver o seguinte:

1ª – nem os alunos mais inteligentes nem os menos inteligentes auferem notas por conta de seu trabalho, esforço, inteligência, capacidade e limites pessoais; ao contrário, eles fazem questões dentro de um quadro pré-estabelecido pelo “professor-Estado”, em que todos, sem distinção, fazem o mesmo número de questões, cujo montante total vai todo para o Estado (representado na figura do professor), e este, por sua vez, redistribui a menor parcela de notas, desse montante total, para os alunos que as receberão divididas em valores iguais de acordo com contrato previamente acordado entre as partes (de modo a nunca restar dúvida alguma quanto ao valor a se receber), ficando a maior parcela com o próprio professor, o Estado.

Em um sistema de “avaliação e distribuição de notas comunista”, poderíamos dizer que todos os alunos - mais inteligentes e mais esforçados ou menos inteligentes e menos esforçados – fariam REPETIDAMENTE as mesmas questões, todos os dias, de maneira mecânica, de modo que o hábito da repetição sobre as mesmas questões tornasse inviável ou até mesmo impossível o erro. Pois assim era o trabalho em um regime comunista: todos os dias se fazia o mesmo de um trabalho que, antes de executado, era treinado. É mais ou menos como o produtor do campo, que antes de colher o trigo de uma plantação aprender a separar o joio, a fazer a colheita e a produzir a farinha. Isto, uma vez aprendido, torna o erro inviável, e ao mesmo tempo dá a certeza de que todos os produtores do campo, ao realizarem suas tarefas, irão tirar, sempre, “as mesmas notas”. O mesmo ocorre no trabalho da fábrica, das empresas, grandes indústrias, etc.

Someone disse...

2ª – Outro ponto importante que abordei de forma breve no apontamento anterior, é que o próprio salário (nota) que o trabalhador (estudante) irá receber já é previamente acordado em contrato, onde ele irá receber, sempre, aquele valor por tanto de dias trabalhados. Não apenas ele, mas todos os demais. Numa comparação, poderíamos dizer que o dito estudante comunista faz no total de um mês trabalhado, em regime de oito horas diárias, um total de mil questões para responder perguntas são sempre as mesmas, e repetida diariamente de forma intensa, tornando o erro algo improvável em vista da própria mecanicidade com que as responde, e ao mesmo tempo mostrando que ao final do mês, todos os “estudantes-trabalhadores” irão auferir basicamente a mesma nota. Deste total de mil notas acertadas por cada um destes alunos “comunistas”, apenas dez retornam a eles como forma de retribuição pelo trabalho prestado ao Estado comunista, por responder, mês a mês, as mesmíssimas e já manjadas questões, as demais novecentas e noventa questões ficam todas concentradas com o Estado.

Isso, basicamente, seria um experimento comunista em sala de aula. Os alunos nunca, jamais, ficariam com menos ou mais notas em relação uns aos outros, pois antes de pisar os pés na sala de aula, o “professor-Estado” sentaria com cada um destes alunos para acordar os termos das atividades e assinar contrato em que seria firmado exatamente o tanto de questões que cada aluno teria que fazer e o tanto de notas que receberia em troca por fazer estas questões. E antes mesmo de realizá-las, cada aluno receberia treinamento de modo que pudesse responder a cada uma destas questões com facilidade, e o próprio hábito e a mecanicidade de fazer, sempre, todos os dias, as mesmas questões, tornaria impossível o erro e, consequentemente, a diferenciação de notas, já que em um sistema de produção comunista se tem, basicamente, a realização das mesmas atividades todos os dias da semana.

Não quis, com essa exposição, tecer um juízo de valor sobre comunismo ou capitalismo baseado nesta dicotomia bom-ruim. Pelo contrário, mostrei que essa suposta e hipotética experiência do tal professor em sala de aula, para tentar reproduzir o malogro do comunismo por meio de uma distribuição de notas entre os alunos, é inconsistente! É falha! Repleta de equívocos que de modo algum se assemelham ao que de fato foi o comunismo enquanto experiência no início do século XX.

Someone disse...

Por fim, um último erro que acabei de observar.

Neste dito experimento, o professor-Estado não fica com absolutamente nenhuma nota pra si. Não há, por parte do professor, nenhuma intenção em explorar os alunos-trabalhadores de modo que estes produzam para ele, o professor-estado, um tanto de notas mensalmente de modo que, ao final do mês, o montante total de notas fica com o professor e a menor parcela com o total de alunos.

Assim que funcionava no regime comunista. Os trabalhadores eram explorados pelo Estado, prestavam serviços a ele e o resultado final desse trabalho ficava quase todo com o Estado comunista.

No tal experimento, tudo é feito e compartilhado (a contragosto) pelos próprios alunos. A intervenção do professor se limita apenas a aplicar uma fórmula matemática para dar a estes alunos a repartição das notas.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

O motivo do comunismo nunca ter funcionado, (e nunca vai funcionar) apesar do otimismo de Karl Marx, é por causa da índole preguiçosa, indolente, acomodada, egoísta e mesquinha do ser humano. O ser humano infelizmente é uma criatura acomodada, arisca a mudanças, resistente perante as novidades, teimosa em suas crenças e sistemas ideológicos. A grande massa da população é egoísta e não está nem um pouco preocupada com o bem comum, uma parcela se preocupa apenas com si mesmo e com sua família, já outra parcela nem com a família se preocupa... Marx quando concebeu o modelo não contou com os defeitos trágicos da natureza humana, afinal ele não era psicólogo ele morreu antes que a psicologia fosse criada por Freud e Jung, pelo jeito Karl Marx era muito ingênuo em relação a seus semelhantes, ele julgou mal a humanidade, na sua cabeça moldada pela cultura e revoluções no pensamento até 1883 (ano da sua morte) o ingênuo Marx achava que toda a decadência, miséria, estupidez, violência da humanidade era por causa das elites dominantes que oprimia os pobres, fazendo assim os pobres se comportarem de forma selvagem, ele (muito ingenuamente) achava que uma vez implantado um sistema econômico mais “humano” cujas riquezas seriam repartidas igualmente, não importando o seu cargo, trabalho, ou especialização, o mundo da noite para o dia seria transformado num paraíso, haveria paz, amor, fraternidade, igualdade, abundancia para todos!

Mas infelizmente Marx não contava com um dado importante nessa equação toda, a natureza humana é indolente! Malandra! Com tendências a sempre abusar, e enganar o seu semelhante. Então toda a teoria de Marx veio a baixo, é uma utopia que nunca vai ser alcançada exceto se a natureza humana mudar, o que é difícil afinal já faz mais de 130 anos desde a morte dele e a natureza humana continua a mesma...

Marx criou seu modelo econômico baseado em sua personalidade, e na leitura distorcida da personalidade de seus conhecidos, ele ingenuamente achava que todas as pessoas fossem como ele, leso engano! Agora Marx com certeza está se revirando no tumulo.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Enquanto isso no Facebook – Parte 01:

Nadia Li: Essa história de novo! Exemplos completamente sem o menor estudo! Havana sem embargo e sendo prostíbulo dos USA com o povo passando fome e havana com o embargo americano, com uma das melhores medicinas e educação do mundo! Uma Hong Kong em uma época quebrada, por saques de ingleses, e uma China q não é totalmente capitalista e sim q continua tendo suas estatais muito fortes! Existem meia dúzia de países capitalistas ricos e dezenas deles pobres! Então essa sua comparação é uma piada!

Bruno Guerreiro de Moraes: Nadia Li concordo, apenas algumas Dezenas de países capitalistas são ricos, e o restante é pobre. E quantos países comunistas ricos existe? (Nenhum?).

Tiago Sarmento: Acredito que vc precisa estudar um pouco mais Nádia. Leia os livros do autor filho de exilados cubanos Humberto Fontova. Especificamente: “Fidel o tirano mais amado do mundo”.

Shifu Oscar: Brincou, né! Esse Humberto ganha dos americanos pra falar mal de Cuba! esse é o serviço dele! Como o caso da blogueira Yoani Sánchez q vive em Cuba e recebe dos USA para falar mal de Cuba! Para vc ver como lá é tanta tirania, ela continua usufruindo de tudo q Cuba oferece, mas possui um canal apenas para falar mal de lá! Se quiser aprender um pouco sobre Cuba, basta seguir: https://www.facebook.com/vitoriasdarevolucaocubana/

Tiago Sarmento: Ela faz isso pois ela é uma agente cubana de desinformação. Se vc não sabe o que é isso leia o livro Desinformação do ex general soviético Ian Pacepa.

Shifu Oscar: Ricardo Primeiro, qual pais socialista (pq comunista não existe nenhum) é livre para desenvolver sua tecnologia (igual aos capitalistas) sem sofrer embargos e etc?! Cuba é um país pobre, mas não existem miseráveis jogados na rua! Sua medicina, mesmo com toda dificuldade é uma das melhores do mundo! Americanos saem de seus país para se tratar lá! A educação é muito melhor q a do Brasil capitalista e inteiramente de graça! Políticos tem q colocar seus filhos nas mesmas escolas q filhos de lixeiros e etc! Isso é um exemplo de vida!

Samuel Volkins: Hnm... Shifu você diz que Cuba tem umas das melhores medicinas do mundo? Onde você tirou isso? Fontes por favor...

Bruno Guerreiro de Moraes: Nadia eu tenho lá as minhas dúvidas sobre Cuba ter a melhor saúde pública e a melhor educação. Será mesmo verdade isso? Ou são apenas falácias? Propaganda enganosa do governo tirânico? Sobre Hong Kong, essa área é desenvolvida assim graças a influência ocidental, o território era controlado pelos Ingleses, até pouco tempo atrás, quando finalmente depois de décadas de negociação a Inglaterra cedeu perante um acordo onde os chineses permitiram autonomia da cidade. Se a China está tendo algum progresso agora é graças ao afrouxamento do sistema comunista para o capitalista, depois do colapso da União Soviética.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Enquanto isso no Facebook – Parte 02:

Bat Edison: A China mantem a ideologia comunista o PCC da china destruiu a cultura chinesa transformou os chineses em máquinas de trabalho ha muita pobreza na china essas reportagens que aparecem sobre a china só mostram o lado rico que esta nas mãos de poucos chineses ligados ao governo ou a TRIADE , e também empresários estrangeiros pq o povo e muito pobre e explorado , os empresários estrangeiros enfrentam um grande problema montando industrias na china pq o governo chinês detém 50% da empresa , pq o governo e socialista com fins capitalistas, e além disso eles podem copiar a tecnologia de outras empresas pelo simples motivo do governo chinês ser detentor de metade da empresa e se faltar dinheiro eles podem até liquidar as empresas estrangeiras e até mesmo as contas bancarias dos chineses e estrangeiros , isso que a china faz causou um colapso econômico mundial primeiro pq não tem como competir com a mão de obra chinesa e a moeda e segundo pq eles já estão criando suas próprias empresas copiando a tecnologia de empresas estrangeiras , os empresários estrangeiros já estão vendo o prejuízo que estão tomando com isso e estão à procura de um outro pais para montar suas empresas , será que estas reformas na CLT brasileira para baratear o custo da mão de obra não seria uma articulação para estes estrangeiros entrarem no Brasil e explorar o povo da mesma forma que fizeram com os chineses ?

Silvio Mackerly: Pior que o capitalismo, é o capitalismo do roubo dentro de instituições como vemos no Brasil. Prefiro o socialismo nos moldes suecos.

Bruno Guerreiro de Moraes Respondendo ao Shifu: Se o sistema comunista fosse tão bom, não precisaria dos Capitalistas para nada né? E não seria afetado por embargos econômicos impostos por capitalistas não é mesmo? Afinal o sistema comunista é muito "superior" ao capitalismo, e naturalmente iria se sobressair a ele. Mas o que vimos na Guerra Fria foi a União Soviética espremer todos os países membros para arrancar cada centavo para tentar inutilmente vencer a corrida armamentista e espacial. E nessa tentativa exauriram todos os povos a ponto deles se desanimarem e abandonarem o sistema, voltando para o velho e bom capitalismo, que tem muitos problemas, mas é o que funciona. Leu meu texto que coloquei junto com a imagem? Ali digo que sou a favor do Capitalismo moderado, um que não condena a morte por inanição quem é derrotado nesse 'jogo'. O Governo deve ser um agente que modera o sistema, auxiliando quem é derrotado, garantindo que essas pessoas eventualmente tenham uma segunda, terceira, quarta...chance. Eu sou totalmente a favor do Bolsa Família, sou a favor de benefícios sociais aos mais pobres, cotas raciais nas universidades, e a direitos aos trabalhadores. Esse é o capitalismo moderado, praticado pelo Presidente Lula e Dilma. Mas lamentavelmente sabotado por conta da crise financeira de 2008 (que só chegou no Brasil agora, começando em 2014), e essa Elite corrupta que derrubou a Dilma agiu de forma desesperada sem muita razão ao meu ver.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Enquanto isso no Facebook – Parte 03:

Eles tiraram a Dilma para impor uma agenda de arroxo total, corte nos orçamentos sociais, educação e saúde. Porém não podem fazê-lo como gostariam por que se o fizerem vão causar revolta generalizada no país todo e com isso corre-se o risco de que radicais de esquerda tomem o poder e transforme o Brasil numa Venezuela. E depois para tirar esses malucos do poder vai ser necessário um derramamento de sangue sem precedentes nesse país, assim como está ocorrendo agora na Venezuela (escrevo isso dia 05/07/2017). Então meio que ficou seis por meia dúzia, todo aquele "parto" para dar o golpe na presidenta, e nada de cortes profundos no orçamento social aconteceu até agora. Fica claro que o golpe muito se deveu também ao medo dos corruptos de serem presos, eles acharam que tirando a Dilma a Policia Federal seria desmantelada, o Temer iria dar um jeito de cortar o orçamento, e o poder da polícia federal e ministério público (como realmente tentou), mas não conseguiu muita coisa...então deram o golpe na Dilma para que? Prá nada...

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. (Bruno Guerreiro de Moraes)