terça-feira, 14 de julho de 2009

Os Paranormais Russos e Norte Americanos - União Soviética e EUA - Estudos Científicos - Provas Irrefutáveis - Poderes da Mente

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”?

Reconstrução de Órgãos, Rejuvenescimento, Imortalidade [Clique Aqui]

Documentário os Verdadeiros Paranormais - Provados Cientificamente - Os Paranormais Russos:
Os Paranormais Norte Americanos - Poder da Mente - Força da Mente - Capacidades Psíquicas

7 Casos paranormais russos que lhe farão tremer de medo:

Uma Disputa Realmente Poderosa!

Estudos parapsicológicos muito sérios foram feitos nos EUA e União Soviética, além de disputarem para ver quem iria conseguir as bombas atômicas mais poderosas e quem iria conquistar o espaço primeiro, também houve uma disputa para ver quem iria ter o maior avanço científico na área da parapsicologia, e assim terem os mais poderosos e eficientes paranormais a seu serviço. Os Nazistas tinham imenso interesse na paranormalidade e foram atrás para estudar e ativar capacidades psíquicas e ter assim esses poderes a seu favor, conseguiram grandes avanços graças a isso, mas a guerra destruiu todo o progresso feito até então.

Porém os EUA e Russos seguiram com os estudos, e ao que tudo indica alcançaram imenso sucesso. Infelizmente esses progressos são guardados a 7 chaves pois são descobertas altamente estratégicas e verdadeiras “armas de guerra” tão ou mais importantes que as armas de destruição em massa. As duas super potencias mantém tudo em segredo. Apenas alguma coisa ali ou aqui vaza, mas logo é desmentido e jogam desinformações para despistar.

Rússia levou a sério o estudo dos poderes paranormais humanos


O QUE É PARAPSICOLOGIA?

 Graças a seus estudos, os Russos descobriram vários mecanismos que acionam os poderes adormecidos dos seres humanos, infelizmente as descobertas são mantidas em sigilo...

É o estudo dos fenômenos paranormais, estes classificados, no Brasil, sob a seguinte taxionomia:

PSI-GAMA – Telepatia, Precognição e Clarividência: percepções bio-psíquicas de informações, atuais ou futuras, sem interferência da lógica ou de qualquer sentido conhecido.

PSI-KAPA – Psicocinese: manifestações energéticas de agentes bio-psíquicos vivos, com violação flagrante das leis físicas atuais.

PSI-TETA – Categoria de fenômenos que envolvem comunicação inteligente com entidades individualizadas extra-cerebrais.

FENÔMENOS ATÍPICOS – Vasto espectro fenomênico, sem explicação razoável, situado ainda no nível empírico da pesquisa, do qual são exemplos as influências de formas geométricas, de cristais e de cores sobre organismos biológicos e não biológicos.

Na Rússia (
antiga União Soviética) estes estudos foram levados muito a sério, isso graças a cultura ali ser bem mais sofisticada que a do Ocidente (graças à proximidade com o oriente médio e extremo oriente, Tibete, por exemplo), mas todo esse interesse moderno lá devesse principalmente a um super Paranormal que deu provas incontestáveis aos Russos de que os poderes psíquicos realmente existem. Esse homem chamava-se: Wolf Messing, sobre ele [Clique Aqui]. A Ninel Kulagina foi outra paranormal autêntica que animou os Russos a estudar os poderes inerentes da natureza humana, veja artigo sobre ela, [Clique Aqui].


A super psíquica Ninel kulagina, estudada por mais de 40 cientistas por quase 20 anos

Por causa dele, as investigações modernas sobre paranormalidade na União Soviética começou, e foi alimentada por outros super paranormais que foi aparecendo por lá desde aquela época até os dias de hoje.

Um dos nomes mais famosos é a Ninel Kulagina, vídeos sobre ela:

A natureza mais profunda das pesquisas é considerada confidencial pelo governo Russo...

Desde o tempo da União Soviética os estudos sobre a paranormalidade se mantém secreto

A partir dos anos 70, o governo da até então União Soviética resolveu que todo o tipo de pesquisa sobre o paranormal e potenciais psíquicos deveriam ser classificados como Ultra Secretos. Por segurança nacional e para preservar a vantagem logística, a União Soviética proibiu a divulgação desses estudos. Essa decisão continua em vigor até os dias de hoje... O documentário que está vendo é por tanto muito precioso, espero que você dê o devido valor que ele merece.

Além de armas de destruição em massa, a União Soviética procurava também criar armas parapsicológicas, e pelo jeito tiveram grande sucesso

Wolf Messing | 1899-1975 - Paranormais Russos

Wolf Messing super paranormal Polonês que se tornou o Mago de Stalin

Wolf Messing foi um paranormal russo: telepata, leitor de mentes, via à distância e teve a sorte de sobreviver a duas catástrofes históricas: o Holocausto e o regime mortal de Joseph Stalin. Filho de judeus, nasceu em 1899, em Gora-Kavaleiya, próximo a Varsóvia - Polônia, na época, parte do Império Russo. Na infância, sofreu de lunatismo, uma desordem de comportamento causada pela influência das fases da Lua.

Aos seis anos, foi mandado para uma escola religiosa onde se distinguia por sua devoção e sua incrível habilidade para memorizar orações. Ainda rapaz, saiu de sua terra natal de maneira inusitada: embarcou no primeiro trem que passava à sua frente. Ia para Berlim; Messing não tinha a passagem; quando o bilheteiro entrou na cabine e pediu o ticket, Messing apanhou um papel no chão e mirando fixamente os olhos do homem, entregou o papel cheio de convicção de que era uma passagem. O fiscal aceitou sem ressalvas; Wolf Messing começou sua incrível história de paranormal. 

Em Berlim, conheceu o psiquiatra e neurologista profº Abel, o primeiro a perceber os incríveis poderes mentais e habilidade de controlar o próprio corpo. Abel começou a conduzir experiências de leitura da mente. Messing podia colocar a si mesmo em estado de catalepsia - uma espécie de transe, estado alterado de consciência. Nesse estado, podia ver o futuro. O jovem Messing começou, então, a trabalhar no Panopticum de Berlim - um circo, um teatro de variedades. No leste europeu, os shows com paranormais são muito comuns.

O profº Abel estava espantado com os resultados das experiências. Messing podia entender comandos mentais, que executava com precisão. Ele treinava indo ao mercado de Berlim ler a mente dos vendedores. Era um adolescente ainda. Abel começou a orientar exercícios de superação da dor e Messing tornou-se tão hábil quanto um faquir. Com o dinheiro das apresentações ajudava a família.

Aos 16 anos viajou. Era sua primeira turnê. Ele era muito mais que uma simples atração de entretenimento. Usava os espetáculos para executar um programa experimentos psicológicos e assim conhecer melhor e aprimorar seus poderes, interagindo com o público: executava comandos, sabia a vida das pessoas sem nunca tê-las visto, encontrava objetos perdidos.

Sua fama cresceu e atraiu a atenção de Albert Einstein. Na casa de Einstein, conheceu Freud que fez com ele experiências mentais. Freud lhe ensinou a arte da concentração e do auto-hipinotismo. Messing conheceu muitas outras personalidades famosas, como Gandhi, em 1927.

Em 1917, começou uma turnê internacional surpreendendo as pessoas em todo o mundo. Em 1921 tinha um famoso médium como empresário. Fez inimigos entre os charlatães que tramavam contra ele porém, Messing descobria os planos dos rivais usando sua apurada percepção. Resolveu crimes recuperando coisas valiosas.

Inimigo do Terceiro Reich

Em 1937, Wolf Messing entrou para a "lista negra" de Aldolf Hitler. Durante um espetáculo, em Varsóvia, profetizou a derrota dos alemães se tentassem invadir a Rússia. Hitler, que era fascinado por poderes místicos, reagiu mal às declarações. Ficou histérico... e os nazis colocaram a cabeça de Messing "a prêmio" por 200 mil marcos. Não se sabe ao certo se Hitler queria o paranormal morto ou se pretendia usá-lo em cativeiro. Messing teve de esconder por um longo tempo.

Em 1939, chegou a ser preso em Varsóvia, embaraço do qual se livrou graças a seus poderes. Trancado, dominou mentalmente os guardas para que fossem à sua cela, abrissem e se deixassem trancar lá, no lugar dele. Em fuga, foi para a União Soviética.

Stalin

Na União Soviética encontrou a proteção Panteleymon Ponomarenko, líder comunista na Bielo Rússia. Voltou a se apresentar em público até que a polícia secreta (NKVD) apareceu e interrompeu o espetáculo. Messing foi levado a Moscou para conhecer pessoalmente Joseph Stalin. Stalin estava interessado em Messing; embora não fosse religioso, o ditador considerava possíveis as faculdades paranormais. Para testar Messing, Stalin mandou que assaltasse um banco.

Roubando um Banco

Messing, seguido por um esquadrão de polícia, caminhou até o Banco Central, em Moscou, e ali se apresentou dizendo que tinha uma ordem de pagamento de 100 mil rublos. Abriu sua pasta diante do homem do guichê e foi prontamente atendido.

Deixou o edifício com o dinheiro provando seu poder; mas retornou para devolver a quantia. O caixa, ao ver o dinheiro, foi tomado de forte comoção e sofreu um ataque cardíaco. Messing ficou feliz quando soube que o homem tinha sobrevivido.

Stalin ficou convencido e a fama veio imediatamente. Wolf Messin se transformou em um tipo de superstar. Sua assistente, Valentina Ivanovskaya, conta que o Messin conheceu Beria, Voroshilov, Kalinin e outras personalidades soviéticas. Stalin e Lavrenti Beria - chefe da polícia secreta, decidiram testar as habilidades hipnóticas novamente. Messing deveria sair do Kremlin sem passe e vencer a barreira dos guardas.

Messing se foi e ninguém o abordou ou barrou seu caminho. Ele encontrou os líderes soviéticos na rua; tinha feito os guardas acreditarem que ele, Messing, era o próprio Stalin. Voltando ao Kremlin, captou o pensamento de um sentinela: “Você é sujo judeu” - pensou o guarda. O telepata golpeou o guarda na nuca usando o pensamento e o sentinela caiu. Messing foi consultado várias vezes pelos líderes soviéticos e reunia-se com a elite do partido e oficiais da polícia secreta em uma atividade extremamente desgastante.

Entre 1943 e o fim da guerra as apresentações foram suspensas. Nesse tempo, o governo soviético teria requisitado seus serviços em uma missão de espionagem na Sibéria. Não há menção a esse período na biografia do paranormal. Algum tempo depois do recolhimento de Messing, os alemães invadiram a Rússia.

Messing foi convidado a falar com a cúpula do Forças Vermelhas. Ele previu uma guerra feroz com a Alemanha que terminaria entre 3 ah 5 de maio de 1945 com vitória soviética. Stalin foi informado sobre a previsão e quando a guerra acabou, o chefe soviete mandou um telegrama de congratulações para o "profeta". Messing guardou este telegrama durante anos. Messing doou seu próprio dinheiro para a construção de dois aviões de guerra e ajudou seu país por adoção muitas outras vezes. Sua família tinha sido dizimada no Holocausto. Com o fim da guerra voltou a fazer apresentações públicas e foi atração da TV. 

Paranormalidade incontestável 

Durante a guerra o telepata fez muitas performances em unidades militares soviéticas e hospitais. Suas misteriosas faculdades intrigavam os ideólogos comunistas da propaganda materialista. Em 1950 a Instituto de Filosofia da Soviet Academy of Sciences publicou uma análise declarando que as habilidades telepáticas de Messing eram baseadas na interpretação dos reflexos do pensamento da pessoa no sistema neuro-motor ou seja, na verdade Messing estaria "lendo" os movimentos involuntários e inconscientes.

Os pseudocientistas proclamavam que "telepatia não existe"; o pensamento humano não pode "existir" fora do cérebro ou do mundo material. 

Messing acreditava na existência de um "campo" especial responsável pelas comunicações telepáticas. Achava que isso deveria ser pesquisado. Era fascinado pela hipnose; em sua juventude, na Polônia, usara a telepatia para produzir cura de doenças mentais. Também podia ver o futuro e não escondia que acreditava na clarividência. O mais difícil ao explicar esse fenômeno era compreender a essência do tempo e sua conexão com o espaço e a interconexão entre passado, presente e futuro. Wolf Messing trabalhou até 1974. Falava fluentemente polonês, russo, hebreu e alemão. Morreu em 1975 e foi enterrado junto de sua esposa no cemitério de Vostryakovsky, Moscou. A KGB confiscou seus diários pessoais e notas imediatamente após sua morte. O conteúdo desse material jamais foi divulgado até hoje, classificado como altamente secreto.

FONTE: Wolf Messing: Russia's Greatest Psychic - IN Thoth Web - Paul Stone Hill - acessado em 16/11/2006 - tradução: Ligia Cabús (Mahajah!ck).

Wolf Messing, o “Mago de Stálin

Mago, hipnotista, vidente e telepata, Wolf Messing (1899-1974) era alguém parecido com o Conde Caliostro, pessoa que tinha as mesmas maneiras misteriosas. Hitler o temia; Stálin e Béria o ouviam. No entanto, ninguém sabia exatamente como ele era na realidade. Quando se trata de Messing, é quase impossível separar o mito da realidade.

Wolf Messing nasceu em uma região judia na parte da Polônia que então pertencia ao Império Russo. Seus pais queriam que ele se tornasse rabino e o enviaram para uma escola religiosa. Mas não era isso que Wolf queria. Ele decidiu que tinha outra missão na vida. E fugiu, partindo no primeiro trem.

Sem dinheiro para um bilhete, se escondeu debaixo de um banco. Mas o cobrador o viu, o tirou debaixo do banco pelo colarinho e exigiu um bilhete. Wolf, em seguida, entregou-lhe um pedaço de jornal velho. O cobrador furou o bilhete e disse: “Esquisitão, você tem um bilhete e mesmo assim se esconde?”. Desde então, ele percebeu que podia controlar as pessoas, influenciar sua vontade.

O trem o levou a Berlim. No começo, ele viveu na pobreza. Lavava pratos, limpava sapatos. Passava fome até desmaiar. Em seguida, conseguiu emprego em um circo. Apresentava shows impressionantes e rapidamente tornou-se popular. Messing podia descobrir coisas escondidas, ler mentes, prever o futuro e hipnotizar. E fazia tudo isso de maneira honesta, sem a ajuda de assistentes. Não eram truques, mas verdadeiro prodígios e clarividências.

Um dia, o circo foi para Viena em turnê, onde Sigmund Freud e Albert Einstein mostraram interesse pelo fenômeno. E assim os três se encontraram para experimentar. Messing teria dito a Freud: “Faça um desejo e vou cumpri-lo”. Então ele veio para Einstein, tirou do seu bigode três pelos. “Você queria isso?”, perguntou ele. “Sim”, disse Freud.

Preso por Hitler

Messing viajava muito, seus experimentos provocaram interesse em públicos diferentes. Mahatma Gandhi, Marilyn Monroe e o presidente polonês Pilsudski foram visitar-lhe. Quando Hitler chegou ao poder, Messing voltou para a Polônia. Lá, em um teatro de Varsóvia, ele fez sua famosa profecia. Messing disse: “Se Hitler for para Oriente com uma guerra, lá ele encontrará sua morte.”

As palavras chegaram ao Führer. Hitler ficou terrivelmente irritado e anunciou a recompensa de 200 mil marcos pela cabeça de Messing. Começou a perseguição. Após os nazistas tomarem Varsóvia, Messing foi preso pela Gestapo.

Ele foi detido pela patrulha, levou um soco nos dentes, perdeu a consciência e acordou já na prisão. Sobreviveu apenas graças a seu talento. Com a força de sua mente, ordenou a Gestapo para que entrassem na cela. A polícia secreta obedeceu e entrou, sem entender porque o faziam e Messing os trancou. Saiu de prisão e se dirigiu para a fronteira soviética.

Na União Soviética, já conheciam Messing. Stálin mandou um avião particular atrás dele, ordenou que fosse entregue ao Kremlin. Oficiais vestidos com o uniforme do NKVD (Comissariado do Povo para Assuntos Internos) o acompanharam.

“Mostre o que você sabe fazer”, teria dito Stálin. “Venha me ver amanhã na casa de campo. Você não precisa de um passe, não é?”

No dia seguinte, Messing entrou no território da datcha de Stálin sem nenhum obstáculo. Ele fez o guarda acreditar que era o Comissário Geral da Segurança do Estado, Lavrentii Beria. Assim, conseguiu passar por toda a guarda.

A próxima etapa era mais difícil. Stálin ordenou a Messing que recebesse 100 mil rublos em um banco estatal sem nenhum documento. No dia marcado, Messing chegou ao banco central, entrou na sala, mostrou uma folha de papel branco e pediu para que lhe dessem cem mil rublos. Uma funcionária fez tudo o que ele pediu. O mago colocou o dinheiro na mala e se dirigiu para o Kremlin.

Não se sabe se Mikhail Bulgakov ouviu falar sobre Messing. Provavelmente sim. No geral, todos esses prodígios são muito semelhantes àqueles que foram feitos por Woland em seu romance “O Mestre e Margarita”.

Na Rússia, Messing continuava a praticar profecias. No início, uma semana antes da guerra, ele previu o seu começo. Disse que na última semana de junho de 1941 a guerra começaria. Então, antes da guerra, ele disse que viu como os tanques soviéticos entravam em Berlim.

Relação com Stálin

Ele tinha uma relação difícil com Stálin. Claro que não era o seu mago pessoal, como se pensa em geral. Stálin não precisava de um mago. De fato, Messing podia ler mentes. Mas o próprio Stálin sabia os pensamentos de sua comitiva. E seus próprios pensamentos ele cuidadosamente escondia de todos. Portanto, não precisava de um telepata, nem de um vidente. É pouco provável que Stálin gostasse de que alguém pudesse ler seus pensamentos. Eles se encontraram apenas algumas vezes. No entanto, Messing teve um impacto sobre Stálin.

A mágica de Messing, porém, não podia ajudar a ele próprio. Nos últimos anos de sua vida, ele estava gravemente doente e tinha muito medo da morte. Quando foi levado para fora de casa para ser operado, teria dito, olhando para o seu retrato, “Acabou Wolf. Por aqui você não vai voltar mais.”

Messing morreu e seu mistério não foi descoberto. Dizem que os documentos sigilosos sobre Messing ainda estão em arquivos do FSB. Mas nenhum deles pode explicar seus poderes especiais. Por Ian Chenkman/Gazeta Russa.

ÍMPERIO DAS BRUXAS MAIS PODEROSAS 
Por BBC - Rússia: quem são as bruxas que apoiam Vladimir Putin com rituais e orações políticas (10 fevereiro 2019)

Reunidas em círculo, mulheres de capuzes e túnicas pretos, com um símbolo místico vermelho nas costas, baixam a cabeça e fazem um momento de silêncio. Sua líder vai ao centro e começa a entoar orações misturadas com slogans políticos. "Que venha com grandeza, o poder da Rússia, que guie o caminho de Vladimir Putin de forma correta por meio de minha reza. Respire, Mãe Terra, abraçando a Rússia por todos os lados", diz a autoproclamada chefe do grupo, Alyona Polyn.

Enquanto as outras mulheres fazem gestos de concordância, ela prossegue: "Ó, poder primordial, regresse ao abismo aqueles que odeiam a Rússia. Que a Rússia se levante e se afaste da penúria e da pobreza e que os próximos dias abram as portas da felicidade".

Estas mulheres fazem parte do "Império das Bruxas Mais Poderosas", um grupo ocultista de feiticeiras russas que realiza com frequência "círculos mágicos de poder" para demonstrar seu apoio ao país e seu presidente.O último encontro ocorreu na terça-feira na região central da capital russa, Moscou. As invocações patrióticas e a favor de Putin que permearam a cerimônia foram noticiadas por diversos veículos.

"Uma pessoa deve apoiar o governo e a Vladimir Putin antes e acima de tudo", disse uma das bruxas, chamada Yulia. Outra integrante do grupo disse à agência de notícias Reuters: "Nosso país enfrenta tempos difíceis, e gostaríamos de apoiar o presidente com a ajuda dos nossos poderes. Queremos que os vilões [que atacam Putin] fiquem em silêncio".

Sua líder, Polyn, se autodefine como a bruxa principal do grupo, fundadora do Império e herdeira de uma sabedoria ancestral. Ela contou a veículos russos que suas cerimônias sempre têm manifestações de apoio ao país e ao presidente, "já que ele é o rosto da Rússia". Também afirmou que uma bruxa nunca deve falar mal de Putin.

Segundo as bruxas, não se deve falar mal de Vladimir Putin

O evento e sua divulgação na imprensa geraram críticas de setores da oposição, porque, no mesmo dia, autoridades do país condenaram a seis anos de prisão um dinamarquês que é Testemunha de Jeová, denominação religiosa considerada uma organização "extremista" e proibida na Rússia desde 2017.

Mas quem são as mulheres do Império, que, com rituais e feitiços, manifestam seu apoio incondicional ao Kremlin?

Quem são as bruxas do Império?

Jüri Maloverjan, correspondente do serviço russo da BBC, explica que o grupo é formado por dezenas de integrantes, em sua maioria mulheres, que compartilham a crença nos rituais criados por Polyn, considerada por meios de comunicação do país como a "bruxa mais proeminente de Moscou".

Segundo ela própria, seus conhecimentos foram herdados de sua família e usados como base para a criação do "maior grupo de feiticeiros do país". Seus membros costumam se apresentar com outros nomes ou usam apelidos que fazem alusão a elementos mágicos ou ingredientes tradicionais de magia, como Christina Mandrágora.

Ainda que seja incerto o número total de membros, o grupo se autodefine em seu site como a "única organização pra todos os envolvidos com magia e feitiçaria" a nível mundial e oferece serviços que vão de leitura de cartas de tarô a remédios contra maldições ou feitiços para atrair o amor. Os preços giram em torno de US$ 80 (R$ 300) e chegam a passar de US$ 150 (R$ 560) em alguns casos.

Maloverjan diz que o ocultismo e tudo que é vinculado a horóscopos e bruxaria são práticas bastante populares na Rússia e muito presente em seu folclore, ainda que fossem mal vistos e até mesmo proibidos durante a era soviética. Estima-se que esse movimento muito mais popular na Rússia do que em qualquer outro lugar da Europa Ocidental.

Por isso, avalia ele, muitos encontraram nisso uma forma de ganhar dinheiro nos últimos anos. De acordo com dados do Ministério da Saúde russo, citadas pelo jornal The Moscow Times, mais de 800 mil russos prestavam serviços como curandeiros, médiums, videntes, entre outras atividades do tipo, em 2017.

Aprovação ao governo permite que grupos permaneçam na legalidade

Mas analistas russos destacam que, diante das restrições a outras denominações e cultos religiosos na Rússia, muitos viram que demonstrar seu apoio ao governo é uma forma de manter seus ritos na legalidade - e também de marketing.

Após a queda do regime soviético, o cristianismo ortodoxo voltou a ser a principal religião da Rússia: estima-se que 75% da população o pratiquem. Mas isso não impediu que outros cultos mais próximos do folclore nacional também florescessem.

Putin mantém-se próximo de líderes da Igreja ortodoxa, o que, em certa medida, fez com que, no ano passado, a Ucrânia se separasse formalmente desta corrente cristã.

Putin é próximo de líderes da Igreja ortodoxa

Maloverjan explica que Putin nunca demonstrou inclinações a práticas ocultistas, ainda que o apoio de grupos assim ao presidente garanta sua legalidade.

O presidente russo já foi premiê do país no início deste século e venceu sua mais recente eleição em março de 2018, com mais de 76,69% dos votos, segundo dados oficiais. Está em seu quarto mandato presidencial, que vai até 2024.

E, ainda que sua popularidade tenha caído por algum tempo para seu menor índice histórico após uma reforma do sistema de pensões, ele segue com um apoio significativo em vários setores da população. Por isso, diz Maloverjan, demonstrar estar ao lado de Putin é uma forma de grupos como o Império de conquistar aceitação entre os apoiadores do presidente.

Nas redes sociais russas, muitos questionam se o Império usa tais pronunciamentos políticos para se manter nas manchetes e atingir mais pessoas, a ponto de ter rezado pelo presidente americano Donald Trump. O grupo também tem sido acusado de enganar pessoas com suas práticas.

Bruxos de todo o mundo lançaram feitiços contra Trump

A iniciativa foi elogiada por veículos oficiais russos, que compararam o apoio das bruxas a Putin com outros rituais de protesto de outros grupos de feiticeiros contra Trump e seu governo.

"Bruxas de todo o mundo planejaram um grande ritual contra Trump e 'todos que o instigaram' em 2017", recordou a emissora RT, que também mencionou um ritual mágico para evitar que Brett Kavanaugh, indicado por Trump à Suprema Corte do país, assumisse o posto. Esse, pelo menos, não surtiu efeito. Em outubro do ano passado, Kavanaugh foi confirmado pelo Senado e tornou-se o novo ministro da mais alta instância da Justiça americana.


Veja nessa pagina outro super paranormal fantástico:
Paranormais Russos, levados muito a sério pelo governo

Stalin assim como Hitler se interessava por ocultismo e poderes da mente

Fontes: [Clique Aqui]

- Ingo Swann, Remote Viewer, SRI, foi um vidente , artista e autor conhecido por ser o co-criador, junto com Russell Targ e Harold E Puthoff ,de visão remota , e especificamente o Projeto Stargate, https://en.wikipedia.org/wiki/Ingo_Swann
- Tom Durant Paranormal Consultant Radio Host, https://paranormalconsultationnetwork.wordpress.com/the-consultants/
Sgt. Mel Riley, Remote Viewer, US Army, Remote Viewers: The Secret History of America's Psychic Spies, https://www.amazon.com.br/Remote-Viewers-Jim-Schnabel/dp/0440614058
Remote Viewers é um conto das tentativas do Pentágono de desenvolver a ferramenta perfeita para espionagem: espiões psíquicos. Esses espiões psíquicos, ou "observadores remotos", eram capazes de se infiltrar em qualquer alvo, iludir qualquer forma de segurança e nunca arriscar nada. Durante vinte anos, o governo selecionou civis e militares para habilidades psíquicas, treinou-os e colocou-os para trabalhar, em tempo integral, às custas dos contribuintes, contra alvos reais de inteligência. Os resultados foram tão surpreendentes que o programa logo envolveu mais de uma dúzia de agências separadas, incluindo a CIA, a Agência de Inteligência de Defesa, o Conselho de Segurança Nacional, o FBI, a Agência de Segurança Nacional, o Serviço Secreto, a Marinha, o Exército, o Força Aérea, o Estado-Maior Conjunto, a Agência Antidrogas, o Serviço de Alfândega dos EUA, o Comando das Forças Especiais dos EUA e pelo menos uma força-tarefa de interação com drogas do Pentágono. A maior parte deste material ainda é oficialmente classificada.

Meus Sites:
https://osaltociencia.blogspot.com/2008/12/iniciacao-o-salto-quantico-genetico-o.html

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...
Tags: força da mente, james randi, mistério, nina kulagina, paranormal, Poder psíquico, russos, sobrenatural, super humanos, neuromagico, nicolas junqueira, padre quevedo, charlatão, caçador de charlatões, mágico, psi corp, médium, mediunidade, os paranormais,

10 comentários:

James Rocha disse...

Stalin, assim como Hitler, assim como eu...

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Dê: http://www.sofadasala.com/pesquisa/wolfmessing01.htm

Parte 1]

Wolf Messing | 1899-1975

Wolf Messing foi um paranormal russo: telepata, leitor de mentes, via à distância e teve a sorte de sobreviver a duas catástrofes históricas: o Holocausto e o regime mortal de Joseph Stalin. Filho de judeus, nasceu em 1899, em Gora-Kavaleiya, próximo a Varsóvia - Polônia, na época, parte do Império Russo. Na infância, sofreu de lunatismo, uma desordem de comportamento causada pela influência das fases da Lua.

Aos seis anos, foi mandado para uma escola religiosa onde se dintinguia por sua devoção e sua incrível habilidade para memorizar orações. Ainda rapaz, saiu de sua terra natal de mamneira inusitada: embarcou no primeiro trem que passava à sua frente. Ia para Berlim; Messing não tinha a passagem; quando o bilheteiro entrou na cabine e pediu o ticket, Messing apanhou um papel no chão e mirando fixamente os olhos do homem, entregou o papel cheio de convicção de que era uma passagem. O fiscal aceitou sem ressalvas; Wolf Messing começou sua incrível história de paranormal.

Em Berlim, conheceu o psiquiatra e neurologista profº Abel, o primeiro a perceber os incríveis poderes mentais e habilidade de controlar o próprio corpo. Abel começou a conduzir experiências de leitura da mente. Messing podia colocar a si mesmo em estado de catalepsia - uma espécie de transe, estado alterado de consciência. Nesse estado, podia "ver o futuro". O jovem Messing começou, então, a trabalhar no Panopticum de Berlim - um circo, um teatro de variedades. No leste europeu, os shows com paranormais são muito comuns.

O profº Abel estava espantado com os resultados das experiências. Messing podia entender comandos mentais, que executava com precisão. Ele treinava indo ao mercado de Berlim ler a mente dos vendedores. Era um adolescente ainda. Abel começou a orientar exercícios de superação da dor e Messing tornou-se tão hábil quanto um faquir. Com o dinheiro das apresentações ajudava a família.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 2]

Aos 16 anos viajou. Era sua primeira tournê. Ele era muito mais que uma simples atração de entretenimento. Usava os espetáculos para executar um programa "experimentos psicológicos" - e assim conhecer melhor e aprimorar seus poderes, interagindo com o público: executava comandos, sabia a vida das pessoas sem nunca tê-las visto, encontrava objetos perdidos. Sua fama cresceu e atraiu a atenção de Albert Einstein. Na casa de Einstein, conheceu Freud que fez com ele experiências mentais. Freud lhe ensinou a arte da concentração e do auto-hipinotismo. Messing conheceu muitas outras personalidade famosas, como Gandhi, em 1927.

Em 1917, começou uma tourné internacional surpreendendo as pessoas em todo o mundo. Em 1921 tinha um famoso medium como empresário. Fez inimigos entre os charlatães que tramavam contra ele porém, Messing descobria os planos dos rivais usando sua apurada percepção. Resolveu crimes recuperando coisas valiosas.

Inimigo do Terceiro Reich

Em 1937, Wolf Messing entrou para a "lista negra" de Aldolf Hitler. Durante um espetáculo, em Varsóvia, profetizou a derrota dos alemães se tentassem invadir a Rússia. Hitler, que era fascinado por poderes místicos, reagiu mal às declarações. Ficou histérico... e os nazis colocaram a cabeça de Messing "a prêmio" por 200 mil marcos. Não se sabe ao certo se Hitler queria o paranormal morto ou se pretendia usá-lo em cativeiro. Messing teve de esconder por um longo tempo.

Em 1939, chegou a ser preso em Varsóvia, embaraço do qual se livrou graças a seus poderes. Trancado, dominou mentalmente os guardas para que fossem à sua cela, abrissem e se deixassem trancar lá, no lugar dele. Em fuga, foi para a União Soviética.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 3]

Stalin

Na União Soviética encontrou a proteção Panteleymon Ponomarenko, lider comunista na Bielo Russia. Voltou a se apresentar em público até que a polícia secreta (NKVD) apareceu e interrompeu o espetáculo. Messing foi levado a Moscou para conhecer pessoalmente Joseph Stalin. Stalin estava interessado em Messing; embora não fosse religioso, o ditador considerava possíveis as faculdades paranormais. Para testar Messing, Stalin mandou que assaltasse um banco.



Roubando um Banco

Messing, seguido por um esquadrão de polícia, caminhou até o Banco Central, em Moscou, e ali se apresentou dizendo que tinha uma ordem de pagamento de 100 mil rublos. Abriu sua pasta diante do homem do guichê e foi prontamente atendido. Deixou o edifício com o dinheiro provando seu poder; mas retornou para devolver a quantia. O caixa, ao ver o dinheiro, foi tomado de forte comoção e sofreu um ataque cardíaco. Messing ficou feliz quando soube que o homem tinha sobrevivido.

Stalin ficou convencido e a fama veio imediatamente. Wolf Messin se transformou em um tipo de superstar. Sua assistente, Valentina Ivanovskaya, conta que o Messin conheceu Beria, Voroshilov, Kalinin e outras personalidades soviéticas. Stalin e Lavrenti Beria - chefe da polícia secreta, decidiram testar as habilidades hipnóticas novamente. Messing deveria sair do Kremlin sem passe e vencer a barreira dos guardas. Messing se foi e ninguém o abordou ou barrou seu caminho. Ele encontrou os líderes soviéticos na rua; tinha feito os guardas acreditarem que ele, Messing, era o próprio Stalin. Voltando ao Kremlin, captou o pensamento de um sentinela: "Você é sujo", judeu" - pensou o guarda. O telepata golpeou o guarda na nuca usando o pensamento e o sentinela caiu. Messing foi consultado várias vezes pelos líderes soviéticos e reunia-se com a elite do partido e oficiais da polícia secreta em uma atividade extremamente desgastante.

Entre 1943 e o fim da guerra as apresentações foram suspensas. Nesse tempo, o governo soviético teria requisitado seus serviços em uma missão de espionagem na Sibéria. Não há menção a esse período na biografia do paranormal. Algum tempo depois do recolhimento de Messing, os alemães invadiram a Rússia.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 4]

Messing foi convidado a falar com a cúpula do Forças Vermelhas. Ele previu uma guerra feroz com a Alemanha que terminaria entre 3 a 5 de maio de 1945 com vitória soviética. Stalin foi informado sobre a previsão e quando a guerra acabou, o chefe soviete mandou um telegrama de congratulações para o "profeta". Messing guardou este telegrama durante anos. Messing doou seu próprio dinheiro para a construção de dois aviões de guerra e ajudou seu país por adoção muitas outras vezes. Sua família tinha sido dizimada no Holocausto. Com o fim da guerra voltou a fazer apresentações públicas e foi atração da TV.

Paranormalidade

Durante a guerra o telepata fez muitas performances em unidades militares soviéticas e hospitais. Suas misteriosas faculdades intrigavam os ideólogos comunistas da propaganda materialista. Em 1950 a Instituto de Filosofia da Soviet Academy of Sciences publicou uma análise declarando que as habilidades telepáticas de Messing eram baseadas na interpretação dos reflexos do pensamento da pessoa no sistema neuro-motor ou seja, na verdade Messing estaria "lendo" os movimentos involuntários e inconscientes. Os cientistas proclamavam que "telepatia não existe"; o pensamento humano não pode "existir" fora do cérebro ou do mundo material.

Messing acreditava na existência de um "campo" especial rersponsável pelas comunicações telepáticas. Achava que isso deveria ser pesquisado. Era fascinado pela hipnose; em sua juventude, na Polônia, usara a telepatia para produzir cura de doenças mentais. Também podia ver o futuro e não escondia que acreditava na clarividência. O mais difícil ao explicar esse fenômeno era compreender a essência do tempo e sua conexão com o espaço e a interconexão entre passado, presente e futuro. Wolf Messing trabalhou até 1974. Falava fluentemente polonês, russo, hebreu e alemão. Morreu em 1975 e foi enterrado junto de sua esposa no cemitério de Vostryakovsky, Moscou. A KGB confiscou seus diários pessoais e notas imediatamente após sua morte. O conteúdo desse material jamais foi divulgado.

FONTE
Wolf Messing: Russia's Greatest Psychic - IN Thoth Web
Paul Stone Hill - acessado em 16/11/2006

tradução: Ligia Cabús (Mahajah!ck)

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

http://www.thebrazilianpost.com.br/wolf-messing-o-mago-de-stalin/

Parte 1:

Wolf Messing, o “Mago de Stálin”

Mago, hipnotista, vidente e telepata, Wolf Messing (1899-1974) era alguém parecido com o Conde Caliostro, pessoa que tinha as mesmas maneiras misteriosas. Hitler o temia; Stálin e Béria o ouviam. No entanto, ninguém sabia exatamente como ele era na realidade. Quando se trata de Messing, é quase impossível separar o mito da realidade.
Wolf Messing nasceu em um região judia na parte da Polônia que então pertencia ao Império Russo. Seus pais queriam que ele se tornasse rabino e o enviaram para uma escola religiosa. Mas não era isso que Wolf queria. Ele decidiu que tinha outra missão na vida. E fugiu, partindo no primeiro trem.


Sem dinheiro para um bilhete, se escondeu debaixo de um banco. Mas o cobrador o viu, o tirou debaixo do banco pelo colarinho e exigiu um bilhete. Wolf, em seguida, entregou-lhe um pedaço de jornal velho. O cobrador furou o bilhete e disse: “Esquisitão, você tem um bilhete e mesmo assim se esconde”. Desde então, ele percebeu que podia controlar as pessoas, influenciar sua vontade.
O trem o levou a Berlim. No começo, ele viveu na pobreza. Lavava pratos, limpava sapatos. Passava fome até desmaiar. Em seguida, conseguiu emprego em um circo. Apresentava shows impressionantes e rapidamente tornou-se popular. Messing podia descobrir coisas escondidas, ler mentes, prever o futuro e hipnotizar. E fazia tudo isso de maneira honesta, sem a ajuda de assistentes. Não eram truques, mas verdadeiro prodígios e clarividências.
Um dia, o circo foi para Viena em turnê, onde Sigmund Freud e Albert Einstein mostraram interesse pelo fenômeno. E assim os três se encontraram para experimentar. Messing teria dito a Freud: “Faça um desejo e vou cumpri-lo”. Então ele veio para Einstein, tirou do seu bigode três pelos. “Você queria isso?”, perguntou ele. “Sim”, disse Freud.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 2:

Preso por Hitler
Messing viajava muito, seus experimentos provocaram interesse em públicos diferentes. Mahatma Gandhi, Marilyn Monroe e o presidente polonês Pilsudski foram visitar-lhe. Quando Hitler chegou ao poder, Messing voltou para a Polônia. Lá, em um teatro de Varsóvia, ele fez sua famosa profecia. Messing disse: “Se Hitler for para Oriente com uma guerra, lá ele encontrará sua morte.”
As palavras chegaram ao Führer. Hitler ficou terrivelmente irritado e anunciou a recompensa de 200 mil marcos pela cabeça de Messing. Começou a perseguição. Após os nazistas tomarem Varsóvia, Messing foi preso pela Gestapo.
Ele foi detido pela patrulha, levou um soco nos dentes, perdeu a consciência e acordou já na prisão. Sobreviveu apenas graças a seu talento. Com a força de sua mente, ordenou a Gestapo para que entrassem na cela. A polícia secreta obedeceu e entrou, sem entender porque o faziam. Messing os trancou. Saiu de prisão e se dirigiu para a fronteira soviética.


Na União Soviética, já conheciam Messing. Stálin mandou um avião particular atrás dele, ordenou que fosse entregue ao Kremlin. Oficiais vestidos com o uniforme do NKVD (Comissariado do Povo para Assuntos Internos) o acompanharam.
“Mostre o que você sabe fazer”, teria dito Stálin. “Venha me ver amanhã na casa de campo. Você não precisa de um passe, não é?”
No dia seguinte, Messing entrou no território da datcha de Stálin sem nenhum obstáculo. Ele fez o guarda acreditar que era o Comissário Geral da Segurança do Estado, Lavrentii Beria. Assim, conseguiu passar por toda a guarda.
A próxima etapa era mais difícil. Stálin ordenou a Messing que recebesse 100 mil rublos em um banco estatal sem nenhum documento. No dia marcado, Messing chegou ao banco central, entrou na sala, mostrou uma folha de papel branco e pediu para que lhe dessem cem mil rublos. Uma funcionária fez tudo o que ele pediu. O mago colocou o dinheiro na mala e se dirigiu para o Kremlin.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 3:

Não se sabe se Mikhail Bulgakov ouviu falar sobre Messing. Provavelmente sim. No geral, todos esses truques são muito semelhantes àqueles que foram feitos por Woland em seu romance “O Mestre e Margarita”.
Na Rússia, Messing continuava a praticar profecias. No início, uma semana antes da guerra, ele previu o seu começo. Disse que na última semana de junho de 1941 a guerra começaria. Então, antes da guerra, ele disse que viu como os tanques soviéticos entravam em Berlim.

Relação com Stálin
Ele tinha uma relação difícil com Stálin. Claro que não era o seu mago pessoal, como se pensa em geral. Stálin não precisava de um mago. De fato, Messing podia ler mentes. Mas o próprio Stálin sabia os pensamentos de sua comitiva. E seus próprios pensamentos ele cuidadosamente escondia de todos. Portanto, não precisava de um telepata, nem de um vidente. É pouco provável que Stálin gostasse de que alguém pudesse ler seus pensamentos. Eles se encontraram apenas algumas vezes. No entanto, Messing teve um impacto sobre Stálin.
A mágica de Messing, porém, não podia ajudar a ele próprio. Nos últimos anos de sua vida, ele estava gravemente doente e tinha muito medo da morte. Quando foi levado para fora de casa para ser operado, teria dito, olhando para o seu retrato, “Acabou Wolf. Por aqui você não vai voltar mais.”
Messing morreu e seu mistério não foi descoberto. Dizem que os documentos sigilosos sobre Messing ainda estão em arquivos do FSB. Mas nenhum deles pode explicar sua mágica. Por Ian Chenkman/Gazeta Russa.

Filipe Costa Serafim Lemos Soares disse...

Assim, igualmente a mim!

Anônimo disse...

Isso, decerto, é apenas a ponta do iceberg.

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-47190409

https://ocys.com.br/artigo/inimigos-da-russia-cuidado-um-grupo-de-bruxos-russos-se-reuniu-para-realizar-um-circulo-de-poder

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. (Bruno Guerreiro de Moraes)