sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O Mercado de Notícias - Em Full HD - Documentário sobre Jornalismo e a Mídia - Corrupção nessa Indústria - Imprensa

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

O Mercado de Notícias - Site Oficial: http://www.omercadodenoticias.com.br/
Compre o DVD do Documentário: http://casacinepoa.com.br/loja/mdn

O documentário “O Mercado de Notícias” discorre sobre a tremenda corrupção que impera na imprensa brasileira, 13 jornalistas de destaque dão sua opinião sobre esse fenômeno que não é exclusividade do Brasil. Nos EUA como podemos ver com a eleição de Trump, fica claro que lá a corrupção na imprensa é tão grande quanto aqui. Aliás, a imprensa do Brasil é 'copia e cola' da dos EUA.

O Mercado de Notícias - Em Full HD - Documentário sobre Jornalismo:

Personificação de Pecúnia (dinheiro) atriz Elisa Volpatto

É chocante de se verificar como a imprensa é tendenciosa, e escolhe lados muito bem definidos, e sempre na defesa da Elite brasileira, que no caso do Brasil não é de 1% mas sim de 0,1% da população, mas essa quantidade insignificante da população consegue fazer de tolos todo o restante do país simplesmente controlando a mídia, a imprensa com mãos de ferro. Toda a população brasileira (ou boa parte dela) é facilmente manipulável pela indústria da mídia. Esta por sua vez está nas mãos de um bocado de bilionários que são a elite do Brasil, e essa elite não tem nenhum pudor, ou consideração com o restante da população do país. Distorcem mesmo os fatos, inventam notícias, e combatem sem dó todos aqueles que possam incomoda-los, o mais incrível é ver como conseguem muito facilmente colocar o povo contra o povo, como conseguem fazer as populações mais pobres combaterem e perseguirem aqueles que justamente estão querendo ajuda-los!

Os donos de Jornais, Revistas, TVs, Rádios, etc... noticiam o que bem entendem, manipulam a opinião pública a vontade, inventando mentiras deslavadas, ocultando fatos escandalosos, distorcendo e aumentado acontecimentos. E principalmente diminuindo ou censurando verdades que vão contra os interesses desses donos de Rádio e Televisão. A tal mítica liberdade de imprensa, nada mais é que liberdade para os donos de cada veículo de comunicação dizer o que quiser, mentir à vontade, inventar a vontade, distorcer e enganar para o benefício de seus interesses e ideologias pessoais. Ao povo burro e desinformado só podemos lamentar, esses são feitos de bobos pelos bobos da corte, e enquanto os Reis Riem das traquinagens do bobo, o povo é feito de bobo, e este também ri da sua própria desgraça como bobos que são...

Destaques do Documentário:

José Serra, e o caso da Bolinha de Papel, Agressão dos Petistas? Fraude Eleitoral do PSDB:

Imprensa Corrupta - Caso do Picasso do INSS - Corrupção na Imprensa Brasileira - Mídia do Brasil:

O Mercado de Notícias - Trailer Oficial - Documentário:

Casos jornalísticos mostrados no DOC:  

BOLINHA DE PAPEL - José Serra do PSDB:
Por que ninguém lembra de algo que todo mundo viu?

No dia 20 de outubro de 2010, pouco antes do segundo turno da eleição presidencial brasileira, a campanha eleitoral foi marcada por um incidente. O candidato de oposição, José Serra, interrompeu sua agenda para ser submetido a uma tomografia e a exames clínicos. O motivo: uma suposta agressão por militantes governistas, amplamente divulgada nos veículos de comunicação, nas redes sociais e no programa de televisão do candidato. Foram muitas as tentativas, nos telejornais e nas redes sociais, de provar que algum objeto pesado realmente atingira o candidato, nenhuma com sucesso. O fato é que, poucos minutos antes da suposta agressão, o candidato foi atingido por uma bolinha de papel. Este fato foi documentado por, pelo menos, cinco câmeras de televisão. A imprensa, que tanto discutiu a agressão que ninguém viu, nunca se interessou por investigar quem foi o homem que, diante de cinco câmeras de tevê, jogou a bolinha de papel em José Serra.

PICASSO DO INSS tentativa de desmoralizar o governo de Lula:
Como um cartaz de 20 dólares vira notícia na Folha de SP

Em março de 2004, o jornal Folha de S. Paulo publica na capa de sua edição de domingo (07.03.2004), sob o título “Decoração burocrata”, uma reportagem informando que um valioso “desenho do pintor espanhol” Pablo Picasso “passa os dias debaixo de luzes fluorescentes e em meio à papelada de uma repartição do governo federal”, dividindo sua “moldura com restos de inseto”. Na foto, além da reprodução do supostamente valioso desenho, um retrato do Presidente Lula. O sentido da matéria é claro: os novos ocupantes do governo federal não reconhecem e não sabem lidar com o valor da arte. A notícia do suposto descaso com tão valiosa obra aparece em vários jornais, revistas e sites, no Brasil e no exterior. A observação atenta de alguns leitores logo deixa evidente que se trata de uma “barriga”: o tal desenho de Picasso é, na verdade, de uma reprodução fotográfica, sem nenhum valor. Os jornais são alertados de seu erro, mas nenhum desmente a informação. Em dezembro de 2005, o “Picasso do INSS” está outra vez na capa da Folha de São Paulo (29.12.2005) e também na do Estado de S. Paulo: um incêndio destruiu parte do prédio do INSS mas, para alívio de todos e apesar do descaso dos órgãos públicos, o “valioso” Picasso foi salvo das chamas. Mais uma vez os jornais são alertados por leitores de que se trata de uma reprodução sem valor, mas nada noticiam. As reportagens que tentam esclarecer os fatos só fazem aumentar a confusão. Detalhe: o supostamente valioso desenho de Picasso foi dado ao INSS como pagamento de uma dívida. Em quanto foi avaliado? E por quem?
TAPIOCA
Um escândalo de 8 reais e 30 centavos...

No final de 2011, o ministro dos esportes Orlando Silva foi vítima de uma tentativa de “assassinato de reputação”. A imprensa deu grande repercussão aos gastos do ministro com seu cartão corporativo. Ele foi acusado de gastar indevidamente R$ 8,30 na compra de uma tapioca. Logo a seguir, a revista Veja estampou em sua capa (e cartazes em bancas) a “informação” de que o “ministro recebia dinheiro na garagem” do ministério, dinheiro de propina. A afirmação era baseada exclusivamente nas declarações de um homem que foi preso, acusado de desviar mais de um milhão de reais de um programa educacional destinado aos alunos de escolas públicas. Este homem disse ao repórter da revista que “por um dos operadores do esquema” – isto é, um dos acusados e presos por desviar dinheiro das crianças carentes de Brasília – ele “soube na ocasião que o ministro recebia dinheiro na garagem.” Sete dias depois, o mesmo homem negou ter qualquer prova contra o ministro. Cinco dias depois, Orlando Silva deixa o Ministério para poder se defender das denúncias. Em junho de 2012 o ex-ministro foi inocentado pela Comissão de Ética da Presidência da República por absoluta falta de provas. O denunciante, a única fonte da grave acusação da capa da revista contra o ministro, foi preso várias vezes, antes da denúncia, em 2011, por corrupção, invasão de prédio público, agressão e ofensa racial, e dois anos depois, em 2013, por receptação de material roubado.

ESCOLA BASE, a “escolinha do Sexo”?
O poder destruidor da calúnia

Escola Base foi uma escola infantil da zona sul de São Paulo, fechada em 1994 quando seus proprietários, sócios e uma professora foram injustamente acusados de abuso sexual contra alguns alunos de quatro anos. A escola foi depredada e os proprietários e professores tiveram que ser protegidos pela polícia para não serem linchados. Nada ficou provado. O delegado inocentou os seis acusados e o inquérito foi arquivado três meses após o surgimento das denúncias. Vinte anos depois, vários veículos de comunicação foram condenados a indenizar os professores acusados.

RECEITA DE CAIPIRINHA NO DIÁRIO OFICIAL
O mau jornalismo perde a razão mas não perde a piada

Em novembro de 2008, no pior momento da crise financeira, uma matéria da Agência Estado, amplamente repercutida por vários jornais, tinha a seguinte manchete: “Governo ‘ensina’ a fazer caipirinha no Diário Oficial”. O fato, como a leitura atenta da própria notícia deixa claro, é que o Ministério da Agricultura publicou no Diário Oficial através de uma Instrução Normativa (I.N.), como é sua obrigação, as especificações técnicas de uma bebida, assim como faz de todas as bebidas e alimentos disponíveis no mercado. É obrigação do Ministério agir assim, em defesa do consumidor: trata-se da composição e ingredientes de um produto comercializado, exportado. Não são – como afirma a matéria – “dicas” do Ministério, que teria resolvido “às vésperas do fim de semana”, “ensinar aos apreciadores de bebidas alcoólicas a preparar uma autêntica caipirinha”. A Agência Estado sabe, mas não resiste à piada fácil que reforça preconceitos contra o governo Lula.

Por Jorge Furtado - Diretor e Roteirista:

O roteiro do documentário “O Mercado de Notícias” tem como linha condutora a peça homônima do dramaturgo inglês Ben Jonson (1572- 1637), “The staple of news”. A peça de Jonson foi encenada pela primeira vez em 1626, em Londres, e esta é sua primeira tradução para a língua portuguesa, feita por mim e pela professora Liziane Kugland. A peça é uma crítica bem humorada a uma atividade recentemente criada, uma novidade em Londres: o jornalismo.

O Mercado de Notícias, o filme, traça um painel sobre mídia e democracia, incluindo uma breve história da imprensa, desde o seu surgimento, no século 17, até hoje, destacando seu papel na construção da opinião pública, seus interesses políticos e econômicos.

O documentário enfatiza dois aspectos destacados na peça de Ben Jonson: o primeiro o debate sobre a credibilidade da notícia, que inevitavelmente contraria e favorece interesses; o segundo é a necessidade constante e crescente de informações, a demanda por notícias que acaba por se tornar entretenimento.

Além dos trechos da peça e de pequenos documentários sobre a história do jornalismo, o filme traz entrevistas com treze grandes jornalistas brasileiros. Estas entrevistas, onde os profissionais compartilham suas experiências e percepções acerca da profissão – presente, passado e futuro – estão também disponíveis aqui no site, em versões ampliadas.

Acredito que um documentário, para ser durável – e ele deve ser, mais que uma notícia -, tem que ser útil, no sentido de iluminar um tema, uma atividade, uma época. Deve servir de elemento deflagrador de debates, instigar novas pesquisas, despertar nos espectadores aquilo que o Umberto Eco chama de “espírito de decifração”.

“O Mercado de Notícias” debate critérios jornalísticos, e este é o seu sentido e o sentido da peça de Jonson. É também uma defesa da atividade jornalística, do bom jornalismo, sem o qual não há democracia.

Sinopse: O filme traz os depoimentos de treze importantes jornalistas brasileiros sobre o sentido e a prática de sua profissão, as mudanças na maneira de consumir notícias, o futuro do jornalismo, e também sobre casos recentes da política brasileira, onde a cobertura da imprensa teve papel de grande destaque.

O surgimento do jornalismo, no século 17, é apresentado pelo humor da peça “O Mercado de Notícias”, escrita pelo dramaturgo inglês Ben Jonson em 1625. Trechos da comédia de Jonson, montada e encenada para a produção do filme, revelam sua espantosa visão crítica, capaz de perceber na imprensa de notícias, recém-nascida, uma invenção de grande poder e grandes riscos.

SINOPSE da Peça - O Mercado de Notícias - (The staple of news, Ben Jonson - 1625)

A peça se passa em um dia, em Londres, em 1625. Um homem, Pila Pai, simula a própria morte e volta, disfarçado de mendigo, para vigiar os passos do filho, Pila Júnior. No exato dia em que chega a sua maioridade, Pila Júnior começa a torrar sua fortuna, com roupas de luxo, jantares e festas. Faz uma semana que ele recebeu, através de um mendigo, a notícia de que seu pai havia morrido em terras distantes.

Pila Pai, antes de partir em sua última viagem, deixou documento firmado e entregue ao advogado Gazua, condicionando a posse de sua herança ao casamento com Pecúnia, riquíssima herdeira.
Tio Pila, usurário, vive às custas de Pecúnia. Ele vende os suprimentos de sua cozinha e empresta dinheiro a juros. Tio Pila mantém Pecúnia e suas amas – Hipoteca, Norma, Promissória e Taxa – em cativeiro, vivendo em condições precárias. Ele administra a casa com mão de ferro e a ajuda de Notário.

Em Londres a novidade é um Mercado de Notícias, comandado pelo senhor Trombone, seu sócio Patranha e seus repórteres. A agência cria um intenso comércio de notícias e, para que mais prospere, o senhor Trombone pretende em casamento a senhorita Pecúnia, também cortejada por Pila Junior. Enfim, todos querem Pecúnia.

Pila Júnior descobre como funciona e para que serve uma agência de notícias e nela emprega seu amigo, Tom, um barbeiro. O Pai desaprova o comportamento do filho perdulário, sua vida de dissipação e luxo com seus amigos boêmios, um grupo de desaforados que vive nas abas da nobreza e da nova burguesia: Almanaque (o médico), Timorato (o militar), Madrigal (o poeta) e Heraldo (o homem de sociedade).

Despindo a fantasia de mendigo, Pila Pai revela sua identidade, seus planos e impõe ao filho o castigo de viver como mendigo. Comovido com a solidariedade (não inteiramente desinteressada) do filho na disputa contra Gazua, o advogado inescrupuloso, e tendo expulsado os amigos oportunistas do filho, o pai acaba por perdoá-lo, entregando-lhe a mão da cobiçada Pecúnia. Tio Pila arrepende-se de sua avareza, liberta seus cães. Os oportunistas fogem, Gazua é processado e preso. A paz se restaura no casamento de Pila Júnior e Pecúnia.
Sobre Ben Jonson:

Ben Jonson (Westminster, 11 de Junho de 1572 — Londres, 6 de Agosto de 1637) foi um dos grandes dramaturgos da Renascença inglesa, contemporâneo de Shakespeare. Entre suas peças mais conhecidas estão Volpone e O Alquimista. Embora sem curso universitário, Ben Jonson se tornou um dos homens de maior cultura de seu tempo, chegando a merecer títulos honorários das Universidades de Oxford e Cambridge. Dotado de uma genialidade multiforme, sua obra conta não apenas com peças teatrais, mas com a poesia lírica, o epigrama, a crônica, o gênero epistolar, as traduções e até a gramática. Foi também mestre na produção de mascaradas, entretenimentos festivos que utilizavam a música, a dança e o canto em cuidadosa coreografia. Falava grego, latim, espanhol, italiano, além de inglês e francês. Além disso, teve uma vida totalmente aventuresca: foi pedreiro, soldado, professor e ator. Ben Jonson faleceu em agosto de 1637 e está enterrado na Abadia de Westminster, em Londres.

FICHA TÉCNICA - O MERCADO DE NOTÍCIAS (HD, 94 MIN, 2014)

Roteiro e Direção: Jorge Furtado
Produção Executiva: Nora Goulart
Montagem: Giba Assis Brasil
Direção de Fotografia: Alex Sernambi / Jacob Solitrenick
Direção de Arte: Fiapo Barth
Figurinos: Rosângela Cortinhas
Som Direto: Rafael Rodrigues
Música: Leo Henkin
Pesquisa: Bibiana Osório
Direção de Produção: Nicky Klöpsch
Assistente de Direção: Janaína Fischer
Coordenação de Finalização: Bel Merel
Estúdio de Som: Kiko Ferraz Studios
Animações: Rocket
Finalização: Cubo Filmes
Masterização DCP: Mistika
Site: Dobro Comunicação
Estratégia de Comunicação Digital: Zé Agripino e Babi Sonnewend

* Projeto selecionado no Edital de Apoio à Produção de Obras Audiovisuais Cinematográficas do Gênero Documental nº 05, de 2011, do Ministério da Cultura.


Mais imagens do DOC e da Atriz Elisa Volpatto:

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: O Mercado de Notícias,Full HD, dvd, Documentário, sobre, Jornalismo, e a Mídia, e a Corrupção, dentro dessa, Indústria, folha de são paulo,jornalismo, jornalistas, brasil, brazil, fraudes, corrupção, corruptos, mentirosos, politicamente, observatório da imprensa, donos de jornais, donos da mídia, elite corrupta, pt, psdb, pmdb,hd, full, qualidade, melhor,

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Publicando dois textos: Assaltos em Massa no ES e a Classe de Mérdia do Brasil, por Rúben Gonzales

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

Esses textos foram divulgados pelas redes sociais, achei os dois muito perspicazes, reflexões realistas que devem ser lidas, compreendias e meditadas. Quem sabe né? Talvez duas ou três pessoas que são completamente manipuláveis pela mídia corrupta consiga entender (nem que for um pouco) de como são feitos de tolos(as) pela Elite profundamente corrupta do Brasil e do Mundo. Ainda hoje em dia o que impera é a Sofisma...

O Mercado de Notícias: http://www.omercadodenoticias.com.br/
Compre o DVD do Documentário: http://casacinepoa.com.br/loja/mdn

O Mercado de Notícias - Full HD - Documentário sobre Jornalismo e a Mídia - Corrupção nessa Indústria:

O documentário “O Mercado de Notícias” discorre sobre a tremenda corrupção que impera na imprensa brasileira, 13 jornalistas de destaque dão sua opinião sobre esse fenômeno que não é exclusividade do Brasil, nos EUA como podemos ver com a eleição de Trump, fica claro que lá a corrupção da imprensa é tão grande quanto aqui

Assaltos em massa no Espirito Santo, Noticias: Correio Braziliense - G1, Rede Globo

Por Rúben Gonzales: A MORAL DE UM POVO AMORAL

Acabei de ver os vídeos e ouvir os áudios que um amigo meu o André Tristão Aquino me mandou via zap ontem à noite sobre a barbárie que se abateu sobre o Espírito Santo, um dos estados mais reacionários e moralistas do Brasil.

Um estado que apesar de ser um dos mais pobres da união tem na sua população uma parcela imensa dos que chamamos de TFP, setores arcaicos da sociedade com idéias segregarias que remontam ao Brasil colônia.

Foi um dos estados apesar de sua pequena população proporcionalmente um dos mais ativos e participantes da campanha pela moralização do Brasil, aquela turma que se fantasiava com camisas falsas da corrupta CBF para cobrar moralidade.

É para quem não sabe a terra natal do senador Magno Malta, um dublê de bandido com pastor evangélico, pregador da moral e dos bons costumes e corrupto de longa data, a ponto de na época das sanguessugas a Polícia Federal ter encontrado um carro no nome dos Vedoin na sua garagem.

Pois bem, o que vi no vídeo foi a real expressão e a verdadeira cara desse povo, um amontoado de ladrões e bandidos que se sentiam inibidos na sua condição de meliantes não pela moral ou pela ética mas pelas armas e viaturas da polícia, num comportamento idêntico ao de qualquer facínora ou traficante vulgar.

Deu para ver carros de de luxo, cidadãos de classe média abastada, cidadãos comuns sair de dentro das lojas sossobrando enormes volumes frutos do butim oportunista que o momento apresentava e que obviamente o ético povo dessa terra não poderia desperdiçar.

E pensar que esse mesmo povo, essa mesma classe social há poucos meses dava aulas de ética , desfilavam moral  e verbalizavam  discursos dignos de virgens de puteiro chamando Lula de ladrão  , a Dilma de corrupta e a todos de bandidos pois eles queriam o "seu Brasil de volta".

Depois de assistir esse espetáculo grotesco, eu imagino o que um cara ético, professor de moral que pára o carro em frente a uma lojinha de departamentos e sai abraçado a um liquidificador, uma batedeira e velocípede de plástico o que não faria se fosse presidente  por oito anos de um país com um PIB de 8 trilhões anuais.

Após esse espetáculo de causar asco e vergonha alheia e como um cidadão que já tem vergonha de dizer que é brasileiro posso até cogitar que o Lula seja corrupto, mas se o é com certeza absoluta é disparado o menos corrupto de todos os cidadãos brasileiros vivos neste país.

A classe média brasileira, o povo brasileiro não tem lastro moral para falar de ninguém. Somos uma tragédia como nação, somos uma vergonha como povo e somos uma desgraça como cidadãos. Quem duvidar as imagens fotos e áudios estão aí pela rede para todos conferirem o alvo do meu sincero e total desprezo.

Texto de Rúben Gonzales, e eu (Bruno Guerreiro de Moraes) assino embaixo...



Por Rúben Gonzales: LULA E O JABUTI NA FORQUILHA

Alexandre "PCC" Moraes ministro do STF, Rodrigo Janot a serviço do golpe e da destruição da economia do país pois ainda restam 370 bilhões de dólares que o PT deixou em caixa e devem ser surrupiados.

Ele vai passar um pente fino no BNDES para como todos sabem criminalizar os créditos concedidos dos últimos 10 anos para impor ao Brasil pesadas multas internacionais que vão consumir todas as nossas reservas.

O Moro quando lançou a Lava - jato estabeleceu cinicamente e sem pudor ou constrangimento algum o ano base de 2003 isentando assim na cara de pau, sem maquiagem ou disfarce uma forma de destruir apenas o legado do PT.

E conseguiu, graças a um ataque coordenado com uma gangue de políticos que vão do Michel Temer ao gato angorá e passando pelo Aécio funga funga e a mídia em geral conseguiram destruir o nosso setor de petróleo, a nossa indústria, o emprego e o futuro do povo brasileiro.

E como cereja do bolo ainda para a nossa crasse de mérdia o culpado disso tudo é o PT e o Lula, é ele que tem trilhões depositados em outra galáxia, ele inclusive matou a mulher para ela ir na frente gastar essa fortuna que ele embolsou dando escola e comida para esse povo filho da puta.

O Lula não percebeu que o povo na merda, na miséria e uma crasse de mérdia vivendo de migalhas , restos e aparências era um jabuti numa forquilha de uma árvore e cheio de boas intenções nunca perguntou a alguém mais experiente porque o povo estava ali já que morava num país tão rico.

Ele nunca conseguiu entender porque o povo passava fome mesmo sendo nós o Brasil o celeiro do mundo, ele não entendia porque nossa crasse de mérdia era a mais paupérrima do ocidente e vivia de migalhas e o que tinha de belo era apenas um screensaver , ele nunca reparou que alguém tinha colocado eles lá propositalmente.

Portanto hoje de forma amarga o Lula percebeu que o certo era ter deixado todos aonde estavam, sem cultura, sem educação, com salário mínimo de 50 dólares, na miséria ou as suas portas. Os mais pobres vivendo de migalhas e restos e a crasse mérdia viver do sonho dourado de limpar merda em outro país.

A direita sabem quem eles são e como se comportam, são jabutis em forquilhas portanto quando passar perto o melhor é deixa-los por lá. São emocionalmente instáveis, vivem e se movimentam como gado de corte e pensam como amebas e portanto devem viver confinados pois provaram ser muito perigosos quando alimentados e com algum dinheiro no bolso.

Alguns amigos me confessaram pesarosos que dentro de poucos anos o Brasil deverá ser uma imensa Puerto Rico e eu me antecipando aos fatos já mandei eles mirarem em algo bem abaixo, o nosso futuro deve prometer algo entre a Libéria e Burkina Fasso, dois lugares ideais para nosso povo e a nossa crasse de mérdia.


Por Rúben Gonzales, AVISO CORPORATIVO FPA (Fundação Pato Amarelo da Fiesp):

Vimos por meio desta comunicar que a turma que ia consertar o Brasil e ao mesmo tempo eliminar toda a corrupção e acabar com a ladroagem do PT e do Lula está um pouco atrasada porque foram obrigados a parar para saquear umas lojas ali em Vitória.
Eles mandam avisar que logo, logo eles estarão aí de novo na luta e que ninguém esqueça o principal para ficar sempre bem marcado na memória de todos: É tudo culpa do PT e o Lula é o maior corrupto do universo em todos os tempos.

P.S. À propósito, temos TVs de Led, smartphones de última geração incluindo Iphones, eletro eletrônicos, joias, roupas de cama e até panelas para vender. Tudo zerinho na caixa e pela metade do preço e sem nota. Só aceitamos pagamento em grana, não aceitamos cheque pois sabe como é né? Nesse mundo de hoje em dia não dá mais para confiar em ninguém. Infelizmente...

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: Assaltos, ES, espirito santo, em massa, greve da polícia, politica, golpe, golpistas, classe média, brasilieira, brasil, Brasília, vexame, corrupção, povo do brasil, cidadãos brasileiros, manipulação, rede globo, jornais, folha de são Paulo, o estado de SP, jornalistas, jornal, corruptos, elite do brasil, furtos, furto, 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

wibiya widget

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. [Bruno Guerreiro de Moraes]