segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Super Paranormal Daniel Dunglas Home - D.D. Home - Médium de Efeitos Físicos - Materialização e Levitação

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

Super Paranormal - Um dos Maiores de todos os Tempos
Daniel Douglas Home, um dos paranormais mais potentes que já existiram na historia conhecida da Humanidade

Daniel Douglas Home, (ou simplesmente D.D. Home, como ficou mais conhecido), foi um dos maiores paranormais de efeitos físicos que a ciência pode testemunhar em todos os tempos. (entre outros está Carmine Mirabelli, Nina Kulagina e John Chang).

O Super Paranormal Daniel Dunglas Home:



Filho de William Montagu Home e Elisabeth Mcneill, Home nasceu na aldeia de Currie, perto de Edimburgo na Escócia, em 20 de março de 1833. Embora descendente da antiga e nobre família dos Douglas da Escócia, outrora soberana, nasceu na pobreza e como filho ilegítimo sendo adotado por uma tia que o levou aos nove anos para morar em Connecticut, nos Estados Unidos. Desde a mais tenra idade suas aptidões paranormais (psíquica) já se manifestaram. Com seis meses de idade, seu berço se balançava inteiramente sozinho, na ausência de sua babá, e mudava de lugar!

D.D. Home, poderoso desde o nascimento, ainda bebe seu berço balançava sozinho segundo parentes

Nos seus primeiros anos, era tão débil que tinha dificuldade para se sustentar, sentado sobre um tapete, os brinquedos que não podia alcançar vinham a ele sozinhos colocar-se ao seu alcance. Aos três anos teve suas primeiras visões, quando tinha apenas 13 anos viu o espírito do seu amigo Edwin e contou à família que ele estava morto, fato que foi realmente comprovado depois.

Livro em português sobre o super paranormal

Em agosto de 1952 Ward Cheney, próspero fabricante americano de seda, organizou uma sessão espírita em Connecticut. Home, então com 19 anos, estava presente e todos aguardavam manifestações insólitas, tais como luzes misteriosas, objetos flutuantes etc. Mas algo inesperado aconteceu, tornando Home famoso da noite para o dia: ele flutuou no ar e sua cabeça tocou o teto.

Entre os convidados estava um incrédulo repórter do Hartford Times, que descreveu o bizarro incidente: [“Subitamente, sem que ninguém do grupo esperasse, Home subiu no ar. Eu estava segurando a mão dele e examinei seus pés – estavam 30 centímetros acima do chão. Todo o corpo de Home latejava, numa confusão de emoções que iam da alegria ao medo, sufocando suas palavras. Repetidas vezes ele levitou. Na terceira, subiu até o teto do apartamento, onde encostou as mãos e os pés”]

D. D. Home levitou na frente de todos, ficando então mundialmente conhecido

A carreira de Home progrediu; logo ele passou a ser tratado como celebridade tanto nas sessões espíritas quanto na sociedade mundana. Em todos os lugares onde ia ocorriam fenômenos - [o vento uivava, flores frescas se materializavam e caíam do teto, portas se abriam e fechavam, bolas de fogo atravessavam a sala] - Entretanto esta fama teve seu preço, pois Daniel foi obrigado a sair de casa, pois sua família acreditava que era tudo coisa do 'demônio'.

No ano de 1853 foi estudar medicina em New York mas não concluiu os estudos retornando a Grã-Bretanha dois anos depois. No outono de 1855, por motivo de saúde, ele viajou para Florença, durante este período várias pessoas puderam testemunhar sua mediunidade, inclusive o Imperador Napoleão III (não o Bonaparte, mas o descendente deste) e sua esposa a imperatriz Eugênia que puderam constatar os fenômeno da escrita direta com a assinatura de Napoleão Bonaparte (esse sim o Napoleão o “Grande” da Revolução Francesa).

Levitou até na presença do Imperador Napoleão, recebendo então reconhecimento oficial

Em dezembro do mesmo ano Daniel Douglas Home tornou-se católico e tomou a obrigação de romper as suas relações com o mundo dos Espíritos. Durante um ano, com efeito, seu poder oculto pareceu tê-lo abandonado; mas como esse poder estava acima de sua vontade, findo esse tempo, assim como lhe havia anunciado o Espírito de sua mãe, as manifestações se produziram com uma nova energia, o que acabou acarretando sua expulsão da Igreja em 1863 devido as suas práticas ocultistas. Em 1859, já casado, retornou a Inglaterra com a esposa Alexandrina e o filho Gregoire, sua fama já havia crescido consideravelmente e várias celebridades o procuravam sempre.


Igreja Católica considerou D.D. Home uma manifestação do demônio... a estupidez como sempre impera no cristianismo

Em 1868, mais precisamente no dia 13 de dezembro, aconteceu um dos mais fantásticos episódios dentre os muitos envolvendo Home quando ele, estando num dos quartos do terceiro andar do hotel Ashley House, na frente de várias pessoas, levitou saindo por uma janela e entrando por outra e deixando todos os presentes atônitos. Além da levitação D. D. Home possui habilidades de materialização, escrita direta, produção de pancadas, ruídos e até de instrumentos musicais.

Sobre ele Allan Kardec escreveu: ["O Senhor Home é um médium do gênero daqueles que produzem manifestações ostensivas, sem excluir, por isso, as comunicações inteligentes; mas as suas predisposições naturais lhe dão, para as primeiras, uma aptidão mais especial. Sob a sua influência, os mais estranhos ruídos se fazem ouvir, o ar se agita, os corpos sólidos se movem, se erguem, se transportam de um lugar a outro através do espaço, instrumentos de música fazem ouvir sons melodiosos, seres do mundo extra-corpóreo aparecem, falam, escrevem e, freqüentemente, vos abraçam até causar dor. Ele mesmo foi visto, várias vezes, em presença de testemunhas oculares, elevado sem sustentação a vários metros de altura"].

O grande cientista britânico William Crookes (físico, químico, membro do Royal College of Chemistry em Londres) pesquisou a mediunidade de Home e atestou a autenticidade dos fenômenos produzidos. Seu relatório sobre a pesquisa efetuada foi publicado no Quarterly Journal of Science, de julho de 1871.

O aclamado cientista britânico William Crookes reconheceu os potencias psíquicos de Home, saiba quem é Crookes clicando Aqui

Nele, Crookes admitia que a sua mente racional assegurava a impossibilidade de tudo o que observara (já naquela época existia PseudoCéticos), entretanto, reconhecia estar plenamente convencido de que Home era capaz de levitar, segurar brasa nas mãos, alongar-se e fazer com que os objetos flutuassem no ar, dentre outras proezas. O ano 1871 foi também o ano do segundo casamento de Home, desta vez com Julie de Gloumeline, uma Russa muito rica.

D. D. Home casou com a Russa Julie, depois disso... desapareceu da sociedade, nunca mais fez demonstrações publicas, por que? Mistério... especula-se que perdeu os poderes

Nessa década de 1870 D. D. Home cessou suas atividades mediúnicas (sem maiores explicações, suspeitasse que ele perdeu suas capacidades por motivos desconhecidos) e na década seguinte, em 12 de junho de 1886 ele faleceu vítima de tuberculose, após um longo e doloroso período enfermo, morreu com apenas 53 anos, uma morte precoce...

Seu corpo foi cremado em St. Germain-en-Laye. Jamais esse excepcional médium ganhou dinheiro através do uso dos seus preciosos dons mediúnicos. Teve inúmeras oportunidades, mas sempre se recusou. Dizia ele: [“Fui mandado em missão. Essa missão é demonstrar a imortalidade. Nunca recebi dinheiro por isso e jamais receberei.”]

Home... alienado por doutrinas equivocadas, foi quase que esquecido pela história, poderia ter feito muito mais, porém caiu na letargia por conta de princípios insensatos.

Existe ainda mais coisas a se dizer sobre essa figura tão mal divulgada, pesquise na WEB e encontrará vasto material sobre ele, um exemplo é os links que aponto abaixo:


Daniel Dunglas Home - D.D. Home - Super Paranormal










Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Fontes:

Tags: Daniel Douglas Home, Paranormal, mais poderoso, Século 19, Super Paranormal, D.D. Home, Médium de Efeitos Físicos, chico Xavier, Zangbeto, Zangbetos, materialização, mulher do algodão, Edelarzil Munhoz, Materialização, levitou, Levitação, Jesus Cristo, milagre, milagres, 

13 comentários:

Anônimo disse...

Realmente, juntando dinheiro ele podia ter feito muita coisa!
Hoje a igreja católica e os evangélhicos e etc. desacreditam tudo isso (é o demonio!). E ainda preferem acreditar nas reunioes de todas as quintas de cura com um pano vermelho abençoado rs.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Sim, lamentável. Enquanto os homens de virtudes como ele ficam cristalizados por conta de princípios castradores (o que aconteceu também com Chico Xavier)os menos escrupulosos dominam quase que completamente a sociedade, se apossando do dinheiro e de todas as grandes empresas e meios de comunicação.

Os Homens de conteúdo como ele são relegados a notas de roda pé, os compulsivos acumuladores de riquezas são as grandes manchetes, temas de documentários e dos livros de história.

Rodrigo Sebastian Capriolli disse...

é por isso que faço o possível para alinhar a vida espiritual com a material.

Ou é impossível como muitos falam?

Anônimo disse...

O interessante que os pastores se acham no direito de cobrar o dízimo, e a sociedade acha normal, o indivíduo acredita que está investindo na sua melhoria espiritual e também material já que o pastor garante que se ele der o dízimo vai ter casa, carro e o empresa vai prosperar. Não passa de um ebuste, já que tudo começa e termina no indivíduo, se ele tem capacidade intelectual, financeira e principalmente espiritual ele consegue tudo oque precisa. Se o dízimo servisse para o cara acordar espiritualmente valeria o preço, mas isso não acontece, será que o pastor vai querer ficar sem a galinha dos ovos de ouro?

Anônimo disse...

ola, queria saber de quais recursos Daniel usava para levitar, em especial levitar! fluidos astrais? ectoplasma? ou simplesmente sua ediunidade!?

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 01: http://www.autoresespiritasclassicos.com/Autores%20Espiritas%20Classicos%20%20Diversos/Mediuns/D%20D%20Home/Daniel%20Dunglas%20Home.htm

Apresentação da biografia por Allan Kardec:

"O Senhor Daniel Dunglas Home nasceu em 15 de março de 1833, perto de Edimbourg (Escócia). Tem, pois, hoje, 24 anos (artigo escrito por Allan Kardec em fevereiro de 1858). Descende da antiga e nobre família dos Douglas da Escócia, outrora soberana.

É um jovem de talhe mediano, louro, cuja fisionomia melancólica nada tem de excêntrico; é de compleição muito delicada, de costumes simples e suaves, de um caráter afável e benevolente sobre o qual o contato das grandezas não lançou nem arrogância e nem ostentação.

Dotado de uma excessiva modéstia, jamais exibiu a sua maravilhosa faculdade, jamais falou de si mesmo, e se, na expansão da intimidade, conta coisas que lhe são pessoais,, é com simplicidade, e jamais com a ênfase própria das pessoas com as quais a malevolência procura compará-lo.

Vários fatos íntimos, que são do nosso conhecimento pessoal, provam nele nobres sentimentos e uma grande elevação de alma; nós o constatamos com tanto maior prazer quanto se conhece a influência das disposições morais sobre a natureza das manifestações.

O Senhor Home é um médium do gênero daqueles que produzem manifestações ostensivas, sem excluir, por isso, as comunicações inteligentes; mas as suas predisposições naturais lhe dão, para as primeiras, uma aptidão mais especial.

Sob a sua influência, os mais estranhos ruídos se fazem ouvir, o ar se agita, os corpos sólidos se movem, se erguem, se transportam de um lugar a outro através do espaço, instrumentos de música fazem ouvir sons melodiosos, seres do mundo extra-corpóreo aparecem, falam, escrevem e, freqüentemente, vos abraçam até causar dor. Ele mesmo foi visto, várias vezes, em presença de testemunhas oculares, elevado sem sustentação a vários metros de altura.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 02: http://www.autoresespiritasclassicos.com/Autores%20Espiritas%20Classicos%20%20Diversos/Mediuns/D%20D%20Home/Daniel%20Dunglas%20Home.htm

Do que nos foi ensinado sobre a classe dos Espíritos que produzem, em geral, essas espécies de manifestações, não seria preciso disso concluir que o Sr. Home não está em relação senão com a classe íntima do mundo espírita. Seu caráter e as qualidades morais que o distinguem, devem, ao contrário, granjear-lhe a simpatia dos Espíritos Superiores; ele não é, para esses últimos, senão um instrumento destinado a abrir os olhos dos cegos por meios enérgicos, sem estar, por isso, privado de comunicações de uma ordem mais elevada.

É uma missão que aceitou; missão que não está isenta nem de tribulações e nem de perigos, mas que cumpre com resignação e perseverança, sob a égide do Espírito de sua mãe, seu verdadeiro anjo guardião.

A causa das manifestações do senhor Home é inata nele; sua alma, que parece não prender-se ao corpo senão por fracos laços, tem mais afinidade pelo mundo espírita do que pelo mundo corpóreo; por isso ela se prepara sem esforços, e entra, mais facilmente que em outros, em comunicação com os seres invisíveis.

Essa faculdade se revelou nele desde a mais tenra infância. Com a idade de seis meses, seu berço se balançava inteiramente sozinho, na ausência de sua babá, e mudava de ligar. Nos seus primeiros anos, era tão débil que tinha dificuldade para se sustentar, sentado sobre um tapete, os brinquedos que não podia alcançar, vinham, eles mesmos, colocar-se ao seu alcance.

Com três anos teve as suas primeiras visões, mas não lhes conservou a lembrança. Tinha nove anos quando sua família foi se fixar nos Estados Unidos; aí os mesmos fenômenos continuaram com uma intensidade crescente, à medida que avançava em idade, mas a sua reputação, como médium, não se estabeleceu senão em 1850, por volta da época em que as manifestações espíritas começaram a se tornar populares nesse país.

Em 1854, veio para a Itália, nós o dissemos, por sua saúde; espanta Florença e Roma com verdadeiros prodígios. Convertido à fé católica, nessa última cidade, tomou a obrigação de romper as suas relações com o mundo dos Espíritos.

Durante um ano, com efeito, seu poder oculto parece tê-lo abandonado; mas como esse poder estava acima de sua vontade, a cabo desse tempo, assim como lhe havia anunciado o Espírito de sua mãe, as manifestações se produziram com uma nova energia. Sua missão estava traçada; deveria distinguir-se entre aqueles que a Providência escolheu para nos revelar, por sinais patentes, a força que domina todas as grandezas humanas.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 03:
Para o senhor Home, os fenômenos se manifestam, algumas vezes, espontaneamente, no momento em que menos são esperados. O fato seguinte, tomado entre mil, disso é uma prova. Desde há mais de quinze dias, o senhor Home não tinha podido obter nenhuma manifestação, quando, estando a almoçar na casa de um dos seus amigos, com duas ou três pessoas do seu conhecimento, os golpes se fazem súbito ouvir nas paredes, nos móveis e no teto. Parece, disse, que voltaram.

O senhor Home, nesse momento, estava sentado no sofá com um amigo. Um doméstico trás a bandeja de chá e se apressa em colocá-la sobre a mesa, situada no meio do salão; esta, embora fosse pesava, se eleva subitamente e se destaca do solo em 20 a 30 centímetros de altura, como se tivesse sido atraída pela bandeja; apavorado, o criado deixa-a escapar, e a mesa, de pulo, se atira em direção do sofá e vem cair diante do senhor Home e seu amigo, sem que nada do que estava em cima tivesse se desarrumado.

Esse fato, sem contradita, não é o mais curioso daqueles que teríamos a relatar, mas apresenta essa particularidade, digna de nota, de ter se produzido espontaneamente, sem provocação, num círculo íntimo, onde nenhum dos assistentes, cem vezes testemunhas de fatos semelhantes, tinha necessidade de novos testemunhos; seguramente, não era o caso para o Senhor Home de mostrar as suas habilidades, se habilidades havia."

Allan Kardec

Revista Espírita de fevereiro de 1858

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 04: Outras manifestações:

O que distingue Daniel Douglas Home é sua mediunidade excepcional. Enquanto outros médiuns obtém golpes leves, ou o deslocamento insignificante de uma mesa, sob a influência do senhor Home os ruídos, os mais retumbantes, se fazem ouvir, e todo o mobiliário de um quarto pode ser revirado, os móveis montando uns sobre os outros.

Igualmente os objetos inertes, ele próprio é elevado até o teto (levitação), depois desce do mesmo modo, muitas vezes sem que disso se aperceba.

De todas as manifestações produzidas pelo Sr. Home, a mais extraordinária é a das aparições, segundo análise de Allan Kardec. Do mesmo modo sons se produzem no ar ou instrumentos de música tocam sozinhos.

"Seguramente, se alguém fosse capaz de vencer a incredulidade por efeitos materiais, este seria o senhor Home. Nenhum médium produziu um conjunto de fenômenos mais surpreendentes, nem em melhores condições de honestidade."

O senhor Home realizou várias experiências perante o Imperador Napoleão II. Durante essas experiências, obteve-se uma prova concreta da assinatura de Napoleão Bonaparte, com a presença da Imperatriz Eugênia, cujo fato aumentou grandemente sua fama.

Jamais esse excepcional médium mercadejou seus preciosos dons mediúnicos. Teve inúmeras oportunidades, mas sempre se recusou. Dizia ele: "Fui mandado em missão. Essa missão é demonstrar a imortalidade. Nunca recebi dinheiro por isso e jamais receberei."

Como todo o médium, o senhor Home foi caluniado e ferido em sua dignidade, mas nunca lhe faltou, nas horas mais difíceis, o amparo de seus mentores espirituais.

Allan Kardec Revista Espírita de setembro de 1863

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 05:
A levitação de Daniel Dunglas Home na casa de Ward Cheney interpretado de uma litografia do escritor Louis Figuier, Os Mistérios da Ciência (Paris) (1887). "Jamais esse excepcional médium mercadejou seus preciosos dons mediúnicos. Teve inúmeras oportunidades, mas sempre se recusou.

Dizia ele: "Fui mandado em missão. Essa missão é demonstrar a imortalidade. Nunca recebi dinheiro por isso e jamais receberei."

Como todo o médium, o senhor Home foi caluniado e ferido em sua dignidade, mas nunca lhe faltou, nas horas mais difíceis, o amparo de seus mentores espirituais. "

Allan Kardec "O Codificador da Doutrina Espírita"

"Dotado de uma excessiva modéstia, jamais exibiu a sua maravilhosa faculdade, jamais falou de si mesmo, e se, na expansão da intimidade, conta coisas que lhe são pessoais, é com simplicidade, e jamais com a ênfase própria das pessoas com as quais a malevolência procura compará-lo.

É uma missão que aceitou; missão que não está isenta nem de tribulações e nem de perigos, mas que cumpre com resignação e perseverança, sob a égide do Espírito de sua mãe, seu verdadeiro anjo guardião."

Allan Kardec "O Codificador da Doutrina Espírita"

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 01:AS MULHERES NO ESPIRITUALISMO, http://simplesmenteespiritismo.blogspot.com/2012/09/as-mulheres-no-espiritualismo.html
Uma das mais lendárias médiuns americanas foi a Sra MARIA B. HAYDEN.
Não se sabe com certeza sua data de nascimento ou falecimento , mas sua passagem pela Inglaterra foi extremamente polêmica.

Médium americana influente de Boston e esposa de WR Hayden, editor do jornal Star Spangled Banner. Maria Hayden foi o primeiro médium americano a visitar a Inglaterra após o início do MODERNO ESPIRITUALISMO nos Estados Unidos e, posteriormente, teve uma grande influência sobre o desenvolvimento do movimento espiritualista . Ela chegou à Inglaterra em outubro de 1852, em companhia de um homem chamado Stone, que alegava ser um professor em "eletro – biologia ," a arte de hipnotizar contemplando discos metálicos.

Hayden era uma mulher culta e possuía um tipo limitado de mediunidade que consistia principalmente na manifestação de raps (batidas) , no entanto, eles forneceram informações além do conhecimento dos assistentes.

Na imprensa britânica, ela foi tratada como uma aventureira, e difamada por jornais e revistas.

Porém, homens como Robert Chambers , confessaram que estavam confusos e incapaz de explicar os fenômenos. .O Dr Ashburner. um dos médicos da realeza , veio a publico defendê-la , assim como fez Sir Charles Isham.

A conquista mais importante foi a conversão ao Espiritualismo de AUGUSTUS DE MORGAN, o famoso matemático e filósofo, pioneiro nas pesquisas mediúnicas.

O veterano socialista ROBERT OWEN , 83 anos na época , pai de ROBERT DALE OWEN , também participou de várias sessões. Como resultado, ele corajosamente abraçou o Espiritualismo .

Após estadia de um ano em Inglaterra Maria Hayden voltou para os EUA, se formou em medicina, e praticou por 15 anos , com poderes de cura tão notáveis ​​que James Rhodes Buchanan, o pioneiro famoso em psicometria, declarou que ela era "um dos médicos mais hábeis e bem sucedido que eu já conheci."

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 02: AS MULHERES NO ESPIRITUALISMO, http://simplesmenteespiritismo.blogspot.com/2012/09/as-mulheres-no-espiritualismo.html
Mais tarde ela foi oferecida uma cátedra médica em uma faculdade americana.

O grande médium DANIEL DUNGLAS HOME deu uma de suas primeiras sessões públicas na casa dos Haydens, em março de 1851.

EMMA HARDINGE BRITTEN - (1823 - 1899)

A inglesa Emma Hardinge Britten foi uma das maiores divulgadoras causa espiritualista. Emma, cuja família era protestante, tinha grande aversão pelos fenômenos mediúnicos e pelas idéias dos espiritualistas.

Só a partir de 1856, passou a exercer sua mediunidade clarividência.

Ela protagonizou um dos casos mais bem documentados de sua época, quando em transe afirmou que o Navio Pacific tinha naufragado no Oceano Atlântico e que todos os seus passageiros tinham sido mortos. Por conta desta revelação ela foi perseguida pela empresa proprietária da embarcação. Emma afirmou que suas declarações se baseavam em depoimentos de Espíritos desencarnados na tragédia. Por fim todas suas informações foram confirmadas.

Após o incidente ela seguiu suas atividades mediúnicas viajando por todos os lugares dos Estados Unidos, fazendo propaganda do Espiritualismo Moderno e exercendo seus dons.

Voltou para a Inglaterra em 1856, onde escreveu duas obras de cunho espiritualista, Modern American Spiritualism (Espiritualismo Americano Moderno) e Ninetteenth Century Miracles (Milagres do Século Dezenove) .

No ano de 1870 casou-se com o Dr. Britten, espiritualista tão devotado quanto ela. Tudo indica que foi uma união realmente feliz.

Lançou o jornal de The Two Worlds de Manchester e em 1878 ela viajaria junto com o seu esposo para Austrália e a Nova Zelândia, ali demorando muitos anos e fundando as bases de numerosas sociedades espiritualistas.

As obras de Emma Hardinge Britten, foram das mais relevantes, devendo-se a ela grande número de conversões, inclusive de pessoas de grande projeção na época.

Ernesto Bozzano, em depoimento escrito para a revista “La Luz Del Porvenir”, relatou que o livro "Modern American Spiritualism" lhe foi muito proveitoso no período de sua conversão ao Espiritismo.

Referindo-se à médium em sua pesquisa Arthur C. Doyle afirmou:

“(...) A série de casos fenomenais era tão grande que Mrs. Britten contou mais de quinhentos exemplos registrados na imprensa nos primeiros anos, o que representa provavelmente algumas centenas de milhares não registrados (...)”.

Outra de suas grandes contribuições a causa espiritualista , foi a criação os "Sete Princípios do Espiritualismo ", que teriam sido ditados pelo espírito de ROBERT OWEN.

Antonio disse...

Obrigado pelo post, Gratidão.

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. (Bruno Guerreiro de Moraes)