quinta-feira, 30 de maio de 2013

John Chang - Parte [1 de 4] - O Mago de Java - Magus of Java - Autêntico Taoísta Imortal

Pagina em Construção... [Em breve vamos configurar a pagina, Aguardem].

Você Sabe o que é “O Salto Quântico Genético”? [Clique Aqui]

Veja Todas as Partes - Clique nos Números: [01] - [02] - [03] - [04]


Veja Também: John Chang - Poderes Psíquicos Reais - Cientificamente Provados - Ordem dos MO PAI - [Clique Aqui]

Ebook - Versão em Inglês - [Clique Aqui]
 

Imagine um mundo onde a mente e a alma do homem é livre para chegar
em seu maior potencial, onde os poderes, uma vez considerados sobrenaturais
ou paranormais são um simples fato da vida. Imagine um lugar onde as doenças
até então incuráveis podem ser tratadas com a descomplicada administração da energia  abundante da vida, um lugar onde a humanidade pode facilmente comunicar se com os espíritos terrestres, onde os iogues poderosos podem falar com o seu Criador o próprio Deus.
Não seria maravilhoso morar em tal domínio, as coisas de fadas
contos, mitos, lendas e temas de Hollywood?
A vida não teria um sabor diferente, um tempero, se essas coisas fossem
realmente verdade?
Bem-vindo ao meu mundo. Eu moro em tal lugar, onde tudo o que eu disse anteriormente de extraordinário são reais e incontestáveis.
No meu mundo a ciência ocidental e o misticismo oriental andam
lado a lado, inseparáveis, espelho aspectos de uma mesma realidade,
igualmente pesados e válidos. A oportunidade de crescer cada
momento, o dom de expanssão do nosso próprio potencial.
Você poderia dizer que tal coisa esta  longe, mas na verdade
é à porta da humanidade. Não pode haver dúvida de que a humanidade esta
uma vez mais no processo de transformação. Tradições estão evoluindo, barreiras transculturais continuam a cair. Antigos valores, ideais e conceitos
não são mais aceitos cegamente, as pessoas de todos os credos, raças e nações tornaram-se menos hesitantes em questionar as coisas.

A mente do homem está conturbada como nunca antes, a tecnologia crescente
logaritmicamente aos trancos e barrancos. Tocamos o pé na
lua e pisamos no fundo do oceano. Nós andamos muitas vezes na velocidade do som e conhecemos os rostos dos planetas em torno de nós. Nós controlamos o poder do átomo e podemos transplantar um coração humano parado, nós estamos a um passo de criar uma inteligência artificial baseada em silício.
Nós, inclusive, invadimos a santidade do gene e criamos clones. Parece que a nossa busca pelo conhecimento é limitado apenas pela energia, tempo, e alocações financeiras.
Fizemos muito progresso social. Apesar da nossa falha distribuição de renda os níveis de educação estão na maior elevação de todos os tempos para a raça humana.

O fenômeno da servidão humana e subjugação está em declínio;
rebelião é evidente em todo o mundo. As pessoas são conscientes de seus direitos
e estão dispostas a lutar, talvez até mesmo a morrer por eles. (Isso não é simples quando você considera que as economias de todos os impérios do mundo foram fundadas na escravidão.) Mas o fato é que muitas pessoas estão agora dispostas a lutar e morrer pelos direitos de outras pessoas, talvez mais do que em qualquer outro período da nossa história. o que É igualmente importante é que o auto-sacrifício desses heróis não é
com base em qualquer crença ou prática religiosa específica, mas sim sobre a
convicção de que os direitos humanos merecem ser protegidos.
Existem exceções para isso, é claro. O fanatismo religioso tem aumentado. Problemas com o fascismo mais uma vez. Corporações multinacionais
abusam de seu poder a ganancia por maiores lucros, subornando os corruptos
governos para estuprar sua terra e usar seus próprios cidadãos. O
equilíbrio ecológico do planeta foi destruído, permanentemente, algumas
pessoas afirmam. Nossa flora e fauna estão morrendo, o planeta sofre.
As regras do Todo-Poderoso Dólar, e o consumismo é a crença do dia.
Mas a verdade é que para sermos realmente poderosos ainda temos que responder às perguntas fundamentais da vida. Quem somos nós? Para onde vamos? Por que estamos aqui? Quais são as nossas capacidades inerentes, qual o nosso potencial? Será que vivemos após a morte? O que é a verdadeira felicidade e como
podemos alcançá-la? Existe, de fato, um Deus Criador? A lista de perguntas é interminável, tão longa quanto a história da humanidade.
É possível para nós respondermos a essas perguntas. O segredo para a resolução dessas questões básicas, no entanto, é que devemos fazer um esforço empenhados como espécie, não como nações ou grupos de pessoas, para encontrar as respostas. Simples, mas ao mesmo tempo dificil.

A humanidade tem desenvolvido ao longo do tempo muitas linhas culturais diferentes. Algumas culturas são visuais, outras acústicas, outras olfativas,
outras intuitivas. É difícil quantificar com precisão a cultura humana,
e tal análise está muito além do escopo deste livro. No entanto,
é possível dizer (falando de maneira geral) que, como dominante
tendência, a ciência ocidental tem se virado para fora com a  intenção de modificar o ambiente para satisfazer os desejos do homem. A ciência oriental, por outro lado, tem se voltado para o interior na tentativa de quantificar
e desenvolver as capacidades inatas da espécie humana e
compreender o seu papel no esquema da vida. Eu esclarecerei o propósito desse livro. Deixe-me voltar à frase um esforço empenhado como espécie. Esta declaração
implica que nós, seres humanos devemos quebrar as barreiras da nossa etnia
e as barreiras nacionais e trabalhar juntos. A história diz que incrívelmente em grandes acontecimentos na história sempre fomos capazes de temporariamente
cruzar os limites auto-impostos. A era Helenística, por exemplo,
nos mostra claramente o que pode ser alcançado através da interação cultural;
no século IV a Grécia antiga encontrou-se com a Índia antiga, e
o destino do mundo foi para sempre e radicalmente mudado.
As façanhas do Rei Alexandre e seus homens, no entanto, não são
diretamente pertinentes a este livro. A questão é que não há nenhuma razão para que
hoje não possamos repetir o que os antigos alcançaram , e que nós devemos aprender
uns com os outros, a fim de crescer, para sobreviver, talvez mesmo
para prosperar. No século XIX, Kipling escreveu, "Oriente é o Oriente e
Ocidente é o Ocidente, e nunca os dois devem se encontrar. Ele estava errado. O Oriente esta encontrando o Ocidente hoje, e continuará se encontrando. Para perceber isso, temos de garantir que ambas as culturas se aproximem uma da outra, com respeito mútuo, abrir-se completamente uns aos outros, e partilhar as suas conclusões. Não é uma tarefa fácil.
Cultura chinesa, e mais especificamente a cultura taoísta, tomou
o Ocidente. A acupuntura é praticada em todos os lugares. Restaurantes chineses são onipresentes. Filmes de kung fu e programas de TV são populares
mundialmente. A meditação tem sido reconhecida pela medicina ocidental. * O Tao Te Ching está sendo lido por estudantes universitários de todo o mundo, e muitos empresários ocidentais estão usando o I Ching e feng shui (métodos de adivinhação dos chineses) em sua tomada de decisão no dia-a-dia.
E, no entanto, apesar do apelo popular da cultura taoísta chinesa, uma
fusão de Oriente e Ocidente só começou a ter lugar nos recentes
anos da nossa história. Para a maior parte, as pessoas no Ocidente ou rejeitam inteiramente a Abordagem Oriental como uma bobagem ou a abraçam com fervor religioso como a mais antiga e espiritual ciência. As duas atitudes são erradas. O primeiro presunçosamente rejeita o valor de aprender chinês, o segundo leva testado e comprovado técnicas biofísicas desenvolvido ao longo de milênios e os transforma em dogma. Este
problema é agravado pelo fato de que muitos ocidentais e chineses são igualmente muito ansiosos para empurrar pequenos petiscos de conhecimento goela abaixo dos consumidores em uma busca desesperada por dinheiro.
Os próprios chineses são responsáveis
​​por grande parte disso.

Não há, infelizmente, nada como a ciência chinesa. O conhecimento desenvolvido pelos chineses
nunca foi muito divulgado, nem mesmo dentro da própria China. Foi a prerrogativa
e base de poder de uns poucos privilegiados e suas famílias.
No passado nunca um mestre chinês ensinou aos seus aprendizes 100
por cento do seu conhecimento. Em vez disso, ele manteve, por exemplo, 10 por cento para si mesmo. Talvez ele anotava o resto em um documento para seu aluno favorito, a ser aberto depois de sua morte.
O resultado desta abordagem foi a de que a soma de cada aprendizagem de um clã
diminuiu em 10 por cento a cada geração, até que algum carismático
estudante foi capaz de decifrar o mistério e retornar ao estado do professor original, e assim prosseguiu o ciclo com os seus estudantes e assim por diante. Os recursos e as façanhas do Mestres se tornou uma lenda e, mais tarde enredo da
Ópera chinesa. Hoje, eles são a essência de todos os filmes de kung fu.
Para piorar a situação, os Mestres quase nunca trabalharam juntos.
O conceito de uma universidade ocidental, onde o conhecimento é
compartilhados e experiências são comparados, foi um alienígena para eles.
O poder foi feito para ser usado para material de lucro, e espiritual. Frequentemente os Mestres desafiavam-se mutuamente; muito conhecimento foi perdido dessa maneira porque o Mestre que superava o outro  freqüentemente perdia a vida também. Para nossa cultura ocidental, tal abordagem parece chocante, para dizer o mínimo. A disseminação da informação é evidente em toda parte, na verdade, é muito difícil, até mesmo indesejável manter o conhecimento secreto ou de propriedade em nossa sociedade. No entanto, há uma maneira que uma união completa dessas duas culturas
pode ser realizada, e que é, simplesmente, a criação de uma nova
ciência que não é nem oriental nem ocidental, mas uma união de ambos. Visionários do passado previram tal disciplina. Creio que é o destino da humanidade se unir desta forma,
e que tal ciência, combinando a abordagem orthological do Oeste com a disciplina mística do Oriente, está a ser forjada em nosso dia e idade. Esta história, em essência, representa o futuro escolhido por desejo da humanidade despertar para uma vida melhor e uma verdade maior. Você vai encontrar muitos textos existentes sobre esse assunto. A principal diferença, porém, entre este livro e qualquer outro é que é a representatividade de um sistema, de trabalho existente, não um relato histórico de algo que já foi. É fato, não suposição ou um sistema de crenças dogmáticas.

Há um homem na Indonésia, que é um mestre da antiga ciência chinesa
do neikung, ou "poder interno." O nome dele é John Chang,
e ele é meu professor. Chang foi apresentado pela primeira vez ao mundo na premiada série de documentários Anel de Fogo, filmado pelos irmão Lorne e Lawrence Blair, sua privacidade foi protegido pelo pseudônimo Dynamo Jack. Neste documentário
Mestre Chang chocou o mundo ao demonstrar o impossível:
Primeiro, ele gerou uma corrente elétrica de alta amperagem dentro de seu
próprio corpo para curar Lorne de uma infecção no olho, e então ele "eletrecutou"
Lawrence (e seus cameras), utilizando a mesma energia. No mesmo momento Mestre Chang então usou essa energia bio-para queimar um jornal, alertando os pesquisadores que o mesmo poder que tinha curado Lorne poderia ser facilmente usado para matar um homem também.
Foi a primeira demonstração documentada de neikung dada ao mundo ocidental. O que é ainda mais surpreendente é que dezenas de milhares de pessoas ao redor do mundo (inclusive eu) facilmente acreditaram nisso e que os dois irmãos não tinham idéia do que eles estavam filmando no momento.
Para que você possa entender completamente o que o termo neikung implica,
você vai ter que trabalhar o caminho através deste texto. O que é importante
neste ponto é que, pela primeira vez no desenvolvimento humano, um
homem que de acordo com a cultura chinesa é um hsien, um imortal taoísta, é
disposto a vir e revelar ao Ocidente a verdade por trás de seu
ensino. John Chang é único nos anais da humanidade. Tal como o
Cavaleiros Jedi da saga Star Wars, ele tem incríveis habilidades sobrenaturais:
telecinese, pyrogenesis, eletrogênese, telepatia, levitação, visualização remota, mesmo projeção astral (por falta de um termo melhor). milhares
de pessoas testemunharam a ele fazer essas coisas. O poder so meu professor
é incompreensível para a mente ocidental, uma pequena porcentagem de
sua energia acumulada pode instantaneamente dominar, ou curar, um ser humano
ou até mesmo animal maior. E ainda o Sr. Chang é um ocidental. Um morador
de Java urbana, ele visita a Europa e os Estados Unidos muitas vezes. Ele tem
andado através da China e procurado por pessoas como ele com a intenção de
aprendizagem e partilhar característica semelhantes. Pode-se dizer que o Sr. Chang é a melhor combinação
de que há, no Oriente e no Ocidente, ou, mais poeticamente na ponte entre Oriente e Ocidente, ele é uma das torres de fundação.
Este texto incidirá essencialmente sobre a história de vida e preliminares
ensinamentos de John Chang. Tentei seguir o método
sugerido pela Jedi e apresentar os conceitos orientais de uma forma que
todos os ocidentais possam entender. Como tal, eu rezo para que este volume
esteja à altura de tal tarefa, e homenagear John Chang e seus ensinamentos.
Talvez tivemos realmente muita sorte no passado quando Deus decretou que os ramos das ciêcias separadas pudessem se juntar. Talvez nós, o Ocidente precisamos do Oriente
para salvarmos o nosso mundo contra nós mesmo.

- Kosta Danaos
Atenas, Grécia

Capítulo Um

Olhando Através do Espelho

Primeiro Contato

Sou um cientista digamos que por muito treino, e sou formado em dois campos da engenharia.
Entre outras coisas, eu tenho sido empregado como um engenheiro  sénior
de projeto em uma das maiores corporações do mundo.
Lógica e estereótipos sociais que ditam que eu não sou o tipo de
pessoa que prontamente acredita no que ouve ou vê em filme, e significa que de acordo com o meu padrão de crença tudo tem que ser detalhadamente provado para que eu possa acreditar em algo. Quando vi o documentário, no entanto, eu não duvidei da sua credibilidade por um só segundo. Eu sabia
que o que eu estava vendo era real, que não eram efeitos especiais nem fraude. Eu tinha certeza disso. Talvez seja a chegada do novo milênio que permite que isso, que um homem educado no pensamento ocidental e ciência pode olhar para um desvio das leis da natureza e dizer: "Isso é real."
Como mencionei anteriormente, o documentário bem-feito pelos irmãos
Lorne e Lawrence Blair, chamado Anel de Fogo, representa um Homem oriental fazendo o que é impossível de acordo com o nosso conhecimento médico, ciência e física ocidental: usando sua própria interna bio-energia para acender um jornal e deixá lo em chamas. Isto foi conseguido com um mínimo de barulho, quase
despreocupadamente. O homem esperou até que a equipe do filme estivesse pronta, firmou a palma da mão direita sobre um
jornal amassado, seu corpo ficou tenso, e simplesmente colocou o papel em chamas. Era óbvio para o espectador que algum tipo de energia potente estava sendo
gerada a partir do homem tanto que o jornal explodiu em chamas.
Existem pelo menos duas maneiras em que este feito poderia ter sido realizado
como uma ilusão. Uma delas é que os cineastas estavam colaborando
com o homem e, através de efeitos especiais, fazendo assim uma fraude.
O outro é que foi o próprio homem que estava enganando os pesquisadores,
ter deslizado um pedaço de fósforo ou algum outro inflamável
para o papel amassado e cronometrando sua exibição para coincidir
com oxidação do produto químico. Mas eu sabia que não era o caso, eu
sabia que eu estava olhando para o McCoy real, por assim dizer.
Havia motivos para isso, o mais importante era a imagem daquele homem própriamente dita. Ele era um oriental pequeno, mas bem forte, sorrindo e despretensioso.
Ele parecia ser de idade indeterminada, com a cabeça cheia de
cabelo preto grosso e a pele da juventude, mas seus olhos eram os olhos de
uma antiga, sinceridade e havia um brilho neles. Sua voz estava compassiva, sem dolo. Ele estava nervoso na frente da câmera! O mais importante, parecia que o homem não tinha nada a ganhar com a exibição, nem seu nome nem sua localização foi divulgado
pelos pesquisadores, e ele certamente não estava pedindo dinheiro por aquela demosntração.
Nenhuma destas coisas me ocorreu no momento, no entanto, quando eu vi o vídeo, eu sabia apenas uma coisa: que eu tinha finalmente, depois de 25 anos de pesquisa, conhecido o meu mestre, foi chocante, eu olhei para ele e sabia que nada poderia
imperdir-me de ir com ele.
Como muitas pessoas da minha geração, eu estava estudando as
artes marciais por um longo tempo. Eu tinha começado com a idade de 10 e deslizei através de uma série de artes marciais orientais para finalmente resolver parar no jujutsu japonês com os meus vinte anos. O que eu estava procurando era
simples: eu queria o que o ator David Carradine tinha retratado no clássico seriado Kung Fu. Eu queria uma arte cuja os Mestres eram sábios, filósofos esclarecidos que poderiam matar um tigre com um soco, e ainda assim abominavam a violência. Eu queria uma arte cujos praticantes realmente ficassem mais forte
com a idade. Eu queria uma arte através da qual o meu professor iria de fato ensinar me sobre mim e o mundo ao meu redor. Eu queria ser Kwai Chang Caine.
Eu tinha procurado em todo o mundo tal um mentor, e o que eu encontrava geralmente caia em três categorias: os filósofos iluministas que não poderiam perfurar o seu caminho para fora de um saco de papel ; os animais que eram grandes lutadores, porém nem um homem civilizado gostaria de convidá-los para sua casa, e alguns indivíduos que pareceram ser exatamente o que eu estava procurando, mas revelaram-se insuficientes
para a tarefa, em última análise, exibindo uma falta de juízo, inerente
fraqueza, motivos fraudulentos ou instabilidade emocional. É também bastante
possível que era eu que não era digno deles, e deixou-os antes de eu vir a compreendê-los.
No passado, eu tinha repetidamente rejeitado as artes marciais chinesas devido à escassez notável de conhecimento autêntico inerente à sua disseminação na sociedade ocidental. Em 1970 e 1980 as Artes chinesas eram notórias por sua falta de professores credíveis. Fidedignos instrutores foram, em geral, muito mais difícil de encontrar do que impostores
lucrando com a popularidade de filmes de kung fu. Além disso, eu não podia entrar na China comunista para procurar um verdadeiro mestre até 1992
por causa da minha profissão. E ainda eu tinha, como todo artista marcial, lido os livros de pesquisadores
​​e professores confiáveis. Eu sabia a teoria por trás das artes marciais chinesas, e eu sabia que o homem que eu tinha visto no filme era chinês. Eu também sabia que o que eu tinha testemunhado era chamado neikung-a manipulação de alimentação interna. Eu tinha que encontrá-lo.
Eu sabia que não ia ser fácil. Eu não sabia o nome do homem.
O documentário tinha indicado que ele viveu em algum lugar em Java ou
Bali, mas eu não tinha forma de saber se aquela implicação ainda era verdade,
eles poderiam te-lo filmado em San Francisco, e eu não falava chinês nem malaio.
Dez dias depois, eu estava em um avião para a capital da Indonésia - Jacarta.
Depois de uma viagem de 18 horas, eu fiz uma reserva no mais limpo hotel encontrado em Jalan Jaksa e descansei para o dia seguinte. Eu sabia que
seria difícil prosseguir a jornada.



No dia seguinte, embolsei a pilha de fotografias que eu tinha tomado da seqüência do vídeo “Anel de Fogo” e parti para a Chinatown de Jacarta, um distrito chamado Glodok. Meu plano era visitar todas as farmácias chinesase clínicas de acupuntura em Glodok, perguntando-lhes se sabiam quem era o homem nas fotos. Parecia uma boa idéia na época.
Eles acharam que eu era louco.
Devo ter feito a semana deles mais divertida. Foi a minha primeira viagem à Indonésia, eu
esperava o pior e estava vestido como um turista ocidental em eumsafari.  Alguns lojistas riram na minha cara, outros apenas educadamente disseram-me para dar o fora dali. Um deles até me jogou para fora! Depois de seis ou sete horas de rejeição constante, andando entre os mendigos,  leprosos e sendo seguido por um bando de meninos de rua, avistei um antigo templo chinês em meio a tudo isso e entrei. Imediatamente o ruído foi embora e eu fiquei sozinho.
Os guardas do templo estavam curiosos. O que eu estava fazendo lá? Eu era muito tímido e estava com vergonha de dizer-lhes. Eles me compraram o jantar, me deram água para beber e me enviaram ao meu caminho. Voltei para Glodok no dia seguinte, com  determinação reforçada e armado com um bilhete que o funcionário do motel  havia escrito para mim.
Mais tarde soube que o que ele tinha escrito era:
Honrado senhor ou senhora,
Eu sou um estrangeiro muito estúpido que foi enganado e que percorreu todo o percurso da Grécia até aqui. Estas são imagens de um homem que eu vi em um vídeo;  eu estou procurando por ele. Eu não sei seu nome ou de onde ele é.
 Você o conhece? Obrigado.
Este é provavelmente por isso que as pessoas ficaram mais educadas e o porquê de ter visto mais sorrisos no meu segundo dia na cidade. Depois de algumas horas de rejeição diplomática,
eu retornei  ao templo, pensando que eu iria encontrar com os amigos do dia anterior.
Eles ficaram encantados ao ver-me e ainda mais curiosos.
Desta vez, eu era o único que comprou todo o almoço; nos sentamos juntos por um tempo, rindo, nos comunicando por um inglês precário e linguagem de sinais. Conforme nossa camaradagem se desenvolveu, eles tornaram-se curiosos o suficiente para me pressionar por detalhes.
"Kosta, diga-nos o que você está fazendo aqui?"
"Não, isso é bobagem, você não quer saber."
Finalmente, eles se tornaram tão insistentes que eu cedi e, em vez de
explicar, entreguei o bilhete.
De repente, eu estava diante de um grupo de estátuas;  seus sorrisos foram substituídos pela desconfiança. Um calafrio percorreu a minha coluna. Um homem sussurrou algo a um jovem rapaz, que saiu correndo. Como um, todos os meu novos amigos pararam.
"Fique aqui", disse um homem corpulento.
Dez minutos depois, um chinês magro, de idade indeterminada apareceu com uma bicicleta. Ele me ofereceu sua mão e se sentou.
"Meu nome é Aking", disse ele. "Eu sou um estudante do homem que você procura."
Aking atormeutou-me por quase uma semana, me fazendo perguntas como:
"Quem te mandou?" e "Por que você veio a este lugar?"
Parecia absurdo para ele que eu poderia ter encontrado uma pista para seu professor tão facilmente, vindo como eu fiz da Grécia - dentre todos os lugares -  sem a menor idéia de
costume local e geografia. Ele tinha certeza de que eu era um espião a serviço de
alguma agência de inteligência; ele até me fez entregar meu passaporte para ele! Depois de uma semana,  Aking finalmente me deu um endereço em uma cidade ao leste de Java e me disse para ir para lá na manhã seguinte, o homem que eu tinha visto no documentário estaria me esperando, foi o que lhe disseram.
Bem, eu não acreditei nele.
Tinha sido muito fácil, muito incrivelmente fácil. Eu pensei que aqueles chineses sorridentes estavam pregando uma peça no estrangeiro, enviando-lhe em uma perseguição de ganso selvagem e rindo às custas dele. Eu embarquei no avião com hesitação, senti como um tolo quando cheguei, senti-me ainda mais tolo quando peguei um táxi para o endereço que me tinham passado e disseram que o homem estava fora. Voltaria em duas horas, eles disseram. Pelo menos eles falavam inglês.
Passei algumas horas fumegando no quarto do motel sujo onde eu estava hospedado. Eu jureo vingança eterna às pessoas haviam me  enviado aqui. Eu os ensinaria a tomar cuidado com os gregos. Hah! Ouviram sobre a Guerra de Tróia, meus amigos? Você está prestes a conhecer a fúria grega. Me senti ridículo, como um idiota, estúpido; Eu mantive-me dizendo que toda
coisa era uma brincadeira, que eu havia gasto muito dinheiro vindo até aqui, que eu era um idiota, um estúpido, um ingênuo  e. . . .
Voltei às duas horas. O homem estava lá.
Eu não posso simplesmente transmitir o choque, a alegria e o alívio de encontrar
Dynamo Jack em pé na frente de sua casa. Eu tinha sido um imbecil, sucumbindo à minha raiva. Ninguém estava pregando um peça comigo, o estudante que conheci tinha realmente tentado me ajudar, enviando-me ao seu professor.
Apertamos nossas mãos e ele me convidou a entrar. Ele disse, simplesmente,
que seu nome era John. O sobrenome na campainha dizia CHANG em caracteres latinos, um nome comum o suficiente para um chinêsJohn Chang era o equivalente de John Smith, nos Estados Unidos, um nome que qualquer um poderia ter.
Eu me apresentei  formalmente.
"Kosta", disse ele, rolando a palavra ao redor em sua língua. O nome deve ter soado estranho para ele. "Como você me encontrou?"
Sue inglês era simples com um leve sotaque.
"Eu vi você em um vídeo. . . um documentário, "eu respondi.
"Ah. Isso foi há alguns anos. Eles me disseram que seria para pesquisa científica, caso contrário eu nunca teria demonstrado por eles ".
"Por que não?"
"Porque eu prometi ao meu Mestre, que eu não faria. O que posso fazer para você? Você tem algum tipo de problema? "

John era um curandeiro. Ele aplicou acupuntura para o tradicional
pontos, mas completou o seu efeito passando seu ch'i, a sua
bio-energia se você preferir, através das agulhas. Ele havia curado centenas
de pessoas a quem a medicina ocidental não poderia ajudar, algo que eu
não sabia na época. Eu improvisei.
"Bem, há duas coisas nas quais preciso de ajuda." Eu tinha ensaiado essa parte muitas vezes. "Eu tenho um problema com minhas articulações depois de tantos anos de bate-las na formação das artes marciais. . . uh, algo como osteoartrite. Osso, esporas e tal. "
Ele sorriu. "Muitos anos de treinamento impróprio, eu acho. É
possível que eu possa ajudá-lo. Mas terei que verificá-lo antes. "
"Ok".
"Eu vou ter que tocar em você. Não se assuste com o que você vai sentir. "
Tirei a camisa e ele colocou as mãos no meu peito e na parte superior de minhas costas.
Imagine uma poderosa passagem elétrica de corrente contínua através de seu corpo. Imagine que, apesar de seu impacto, você está de alguma forma consciente que esta corrente é benevolente, não prejudicial. Imagine que trabalha como um radar, buscando, pesando, sentindo. Engoli em seco e quase cai.
"Seu coração é muito bom", disse ele.
Eu balancei a cabeça e engoli em seco. Devo ter parecido estranho, mas ele foi provavelmente
 estava acostumado com isso. O fluxo de bio-energia que ele estava enviando através de meu corpo  fez com que meus músculos se descontrolassem idiotamente.
"Os pulmões estão bem. Rins são bons. Fígado está muito bem. "Enquanto ele estava
falando, me senti como se estivesse passando por algum tipo de ultra-som de alta intensidade. Eu podia sentir o seu poder dentro de mim, a energia crescendo enquanto ele se tornava mais confiante da minha condição física.
"Oh," ele disse. "Achei. Está no sangue. A química de seu sangue o torna susceptível a depósitos de cálcio. "
"Você pode fazer algo quanto a isso?"
"Eu não tenho certeza. Podemos tentar. Onde você vai ficar? "
Eu nomeei o motel.
Ele acenou com a cabeça. "Nós vamos encontrá-lo um lugar melhor. O que mais você quer? "
"Eu queria que você me aceitar como seu aluno!" Eu soltei. Falei rapidamente, e eu fiquei imediatamente decepcionado comigo mesmo. Eu tinha preparado um discurso tão eloquente para aquele momento, e para outros alternado- um  plano B caso o plano A falhasse, e assim por diante. Eu tinha trinta e cinco anos de idade na época, e tinha experimentado muito; Eu não estava propenso para me assustar, mas onde eu deveria ter sido maduro eu me senti como uma criança ante este homem. Mais precisamente, como um garoto punk.
"Não", ele disse. "Oh, não, não. Eu não aceito mais alunos,  mas você pode voltar amanhã de manhã, se você quer que a gente comece seu tratamento. "
Fiquei arrasado. Eu quis voltar para casa, magicamente transformar- me em um menino de cinco anos de idade, rastejar até o colo de minha mãe e chora. Ao invés disso voltei para o meu quarto de motel barato, sujo e esperei.



Taoísmo Prático

O taoísmo é um sistema milenar de crenças que tem, junto com seu rival
e antípoda, o Confucionismo, moldou o curso da cultura chinesa. Para citar a Enciclopédia Britânica: "taoísmo [é] uma tradição de religião-filosófica, junto ao confucionismo, formou a vida chinesa por mais de 2000 anos.
A herança taoísta, com sua ênfase na liberdade individual e da espontaneidade, o laissez-faire do governo e primitivismo social, experiência mística e técnicas de auto-transformação,representa de muitas maneiras a antítese da preocupação com os deveres morais individuais de Confúcio, os padrões de comunidades e responsabilidades governamentais. " *

Muitas coisas popularmente pensadas serem do chinês, no Ocidente, são realmente taoísta, e tornaram-se comum, mesmo na China apenas no século passado. Entre estes são muitas práticas que se tornaram "Marcas" na sociedade ocidental, como a acupuntura, tai chi chuan, feng shui, e do I Ching. A verdade é que agora é impossível separar Taoísmo da cultura chinesa, os dois são, na nossa época, a mesma coisa.
O Taoísmo foi categorizada por sinólogos como tendo tanto uma filosofia e uma tradição religiosa completa com doutrina formal e uma hierarquia religiosa. O Ocidente foi inundado nos últimos 20 anos com livros que afirmam ser o texto oficial do Taoísmo. Muitos desses livros são válidos, outros nem tanto, enquanto outros são simplesmente uma mistura de teorias ridículas. De maneira ainda mais frustrante, muitos são excelentes traduções de textos medievais chineses que são enganosos simplesmente porque, como traduções, eles estão sujeitos à interpretação de cada tradutor individualmente; as disparidades de significado que você pode encontrar entre as linhas dos textos traduzidos quando você comparar com o de outro autor são chocantes.
John Chang, o professor cuja vida e as teorias são o foco deste livro, é o diretor de uma linhagem de kung fu, cujas raízes podem ser rastreada à 20-400 anos. O próprio John nega essa denominação taoísta, talvez justamente porque o Taoísmo veio a ser considerado uma religião pelo mundo. No entanto, uma vez que os professores da linhagem de Mestre Chang basicamente viveram dentro dos limites de retiros taoístas históricos, e uma vez que a palavra taoísmo tornou-se um termo genérico no Ocidente por "filosofia chinesa nativa," Eu vou continuar chamando meu professor de taoísta. Talvez fosse mais correto chamar o seu ensino como "prática de Taoísmo" para diferenciá-lo do Taoísmo de outras fontes ou linhagens. O próprio Johm chama o taoísmo de uma "ciência filosófica”, o simples estudo da lei natural, por razões que eu irei delinear abaixo.
De todas as disciplinas espirituais o taoísmo é talvez o mais confuso e difícil de definir já que este começou o seu desenvolvimento como escola filosófica, se transformou em uma religião, e foi propagada como uma série de crenças populares. No entanto, existem muitas maneiras pelas quais conseguimos diferenciar uma religião de uma filosofia e, mais ainda, de uma ciência. No nosso caso específico, duas justificativas são as mais claras. o primeiro é que uma religião é baseada em crenças que não podem ser provadas, que são uma questão de fé de cada indivíduo. Nós, taoístas e práticos consideramos o nosso estudo como ciência que dá testemunho de que os fenômenos naturais que, tanto os alunos da nossa geração e Mestres do passado de nossa linhagem, experimentaram em primeira mão, e que pode ser reproduzido e experimentado por outros a qualquer momento. Esta é a distinção mais importante e que eu não posso enfatizar o suficiente. Para colocar o argumento de forma mais simples, um aluno do ensino médio estudando física e álgebra inevitavelmente chega a certas conclusões e desenvolve capacidades específicas, duplicando as experiências e a lógica de seus professores e daqueles em gerações passadas que passaram ao longo destas ciências. Não há nada de "religioso" na experiência de física e álgebra, que são ferramentas de conhecimento e poder, sem qualquer doutrina ou sistema de crenças.  Álgebra e física oferecem , em outras palavras, o que se tornou a palavra-chave da ciência ocidental: resultados reprodutíveis. Eles não acreditam em nada que não possa ser provado. Esta abordagem é precisamente o que alguém passando por treinamento como um estudante de John Chang vai experimentar, ele vai seguir os passos daqueles que vieram antes dele, encontrar os mesmos fenômenos, chegar às mesmas conclusões.
A segunda razão pela qual eu afirmo que o"Taoísmo prático" é uma ciência naturalista é que a palavra religião tem vindo a implicar um desentendimento entre o homem e o divino, uma que a doutrina proferida pode reconciliar, agindo como um intermediário *Não podemos encontrar nenhuma prova de um homem que caiu nas graças de Deus, * assumindo que há um Deus;  Ao invés disso parece haver evidências de que o homem está evoluindo para se tornar o que Deus pretendia que ele fosse. Como "práticos taoístas" que não oferecem meios especiais de resgate, não há salvação, não há cenoura para fazer o burro correr. Ao invez disso, oferecemos um método de melhorar a existência, tornando cada indivíduo mais do que ele já é e movendo-o para o que ele pode esperar se tornar. Nós somos, de maneira simples, uma ciência filosófica.
* O verbo religar original em latim significa "amarrar firmemente", sugerindo união com o Divino, como tal, é muito próximo do conceito à palavra sânscrita ioga (do qual vem o jugo Inglês), em vez do conceito de rejuntamento que a palavra religião vem a implicar hoje em dia.
Talvez você entenda melhor a distinção se eu analisar o termo chinês do kung fu. Muitas pessoas pensam que isso significa "arte marcial", mas este não é o caso. (Os termos chineses para técnica marcial e artes marciais são agora wu shu e Wu Yi, respectivamente.) As duas palavras em kung fu são muito difíceis de se traduzir, na verdade, devemos estudar toda a escrita chinesa para compreender o seu significado. Vamos fazer a tentativa.

Kung fu é composto pelos ideogramas:
Agora, o primeiro termo, kung, é escrito como uma combinação de caracteres kung () e li (). Kung significa "construir", enquanto que  Li significa "energia ou força." O segundo termo, fu, é constituído pela único caractere fu (), que é um ideograma complexo de interpretar. Fu é derivado do caráter para o homem (), com adição de braços abertos e alfinete um homem adulto, através da personagem (na China medieval cada homem adulto usava um alfinete através de seu chapéu e cabelo). A implicação é de um grande homem adulto, maduro, responsável ou figura paterna, o personagem também é usado em outros contextos para denotar o marido de alguém. Em outras palavras, o termo Kung Fu realmente significa: "a construção e desenvolvimento de uma energia ao longo do tempo, através de um esforço diário, de modo que, no final, obtém-se o poder maduro e o desenvolvimento espiritual de um mestre."
Kung fu, em outras palavras, é um caminho de disciplina e de formação contínua, de crescimento próprio por toda sua vida. Este é precisamente o caminho escolhido e representado por John Chang.
*  Ou, inversamente, que o propósito da existência é simplesmente o sofrimento, samsara, a partir do qual os seres humanos devem se esforçar para escapar. Não foi minha intenção comentar sobre o judeu-cristianismo, eu simplesmente queria manter este seção tão breve quanto possível.




Capitulo 2
Força Vital
Um passeio de carro
" Eu tenho que ir para minha fazenda de camarão, esta tarde. Você pode vir
comigo se quiser. "

Já fazia cerca de duas semanas que eu estava conhecendo o homem que se tornaria meu professor. Durante duas semanas ele vinha furando meus cotovelos, joelhos e pulsos com agulhas de acupuntura, enviando uma corrente constante de ch'i (energia vital) através de meu corpo. Com o meu progresso durante o tratamento eu conseguia relaxar cada vez mais e John metodicamente aumentava a intensidade em cada sessão. Para minha surpresa eu tinha descoberto que ele usava uma intensidade de corrente de não mais do que 0,5 por cento de sua energia total para o tratamento de pacientes. Fiquei assombrado. Pessoas normais, até mesmo os homens mais fortes, podem ser nocauteados com 2 por cento.
Durante duas semanas eu tinha perguntado a ele todos os dias para me aceitar como aluno. Ele sempre foi firme em recusar, mas ele nunca insinuou que eu deveria "dar o fora" (para ser franco), ele sempre me convidava a voltar para um novo tratamento no dia seguinte. Eu simplesmente fazia isso, nunca perdendo uma sessão, rangendo os dentes contra a dor e tentando recorrer para a meditação enquanto John elevava a corrente de energia, aumentando a intensidade do poder que ele enviou em mim para os níveis mais altos que pude aguentar. Foi realmente doloroso, mas, mais importante, houve efeito.  Parecia que a cada sessão minhas articulações se sentiam melhor e melhor, e enquanto os depósitos de cálcio no meu braço direito não iam embora (Eles estavam ali há 12 anos), aqueles em meu braço esquerdo (que foram formado por um ano ou mais) desapareceram completamente. John também me mostrou um conjunto de "exercícios", como ele os chamava, para complementar o processo de cicatrização, e pratiquei-los rigorosamente todos os dias.
Ele me surpreendeu, na primeira semana de nosso encontro ele pegou um hashi e despreocupadamente  empurrou-o através de uma placa de pouca espessura (Eu soube mais tarde que ele poderia fazer isso à vontade com um pedaço de madeira de seis ou oito polegadas de espessura, a espessura era irrelevante). Você deve entender que ele não martelou com o punho ou qualquer coisa desse tipo. Ele simplesmente ajeitou a palma da mão contra a parte de trás do hashi, e fluiu para dentro da placa. John me entregou a placa e eu tentei empurrar o hashi para dentro, ele não se moveu, mas quando eu puxei-o para fora, ele veio com bastante facilidade. A razão para isso foi a forma cônica do pauzinho, que estreitava da base à ponta. Para empurrá-lo para dentro, eu teria de esmagar a madeira, assim como fez John, quando eu puxei-o para fora, apenas o ar resistiu ao movimento. "Você entende sobre yin e yang?", perguntou ele. Eu balancei a cabeça. Nesta época poucas pessoas no Ocidente não tinha ouvido falar destas duas forças opostas universais. "Dentro de nossos corpos, ambos percorrem em iguais quantidades”, continuou ele. "Essas energias são opostas, pois elas nunca podem se encontrar. Yin e yang funcionam normalmente paralelos um ao outro, nunca se distanciando uma da outra. Eu uso o meu yin e yang juntos como um; é por isso que eu posso fazer o que eu faço. Por si só, yang ch'i não pode passar os limites do corpo."
"Neikung", eu disse.
"Sim." Ele parecia satisfeito que eu conhecia a palavra.
Quando ele me pediu para ir com ele para o seu estabelecimento comercial, eu aceitei a chance de conhecer o homem melhor. Será que eu quero ir? É o papa católico? Claro que sim.
John era um empresário muito bem sucedido, e muito rico. Ele era um empreiteiro e um exportador de produtos manufaturados e produtos perecíveis. Os chineses expatriados se podem ser chamados assim, são muitas vezes referidos como os "judeus da Ásia", e com razão. Assim como seus compatriotas ocidentais, eles controlam as principais artérias de desenvolvimento econômico no Sudeste Asiático. John era um homem e tanto. Eu fui descobrir que ele tinha nascido na pobreza, no entanto,  ele se fez um milionário.
Nós fomos para a fazenda de camarão de carro. John dirigiu muito rápido, mas não de forma imprudente. Quando chegamos a 88 milhas por hora eu me tornei um pouco preocupado porque nem as leis, nem as condições de tráfego do país que ele residia era permitida tal velocidade. (E tenha em mente que eu sou um grego e, como tal, estou acostumado a ambas as altas velocidades como as condições das estradas deploráveis.) o tráfego era muito pesado e, após um tempo, o inevitável aconteceu.
O telefone celular de John tocou e a ligação era importante, ele começou falando sobre a unidade em frases curtas e rápidas, embalando o telefone sob o queixo e, basicamente, dirigindo com apenas uma mão, não duas. Para complicar as coisas, ele começou a ultrapassar uma série de carros, de forma ilegal porque havia uma linha dupla no centro da estrada. Seu caminho estava aberto para além desses carros, e ele estava com pressa. John tinha completado sua manobra e reentrou em sua pista adequadamente quando de repente um caminhão, na intenção de ultrapassar de uma forma semelhante um veículo lento em frente a ele e tendo nossa aproximação mascarado a velocidade em que nos encontravamos. Os carros que havíamos passados estavam a menos de cem jardas atrás de nós, uma distância equivalente há 1 minuto em nossa velocidade.
Segurei o console e de repente me senti muito feliz por estar usando o cinto de segurança. Nós estávamos fazendo cerca de 90, o caminhão que se aproximava estava em pelo menos 60, e John estava dirigindo com uma mão enquanto falava ao telefone. Eu tinha certeza de que estávamos indo para um acidente grave e estava grato que o nosso carro era grande e forte. Rangendo meus dentes, eu apontei para o veiculo que se aproximava e me preparei para o impacto. John quase não olhou para cima. Sem perder o ritmo ou parando a conversa, ele desviou para o acostamento da estrada passou o caminhão, e voltou para sua pista. Ele verificou o espelho retrovisor para garantir que o veículo tinha evitado com sucesso os carros que vinham atrás de nós também, e continuamos. Depois de um minuto do acontecimento ele terminou a sua conversa e desligou o telefone.
"Meus olhos ainda estão bem", disse-me secamente. Ele tinha 57 naquela época e parecia ter 40.
"Você sempre dirige tão rápido?" Foi a única coisa na qual pude pensar.
"Quando estou sozinho eu costumo dirigir mais rápido, cerca de 110-125 milhas por hora ou mais. Eu gosto de velocidade, como você pode ver. Quando eu tenho outras pessoas no carro eu costumo ficar abaixo de 90, caso contrário, se alguma coisa acontece, não posso protegê-los. “
"Alguma vez você já teve um acidente?"
"Só uma vez. Eu colidi com um caminhão há 100 milhas por hora. "
"O que aconteceu?"
"Nada aconteceu. Eu usei meu poder de absorver o impacto sobre meu corpo. Eles tiveram que me tirar com motosserras. As testemunhas pensaram que era um milagre, que Deus ou algum santo havia me protegido. " Eu estava atordoado. O que ele estava me dizendo era que seu corpo, aumentado pelos poderes que seu treinamento neikung lhe tinha dado, tinha resistido a um impacto maior do que a força de rendimento do aço. Tentei imaginar os fragmentos de metal e vidro fluindo ao redor de seu corpo, incapaz de penetrar a carne humana. Certamente, a deformação plástica planejada pelos projetistas do carro haviam ajudado, mas não havia como negar que o impacto que ele havia absorvido tinha sido fenomenal.
Seria verdade? Poderia um ser humano chegar a um estado em que ele estava impermeável ao dano exterior? Parecia demais para engolir. "Você sabe", ele continuou, "quando eu era mais jovem, eu queria ser um Dublê de Hollywood, já que eu não podia realmente ser ferido em acidentes por causa do meu poder. Mas depois pensei, não, se você fizer isso muitas vezes as pessoas vão começar a suspeitar de você, e além disso, eu tinha prometido a meu Mestre, que eu não iria usar o meu poder para fazer dinheiro."
Nós dirigimos por um tempo em silêncio. Ele começou a questionar-me sobre a Grécia. Ele entendia sobre os Balcãs. Ele tinha nascido sem dinheiro, e ele era chinês.
"Meu pai morreu quando eu tinha quatro anos", disse ele. "Eu cresci muito pobre. Basicamente, eu era um menino de rua. Embora minha mãe trabalhou muito duro, ela não tinha o dinheiro para me mandar para a escola. Eu tive que terminar o ensino médio mais tarde, mas nunca estudei em qualquer faculdade ou universidade. "
"Certo," eu brinquei. "Você só tem um Ph.D. em tornar-se sobre-humano.”
"Não", ele respondeu sério " você não deve pensar em mim como sendo um super-homem. Eu sou como um piloto de caça ou um atleta campeão. Nem todo mundo pode se tornar como eu, existem qualificações, mas algumas pessoas podem. O que eu sou é um produto da disciplina e treinamento tanto quanto o talento natural.”
"Minha esposa me ajudou muito", continuou ele. "Expliquei a ela quando nos casamos que eu não podia fazer outra coisa, que eu tinha que gastar todo meu tempo livre treinando. Ela concordou com isso."
Ele havia se casado aos dezoito anos e teve sete filhos. "Eu trabalhava como motorista há quase vinte anos, você sabe." Ele sorriu. "Pois então, você não precisa ser tão preocupado com a minha condução. Eu conheço estas estradas. "
Nós dirigimos em silêncio por um tempo. "Você realmente compreende," ele finalmente perguntou: "o que queremos dizer quando falamos de ch'i?"
"Acho que sim", eu respondi. Eu contei que tinha entendido o básico, eu tinha lido tudo o que havia para ler, e além de tudo, eu tinha praticado artes marciais por 25 anos.
Ch'i, ou bio-energia, é um fenômeno que tem sido muito discutido nos últimos anos no Ocidente. Com o estabelecimento da nova série Kung Fu, David Carradine mais uma vez contribuiu para a compreensão ocidental por proferir a palavra na televisão pelo menos uma vez por semana. Acupuntura, também, é agora comum, e não há praticamente um médico em qualquer lugar que não tenha passado algum tempo aprendendo a respeito. O fenômeno da bio-energia esta, portanto, sob investigação médica  e física. *
O ideograma chinês original para ch'i é melhor traduzido como "vapor" em Inglês. Também tem sido traduzido como "vitalidade", mas o ch'i é muito associado com a respiração (apesar de que seria melhor dizer que a respiração contém ch'i). Outras culturas deram-lhe outros nomes:  Os hindus chamam de prana, os tibetanos rlung (que significa "vento"),  Hebreus ruach (vento), e os habitante das ilhas do Pacífico mana, enquanto os antigos gregos chamavam pneuma (espírito, vento).
 É interessante notar que a palavra latina spiritus também significa "respiração", e
que a palavra grega para os órgãos respiratórios do nosso corpo (os pulmões) é
pneumon (da qual temos a palavra pneumonia, por exemplo).
Ch'i é semelhante a eletricidade que flui através de um fio, que pode gerar calor, trabalho ou energia, mas nenhum destes identifica ch'i em si.
"Então você sabe que o nosso corpo tem o yin ch’i e yang ch'i?"
continuou ele.
"Bem", sorri, "Eu li sobre isso no Tao Te Ching".
"Ah! Lao-tzu o Taoísta", ele disse. "Ele era um homem sábio. O que ele diz sobre o ch'i? "
Eu pensei na hora que ele estava me testando. Mais tarde eu iria descobrir que John nunca tinha lido o Tao Te Ching.
"Bem", eu respondi, "ele diz que ch'i tem os componentes yin e yang, e que é a interação entre os dois, que torna possível a vida. "
A troca de informações entre os pólos positivo e negativo da existência é o componente principal de nossa força vital, quando nós, como uma espécie começar a entender esse fenômeno a partir de uma perspectiva técnica, vamos começar a compreender a própria vida. (Eu viria a descobrir, no entanto, que nossos corpos são brevemente capazes de armazenar tanto yang ch'i e  yin ch'i puros em áreas diferentes, embora esse estado de não equilíbrio é sujeito a entropia.)
"Interação". John rolou a palavra ao redor em sua língua. "Como eletricidade, positivo e negativo? "
"Eu acho".
"Não é correto." Ele fez uma pausa. "Mas você sabe,  uma vez eu deixei um aluno meu ligar-me a um voltímetro e um amperímetro. Ele não registrou tensão, mas eu estraguei o amplificador metros fora da escala. Queimei a máquina! "
"Você está me dizendo que ch'i tem corrente, mas não tem tensão? "
"Eu acho que sim. Por exemplo, eu posso suportar a corrente elétrica domestica indefinidamente, sem sentir dor, mas eu não posso acender uma lâmpada. Eu tentei muitas vezes. "
Eu pensei sobre isso. A investigação em laboratórios clínicos parece indicar que a resistência elétrica da pele muda acentuadamente em diferentes pontos de acupuntura. Existem " máquinas de acupuntura elétrica “ que fazem uso deste fenômeno para localizar os pontos para os neófitos. Esta é uma indicação de que ch'i e tensão são de alguma forma inversamente proporcional (embora existam outras explicações).
Mas eu estava a descobrir anos mais tarde que John estava errado. Seu ch'i de fato não mostrou nem tensão nem corrente, mas sim, foi um fenômeno inteiramente diferente, baseado em forças muito diferentes.
"E além de ser mais potente, o seu ch'i é diferente das pessoas normais? "
John simplesmente sorriu, mas não me respondeu.
Chegamos à fazenda. Era de tamanho médio, cerca de 20 pessoas eram empregadas lá. Eu fui dar uma volta enquanto ele terminava o seu negócio. Uma jovem trouxe uma tigela de frutas e uma garrafa de café para mim, o fruto tropical estava delicioso, o café medíocre.
John aproximou-se e sentou, servindo-se de um café. "As pessoas são tão estúpidas", disse ele. "Meu produto ainda nao foi liberado, porque alguns policiais locais querem um suborno. Essa é a maneira que nós operamos aqui, você sabe "
"É a mesma em todo o mundo", eu disse. "Você tem que engraxar as rodas para que elas girem "
Ele ficou encantado com a metáfora clichê Inglesa. "Nós temos uma frase semelhante aqui. É verdade que as pessoas muitas vezes abusam de suas posições na sociedade em seu próprio benefício. No final, é tudo sobre o poder ", disse ele. Ele pareceu pensar sobre a última palavra por um segundo, depois virou-se de repente em minha direção. "Qual é a diferença entre ch'ikung e neikung ", questionou.
"Bem, ch'ikung significa" desenvolver a energia do corpo. '. . . "
"Em todo o corpo, sim. E sobre neikung? "
"Neikung significa poder interno ".
"Sim, mas interno para quê?", Perguntou ele.

Eu hesitei, e John desenhou três ideogramas em um guardanapo:
     "Este é neikung. O ideograma primeiro, nei, significa "um homem entrar em uma casa."
“ Kung você sabe. "
"Sim".
"Então, quando nós praticamos neikung, colocamos dentro de nós o ch'i, mas por que dentro ?"
"Uh. . . dantien? Os ossos? Chakras? "Eu estava chutando uma resposta. John sorriu. "Bem, bem. Eu vejo que todos os livros que você leu fez algum bem. O que  é a dantien? "
O dantien, ou "campo de elixir", é o armazém de bio-energia primária do corpo humano. Localizado a quatro dedos abaixo do umbigo no meio do tronco, este centro tem a capacidade de armazenar grandes quantidades de ch'i. Para esta razão, é também conhecida como chi hai (oceano de chi). Mas é um erro pensar que a dantien por si só gera ch'i, como apresentado em muitos textos. Pelo contrário, é possível armazenar lá o ch'i que o praticante captura do universo ao seu redor. É prática e persistência que levam ao "poder dantien"; tal potência não é uma característica implícita do corpo humano. Talvez eu possa explicar melhor com um exemplo. Vamos dizer que um jovem específico tem um talento excepcional em um determinado esporte. No entanto, ele ainda precisa de treino e trabalho duro para aprimorar suas habilidades e sua mente todos os dias, a fim de se tornar um atleta competitivo. O dantien é semelhante a isso. Sim, ele pode armazenar quantidades aparentemente ilimitadas de energia, mas a energia deve ser colocada lá dentro para fazer  o dantien funcionar. Ele não irá absorver, nem gerar,  poder de sua própria vontade.
Eu disse isso a John.
Ele acenou com a cabeça, um pouco satisfeito. "Tudo bem", disse ele. "Eu vou mostrar a você mais uma coisa hoje. Dê-me uma banana."
Peguei a cesta e tirei uma banana ao acaso de um dos dois cachos no cesto. Eu já tinha comido três (imagine o menor fruto encontrado na Ásia, não aquelas bananas artificiais que chegam a nossas mesas no Ocidente), elas estavam deliciosas e completamente naturais. John pegou o fruto de mim e segurou-a à vista de todos em sua mão esquerda. Ele estendeu o indicador e o dedo médio de sua mão direita, dobrando os outros dois no polegar.
Em um breve momento, ele movimentou a mão em um movimento de corte de cerca de três centímetros de distância da banana; houve um estalido, e metade da fruta caiu no chão.
Eu estava muito além de ser surpreendido neste momento, a coisa toda parecia real. Ele me entregou a outra metade da fruta. Foi brilhante, como se cortada por uma faca quente que tinha fundido a superfície da banana em uma massa vítrea.
John apontou para o centro da palma da mão. "Isso", disse ele, "é como uma espingarda. “Ele estendeu seus dois dedos novamente”. "Isto", ele continuou, "é como um laser".
As artes marciais e Ch'i
Não se pode negar que as artes marciais são tão antigas quanto o homem. Começando talvez como um derivado das habilidades de caça de tribos primitivas, as artes marciais se desenvolveram quando o homem opôs-se contra o homem. Com o surgimento dos impérios e do estabelecimento do estado, estas artes se desenvolveram a tal ponto de talvez superar as artes de combate de hoje. Há pinturas de parede em Beni Hasan, no Egito datando de 2.000 aC que lembra o moderno judô, e se o registro arqueológico deixado para trás é qualquer indicação, a arte marcial da Grécia antiga de pankration (datado de, no mínimo, a 1450 aC) era muito mais abrangente do que o karate em nossos dias. Um aspecto muitas vezes negligenciado por Hoplologistas(um arqueólogo ou historiador que estuda armas e
seu uso ao longo da história
.) e historiadores marciais é que, por alguma razão, as artes marciais estavam sempre vinculadas e alinhadas com a religião ou espiritualidade. Paredes de templos de todo o mundo, tanto no Oriente e no Ocidente, têm, desde o início dos tempos, adornos com cenas de combate. As sagas heróicas de todas as nações são consistituidas em dois temas: uma série de conflitos ao longo da qual o herói triunfa, e sua interação com os deuses ou o Deus o ajuda.
O Antigo Testamento, por exemplo, é, sem dúvida, um épico marcial, muito como o Ramayana indiano e da Ilíada grega. Na China, este preceito é verdade em ambas as tradições budistas e taoístas.
Boxe chinês, Wu Shu, é sem dúvida a arte da luta. Talvez a primeira que envolvia apenas a força muscular e aplicação estratégica. Com o tempo, no entanto, as artes marciais chinesas vieram a ser influenciadas por taoístas e yoga com técnicas meditativo-respiratórios, que talvez foram primeiramente aplicados para fins de saúde, mas foram mais tarde encontrando aplicações marciais. Não há qualquer indicação de que todos os aspectos da medicina chinesa e adivinhação foram criadas e completadas em 1000 aC, não seria uma extrapolação ultrajante assumir que as artes marciais taoístas ou, pelo menos, artes marciais influenciada pelo taoísmo, foram também concluídas por esse tempo. O Mestre John Chang tem registros de artistas marciais como ele vivendo na China, quase dois mil anos atrás. Também é interessante notar que o chinês fez uso mais limitado de armadura de metal historicamente do que seria esperado, considerando o seu desenvolvimento tecnológico; antes de eu entender as verdadeiras capacidades que ch'ikung transmitia para o praticante, eu costumava me perguntar o por que. Em qualquer caso, as artes marciais estavam em curso na China muito antes da chegada do budismo.
A literatura popular diz que as artes marciais na China foram vinculada com a chegada do príncipe indiano Bodhidharma no templo Shaolin na província  de Honan. Mas, é impreciso dizer o que realmente ocorreu. O que é verdade é que a China é um grande país habitado por muitos grupos étnicos com uma história muitas vezes mal gravada. Traçar a história das artes marciais neste pântano de registros é uma tarefa árdua. A literatura sobre o boxe chinês está cheio de lacunas e sufocada por ambiguidades em muitos lugares. Ainda assim, podemos traçar as artes marciais de forma confiável para a dinastia Chou (1122-255 aC). * Os Anais da Primavera e Outono (722-481 aC), da dinastia que, assim como a literatura do período dos Estados Guerreiros (403-221 aC), mencionou tiro com arco , esgrima, e luta livre praticada por nobres. Eu já discuti a evolução da filosofia durante esse tempo, torna-se evidente na literatura que as práticas yogic respiratória-psicofisiológicos eram muito usadas no sexto século aC. Na verdade, o Lao Tzu e Chuang Tzu são ambos cheios de referências a energia vital e yoga taoísta.
Meng-tzu (Mencius), o organizador do confucionismo e um contemporâneo de Chuang-tzu, estava entre os outros proficientes no cultivo de ch'i, a concepção de algo popular dificilmente antecipa a de um confucionista moralista. Ele promoveu a abordagem que "se a vontade (Yi) está concentrada, a energia vital (ch'i) irá segui-lo e tornar-se ativa "Mencius também escreveu:" Vontade (yi) é da maior importância; vitalidade (ch'i) está em segundo. " Eu ouvi o mesmo comentário de outro aluno de John Chang.
De acordo com o pensamento chinês, existem basicamente dois tipos de treinamento envolvendo nossas energias vitais: ch'ikung e neikung. É difícil de dizer onde um termina e começa o outro, mas essencialmente os centros ch'ikung no desenvolvimento e controle de yang ch'i (também chamada lii ch'i ou "fogo" ch'i),  enquanto neikung envolve o trabalho conjunto de yang ch'i e ch'i yin (chamado de "água" ch'i ou kann ch'i). Na verdade, as energias  yin e yang  correm em paralelos uns aos outros em nossos corpos, e ambos são vitais para a nossa saúde continua. Como o yin e yang, é impossível separar ch'ikung de neikung: de fato, o último é uma forma superior da mesmo arte. Talvez a distinção foi criada simplesmente para ajudar a definir as habilidades dos adeptos. Yang ch'i não pode passar além dos limites do corpo físico, enquanto o yin ch'i pode e assim pode conferir às capacidades do praticante preternaturais tais como aquelas demonstrado pelo Mestre Chang.
No segundo século CE, monges budistas começaram a chegar na China. Em seguida, por volta de 500 dC, veio a Zen patriarca Bodhidharma (Tamo) e o Ch'arn seita (Zen). Tamo chegou ao templo Shaolin para pregar e, posteriormente, para ficar com os monges budistas, repassando a eles dois métodos, o Gin Yi Ching, que é essencialmente ch'ikung e o Shi Sui Ching, que é essencialmente neikung. É destas duas formas que a escola Shaolin se desenvolveu. Aparentemente, as técnicas neikung foram perdidas dentro de algumas gerações, e apenas as do Gin Yi Ching foram retidas. Muitas das artes marciais de hoje, especialmente aquelas fora da China, são descendentes da Shaolin, escola com uma abordagem estritamente ch'ikung.
As artes marciais taoístas permaneceram muito vivas dentro da China, no entanto, especificamente em lugares como a montanha Wu Tang e outros Retiros taoístas. Em termos gerais, pode se dizer que a sua abordagem é guiada mais pela interação do yin e yang do que a geração de poder evidente nas artes marciais budistas como o Shaolin. Tenho notado uma tendência para mover o peso completamente de um pé para o outro em artes taoístas, tanto nos estilos externos quanto nos internos, em oposição às posições sólidas das artes budistas.
E adicionalmente, parece haver  um fluxo da flexão da coluna vertebral evidente maior na primeira que na última. Mais uma vez, estas comparações são muito gerais e, na verdade, tem havido muita interação entre técnicas e filosofias budistas e taoístas tanto que é difícil separar uma da outra. Já vi referências a "respiração taoista "e" respiração budista "na literatura, por exemplo, mas tal distinção é imprecisa. Pesquisas cuidadosas mostram que não é uma tarefa fácil para separar as duas filosofias, neste ponto, pelo menos, não na China.
Seja qual for o caminho, os artistas marciais rapidamente viram que, pela aplicação das técnicas esotéricas usadas ​​pelos buscadores da iluminação e imortalidade em sua jornada, eles desenvolveram uma base de poder e capacidade muito mais ampla do que podem ser obtidas com a força muscular sozinha.
Praticantes de ch'ikung adquiriram força prodigiosa, eram capazes de equilibrar o seu peso total em um dedo, por exemplo. Praticantes de neikung descobriram que havia maneira de escapar da limitações do plano físico da existência. Pirocinese, telecinese, telepatia, levitação essas e outras habilidades tornaram-se a recompensa por uma vida de dedicação e disciplina. Vamos ver nos capítulos seguintes como era essa busca, e onde ela poderia levar o praticante. . . e ainda pode hoje em dia.



Capítulo Três

Primórdios

John tinha mais de uma dúzia de pacientes para ver no último dia e eu estava no país. Ele nunca cobrou qualquer centavo para a terapia e sempre tinha tempo para quem veio de fora , muitas vezes sem
acordo prévio. Eu já tinha visto coisas milagrosas durante o mês eu
estava lá: uma vítima de derrame havia recuperado o uso de um membro paralisado,
uma mulher que sofria de dor crônica da coluna vertebral foi de repente
curada. John era especializado no tratamento de doenças neurológicas, embora doenças ortopédica e infecções crônicas ele também curava.
Eu sempre o ajudei com seus pacientes, um processo que, basicamente,
envolvia, estar ali, tocar o paciente, e agindo como um assistente na bio-eletricidade de John.
Eu tinha me tratado por um mês. Com a exceção de
dois acúmulos de cálcio muito antigas no meu braço direito, minhas articulações estavam bem. Eu nunca perdi a chance de perguntar ao John se ele iria ou não aceitar
me como aprendiz, ele sempre disse que não. Minha auto-estima estava muito
baixa e eu não tinha idéia do que fazer. Meu dinheiro estava acabando,
mas eu não queria deixar o país sem John pelo menos me enviar para aluno de algum aluno. Qualquer coisa, só não
pedi por favor. . . .
Eu esperei a minha vez para o tratamento naquele dia, ajudando John
com os outros pacientes, ele me deixou por último. Ele sabia que eu iria embora na manhã seguinte. Estávamos sozinhos em sua clínica quando eu
perguntei-lhe se ele me admitiria como aluno, ou pelo menos daria-me um nome e um endereço que eu poderia is para aprender. Eu não me importaria se ele me mandasse para o menor homem do totem;
Eu só queria estudar o que ele tinha para ensinar.
Eu estava deitado de barriga para cima em um de seus leitos de terapia, joelhos e
cotovelos cheios de agulhas de acupuntura. Não havia nenhuma posição melhor, mesmo se eu quisesse mudar, todos os movimentos bruscos
eram perigosos. Eu lentamente virei-me para John, que tinha ficado quieto.
Ele estava me estudando com cuidado, seus olhos suaves olhando para minha cara e
um pequeno sorriso em seus lábios.
Este é o homem mais perigoso do mundo ocidental, pensei. Eu era mais alto do que ele e também mais pesado, e ainda, mas não havia nenhuma maneira que me capacitasse suportar de 2 por cento do seu poder.
Ainda bem que ele foi benevolente.
"Na verdade", disse ele, "eu já mostrei o método de treinamento
para o nível um. Agora, quando você terminar com isso, eu posso mostrar-lhe Nível
Dois ".
"Será que isso quer dizer. . . ?
"Sim".
Ele me pegou completamente de surpresa. I sufocou uma inundação
de lágrimas, era a minha opinião, então, eu não queria tornar essa situação emocional
enquanto preso em uma mesa como uma mosca no papel. Eu não sabia o que dizer naquele momento. Eu já tinha
prometido-lhe a minha obediência e diligência para o resto da minha vida se ele me aceitasse como um aprendiz, eu queria dizer cada palavra á ele.
Tradicionalmente, nestas circunstâncias, o aprendiz deveria
ajoelhar-se diante do Mestre e prometer a ele mais uma vez que
ele seria um estudante leal e trabalhador. Mas no meu caso foi
impossível, porque eu só podia virar a cabeça. Que diabos, eu pensei;
John é um oriental, bem como um mestre do neikung.
Fiquei em silêncio por um tempo, e ele respeitava esse silêncio. John iluminou
um cigarro, deu algumas tragadas, e o colocou em um cinzeiro. Limpou
suas mãos com o álcool e começou a puxar as agulhas, limpando
cada área com álcool.
"Obrigado", disse eu, finalmente, e sentei-me na beira do sofá.
John assentiu com a cabeça e deu de ombros. Ele continuou sorrindo.
"Eu não sei o que dizer", eu continuei.
"Não importa", disse ele. "Tenha uma boa viagem de volta para casa.

Dois anos mais tarde, sentado na varanda de minha casa com a minha namorada,
Eu elaborei a história citada acima. John sentou-se em silêncio
fumando...e Doris, que tinha ouvido uma centena de vezes no passado, simplesmente esperou educadamente que eu terminasse.
"Você acha que foi dificil?" John perguntou quando eu tinha terminado.
"Seu caso não foi nada! Há pessoas que me procuram
por nove anos antes de finalmente me encontrar, mesmo não tendo nenhuma
garantia que eu iria recebê-los como alunos. "
"Alguma vez você já enviou pessoas para longe", eu perguntei.
"Muitas vezes". Que um ocidental mimado, seu olhar parecia dizer:
e eu me senti envergonhado. Finalmente eu olhei para baixo, incapaz de encontrar seu olhar.
"Eu vi a sua vinda em um sonho", disse ele em voz baixa, "três meses
antes que você viesse parar na minha porta. O dia que você chegou, eu estava
esperando por você. "
"Sim?"
"Sim." Ele fez uma pausa. "Você quer ouvir o que eu passei para
ser aceito como aluno pelo meu professor? ", ele finalmente perguntou.
Ambos aproveitaram a chance e John começou a história de sua
aprendizagem. Eu descobri que eu tinha conseguido o que eu queria com muita facilidade. Assim que ele acabou, Doris e eu estávamos rolando no chão de tanto rir;
John era um bom contador de histórias, com um rosto expressivo, e ele
lembrava de tudo nitidamente.
"O nome do meu Mestre era Liao Tsu Tong", disse ele em seu agradavelmente
acentuados Inglês ", e ele era da China continental. Eu o conheci
quando eu tinha dez anos de idade. Eu adorava kung fu desde o início e
havia treinado com vários professores, quase desde quando comcei a andar, mas eu tinha um amigo-Chan Tien Sun era o seu nome, ele sempre me dizia que estava estudando um poderoso sistema de kung fu com um velho em seu bairro. Chan não parava de dizer que o velho foi um grande curador e um eminente mestre das artes marciais. Eu estava muito curioso e então com o meu amigo fui até a casa do velho mestre.

O Aprendiz

Quando o menino viu pela primeira vez o velho, ele não se impressionou muito.
Ele tinha vindo só porque seu amigo de infância tinha insistido.
O velho vendia bananas para ganhar a vida, as pessoas na vizinhança
o chamavam de "Mr. Banana. "Algumas pessoas ainda o chamavam de" Mr.
Banana estranho ", pois dizia-se que o velho era muito estranho
e difícil de entender.
Chan declarou que o velho era um grande mestre e que
ele tinha curado muitas pessoas que estavam gravemente doentes. O menino
tinha ouvido as histórias, parecia que o velho era
muito exigente com quem ele curava. Algumas pessoas ele mantinha vários dias esperando do lado de fora da sua casa e as vezes não as curava, e ao contrário, ele
curarava outros doentes que não queriam a sua ajuda, mesmo contra as suas
vontades, às vezes perseguiam nos em suas próprias casas! (Mais tarde, o menino
iria aprender que o Mestre era capaz de ver o carma da vida de cada indivíduo,
e iria curar a pessoa ou não com base nessa observação.) De qualquer forma,
isso não era tudo o que interessava
​​em estudar com o velho, mas, bem,
Tien Sun era seu melhor amigo e tinha insistido em que eles treinassem juntos.
"O que você quer aqui, rapaz?" O velho perguntou ao menino
ele encontrava se de pé sobre os degraus de sua casa. Mestre Liao estudou
a criança com cuidado. O menino era essencialmente um menino de rua do Sudeste da
Ásia, vestido com roupas simples, ele provavelmente tinha sido envolvido em lutas a partir do momento que ele começou a andar. O velho
Mestre viu que a sorte do menino tinha tomado uma virada para melhor, mas os sinais de desnutrição ainda estavam lá, ele viu muita dor, um órfão? Que tipo de educação aquele menino recebeu?
Ele viu algo mais, também, algo que o animava consideravelmente,
embora ele não mostrava, é claro. O garoto tinha talento.
Em mil homens apenas um poderia se tornar como ele, sua habilidade foi semelhante ao dos maiores atletas Olímpicos; não só
você tem que ter o dom nascido de Deus, mas também tinha que sofrer com
décadas de disciplina difícil para alcançar o prêmio final. Não foi uma tarefa fácil.
Mestre Liao estava no fim dos seus sessenta anos, quase setenta, e tinha treinado artes marciais toda a sua vida, desde o momento em que ele podia andar, estivera em Java há mais de seis anos e tinha visto poucas pessoas que possuía todos os requisitos para treinar até o fim.
Poderia esta criança abandonada, de rua realizar o treinamento?
"Eu. . . Eu sou um bom amigo de Chan Tien Sun, Sifu, * "a criança gaguejou. "Eu gostaria de estudar kung fu com você também."
O velho mestre riu. Ele estava quase nos setenta mas parecia
mais jovem. "Há tantos professores de kung fu na cidade! Por que eu?
Se eu aceitasse você, qual seria o seu propósito em estudar comigo? "
"Bem, para auto-defesa e para o esporte, também."
"Entendo. Auto-defesa e exercício físico. Qual é o seu nome? "
"Chang, Sifu. John Chang ", disse o menino, mas ele foi pego de surpresa.
O velho não era nada como ele imaginava. Ele tinha visto muitos
professores. A maioria era orgulhoso e arrogante, alguns eram mais civil. mas
este velho mestre! Havia algo ali que ele não podia tocar, algo
indefinível que quase assustou. O velho estava sendo
irónico, mas houve compaixão evidente, ao mesmo tempo. ele certamente
Era estranho, assim como disse que as pessoas, era como se uma criatura eterna
estava olhando para ele do outro lado dos séculos, cheio de experiências
ele não conseguia entender. Liao Sifu começou a pedir-lhe muitas perguntas
sobre sua vida e de sua família, ele parecia muito gentil nesse ponto, quase
paternal. O garoto percebeu que estava sendo dada uma prova de fogo e
tentou responder da melhor maneira possível.
"Volte amanhã, às 16:00," o homem velho disse finalmente. "Nós
poderemos nos falar melhor amanhã. "
No dia seguinte, John chegou pontualmente no horário especificado, mas
o velho estava longe de ser encontrado. Ele esperou pelo resto da tarde. Liao Sifu finalmente apareceu às sete.
"Bem", ele disse para o rapaz decepcionado ", é tarde demais para fazer qualquer coisa
agora. Por que você não volta aqui amanhã às quatro? "
O mesmo aconteceu no dia seguinte. E a seguir, e
o próximo. O menino estava muito desiludido. Era óbvio para ele
que o velho professor não tinha intenção de aceitá-lo e queria apenas se divertir às suas custas. Ele resolveu desistir de estudar e pedir a Tien Sun para dizer ao velho para esquecer a coisa toda, mas
algo o impedia de voltar atrás, algo que ele não conseguia colocar
seu dedo.
No quinto dia Liao Sifu manteve a nomeação de quatro horas e
questionou o menino novamente, desta vez eles conversaram por quase duas
horas. O Mestre mantinha o na porta de casa, no entanto, ele não o convidou a
entrar em sua casa.
E assim foi por um mês. O velho professor falava com John no quintal de sua casa, falava com ele por algumas horas, e em seguida, enviava ele para casa. O menino estava desanimado e entediado. Ele teria desistido exceto pelo fato de que Tien Sun encorajou-o a continuar, insistindo sempre que Liao Sifu foi um grande Mestre. Então John ia á casa do mestre todos os dias, na esperança de influencia-lo.
Depois de um mês, o Mestre deu ao menino a esperança. John chegou em frente da casa de Liao Sifu as 4:00, o tempo especificado. O velho saiu. Ele cumprimentou o rapaz, começou a andar e em seguida, virou-se para ele. "Kung fu é muito difícil de aprender, é um treinamento muito pesado. Você é capaz disso? "
O menino estava em êxtase. "Sim, oh sim!", Disse.
"Em seguida, volte amanhã ao meio-dia, se você achar que é um
trabalhador. "
Naquela noite, John estava tão animado que mal conseguia dormir. Até que enfim!
Ele iria começar a treinar no dia seguinte com o misterioso Liao
Sifu. Ele tinha ouvido falar mais sobre o velho durante o mês de
espera e estava realmente começando a ficar admirado com ele. Por fim, ele
seria capaz de compartilhar os segredos da ciência marcial do velho homem!
A espera tinha valido a pena. Tien Sun estava certo.
No dia seguinte, quando o rapaz manteve seu compromisso na casa Mestre
ele foi convidado pela primeira vez em um mês á entrar na casa. Ele viu que a
bairro era muito correto em chamar o velho de "Mr. Banana Estranho. "Não havia móveis na casa, nem mesmo uma cama.
O pensamento do menino, onde ele dorme? Havia um buraco no teto que
deixava a chuva entrar, não havia nenhum sinal de tentativa de reparo.
Liao Sifu falou abruptamente para ele. "Limpe a casa com aquela vassoura. Limpe todas as folhas ao redor da casa. Encha a bacia de armazenamento com água do poço"
O velho virou-se para ir. "Você pode voltar aqui amanhã
ao meio-dia, se você quiser ", disse ele para John. Então ele se foi. O menino
foi deixado sozinho na casa.
John ficou perplexo. Se ele é um grande mestre, ele pensou, por que ele vive assim? (Mais tarde ele iria perceber que o Mestre mantinha coisas que qualquer outra pessoa poderia desejar.) Mas ele fez o
Trabalho solicitado e deixou a casa impecável. Ele sabia que o Mestre de kung fu
muitas vezes treinou a paciência e a determinação de seus aprendizes
e decidiu que ele iria mostrar ao velho que ele poderia ser um
aluno que valesse a pena.
Quando ele voltou no dia seguinte, o velho pediu para ele limpar a casa novamente. (Para quê? Eu já a limpei ontem! E não há nada aqui para se sujar, John pensou.) O menino realizou o trabalho novamente como exigido, apesar de pensar que era uma perda de tempo.
Quando o mesmo ocorreu novamente nos dois dias seguintes,
o menino começou a se perguntar se ele nunca iria ser ensinado kung fu ou apenas
iria ser um servo não remunerado para o resto de sua vida.
No quarto dia, depois de ter sido permitido na casa de Liao Sifu,
John descobriu que algo estava diferente.
O velho estava agradável naquele dia, quase jovial, ele ofereceu
chá á John, e eles beberam juntos por um tempo, sem dizer nada. De repente, Liao Sifu olhou para seu copo com
desgosto e examinou John com a inspiração de improviso.
"Você sabe," ele disse, "Eu tenho um amigo na estrada, cerca de cinco
centenas de metros de distância, que tem um poço com água maravilhosa ".
"Sim, Sifu", John respondeu hesitante. Ele não gostou da direção
que a  conversa estava começando a tomar, além disso, ele sabia que
o poço de água em toda a área era o mesmo. Ele tinha aprendido sobre
essas coisas na escola, irrigação e saneamento foram muito importantes coisas
no Sudeste Asiático.
"Eu quero que você pegue água desse poço para encher meu reservatório de armazenamento. Venha comigo. "
Eles saíram para a varanda e o velho mostrou-lhe
onde a casa de seu amigo se localizava.
"O que há de errado com a água do seu poço, Sifu?" O
menino perguntou timidamente.
"Não é boa. Torna o sabor do chá amargo. "
"Mas Sifu, a água é a mesma em todo o bairro!"
"Não, não é."
"Por que não podemos usar apenas a água deste poço?"
O velho levantou-se. "Se você não quiser fazer o trabalho, você pode ir para casa, você sabe. Mas não volte mais. Ele se afastou. O menino estava com raiva, mas ele também estava aterrorizado com a idade do
homem. John tinha ouvido coisas ainda mais incomuns sobre ele; Liao Sifu
estava se tornando uma lenda no bairro. Então, ele fez as tarefas
esperadas dele, esperou um pouco por Liao Sifu, depois foi para casa, pois o mestre não retornou..
Ele continuou por semanas. Todos os dias o meno para
casa do Mestre, limpe o interior, arrumava o exterior, e
transportava água do poço por uma longa distância. Ele levou toda a tarde,
e o velho sempre o mandava para casa sem ensinar
lhe uma coisa. Tien Sun o encorajava cada vez insistindo que Liao Sifu era grande e que em breve ele iria começar a treinar John a sério.
"Será que a mesma coisa aconteceu com você?" John perguntou a seu amigo após
um mês.
Chan olhou para baixo. "Bem, não. Ele começou a ensinar-me de imediato. "
O menino ficou furioso. O velho estava usando ele! ele
manteve a sua raiva toda aquela noite e na manhã seguinte. Quando chegou
a hora de ir para a casa do velho, ele entrou e confrontou o Mestre.
"Você vai me ensinar kung fu ou não?"
"Qual é o seu problema?
"Chan Tien Sun disse que começou a ensinar-lhe de imediato,
que você aceitou-o como um estudante de imediato! "
"Entendo!." Liao Sifu manteve o rosto sério. "Ele está errado. Até agora, eu nunca tive um aluno na minha vida. Seu amigo não é
meu aluno ".
"O quê? Mas ele. . . . "De repente, John se sentiu um pouco assustado. Eu ensino Chan Tien Sun porque sua família me ajudou uma vez quando
Eu estava muito doente. Eu estava doente com febre e indefeso. Quando eu não levantava da cama durante três dias, o pai de Tien Sun entrou na minha casa e sua
família me deu água e comida. Mais tarde, eles me compraram medicamentos
E eu me recuperei. Se não fosse a ajuda deles, eu estaria morto, assim
eu ensino seu filho para pagar a minha dívida para com eles. Você entendeu? "
"Sim Sifu. Mas eu venho aqui todos os dias, durante dois meses,
trabalhando duro na limpeza, e até agora você não me mostrou nada!
Nem um movimento! "
Apesar de seus poderes sobrenaturais de concentração, Liao Sifu tinha que se segurar para não mostrar seu sorriso ao menino. "Kung fu é muito difícil
para aprender ", disse ele. Em seguida, ele saiu de casa para sufocar o riso.
O menino imediatamente começou a limpar e realizar suas tarefas diárias.
Liao Sifu o manteve trabalhando por mais dois meses. Quando o menino
tinha completado quatro meses de servidão, o mestre falou com ele.
"Agora vamos ver", o Mestre disse: "se você é capaz do treinamento."
John estava em êxtase.
"Eu quero que você fique aqui assim." Liao Sifu mostrou-lhe a
entrada básica, o que tem sido popularmente chamado de "Equitação
Stance "(Ma Bu em chinês). John ansiosamente copiado seu movimento, assumindo a postura. Liao Sifu grunhiu em aprovação, corrigiu
brevemente, em seguida, para o horror de John se virou achegou se a porta. "Sifu" o menino chorou. "Quanto tempo você quer que eu fique aqui
assim? "
O Mestre fez uma careta para ele. "Por que, por tanto tempo quanto puder,
é claro! ", disse ele, em seguida, saiu da casa.
O julgamento de John continuou por mais de dois meses. O Mestre persistiu
em fazer-lhe limpar a casa e os arredores e levando
água do bem distante poço, quando ele terminou seus afazeres, John teve de
ficar na Posição de Equitação por horas em um momento. O Mestre foi
implacável, nunca lhe dando descanso de um minuto. Por esta provação, o
menino persistiu. Ele mesmo tornou-se alegre. Estudei kung fu antes que eu viesse
aqui, ele pensou, mas nunca como este!
Durante o quinto mês, o menino percebeu algo incomum. o
Mestre tinha comprado algumas peças de mobiliário básico para a casa, estes
itens foram raramente usado. Entre eles estava uma grande mesa,
quatro metros de comprimento por um metro de largura, que Liao Sifu ocasionalmente usava com escrivania.
No primeiro dia do sétimo mês de seu julgamento, Liao Sifu decidiu a aceitar o menino como um estudante. Ele o testou por seis meses
e tinha uma boa idéia do seu caráter. Para iniciar a criança, ele decidiu
expor algumas das habilidades mais básicas que ele possuía.
O rapaz estava confuso. Liao Sifu foi inesperadamente condescendente
nesse dia. Para a surpresa de John, ele entregou-lhe uma faca afiada e
pulou em cima da mesa. "Suba aqui, rapaz", disse ele.
John fez isso, perplexo e um pouco com medo.
"Não se preocupe", disse o Mestre. "Eu não vou te machucar."
O menino estava lá.
"Eu quero que você me ataque com a faca. Se você puder me empurrar para fora da mesa ou tocar minha camisa com a lâmina, você ganha. "
O garoto apontou para a frente com a faca brincando.
"Não brinque!" O velho rosnou. "Atacaque-me ou deixe minha casa!"
John fez uma estocada indiferente. O velho quase não se movia.
Então, de repente, algo bateu John em todo o rosto, com força.
Ele foi expulso da mesa, a faca voou de suas mãos. seja o que for
Aconteceu e ocorreu tão rapidamente que ele não conseguia reagir. (O
Mestre simplesmente fez um movimento muito rápido
para os olhos do menino a seguir.)
John se levantou, tremendo de dor e raiva. Seu rosto ardia e
estava ficando vermelho, onde ele havia sido atingido.

O velho disse com um rosto carancudo: “Você vai me atacar com a faca ou eu vou bater de novo e de novo até você que você o faça. "
O menino pulou em cima da mesa. Ele avançou descontroladamente, com a intenção de
ferir o velho mestre. Não havia nenhum lugar para ele escapar, pensou ele. Ele terá que saltar para baixo ou será cortado.
Quando John estava quase em cima dele, o velho saltou completamente
sobre a sua cabeça e caiu para trás.
John enlouqueceu. Ele se virou e atacou violentamente, a toda a velocidade,
pouco se importando se ele machucaria o velho ou não. Mas por mais que tentasse,
ele não podia tocar Liao Sifu. Parecia que o velho mestre sempre
movia se no último segundo, apenas quando a faca estava quase em cima dele,
de repente ele não estava mais lá. O professor nunca bloqueou uma barra,
nunca resistiu, nunca tocou. Ele acabou de se mudar ao redor do menino como
se John não estivesse lá. Sua roupa não foi cortada e ele não caiu para
fora da mesa.
Era como lutar contra um fantasma.
De repente, o menino teve uma noção da amplitude do velho homem, entendeu seu
conhecimento e poder. Este não era um humano comum. Ele jogou
a faca e se ajoelhou em cima da mesa antes que o velho professor fizesse mais alguma coisa.
"Mestre", ele disse, "Por favor, perdoe minha arrogância e raiva. por favor
me aceite como seu aluno. "
O velho sorriu. Ele parecia tão relaxado como sempre, como se ele tivesse
exercido nenhum esforço em tudo.
"Muito bem, Sr. Chang", disse ele. "Hoje nós começamos a sua aprendizagem”

Capítulo Quatro

Os Imortais

História do Mestre
Era uma noite de clima temperado, e um vento soprava . Eu tinha ido
para a casa da meu professor para vê-lo, como eu fiz todas as noites que eu estava em
Java. John tinha acabado de terminar um jogo de Ping-Pong com seu filho e estava cansado, seu filho Johann tinha jogado o dia todo e estava em êxtase
(o jogo vinha acontecendo há cinco anos, nenhuma das partes
dispostas a se render). À distância, os dois homens olhavam se,
era difícil dizer quem era o pai e quem é o filho. Eu tinha visto
os jogar o seu jogo nos últimos dias muitas vezes e sempre foi muito
divertido. John se movia como um mestre de Kung Fu, tronco ereto, deslizando
longe da bola que entra e combate como se entrega um soco.
Cinesiologia de seu filho era a de um jogador de tênis de mesa especialista, o peso
nos dedos, se agachou um pouco para a frente, antecipando os movimentos de seu oponente.
Oriente encontra o Ocidente, pensei, olhando para eles.
"Você é chegou a tempo para o jantar", John disse, e eu me senti estranho, como
sempre. Parecia que toda vez que eu vim para a casa dele me foi dada livre
bordo, depois de um tempo ele me fez sentir como um parasita.
John e seu filho tomaram banho, e sentaram se para o habitual
rito de comida chinesa. Eu terminei por último, como sempre, até que eu visitei o
leste, pela primeira vez eu sempre fui considerado alguém que comia rápido demais. Eu
tinham sido doutrinado pelos chineses, no entanto, para a concepção de quando você come, você come; sempre haveria tempo para uma conversa
mais tarde. Foi contra a minha natureza como um grego, no meu país, jantar
é uma desculpa para se socializar e muitas vezes dura horas.
John devorava sua comida e se levantou da mesa. "Ok", ele
disse: "quando você terminar, eu quero ver o quão longe você esta no nivel um
Eu vou dar-lhe um teste. "
"Você está brincando! Eu só comi. "
"Então o quê? Não faz nenhuma diferença. "
Oh grande, pensei. Isso tem que ser uma piada. Minha barriga estava inchada
não de ch'i, mas de arroz frito e carne Szechuan. Eu me forcei
para se acalmar, não importa o que aconteceu, seria interessante.
Fomos em sua clínica de acupuntura e eu me sentei no chão em um
meio lótus, a parte de trás das minhas mãos sobre os joelhos. Eu nunca tinha sido
por isso, o meu coração batia a mil por hora.
"Você está tenso", disse John. "Relaxe. Concentre-se. "
"É difícil quando você está sendo testado."
"Você se acostuma", disse ele e riu.
Obriguei-me a relaxar e conseguiu entrar parcialmente meditação.
Foi o suficiente para John. Ele trouxe seus dedos perto das
minhas palmas abertas. Eu senti um solavanco; atual entrou no centro de minhas mãos e
atravessada em meu corpo, até a minha dantien no centro da minha barriga.
"Cerca de 20 por cento completo", disse ele.
Fiquei decepcionado. Eu estava esperando muito mais. Eu aprendi uma lição, no entanto, e que a lição foi a de que os detalhes mais minuciosos
importavam muito nesse tipo de treinamento. Você poderia gastar um monte de
formação esforço incorretamente e chegar a lugar algum, e eu vinha cometendo muitos erros. Eu nunca fui um bom aluno e treinamento de longa distância
permitiu muita margem de erro.
John não ficou desconcertado, ele parecia feliz que eu estava treinando
em tudo. "Muitas pessoas vieram para mim", ele disse, "me pedindo para aceitar
los como meus alunos e, em seguida, nunca fez nada na formação! eles
acham que eu posso dar-lhes uma pílula ou algo assim e dar-lhes o meu poder. "
"Como os antigos alquimistas chineses."
"Algo assim. É preciso dedicação e esforço, Kosta. Eu mesmo
estudei por 18 anos, você sabe. "
Saímos na sua varanda e ele sentou-se na noite quente, bebericando chá.

"Eu já disse a você", disse ele, "a história de como eu conheci o meu
mestre e como fui aceito como aluno. Você quer ouvir o
resto? "
"É claro!"
"Seria um bom filme, Kosta. Você pode escrever o roteiro
nos próximos anos. "
Ele recostou-se na cadeira e olhou para longe.
"Eu já te disse que quando eu era criança éramos muito pobres, nós
não sabiamos se iriamos comer no dia a dia. Eu tive que trabalhar biscates
para ajudar minha mãe , e por isso eu não pude ir para a escola ".
John tomou um gole de chá.
terrível", ele continuou, "estar em desespero, sem saber
o que vai acontecer no dia seguinte, querendo saber se você vai sobreviver ao
mês, com fome, muitas vezes sede. Para uma pessoa honrada tais circunstâncias
são ainda piores, é fácil cair em decadência ou em crime quando confrontado por um destino repressivo. Os índices de criminalidade nos guetos
das grandes cidades em todo o mundo são muito altos, e isso é
compreensível, sendo a natureza humana o que é. É preciso uma excepcional
personalidade para tomar uma posição e dizer: "Apesar deste karma, eu
não vou cair. "Nós nunca fizemos. Minha mãe nos manteve limpos, honestos e
trabalhadores. "
Seu olhar foi para a noite como lembrança amarga. Era estranho vê-lo assim, tão humano.
Naquele momento eu notei
dor e tristeza em seu rosto, embora não seja um traço de raiva era evidente.
O que ele estava pensando?
"Minha irmã se casou quando tinha oito anos", continuou ele. "Meu cunhado
era, digamos, classe média, e tinha algum dinheiro, então eu fui morar com eles na casa deles. Ele me enviou para a escola. Eu tinha 8 anos. Eu já lhe disse que conheci Liao Sifu quando eu tinha 10 anos de idade. "
"Sim. Foi uma grande história. "
John sorriu. De qualquer forma, eu estudei kung fu com Liao Sifu todos os dias durante oito
anos sem parar. Eu treinei todos os dias, literalmente. Eu era casado aos dezoito anos e não tive que treinar de forma intermitente depois disso por causa das minhas maiores
responsabilidades, mas eu nunca parei. Liao Sifu nunca me deixou. "
Ele fez uma pausa para beber o chá. "Quando fiz dezesseis anos, eu comecei a dirigir
um mini-autocarro, transportando pessoas e mercadorias em torno da cidade, eu fui
forçado a abandonar a escola por causa de nossos crescentes problemas financeiros.
Apesar das minhas dificuldades, eu continuei a praticar o meu kung fu e
meditação todos os dias. Ah, eu esqueci de te dizer que Liao Sifu tinha
me mostrado a meditação nível um, o mesmo que você está trabalhando
agora, quando eu tinha 14 anos de idade. "
"Não mais cedo?"
"Não. É melhor se o sistema nervoso do estagiário está totalmente desenvolvido
antes do início do treinamento. Também é bom ser passado no início
da puberdade. "
"Entendo".
"Liao Sifu sabia tudo o que eu fazia em todos os momentos. Ele me deixava perplexo, eu
não conseguia descobrir como ele fazia isso. Eu até pensei que ele tinha pessoas
me espionando! Ele sabia, por exemplo, se eu tinha treinado
em um dia específico e quando eu propositalmente tentava esconder coisas dele, ele
podia dizer quando eu estava mentindo. Lembro-me de um dia quando eu
visitei a casa dele e ele me perguntou se eu tinha meditado naquele dia, para dizer
a verdade, ele nunca explicou nada para mim e eu sempre
perguntava por que eu tinha que fazer tudo aquilo, aquela meditação inútil. Tentei evitá lo. A cena foi algo mais ou menos assim:

"Liao Sifu: Você meditou hoje?"
"Young John: Sim, Sifu".
"Liao Sifu: Você meditou hoje?"
"Young John: Sim, Sifu".
SLAP! John passa voando pela sala.
"Liao Sifu: Você está mentindo!"
Comecei a rir. John juntou-se brevemente.
"Depois disso", continuou ele, "Liao Sifu era como um deus para mim, ele
sabia de tudo que eu fazia, não havia nenhuma razão para mentir para ele, e assim
Decidi que era melhor fazer exatamente o que ele pedia. Eu me tornei um diligente
estudante, nunca faltava um dia. Parecia que
quando ficava mais velho, na adolescência eu estava trabalhando menos na minha formação.


Veja Todas as Partes - Clique nos Números: [01] - [02] - [03] - [04]

Tags: John Chang,O Mago de Java,Magus of Java,Autêntico Taoísta Imortal,super humano,super humano de stan lee,sobrenatural,chikung,português,kosta danaos,david verdesi,livro,


BrunoGuerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

5 comentários:

Anônimo disse...

esperando ansioso as outras partes

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Grupo dos MO-PAI no FaceBook:

https://www.facebook.com/groups/165931843518034/

This group is a more or less open group to discuss and post links to books on meditation and Nei Kung. More specifically, there is a Mo Pai orientation, but it is not exclusively Mo Pai discussion here.

There is no censorship on this forum, except for posting specific instructions that our Shifus have not allowed or personal attacks. Other than that, feel free to post Mo Pai or NON-Mo Pai books, or anything you might feel is useful to Nei Kung.

If you are interested in beginning Mo Pai Nei Kung at level one, Pay Pal $300 as honorarium to Shifu Lin at the Pay Pal account set up for him at the address LungHuShan@gmail.com. He will email you back with the detailed instructions on how to perform Level 1 Mo Pai. He knows through level 3, which is the fourth level (level 2 has 2a and 2b). Kostas incorrectly called level 2b "three" and level 3 "four" when level 3 is the "fourth" level, but not level 4.

This opportunity is available for the time being, to help fund raise for a specific cause (email the admin for more information), and will not be available forever. Write to Shifu to see if he is still accepting students, as he has a fixed number that he trains, and only trains new individuals in the Mo Pai system when a student abandons this difficult training system.

Tradução:

Este grupo é um grupo mais ou menos aberto para discutir e postar links para livros sobre meditação e Nei Kung. Mais especificamente, existe uma orientação Pai Mo, mas não é exclusivamente Pai Mo discussão aqui.

Não há censura neste fórum, exceto para postar as instruções específicas que nossos Shifus não permitidos ou ataques pessoais. Fora isso, sinta-se livre para postar Mo Pai ou não Mo Pai livros, ou qualquer coisa que você pode sentir é útil para Nei Kung.

Se você está interessado em começar Mo Pai Nei Kung no nível um, Pay Pal 300 dólares como honorários de Shifu Lin na conta Pay Pal criada para ele no LungHuShan@gmail.com endereço. Ele lhe enviaremos de volta com as instruções detalhadas sobre como executar Nível 1 Mo Pai. Ele sabe através de nível 3, que é o quarto nível (nível 2 tem 2a ​​e 2b). Kostas incorretamente chamado nível 2b "três" e nível 3 "quatro" quando o nível 3 é o "quarto" nível, mas não o nível 4.

Esta oportunidade está disponível para o momento, para ajudar a levantar fundos para uma causa específica (e-mail ao administrador para mais informações), e não estará disponível para sempre. Escreva para Shifu para ver se ele ainda está aceitando os alunos, já que ele tem um número fixo que ele treina e só treina novos indivíduos no sistema Pai Mo quando o aluno abandona este sistema de formação difícil.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Pessoa postou isso na parte 4 do artigo:

"If you are interested in beginning Mo Pai Nei Kung at level one, Pay Pal $300 as honorarium to Shifu Lin at the Pay Pal account set up for him at the address LungHuShan@gmail.com. He will email you back with the detailed instructions on how to perform Level 1 Mo Pai. He knows through level 3, which is the fourth level (level 2 has 2a and 2b). Kostas incorrectly called level 2b "three" and level 3 "four" when level 3 is the "fourth" level, but not level 4.

This opportunity is available for the time being, to help fund raise for a specific cause (email the admin for more information), and will not be available forever. Write to Shifu to see if he is still accepting students, as he has a fixed number that he trains, and only trains new individuals in the Mo Pai system when a student abandons this difficult training system."

https://www.facebook.com/groups/165931843518034/

Tradução da mensagem do estrangeiro acima:

"Se você estiver interessado em começar Mo Pai Nei Kung no nível um, Pay Pal 300 dólares como honorários de Shifu Lin na conta Pay Pal criado por ele na LungHuShan@gmail.com endereço. Ele lhe enviaremos de volta com as instruções detalhadas sobre como executar nível 1 Mo Pai. Ele sabe através de nível 3, que é o quarto nível (nível 2 tem 2a ​​e 2b). Kostas incorretamente chamado nível 2b "três" e nível 3 "quatro" quando o nível 3 é o "quarto "nível, mas não o nível 4. Essa oportunidade está disponível para o momento, para ajudar a levantar fundos para uma causa específica (e-mail ao administrador para mais informações), e não estará disponível para sempre. Escreva para Shifu para ver se ele ainda está aceitar os alunos, já que ele tem um número fixo que ele treina e só treina novos indivíduos no sistema Pai Mo quando um aluno abandona este sistema de formação difícil ".

Grupo do Facebook: https://www.facebook.com/groups/165931843518034/

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

http://paranormaleparapsicologia.blogspot.com.br/2009/07/john-chango-mago-de-java.html

JOHN CHANG,"O MAGO DE JAVA
***MUTANTES & SUPERDOTADOS - PARTE 6 **

JOHN CHANG,"O MAGO DE JAVA"
****************************************************
John Chang Zhai é um Mestre Chinês que vive em JAVA,na Indonésia.É Mestre de Artes Marciais Internas(NEI KUNG ou NEI-QONG),Acupunturista e Curador Espiritual.

Desde criança possui podêres de Telecinese,e foi treinado por grandes Mestres Taoístas para expandir e amplificar estes poderes.

John foi discípulo dos Mestres de uma Antiga linhagem de Paranormais Taoístas,chamada de TRADIÇÃO MO-PAI.

À 30 anos pratica e ensina em Java os Ensinamentos da TRADIÇÃO MO-PAI,centrada no desenvolvimento das Habilidades Paranormais e Super-humanas.
John tornou-se famoso em toda a Ásia pelo apelido de "THE DYNAMO JACK" devido aos seus fantásticos podêres de Telecinese e de Irradiação de Raios Elétricos e Caloríferos pelas Mãos.

Foi o 1º Mestre de Qigong Taoísta à demonstrar os seus Podêres para a TV Ocidental,tendo participado em 1988 do Documentário "RING OF FIRE" do Cineasta LAWRENCE BLAIR,quando seus podêres foram filmados pela primeira vez.
Depois,foi filmado diversas vêzes demonstrando seus podêres.

Depois,foi investigado por cientistas da China e da Indonésia,que comprovaram a veracidade de suas Para-habilidades Psiônicas.
JOHN CHANG possui as seguintes habilidades:

1- TELECINESE - Move objetos com o poder da mente;

2- PIROCINESE - Cria raios de Calor de grande intensidade,entre 50 e 100 graus, nas suas mãos que podem ser sentidos claramente pelos pacientes e por sensores eletrônicos.Irradiando estes Raios,John pode fazer pedaços de jornal entrarem em combustão,fenômeno que foi filmado pela espantada equipe de Lawrence Blair !

3- IRRADIAÇÃO DE ELETRICIDADE - Irradia impulsos elétricos pelas mãos que dão choques e provocam formigamentos nos pacientes,usa este poder para tratar doenças através da Acupuntura.

4- TELEPATIA - Lê pensamentos de pessoas,e sente as emoções das plantas e animais.

5- LEVITAÇÃO - Pode levitar em estado profundo de meditação


[RED]MAIS SOBRE JOHN CHANG:

Jonh afirma que seus Mestres possuem Podêres muito mais fortes e fantásticos do que os seus,podem levitar fácilmente pelo ar,desmaterializarem seus corpos e atravessarem paredes,e irradiarem potentes Bolas de Energia,que eles chamam de "ESFERAS DE CHI".

A Tradição MO-PAI de John é uma das linhagens do LEI SHANG DAO("CAMINHO DO RAIO E DO TROVÃO"),uma Escola especializada no desenvolvimento das TEYI GONGNENG ("HABILIDADES SUPERNORMAIS"),ligada às origens das Artes Marciais na China à 3 mil anos atrás.
Foi fundada pelo MESTRE MO-TZU no século VI A.C.,especializando-se na formação de GUERREIROS PSÍQUICOS dotados de Telecinese e Levitação,que tornou-se a fonte dos Ensinamentos Secretos dos Monges Shaolin.
O Grande segredo dos Shaolin era o uso dos PODÊRES PSÍQUICOS TELECINÉTICOS durante o combate,o que os tornava INVENCÍVEIS.

Os Ensinamentos de John Chang e da TRADIÇÃO MO-PAI foram narrados extensamente num livro publicado em 2000,chamado "THE MAGUS OF JAVA: TEACHINGS OF AN AUTHENTIC TAOIST IMMORTAL",escrito pelo Discípulo grego de John,KOSTA DANAOS,criador do sistema de combate PAMMACHON.

Anônimo disse...

Olá Bruno, seu site tem conhecimento pra caramba, sobre esse livro, eu não consigo ver as fotos que ficam no meio do livro, será algum problema aqui(meu navegador) ou no blog mesmo? sabe mim dizer se já saiu o livro em português?

obs: não abriu o link do livro em inglês, poderia "atualizar" o link..

obrigado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

wibiya widget

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. [Bruno Guerreiro de Moraes]