quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Síndrome do Pânico - Cura é alcançada com Conscientização e Empoderamento - Psicologia dos Traumas

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

Síndrome do Pânico - Psicologia dos Traumas

Entrevista Completa [Clique Aqui] Veja mais Abaixo

Síndrome do Pânico tem cura? 

A síndrome do pânico é um estado mental perturbado que acomete muitas pessoas, isso em todas as culturas e raças, creio que essa “doença” se deva a fortes traumas que vem de vidas passadas (em alguns casos também pode ser considerado traumas da atual vida), que são bem perturbadoras. Na antiguidade, por muitos e muitos milênios as pessoas no mundo todo sempre sofreram terríveis traumas e eles eram constantes. São traumas tipo ter a sua casa invadida por bárbaros, suas coisas roubadas, ser agredido(a) e inclusive estuprada(o), isso aconteceu (e infelizmente acontece ainda hoje em dia, porém em bem menor escala) por toda a antiguidade. Só hoje em dia, na idade moderna, que esse estado constante de guerra e medo se tornou menor (nos países civilizados) e antes da idade média antes das civilizações tinha a vida selvagem mesmo, onde sempre os humanos vivendo entre os animais tinha que se preocupar com leões, tigres, crocodilos, águias, cobras, baratas, abelhas, onças, aranhas, etc...

Então é natural que muitas pessoas por terem sofrido traumas violentos nessa, e em outras vidas, tenham o seu emocional em frangalhos. Aqueles que, ou são almas novas e ingênuas e por isso facilmente impressionáveis, ou sofreram de fato traumas muito brutais acabam trazendo para a sua atual vida esse medo “irracional” que se manifesta de várias formas, como no caso de medo de sair na rua, medo de homens (por parte das mulheres) medo de mulheres (por parte de alguns homens), medo de animais domésticos tais como cães e gatos, etc... (que pode remeter a um trauma envolvendo grandes felinos, ou lobos e coisas do tipo) são medos e preocupações que já não se justificam na atual conjectura da sociedade mas a pessoa continua em alerta, esperando que ocorra alguma desgraça a qualquer momento por estar ainda impressionado pelo trauma do passado. É de fato um estado de “Transtorno do estresse pós-traumatico”.

Mas como um traumatizado(a) pode se curar de vez desse sério problema? No vídeo postado acima se revela como. Primeiro tem de ter conscientização da origem do trauma, e separar bem o que ocorreu no passado, com o que ocorre agora no presente. As situações podem parecer “semelhantes” mas não propriamente vai ocorrer o mesmo fato do que no passado, (ele deu exemplo de mulher estuprada, não é por que ela está num ambiente sozinha com um homem, que pode ser um médico, um dentista, um professor, etc... que necessariamente ela vá ser estuprada por esse homem assim como aconteceu no passado quando era criança), tem de separar bem as circunstâncias e fatos. 

Depois é preciso o empoderamento pessoal, isto é, a pessoa terá de fazer algo para se sentir mais poderosa, mais equipada, protegida, forte, para encarar o mundo e a humanidade, e todas essas situações. De alguma forma ela terá de adquirir dons e habilidades que dê confiança e segurança para encarar as situações semelhantes que enfrentou no passado, esses dons e habilidades vai variar de caso para caso, obviamente.

No Facebook numa comunidade do “Salto” uma pessoa questionou, e outro respondeu, falando sobre como pode ser possível se curar da síndrome do pânico, vamos ao diálogo:

- J.F.D.:  Interessante esse relato de uso de ayahuasca, L. E. você acha que o Ayahuasca seria capaz de ajudar uma pessoa que sofre com síndrome do pânico?

- M.V.S.:  Amigão, síndrome do pânico é simplesmente insegurança um medo profundo de por exemplo "apagar" "morrer" se você encarar a síndrome você uma hora ira dominar, pense o seguinte quando começar a ter este ataque relaxa, observe as reações, não se desespere porque você não vai morrer, nem desmaiar, é apenas psicológico, e sei que esta síndrome faz o corpo produzir adrenalina e o coração bate mais forte e até então fique tranquilo que logo passará esta crise e tudo voltará a ficar normal, basta enfrentar mesmo com medo. Foi assim que me curei disto, hoje em dia eu nunca mais tive esta síndrome, acredito que estou curado. Posso te afirmar que me curei antes de ser iniciado no “Salto” encarando a doença de frente, é puramente psicológico esta síndrome.

- J.F.D.: você então não precisou de tratamento psicológico?

- M.V.S.: Não precisei, foi decisão minha enfrentar sozinho.

- L. E.: Oi, J., o tratamento psicológico é um apoio para pessoa olhar para si, assumir a responsabilidade por suas emoções, encarar seus próprios processos sem fugir. Algumas pessoas, parece ser o caso do M., conseguem fazer isso sozinhas. A ayahuasca faz isso de forma muito profunda, mas se a pessoa não quer se ver pode ser muito problemático tomar o chá. Melhor mesmo começar com terapia, porque dessa forma o processo começa aos poucos. Com o chá é uma pancada de autoconhecimento, de uma vez só e as vezes dói. Nem todos querem ou estão preparados para essa pancada. Eu tive um episódio de pânico há muitos anos, ainda não conhecia o chá, mas melhorei sem remédios, só com um bom terapeuta que me ajudou muito. Para mim a terapia bioenergética foi boa, tem terapeutas dessa linha praticamente em todas as grandes cidades.

Sobre Psicologia e Traumas - Júlio Peres - Psicólogo Clinico - Salomão dois pontos - Band News:

Síndrome do Pânico, pode ser curada?



















Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: Sobre, Síndrome, Pânico, Pessoa se, curou, sozinha,Dica,Saúde Mental, Síndrome do Pânico,  Cura, é alcançada, Conscientização, Empoderamento, Psicologia, Traumas,

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

wibiya widget

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. [Bruno Guerreiro de Moraes]