segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Extinção dos Dinossauros - Mistério Ainda Não Desvendado - Documentário - Evolução Provada Falsa

Veja Documentário Completo - Mistério da Extinção dos Dinossauros:

Extinção dos Dinossauros - Mistério Ainda Não... por SeteAntigos7

O insignificante impacto de Chicxulub não teve força suficiente para provocar um efeito global, a ponto de causar uma super extinção, note o tamanho da cratera em comparação com o planeta todo...

A Extinção dos Dinossauros apesar do que dizem, e 'ensinam' nas escolas, ainda é um mistério longe de ser desvendado. Pois pelas características não parece ter sido um evento "natural", mas sim planejado, um extermínio seletivo, feito por inteligência racional. O famoso "meteoro da Cratera de Chicxulub" na verdade não tinha força suficiente para causar um dano global como vem sendo ensinado a décadas. E por que só os Dinossauros foram extintos? E os dinossauros marinhos? E os que viviam em rios? Por que também foram extintos ao mesmo tempo? Você pode dizer - "Ah eles eram grandes, por causa disso ficaram sem alimento e morreram"-  mas na verdade tinha dinossauros pequenos, até mesmo do tamanho de galinhas! Mas desde os maiores até os menores, todos foram extintos repentinamente, e ao mesmo tempo. Já repteis como os crocodilos que conviveram com os dinossauros durante mais de 50 milhões de anos continuaram a existir normalmente. Então o "meteoro" extinguiu os dinossauros, e não os crocodilos? Mas não são ambos répteis? Por que dinossauros menores que crocodilos foram extintos, mas os crocodilos não?

Um evolucionista dirá: - "Ah bem, os dinossauros sobreviventes viraram pássaros!" - certo... então os dinossauros viram pássaros... mas os crocodilos continuam crocodilos? Quer dizer que a "evolução" acontece apenas para os dinossauros, que viraram galinhas, canários, tucanos... a evolução também só existe para peixes que pulam do mar em terra firme e viram macacos, e para macacos que um belo dia, resolvem perder os pêlos, ficam mais fracos, mais vulneráveis ao meio ambiente natural, e ai começam a construir Pirâmides, cidades, plantações... mas para os crocodilos, para os tubarões, para os nautilus, celacanto, etc... ela simplesmente não existe... A evolução, como já é exaustivamente explicado aqui nesse site, simplesmente não acontece. E o caso - "Extinção dos Dinossauros" - é mais um exemplo que vem a corroborar esse fato. Mais sobre a Queda da Teoria da Evolução? [Clique Aqui].

Galeria de Imagens, Extinção dos Dinossauros ainda um Grande Mistério
A 'grande' cratera de Chicxulub... não é tão grande assim, não acha? Veja abaixo o Mapa Mundi e compare o tamanho da cratera com o planeta todo:


Note como a cratera de Chicxulub é completamente insignificante perante o planeta todo.

Dinossauros Marinhos foram afetados por "meteoro"?   

Existiu muitos e muitos tipos diferentes de dinossauros marinhos, desde os menores (do tamanho de peixes), até gigantes maiores que baleias  



Meteoro extinguiu com os dinossauros? Não... a ciência honesta diz que não!







Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: desaparecimento, dinos, dinossauro, Documentário, era dos dinossauros, extinção dos dinossauros, fim dos dinossauros, meteoro da Cratera de Chicxulub, teoria da extinção, 

10 comentários:

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Do site: http://reptossaurus.blogspot.com.br/p/extincao-dos-dinossauros.html

Depois de mais de 160 milhões de anos de reinado, os dinossauros misteriosamente há 65 milhões de anos desaparecem do planeta para sempre.
O que aconteceu? . . . Afinal, um grupo que foi um verdadeiro sucesso evolucionário durante centenas de milhares de anos não podia desaparecer assim . . . e eles não foram os únicos . . . os répteis marinhos, os pterossauros, os amonites (enormes moluscos marinhos) além de muitas espécies vegetais também sumiram. E o mais intrigante: os mamíferos, as aves, os crocodilos, as tartarugas e os lagartos, que conviveram com eles sobreviveram. . .
Muito até hoje tentam explicar esse sumiço repentino. Sendo assim muitas teorias sobre essa extinção em massa foram propostas, algumas absurdas e outras bastante convincentes.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Site: http://www.ufologiaobjetiva.com.br/dinossauros-sobreviveram-a-grande-extincao/

Dinossauros sobreviveram à grande extinção:

Ossos descobertos no México, datados com a técnica de decaimento urânio-chumbo, teriam menos de 64 milhões de anos.

Os paleontólogos acreditavam que os dinossauros tinham desaparecido há mais de 65,5 milhões de anos, mas uma nova técnica de datação vem contrariar essa informação. O estudo foi publicado no Geology ((Direct U-Pb dating of Cretaceous and Paleocene dinosaur bones, San Juan Basin, New Mexico. James E. Fassett, Larry M. Heaman e Antonio Simonetti. Geology, em 22 de setembro de 2010..

Os investigadores chamaram de extinção K-T – a passagem do período Cretáceo para o Terciário. Uma catástrofe, provavelmente a queda de um grande meteorito, no actual Novo México, terá provocado o desaparecimento dos gigantes pré-históricos no planeta. Há pelo menos duas décadas, foram descobertos fósseis de grandes répteis em sedimentos mais recentes e que tem vindo a intrigar a comunidade científica.

O norte-americano James Fassett e a sua equipa apresentaram resultados, recentemente, ligados à datação directa dos fósseis. Segundo o trabalho, alguns ossos descobertos no México teriam menos de 64 milhões de anos.

Até agora, ninguém tinha conseguido datar directamente os fósseis. A equipa, liderada pelo geólogo já reformado, conseguiu determinar a idade de um esqueleto analisando as rochas onde foi encontrado. O sucesso da equipa dependeu da técnica de datação radioactiva, com o urânio-chumbo, especialmente usada em rochas, sobre fósseis.

Tal como as rochas, os ossos fossilizados contêm grandes quantidades de urânio e com o tempo, os átomos vão se desintegrando dando origem ao chumbo. Este mecanismo estabelece a relação entre o número de átomos de chumbo e o número de átomos de urânio contidos num frasco para conseguir datá-lo.

Com a técnica, os investigadores estimaram que um dos fósseis, pertencente a um saurópode, tivesse apenas 63,9 milhões de anos. Os autores avançam que existem ainda muitas incertezas nas medições. No entanto, não afastam a ideia de que algumas espécies se tivessem espalhado durante mais alguns milhares de anos.

OBSERVAÇÕES

Alguns dinossauros podem ter sobrevivido, mesmo até Períodos Recentes. Entretanto, os problemas mencionados relativos ao métodos de datação existem, o que demanda certo cuidado.

Anônimo disse...

http://exame.abril.com.br/ciencia/noticias/humanos-podem-ser-todos-marcianos-diz-estudo

“Evidências indicam que somos todos marcianos”. A afirmação é do químico Steven Benner, do Instituto de Ciência e Tecnologia de Westheimer (EUA). Um estudo recente do cientista sugere que a vida pode ter começado em Marte antes de chegar ao planeta Terra.
Durante a Conferência de Goldschmidt, em Florença (Itália), Benner explicou que a forma como os átomos se uniram pela primeira vez para formar o RNA, DNA e proteínas (componentes moleculares dos seres vivos) sempre foi alvo de especulação entre os cientistas.

A forma como essas moléculas surgiram é misteriosa. Alguns pesquisadores especulam que o RNA (ácido ribonucleico) foi o primeiro a surgir na Terra. Para criar o RNA, os átomos precisam se alinhar de forma específica em superfícies cristalinas de minerais.

Alguns resultados da pesquisa de Benner sugerem que esses minerais precisam de elementos como boro e molibdênio, fundamentais na formação da vida a partir dos átomos. Dessa forma surgiria o RNA.

O problema é que o molibdênio influencia na formação da vida apenas quando se torna altamente oxidado. E essa forma de molibdênio não existia na Terra quando a vida surgiu, pois o planeta tinha pouquíssimo oxigênio, enquanto Marte tinha bastante.

Segundo Benner, isso é um forte indício de que a vida da Terra tenha chegado por um meteorito de Marte. Outro fator que reforçaria a tese de Benner é o clima seco do planeta vermelho, o que tornaria o ambiente mais propício ao surgimento da vida.



SE EU NÃO ME ENGANO, NAS TRADUÇÕES DE ZECHARIA SITCHIN, ELE MENCIONA ALGO DE QUE OS ANUNNAKIS TINHAM BASES EM MARTE.

Anônimo disse...

Mais uma evidencia dos "deuses astronautas"? Por que não?
http://noticias.seuhistory.com/formacoes-espiraladas-no-saara

Anônimo disse...

Bruno, poste as fotos para os frequentadores do Blog ver.
http://noticias.seuhistory.com/formacoes-espiraladas-no-saara

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Anonimo, na pagina diz:
http://noticias.seuhistory.com/formacoes-espiraladas-no-saara

20.09.2013
As formações espiraladas no Saara

As formações espiraladas no Saara
Impossível ficar indiferente a esta formação em espiral, composta por 89 cones no deserto do Saara, na borda entre o Mar Vermelho, na localidade de El Gouna, no Egito. A grande estrutura, construída também para registar a passagem do tempo, poderia muito bem ser obra de uma civilização desconhecida ou da Antiguidade, como os egípcios e suas pirâmides - VEJA MAIS FOTOS >>

Contudo, estas intrigantes estruturas em formas de cones são obra de um grupo de de arte grego chamado D.A.S.T, que desenvolveu o chamado "Desert Breath" ("Respiração do Deserto", em uma tradução livre). O trabalho consiste em duas espirais formadas por cones que saem de um imenso cone central. Em uma espiral, os cones são positivos, formando uma monte; na outra, eles são negativos, ou seja, foram escavados em forma de cone na areia. O cone central é uma espécie de recipiente gigante cavado no deserto, com 30 metros de diâmetro, composto por uma seção em formato de W, que foi preenchido com água.

O projeto foi finalizado em 1997 e persiste até hoje nas areias do Saara como uma forma de lembrar a imensidão do deserto e também de analisar a ação da areia e dos ventos que, vagarosamente, vão transformando e deteriorando o projeto. O "Desert Breath" se espalha por 100 mil metros quadrados e sua construção exigiu a remoção de 8 mil metros cúbicos de areia para criar cones negativos e positivos que foram medidos de maneira precisa.

Por: Danae Stratou


Não é uma evidencia de extraterrestres, é uma construção moderna...

Robinson Oliveira disse...

Meu amigo és dos poucos que possui sapiência sobre fatos, que a nossa querida "ciência" insiste em menosprezar os fatos. Muitas coisas não batem (senão a maioria), que estes facultados insistem em empurrar para este povo humano sem cultura. Eu sou cético a muitas baboseiras como esta do efeito KT, e acredito fielmente nos Flintstones, pois o homem moderno sim conviveu com os dinos. E existem provas que foram burladas pelos imbecilianos (darwinianos). Sou muito grato por ter mais pessoas como você a divulgar a verdadeira historia e realidade do nosso pequeno universo. Um grande abraço.
Ps: eu estudo por mim mesmo e não pelo o que outros dizem e enxergo coisas que muitos duvidam existir.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Como é de praxe, os Macacos Pelados de Darwin usam de ironia para defender os axiomas de sua religião preferida, né Robinson Oliveira?

A Macacada fica louca!! Rsrsrsrs!!!

Anônimo disse...

eu não acho tão ridiculo uma hipotese de intervenção de fora na extinção dos dinossauros, só uma mente brilhante poderia extinguir uns e deixar outros

Anônimo disse...

evolução é quando uma espécie fica mais inteligente, rapida, etc, é bem dificil ela ''mudar aparência'', evolução é tão fraca quanto a religião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

wibiya widget

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. [Bruno Guerreiro de Moraes]